Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

safra de arroz 2021

Produção, mercado e preço esperado para a safra de arroz 2021

- 19 de janeiro de 2021

Safra de arroz 2021: entenda quais fatores devem influenciar a comercialização do cereal nos próximos meses e tome melhores decisões!

O arroz, durante o período de pandemia, foi um dos produtos que apresentou alta variação de preço para consumidores e produtores.

Esse cereal chegou a valores históricos de compra no segundo semestre de 2020, mas poucos produtores aproveitaram esses preços.

Saber as causas desse aumento dos preços pode trazer a você bases para negociar sua safra de arroz em 2021.

Pensando nisso, separei algumas informações para você saber o que ocorreu na safra 2019/20 e como isso pode influenciar a comercialização do arroz colhido em 2021. Confira!

Safra de arroz 2021: o que mudou em comparação à safra passada? 

Na safra de 2019/20, o Brasil semeou 1.665 hectares de arroz, com produtividade média de 6.713 kg/ha, gerando uma produção nacional de 11,1 milhões de toneladas

O Rio Grande do Sul teve a maior produção nacional de grãos de arroz. Foram semeados 946 ha, com produtividade de 8.316 kg/ha – a maior da história na produção de arroz no Estado.

O estado do Mato Grosso também apresentou aumento em relação à safra anterior e obteve na safra de 2020 uma produção de 404,8 mil toneladas, de acordo com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

As condições climáticas favoráveis, o controle rigoroso dos produtores nos tratos culturais e investimento em tecnologia no campo favoreceram a elevada produção.

Para a safra 2020/21, a projeção inicial da Conab era de que a produção nacional fosse de 12 milhões de toneladas de arroz, considerando o mercado interno aquecido e alto valor de comercialização da cultura. Em outubro de 2020, a saca de 50 kg do arroz em casca chegou a ultrapassar R$ 105.

Mas a área plantada de rizicultura foi menor que a estimada inicialmente devido à instabilidade climática (falta de chuvas) e aos altos valores de comercialização de grãos de soja e milho

A projeção é que a produção nacional tenha redução de 2,1%, colhendo 10,9 milhões de toneladas em 2021, pelo levantamento sistemático da produção agrícola realizado pelo IBGE.

Na tabela abaixo são listadas as principais regiões de produção pela Conab, com suas datas aproximadas de semeadura, desenvolvimento da cultura e colheita.

principais regiões de produção de arroz 2020/2021 pela Conab

Atrasos no plantio da safra

Devido à falta de chuvas, houve atraso no plantio de arroz em todas as regiões, com a conclusão de plantio prevista para janeiro de 2021, segundo a Conab.

Até o momento, 93% da área de arroz foi plantada, sendo que o Mato Grosso, o terceiro maior produtor, semeou 70% da área até a primeira semana de janeiro.

O Rio Grande do Sul se mantém como principal produtor do cereal no país, com área plantada de 969 ha. O plantio no estado se encerrou no início de janeiro, segundo Irga (Instituto Rio Grandense do Arroz (IRGA).

Influência do mercado na comercialização da saca de arroz

A atenção para a comercialização do arroz plantado nessa época deve estar no consumo interno e exportação do cereal, que aumentou no último ano.

Com a pandemia do coronavírus, o consumo de arroz no mercado interno aumentou expressivamente.

Segundo dados do Irga, comparando o mês de agosto de 2019 e agosto de 2020,  o beneficiamento e saída para comercialização do arroz do estado RS aumentou 30%.

Porém esse valor, mesmo sendo acima do esperado, foi sofrendo queda e, avaliando o mês de novembro de 2020, apenas 16,2% foi acima do valor de saída em relação a 2019.

O aumento da demanda do arroz fez o preço da oferta aumentar. Consequentemente, o valor do cereal subiu para os produtores que ainda possuíam o grão para vender.

Para essa safra comercializada em 2021, a tendência é de equilíbrio do consumo e preço.

A Conab prevê que o mercado interno deva estabilizar, com consumo nacional de 10,8 milhões de toneladas de arroz e exportação de 1,1 milhão de toneladas.

Com isso, deve haver uma estabilização no total de arroz exportado e importado – e aumento do estoque final do cereal até fevereiro de 2022.

Estimativa do balanço de oferta e demanda de arroz em casca (em mil toneladas)

Estimativa do balanço de oferta e demanda de arroz em casca (em mil toneladas)
(Fonte: Conab)

Além do consumo interno influenciar a demanda e preços, o mercado externo também desempenhou papel nesse aumento de preços.

Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a partir de maio/20, houve um aumento expressivo de arroz exportado.

Comparando os oito primeiros meses de 2019 com 2020, houve acréscimo de 73,5% em volume e de 81,4% em valor do cereal.

gráfico com exportações de arroz do Brasil (em US$ milhões)

Exportações de arroz do Brasil (em US$ milhões)
(Fonte: Ipea)

Expectativa de preços para a safra de arroz 2021

O aumento de consumo durante a pandemia do Covid-19, somado às exportações, fez o preço do arroz subir em valores históricos, ultrapassando a marca de R$ 105 a saca de 50 kg.

Série de preços de um ano para saca 50 kg de arroz em casca - safra de arroz 2021

Série de preços de um ano para saca 50 kg de arroz em casca
(Fonte: Cepea)

Esse valor não foi obtido por todos os produtores devido à maior parte da safra ter sido negociada em vendas futuras.

Desse modo, fique atento às cotações do dólar, pois o valor pago ao produtor estará vinculado principalmente com a cotação do dólar e a demanda do comércio exterior.

Se o dólar subir e a demanda externa for grande, e o consumo interno se manter no previsto, o valor do cereal deve se manter em alta em relação ao pago na safra passada.

Nos dois últimos anos, os valores da saca de arroz recebidos pelos produtores eram menores que o valor previsto para esse ano.

Na média de março de 2020, segundo o Cepea, o produtor recebeu R$ 49,80 na saca de 50 kg. Para esse ano, a previsão é de valores próximos a R$ 65 em março.

A queda do valor pago aos produtores em relação aos últimos meses de 2020 se deve à colheita do cereal no primeiro semestre de 2021.

Além disso, mais arroz deve ser injetado no mercado para tentar controlar a inflação, segundo o Ipea.

Isso ocorreu devido à suspensão provisória dos impostos de importação de arroz feita de setembro até dezembro de 2020, com uma cota de 400 mil toneladas.

Consequentemente, pode ocorrer uma queda do valor pago aos produtores em relação aos preços observados no segundo semestre de 2020.

banner ebook produção eficiente de arroz

Conclusão

Neste artigo você viu que a demanda da safra de arroz 2021 está se encaminhando para estabilização.

Mostramos que a forte influência do mercado interno e exportações nos preços do arroz no ano de 2020 não está se mantendo para próxima safra.

Com isso, o preço pago a você, produtor, tende a se estabilizar, apresentando valores superiores aos anos anteriores, porém inferiores aos observados no 2o semestre de 2020.

Esteja atento às cotações do dólar e às exportações para poder tomar a melhor decisão de venda da sua produção de arroz!

Quais são suas expectativas para a safra de arroz 2021? Ficou alguma dúvida sobre o panorama de mercado? Deixe seu comentário abaixo!

Comentários

  1. Rabiaa shouman disse:

    Quero exportar arroz para o Líbano . quero saber o preço pronto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Banner de teste grátis do Aegro na cor verde com uma imagem no meio de uma máquina trabalhando no campo