Plantio de soja 2019/20: Confira a situação atual, previsões de produção e o que considerar para não ter prejuízos na segunda safra.

A escassez de chuvas, no início da nova safra, deixou os sojicultores com o pé atrás em boa parte do país.

O plantio de soja 2019/20, que começou em meados de setembro, só chegou aos 46% até agora, um ritmo muito mais lento que o da safra passada, que era de 60% no mesmo período.

Embora o plantio tenha avançado bem nas últimas semanas, após recentes chuvas, o tempo continua seco e instável.

Com isso, há preocupações em alguns estados quanto à finalização da semeadura e com a janela de plantio da safrinha. 

Neste artigo, compartilho mais informações sobre o plantio de soja 2019/20 e o que fazer para minimizar riscos de perdas na lavoura devido aos atrasos. Confira!

Plantio de soja 2019/20: Situação atual

Mesmo com o registro de chuva na última semana de outubro, o tempo continua instável e o plantio de soja 2019/20 está atrasado ante a safra passada. 

Segundo dados da consultoria AGRural, até 4 de novembro, o país atingiu 46% da área estimada. No mesmo período da safra 2018/19, esse índice era de 60%.

Apesar disso, o resultado geral está dentro da média histórica dos últimos 5 anos. 

No Mato Grosso, principal produtor de grãos do país, a área semeada aumentou para 84% ao final de outubro, conforme o Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária). 

No Paraná, segundo maior produtor, esse índice passou para 60%.

Essa reviravolta após um forte atraso inicial aconteceu graças ao ritmo frenético das máquinas, semeando dia e noite e, muitas vezes, apostando nas chuvas por vir.

É o plantio no pó, como dizem alguns produtores.

A situação é mais preocupante no Mato Grosso do Sul. O plantio de soja 2019/20 atingiu apenas 58% da área estimada e a falta de chuva forçou produtores ao replantio, segundo a AgRural.

Além disso, há preocupações relacionadas à segunda safra do milho.

Caso a semeadura da soja não se encerre dentro da primeira quinzena de novembro, a safrinha estará fortemente prejudicada no Estado.

Nas outras regiões do país, em que não houve estabilização das chuvas, também há preocupações.

plantio de soja 2019-20

Tempo mais seco atrasou plantio na safra de soja 2019/20;
Em Mato Grosso, principal produtor do grão, plantio ainda não alcançou 100% da área prevista.
(Foto: Dinheiro Rural)

Previsões de área plantada e produção de soja na safra 2019/20

Segundo a Conab, a região Centro-Oeste e Sul são as principais produtoras do grão, somando mais de 70% da produção de soja no Brasil.
Veja na figura abaixo:

produção de soja no Brasil

Mapa da produtividade de soja no país;
Expectativa no Brasil é alcançar 36,5 milhões de hectares plantados
(Fonte: Conab)

A área de plantio da safra 2019/20 será em média 2% maior que a anterior, segundo estimativas da Conab.

Estão previstos 36,5 milhões de hectares contra 35,8 milhões da safra anterior.

Este número chega a mais de 50% dos mais de 60 milhões de área agricultável total do Brasil, mostrando toda a força da sojicultura nacional.

evolução soja no Brasil

Evolução da área de soja no Brasil (em mil hectares)
(Fonte: Conab)

Apesar do aumento da área plantada, as estimativas são de que a produtividade por hectare seja menor que a registrada em anos como 2016 e 2017.

Essa diminuição pode estar relacionada ao atraso na semeadura da cultura da soja, que é fortemente dependente de condições ideais de temperatura e disponibilidade hídrica para atingir altas produtividades.

plantio de soja 2019/20

Épocas de plantio de colheita de soja nas diferentes regiões do Brasil
(Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2015)

Atrasos no plantio de soja 2019/20 e os impactos na segunda safra

Na maior parte da região tropical do Brasil, a sucessão soja e milho é o carro-chefe da agricultura.

Embora possa ser feito com culturas como algodão e sorgo, o plantio de milho predomina na safrinha. Tanto que a maior parte da produção do grão em nosso país vem da segunda safra.

E atrasar a primeira safra significa atrasar a segunda… 

Como citamos acima, no clima tropical, não é uma boa ideia adiar a segunda safra para além dos meses de fevereiro e março. 

Isso porque acarreta em restrições de luz e água para a planta do segundo cultivo (2ª safra ou safrinha).

Isso afeta a produtividade, com a lavoura exposta à redução de chuvas e possíveis geadas.

Com isso, o produtor deve colocar na ponta do lápis o custo da segunda safra e o risco de semear tarde.

Aliás, o milho pode não ser a melhor opção em uma situação dessas. Algumas culturas de cobertura ou com maior resistência ao déficit hídrico, como o sorgo, podem se sair melhor.

Problemas no atraso do plantio de soja

Falta de sementes 

Um grave problema para o produtor é ter que replantar a área pela falta de chuvas – o que já acontece em partes do Mato Grosso do Sul, como citamos acima. 

Além do custo do replantio, os produtores podem se deparar com a falta de certas cultivares de soja para comercialização, o que também já é sentido em algumas regiões do país.

Cuidados com a ferrugem

Por conta do vazio sanitário, durante a entressafra há uma redução no número de esporos no ar da ferrugem asiática da soja. 

Quando semeada no início da safra, esse manejo faz com que a inoculação do fungo aconteça em um estádio mais avançado da cultura, diminuindo seu efeito na produtividade

produção de soja

Estádio fenológico em que foi constatada as primeiras pústulas de ferrugem (EF) e produtividade (kg/ha) de grãos de soja, em função das diferentes épocas (EP) e datas (DS) de semeadura da soja.
(Fonte: Souza, 2015)

Dessa forma, um grande problema em se semear a soja tardiamente são as altas quantidades de esporos no ar e pressão de inoculação do patógeno na planta.

Aqui no blog, nós falamos mais sobre como evitar e combater a doença. Confira as “6 Dicas para combater de vez a ferrugem asiática da soja”.

Conclusão

O plantio tardio da soja costuma ser um mal negócio. Mas, mesmo sabendo disso, na falta de chuvas, o produtor não tem pra onde correr.

A adoção de cultivares resistentes à ferrugem ou a utilização de culturas mais adaptadas a uma segunda safra tardia, são formas de contornar o problema no sistema de produção.

Outra opção é apostar na alta do preço do milho e semear o próprio na safra principal, buscando uma ótima safra de milho para pagar as contas.

A falta de chuvas é mais uma das inúmeras adversidades que o produtor brasileiro encontra. Mas, com conhecimento técnico e força de vontade, continuaremos movimentando o agro brasileiro.

>> Leia mais: “Tomada de decisão certeira: Expectativas do mercado para a safra 2019/20

>> Leia mais: “Tendências para o preço de adubo de soja 2019/20

>> Leia mais: “Custo de produção de soja 2019/20 (+ planilha)

Como está o seu plantio de soja 2019/20? Vai apostar no milho para a segunda safra? Conte pra gente nos comentários!