Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Aumento da produtividade rural: o que você precisa saber para impulsionar os resultados da fazenda sem precisar de mais área agrícola

A produção agrícola é sempre um desafio. São muitos os aspectos e fenômenos incontroláveis, desde o clima que afeta diretamente a lavoura ao preço que o mercado oferece.

Aumentar a produtividade é fazer crescer a produção. Mas, por si só, ter uma produtividade elevada também não é sinônimo de eficiência.

Neste artigo, elenco 7 fatores que influenciam a produtividade rural e o que você pode fazer para melhorá-los em sua fazenda. Confira!

O que impacta o aumento da produtividade rural?

Pensar em produtividade é impossível sem falar em uma boa administração dos mais variados fatores que compõem o resultado da sua empresa rural

É preciso considerar não só a produtividade em si, mas o potencial de evolução da sua propriedade. 

Alguns pontos vão impactar bastante a produtividade a longo prazo como: solo, insumos, escolhas técnicas de manejo de plantas daninhas, escolha tecnológica, mão de obra e investimentos financeiros.

E na produção de commodities, na qual o mercado dita “o jogo”, você se torna um tomador de preço. Por isso, para ter lucratividade, é importante investir de forma assertiva e racionalizar os custos.

É preciso promover o máximo potencial da sua propriedade, tornando-a inteligente e o seu trabalho mais eficaz. 

A seguir, veja alguns fatores que impactam sua produtividade e o que fazer para que ela se torne maior em sua fazenda.

1 – Manejo do solo

O objetivo com o manejo do solo é evitar que ele tenha compactação ou erosão e garantir que haja quantidades adequadas de matéria orgânica. 

Por isso, diagnosticá-lo faz toda a diferença! Fazer análises de solos periodicamente é essencial.

Com a análise em mãos, é possível identificar as correções necessárias de pH e fazer a melhor adubação de acordo com a cultura que será implantada e suas exigências. 

A prática de zonas de manejo, onde uma amostragem estratificada é tirada para diagnóstico das camadas do solo (0-10, 10-20 e 20-40 cm) é super importante também. Assim, você tem a possibilidade de analisar melhor o balanço nutricional da sua área.

foto de agricultora realizando zonas de manejo no solo para análise - aumento da produtividade rural

(Fonte: arquivo pessoal da autora)

As práticas conservacionistas são o melhor caminho para a qualidade do seu solo a longo prazo. O Sistema de Plantio Direto (SPD) é um investimento para que as melhores  características de um solo sejam mantidas. 

A compactação é um grande desafio nas lavouras. Utilizar arado ou subsoladores ajuda a resolver parte do problema, pois remove a compactação, mas também desfaz os agregados do solo. 

O melhor é investir em plantas de cobertura com sistema radicular mais agressivo, pois com isso você ainda adiciona matéria orgânica ao solo, favorecendo as ciclagens de nutrientes. 

Sem falar que estamos avançando muito nas análises biológicas do solo, como o exame de bioanálise desenvolvido pela Embrapa. 

Aqui também temos uma tabela para cálculo de calagem que pode te ajudar. Aproveite para baixar clicando na imagem abaixo!

planilha cálculo de calagem Aegro

2 – Qualidade da semente

O objetivo ao implantar uma lavoura é que, após o plantio, a germinação seja sempre bem estabelecida e uniforme, na qual possamos confiar no potencial produtivo. 

Uma semente de qualidade vai determinar seu potencial de desempenho a campo.

E o que é uma semente de qualidade? Uma das primeiras coisas que recomendo para avaliar a semente é considerar seus atributos físicos como danos mecânicos, de insetos e o tamanho da semente padrão para facilitar o plantio. 

Os atributos sanitários também são muito importantes, pois as sementes são um dos principais meios de disseminação de doenças, principalmente em novas áreas. 

É fundamental utilizar sementes certificadas, por isso, sempre confira o boletim da semente. 

Você pode salvar a sua própria semente para uso exclusivo na sua propriedade – mas também é super importante testá-la. 

Para ter uma ideia de como será o desempenho da semente a campo, sempre utilize canteiro de teste. Se possível, teste até o tratamento de semente que irá utilizar com essas sementes do canteiro.

Lembrando que somente com condições adequadas de solo, nutrição, bom tratamento da semente e sem competição com plantas daninhas, ela poderá expressar seu máximo potencial produtivo.

3 – MIP e controle biológico 

Falar de MIP (Manejo Integrado de Pragas) é falar de monitoramento constante das área, porque muitas populações de insetos só são percebidas no momento em que causam perdas. 

Fazer um bom levantamento da área e depois utilizar várias técnicas para manter as populações abaixo do nível de dano econômico é o objetivo do MIP. 

Dentre as diferentes práticas, o controle biológico pode ajudar muito no resultado produtivo da sua propriedade.

Alguns exemplos são o uso de insetos predadores vivos, nematoides entomopatogênicos, patógenos microbianos, controle comportamentais com o uso de substâncias hormonais ou armadilhas atraentes para suprimir populações de diferentes insetos-praga. Experimente alguma em sua propriedade!

Primeiro porque você vai notar diferença na forma como o sistema reage e, se bem feito, verá que ele contribui para o nível de equilíbrio (NE) da lavoura. 

Segundo porque começará a ver outras possibilidades de manejo, rotacionando e posicionando os produtos químicos de forma diferente na lavoura e, consequentemente, diminuindo seu uso.

planilha de manejo integrado de pragas - mip Aegro, baixe grátis

4 – Manejo de plantas daninhas

As plantas daninhas são super adaptáveis às condições edafoclimáticas e têm muita facilidade na sobrevivência e dispersão. O segredo delas é que, dentro de uma mesma população, possuem variações genéticas. 

O objetivo é prevenir e controlar as plantas daninhas nas lavouras. Por isso, é preciso identificar quais as principais invasoras da área e conhecer suas características mínimas. 

E o mapeamento das plantas daninhas é uma ótima opção a ser realizada neste caso. Falamos aqui no blog sobre o assunto no artigo “Tudo o que você precisa saber sobre mapeamento de plantas daninhas”.

Mas o básico de monitoramento convencional já faz toda a diferença. Para ajudar neste trabalho, você pode contar com alguns aplicativos para identificação de invasoras, inclusive.

Para manejo, a melhor opção é fazê-lo de forma integrada. Rotacione herbicidas em conjunto com rotação de culturas, utilize sementes certificadas e efetue a limpeza dos equipamentos também. 

Outra opção recomendada é fazer o controle não químico das plantas daninhas.

5 – Mecanização da propriedade e Agricultura de Precisão 

A mecanização agrícola traz grandes contribuições para aumento da produtividade rural. Além disso, é uma importante aliada na eficiência de aplicação e economia de produtos, além da possibilidade de manejar áreas maiores. 

Uma das coisas que mais aprendi na fazenda é que tratores, implementos, colheitadeiras e semeadoras bem reguladas e limpas são um investimento de tempo super necessário e importante.

Se possível, padronize as marcas dos seus implementos também. Em médio e longo prazos, isso pode facilitar muito suas manutenções. 

Quanto à Agricultura de Precisão, ela é uma das ferramentas mais avançadas para ajudar a potencializar a sua produtividade. 

Se você ainda não tem um projeto implantado, comece a usar seu próprio GPS para marcar onde fez as coletas do solo, onde tirou uma amostra da lavoura, onde identificou plantas daninhas e população de insetos. Seu próprio celular te ajuda nisso.

Não tenho dúvidas de que, quanto mais informações coletar das áreas, maiores serão as implicações diretas no diagnóstico e desempenho da produção.

E já que estamos falando em mecanização da propriedade, separei aqui uma ferramenta que vai te ajudar a calcular o custo operacional da frota da sua fazenda. Clique na imagem abaixo para acessar!

ferramenta Aegro para calcular os custos operacionais do maquinário agrícola

6 – Gestão agrícola para aumento da produtividade rural

A produção elevada, por si só, não indica boa produtividade de uma fazenda. É preciso ter uma visão sistêmica e global da propriedade – o que é possível com gestão agrícola.

Um dos primeiros e fundamentais passos para isso é ter uma boa organização dos dados da fazenda. E isso se torna mais fácil e prático com ajuda de um software de gestão agrícola como o Aegro, por exemplo. 

Com a organização das informações, você consegue ter mais controle da sua produção, saber quais talhões foram mais produtivos e quais áreas trouxeram mais rentabilidade.

Isso te ajuda a tomar decisões certeiras, sabendo onde investir ou reorganizar seu planejamento financeiro e operacional.

Exemplo de controle possível com uso do software agrícola Aegro

Exemplo de controle possível com uso do software agrícola Aegro

Invista mais seu tempo em analisar informação e entender as causas do que acontece na fazenda, em vez de somente reagir aos problemas. E a entressafra é um bom momento para começar a fazer isso!

O importante é realizar de forma qualificada a coleta dos dados, para poder confiar nas informações e no que está planejando fazer. 

Não dá para fazer gestão da propriedade somente olhando o saldo na conta bancária. Você precisa entender se está tendo retorno do investimento. Organizar o gerenciamento das informações aumenta a precisão da suas decisões!

7 – Equipe e conhecimento

Não tem como falar em aumento da produtividade rural sem pensar na gestão das pessoas envolvidas nisso – seja você e sua família ou uma equipe de funcionários.

Serviço é algo que nunca falta em uma propriedade: sempre tem o que se fazer! Nesses últimos dois anos, tenho trabalhado com gestão de granjas e posso dizer, sem dúvidas, que garantir um tempo para investir na sua equipe faz toda diferença!

Insira no planejamento um tempo para alinhamento e formação do seu pessoal. Organize a “casa” de forma que as informações possam chegar às pessoas certas no momento certo para atuarem. Faça divisão do time, reuniões de alinhamento. 

Na fazenda onde trabalhei, a reunião no café da manhã com a equipe que entraria no turno fazia toda a diferença. Quando ela não ocorria por algum motivo, usávamos o rádio o dia todo para colocar as coisas no lugar. 

Você pode pensar: “nossa, como vou conseguir incentivar minha equipe se tenho tanta coisa para resolver na propriedade?”… Mas, aí é o ponto! Você pode e deve investir também em si mesmo para se desenvolver como líder e ajudar a equipe. 

Além disso, é preciso investir em conhecimento da agronomia em si. Conheça e garanta que sua equipe tenha entendimento da cultura que está sendo implantada, de plantas daninhas, realização de manejos, etc.

Coloque tudo isso dentro de um cronograma e orçamento. Recomendo filtrar e escolher iniciar com algumas ferramentas digitais que podem fazer toda diferença na sua rotina na propriedade.

Já falamos aqui no blog sobre a como a agricultura 4.0 pode ajudar na rotina da sua propriedade. Confira: é simples e, ao mesmo tempo, fantástico!

Conclusão

Aumentar a produtividade de forma eficiente é possível. 

Certifique-se de acertar o básico como ter uma boa gestão agrícola, fazer a análise de solo, utilizar semente de qualidade, fazer o manejo integrado e ter um time entusiasmado!

A tecnologia também pode contribuir muito com tudo isso e, futuramente, haverá ainda mais oportunidades de melhorias na produção, com manejos mais inteligentes, sustentáveis e eficazes.

Espero que, considerando bem esses pontos apresentados aqui, você consiga ter uma ótima safra. 

O que você tem feito para alcançar o aumento da produtividade rural? Restou alguma dúvida sobre os pontos tratados no artigo? Deixe seu comentário abaixo!