Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Mesmo com problemas climáticos, a safra de soja 2017/18 será recorde de alta produção agrícola: 117,5 milhões de toneladas.

Quando outra safra começa, se iniciam também as dúvidas:

Como conseguir alta produção agrícola? E a rentabilidade? Onde investir para que isso aconteça?

A dúvida é comum mas a incerteza e receio não precisam ser!

Hoje revelamos os segredos da alta produção agrícola com base em casos de sucesso e em especialistas da área na Semana da Pré-Safra (SPS) 2018.

Assista ao webinar gravado com Dirceu Gassen.

Acompanhe agora e confira como obter maiores produtividades:

1. O solo é a (literalmente) a base da alta produção agrícola

Como ressaltado pelo especialista Dirceu Gassen, você deve ter em mente que a cultura “bebe” nutriente todos os dias.

O “cocho” de alimentação é o solo.

E para essa “alimentação” (nutrição das plantas) ser eficaz precisamos de 3 coisas: nutrientes, água e raiz.

embrapa-soja-em-integração

Desenvolvimento radicular de soja BRS 184 após Brachiaria ruzizienses em área de integração lavoura-pecuária Nessa condição, as raízes da soja atingiram 1 m de profundidade.

(Fonte: Embrapa)

A adubação adequada resulta em nutrientes no solo e nutrição equilibrada. Mas para a planta conseguir absorver esses nutrientes a água e raízes são essenciais.

>> Cuidados que você deve ter para evitar deficiência de potássio na Soja

A água é o meio de transporte dos nutrientes na raiz, sendo que a raiz precisa estar em contato com essa solução de nutrientes.

Para isso, a planta precisa de muita raiz. Estima-se, que para extrair água e nitrogênio (N) é preciso 1 cm de raiz por cm³ de solo, enquanto que para fósforo (P) é preciso de 5 cm de raiz/ cm³ de solo.

Ou seja, são quilômetros de raízes.

Como conseguir tantas raízes e água com nutrientes? E em época de estiagem?

É por isso que você precisa construir uma boa estrutura de solo:

2. Estrutura de solos para alta produção agrícola

A estrutura do solo é dada pelo agrupamento dos agregados do solo, organizados numa forma e resultando em poros.

nutriçãosolo

(Fonte: Quora traduzido por AEGRO)

Os poros são espaços formados por esse agrupamento, em que pode conter oxigênio, água e nutrientes.

Precisamos criar uma estrutura de solo que seja como uma esponja: solo com poros que drenam a água quando chove demais (macroporos) e com poros que guardam a água quando for período de estiagem (microporos).

A compactação destrói a estrutura do solo não permitindo o crescimento de raízes e nutrição das plantas, afetando todos os processos da planta.

Mas o que podemos fazer para melhorar a estrutura do solo, compactado ou não?

3. Adubos verdes, culturas de cobertura e a estrutura de solos de alta produção agrícola

Se você acha que o subsolador vai melhorar sua estrutura de solo, pense de novo.

O subsolador quebra a estrutura da superfície, deparando as partículas do solo que selam os canais criados pelo subsolador quando ocorre chuva.

Pesquisas mostram que, na média, em 6 meses o solo está compactado de novo.

Por que não fazer um manejo de descompactação efetivo, que resultará em alta produção agrícola, e que (no fim das contas) não deverá custar mais do que a passagem de subsolador?

Para entender mais sobre custo de produção agrícola recomendo os artigos:

>>Como saber seu custo de produção agrícola

>> Entenda os custos de produção agrícola e esteja no comando de sua fazenda

Para isso temos a utilização da adubação verde ou cultura de cobertura. Essas práticas são fundamentais para melhorar a estrutura de solo.

Isso porque as raízes das plantas formam macro e microporos de maneira efetiva, formando e melhorando a estrutura de solo.

Mas para isso, é claro que precisamos fazer constantemente o cultivo dessas plantas, com adubação ver ou culturas de cobertura.

Aliás, você sabe qual a diferença entre adubos verdes e culturas de cobertura?

Adubos verdes são plantas que serão incorporadas ao solo, disponibilizando os nutrientes para a próxima cultura em um curto espaço de tempo.


Culturas de cobertura  são espécies utilizadas para produção de uma camada de proteção do solo, formando cobertura morta através de seus resíduos que ficam na superfície do solo, levando mais tempo para disponibilizar nutrientes.

Você pode perceber que a diferença entre plantas de cobertura e adubação verde está apenas no manejo empregado em cada uma delas.  

Quais espécies de adubo verde ou cobertura morta devo utilizar?

As melhores espécies para adubo verde ou cultura de cobertura na sua propriedade são aquelas que crescem bem na sua região, porque estão totalmente adaptadas a esse tipo de solo, clima, pragas, etc.

No entanto, sempre é importante alternar as espécies, já que cada uma tem um crescimento radicular diferente, colaborando com a estrutura de solo.

É recomendado fazer a mistura ou cultivos sucessivos envolvendo 5 espécies, o que vai preparar o solo para cultura principal de geração de renda.

Nesse sentido, você pode escolher espécies que te auxiliam nos principais problemas da sua área.

Para te ajudar nessa escolhas fizemos uma lista das principais espécies e seus benefícios:

crotalaria juncea

Crotalaria juncea

( Fonte: Piraí)

4. Espécies para adubação verde / cultura de cobertura e seus benefícios

  • Amendoim-forrageiro (Arachis pintoi) – leguminosa de verão palatável e que fornece nitrogênio;
  • Braquiária (Brachiaria ruziziensis) – gramínea perene eficiente no controle de plantas daninhas e auxilia no manejo da doença mofo-branco;
  • Calopogônio (Callopogonium mucunoides) – leguminosa perene de verão que é palatável e fornece nitrogênio;
  • Ervilhaca (Vicia sativa) – leguminosa anual de inverno com bom fornecimento de nitrogênio;
  • Feijão-de-porco (Canavalia ensiformis) – leguminosa anual de verão com crescimento rápido, além de ajudar no controle de plantas daninhas, especialmente tiririca;
  • Lablab (Lablab purpureus) – leguminosa anual de verão com crescimento inicial rápido;
  • Milheto (Pennisetum americanum) – gramínea anual de verão que produz grande quantidade de biomassa com boa qualidade de forragem;
  • Nabo-forrageiro (Raphanus sativus) – crucífera anual de inverno que apresenta crescimento rápido, descompactação de solos e eficaz na ciclagem de nutrientes;
  • Soja-perene (Neonotonia wightii) – leguminosa anual de verão rica em proteína e com boa palatabilidade;
  • Tremoço (Lupinus albus) – leguminosa anual de inverno que produz grande quantidade de biomassa e fornecimento de nitrogênio.

Crotalárias

  • Crotalaria breviflora – leguminosa anual de verão de porte baixo e auxilia no manejo de nematóides, especialmente Pratylenchus brachyurus;
  • Crotalaria juncea – leguminosa anual de verão que colabora com manejo de nematóides (Meloidogyne spp.);
  • Crotalaria ochroleuca – leguminosa anual de verão que também auxilia no manejo de nematóides;
  • Crotalaria spectabilis – leguminosa anual de verão, ajudando no manejo do percevejo-castanho (Scaptocoris castanea) e de nematóides.

Guandus

  • Guandu-forrageiro (Cajanun cajan) – anual ou semi-perene de verão utilizada para descompactação de solos adensados;
  • Guandu-forrageiro-anão (Cajanun cajan) – planta de verão de porte baixo também utilizada para descompactação de solos adensados.

Aveias

  • Aveia-branca (Avena sativa) – anual de inverno que pode produzir grãos e gerar receita, auxiliando também no manejo de podridões radiculares e mofo-branco;
  • Aveia-preta (Avena trigosa) – anual de inverno para controle de plantas daninhas, em especial para aquelas de folha estreita, além de ajudar no manejo de podridões radiculares e mofo-branco.

Mucunas

  • Mucuna-cinza (Mucuna pruriens) – leguminosa anual de verão eficaz para manejo de plantas daninhas, auxiliando no manejo de nematóides, mas requer cuidados para não infestar a área;
  • Mucuna-preta (Mucuna aterrima) – possui os mesmos benefícios da mucuna-cinza.

>> 9 plantas daninhas resistentes a herbicidas (+3 livros e guias para controlar)

5. Integração lavoura-pecuária para alta produção agrícola

A integração lavoura-pecuária é outra ótima forma de melhorar estrutura e produtividade, já que as raízes da forragem também criam estrutura de solo.

Porém devemos nos atentar há vários aspectos importantes.

Isso porque após cortar o pasto essas plantas precisam criar mais raízes para continuar se desenvolvendo e melhorar a estrutura do solo.

E isso envolve adubar o pasto, o que é um assunto tão polêmico e longo que daria outro artigo.

Outro fator é o ajuste da população de gado para que ele se alimente melhor e não precise caminhar tanto nos mesmos locais, não compactando o solo.

Lembre-se também que pasto deve ser sinônimo de diversidade de espécies, ou seja, não use só uma espécie de pasto.

Você já deve ser identificado alguns desafios para cada um desses segredos da alta produção agrícola dentro da realidade da sua fazenda.

Mas há alguns desafios que são gerais e extremamente importantes para a obtenção de sucesso:

grãos de soja

(Fonte: Maranhão Hoje)

6. Desafios para alta produção agrícola

Você pode ter reparado que todas essas dicas que influenciam diretamente da produtividade da lavoura são relacionadas ao manejo. E o manejo é feito por pessoas.

No fundo, colhemos conhecimento, habilidade e atitude. Conhecimento para saber o que deve ser feito, habilidade para fazer e a atitude de fazer tudo bem feito.

Por isso, uma equipe bem treinada e consciente do que está fazendo é tão importante.

“As pessoas não olham para a gestão de pessoas como algo que podem gerenciar e economizar custos, mas você realmente pode ver retornos diretos se passar algum tempo nessa área”. (especialista em Recursos Humanos Abby Verstraete )

Assim, funcionários que se sentem respeitados, valorizados e confiáveis têm maior probabilidade de trabalhar mais e se sentir comprometidos com o sucesso do negócio agrícola.

Outros desafios cruciais para sua alta produção agrícola são a redução de trânsito de máquinas e, como já conversamos, melhorar a estrutura do solo.

A redução do trânsito de máquinas fica a cargo de um bom planejamento agrícola, que envolve a definição de rotas mais eficientes dentro da lavoura.

E sobre a melhora da estrutura do solo, você pode ver em tópicos acima como fazer isso.

Para saber o grande segredo da alta produção agrícola, continue a leitura:

7. O grande segredo 

O grande investimento para alta produção agrícola tem que ser em conhecimento e planejamento para o manejo ser bem feito, garantindo a produção e rentabilidade.

Por isso, eu considero que a gestão agrícola é a chave do segredo da alta produtividade.

Gestão agrícola nada mais é que o processo de administrar uma empresa rural de forma consciente do processo completo de produção, do manejo de solo à colheita, da gestão de pessoas à gestão financeira.

E o bom planejamento agrícola, dentro da gestão, é o que resulta em um manejo apropriado e proporciona altas produtividades e rentabilidades.

>> Como produzir 211 Sacas de Milho por hectare com Gestão Agrícola

Assim você vai saber o que é preciso fazer, na hora certa e bem feito.

A gestão financeira é essencial para saber quais os custos reais de produção e, assim, qual o preço de venda que te dará lucro, além de evitar desperdícios e prejuízos.

>> Como reduzir custos com um software de gestão agrícola

>> 3 maneiras de lucrar mais com um software de gestão agrícola

Como já falamos alguns tópicos acima, a gestão de pessoas faz toda a diferença no manejo da lavoura e na condução da fazenda.

Outro fator, inserido na gestão agrícola, que merece atenção é o acompanhamento e validação.

Precisamos ter o hábito de acompanhar a safra e de conferir o que deu e o que não deu certo, melhorando cada vez mais seu processo agrícola.

Afinal, quem não monitora sua lavoura tem que acreditar no que os outros dizem.

E para saber como a tecnologia pode mudar seu monitoramento da alta produção agrícola veja este artigo:

Como estas 5 tecnologias mudam a forma de monitoramento da produção agrícola

Para não esquecer, os segredos da alta produção agrícola são:

gestão-agrícola

Conclusão

Os segredos da alta produção agrícola envolvem trabalho duro, com atenção para o solo, adubos verdes, culturas de cobertura e integração lavoura-pecuária.

A gestão agrícola, especialmente na gestão de pessoas e planejamento agrícola da lavoura são cruciais para a obtenção de resultados de sucesso.

E aqui você viu a importância e como colocar em práticas esses segredos. Aproveite esse conhecimento e boa produção!

>> Leia mais:

Culturas de inverno: Como aumentar o rendimento na propriedade

7 fatores que influenciam o aumento da produtividade rural e como melhorá-los

Gostou do texto? Qual o segredo da sua fazenda para obter altas produções agrícolas? Tem alguma sugestão? Adoraria ver seu comentário abaixo!