7 Dicas para acertar na rentabilidade com planejamento agrícola

Conheça agora 7 dicas para acertar na rentabilidade com planejamento agrícola.

Já se foi a época em que a fazenda era gerenciada pelo conhecimento adquirido ao longo do tempo através das experiências.

É claro que isso ajuda, e muito!

Mas agora a fazenda é um negócio. E você, como gerencia seu negócio?

(Fonte: Sindicarne)

Será que ainda é igual décadas atrás?

E se não for, será que tem como melhorar?

Confira essas 7 dicas e veja como  melhorar, ou começar a fazer, um planejamento agrícola que dá resultado!

Planejar os recursos chaves que o negócio necessitará para operar (estrutura, pessoas, tecnologia, etc.) e fazer uma boa administração rural.

Primeira Dica: Se Atente Ao Mercado Agrícola

Para planejar você precisa conhecer qual será sua cultura, quais serão os insumos, defensivos agrícolas, aplicações, qual método de cultivo, entre outros.

Outra detalhe que você precisa estar atento: você vai utilizar alguma tecnologia?

Por exemplo, você vai fazer uso de agricultura de precisão ou algum software para fazenda?

Se sim, você precisa pesquisar quais consultorias próximas a sua propriedade rural fazem AP.

Ou consultar qual o melhor software agrícola ou o que se encaixe no seu orçamento.

Agora já podemos considerar que estamos nos aproximando da safrinha de milho (ou segunda safra), então será que o preço da saca de milho cobrirá seus custos e ainda sobrar lucro?

(Fonte:Sistema FAEG)

Para saber disso precisamos pesquisar o mercado e suas expectativas.

Concordo com você que acha difícil entender os especialistas do mercado do agronegócio brasileiro.

Porém, procurar entender a visão de cada um e estar ciente do que pode acontecer é essencial.

Para a cultura do milho safrinha em 2018, por exemplo, na reportagem da FAEG um especialista tem visão mais otimista e o outro nem tanto.

Leia,  pesquise, se informe e veja o que faz mais sentido na sua visão e determine seu planejamento agrícola com objetivos claros:

Segunda Dica: Tenha Uma Meta Clara

“Quem não sabe para aonde vai, qualquer caminho serve”.

Não fique refém do acaso e defina uma meta possível.

Depois selecione as atividades chaves e os fatores a serem melhorados ou modificados para garantir ações que vão resultar no alcance da sua meta.

Se o seu objetivo é aumentar a produtividade, saiba que muitos fatores podem influenciar na produtividade das culturas agrícolas:

(Fonte: Sentelhas e outros autores, 2016)

 

Nessa figura você pode ver que a cada “descida” do degrau a produtividade é reduzida por diferentes fatores.

Você pode modificar a maioria deles: até a radiação solar você “mudar” dependendo da época que você conduz sua cultura.

Mas confesso que o clima (mesmo escolhendo a melhor época para determinada cultura) é complicado mesmo de prever e, assim, “mudar”.

Neste artigo explicamos para você como monitorar o clima com algumas ferramentas digitais.

Fatores limitantes, por exemplo, envolvem manejo da água que, por sua vez, interfere no estado nutricional da planta, já que é pela água que a planta obtém nutrientes.

As produtividades reais (PR) dependem do manejo dos fatores determinantes, limitantes e redutores, sendo Pro o manejo ótimo e PRm é subótimo .

Então são nesses fatores que você deve focar para conseguir um manejo melhor e, portanto, uma produtividade melhor.

Mas sempre verifique se produtividades altas compensa seus custos.

Em por falar em custos, que tal reduzi-los? Veja aqui como.

Terceira Dica: Não Tema Os Riscos: Os Conheça

Seu planejamento agrícola deve listar todos os riscos envolvidos na atividade agrícola.

Seca, aumento dos custos dos insumos, encarecimento do combustível, etc.

Nesta lista você também deve explicar como pretende diminuir o efeito destes riscos.

O risco de fenômenos climáticos também deve estar presente no seu planejamento caso esteja previsto algum fenômeno, como acontece para 2018:

(Fonte: Engº Agrº Leonardo Amazonas em Conab)

 

Não sabe o impacto da La Niña em sua região? Olha só essa figura:

(Fonte: CPTEC)

La Niña se caracteriza pelo resfriamento além do normal das águas do oceano Pacífico.

Pra ficar mais atento a La Niña, escrevemos aqui 6 cuidados para você ter ainda nesta safra.

As consequências são a intensificação das chuvas no Nordeste e secas no sul do país.

Por isso, se você é do Paraná e caso as previsões da La Niña se confirmem, fique atento!

Se estiver pensando em fazer milho safrinha opte por manejo que minimize a seca, como sementes com cultivares mais tolerantes à déficit hídrico, adoção ou continuação do plantio direto que mantém maior umidade do solo, entre outros.

Já que falamos sobre La Niña, olha só os impactos do El Niño no Brasil:

(Fonte: CPTEC/INPE em Cambio Global)

 

Na região Sudeste, as consequências dos fenômenos El Niño e La Niña não são bem definidas, pela região estar numa zona de transição.

Agora que você já sabe sobre La Niña e Lo Niño em sua região, vamos ver algo mais fácil de ser controlado que o clima?

Quarta Dica: O Papel Do Estoque No Planejamento Agrícola

É óbvio que o controle correto do estoque passa pelo monitoramento adequado da propriedade.

Mas também é crucial ir ao estoque e verificar o que realmente tem (ou não).

Veja aqui 5 motivos para você começar a controlar seu estoque.

Além disso, poder ter o controle do estoque conforme as atividades vão sendo realizadas é importante para saber o que deve ser comprado e o que não é necessário.

Nem sempre essas questões são fáceis de serem verificadas e controladas.

Para te ajudar, Aegro disponibiliza uma planilha gratuita de controle de estoque que você pode acessar aqui.

(Fonte: Aegro)

Com o controle do estoque fica mais fácil o controle de algo essencial: o lucro.

 

Quinta Dica: Controle Sobre o Lucro

Saiba quanto realmente gastou para saber seu lucro real.

Isso te dará noção de quanto pode investir, o quanto deve economizar ou quanto precisa de crédito.

É claro que quanto mais detalhado for esse conhecimento, melhor será o controle.

Distribuição do crédito para cultura do milho pelas regiões brasileiras entre 2013 e 2017 (janeiro a setembro), com forte participação das Regiões Centro–Oeste, Sul e Sudeste.

(Fonte: Bacen e Conab)

 

Por exemplo, saber o lucro da área por talhão lhe dará muito mais controle e tomada de decisão correta do que a informação de lucro na área total.

Se atente também aos principais custos da sua produção.

Segundo Conab, com relação ao milho todos os custos em 2017 são inferiores a 2016.

Os itens com maiores custos nesse ano são os fertilizantes, os agrotóxicos, sementes e operações com máquinas.

No caso da soja, os fertilizantes, os agrotóxicos, as operações com máquinas, as sementes e a depreciação de máquinas e implementos têm forte participação nos custos de produção.

Se atente a essas questões e vamos para a próxima etapa!

Sexta Dica: Organize Seu Planejamento Agrícola

O processo complicado e demorado de atualização das várias planilhas pode gerar consequências ruins para as tomadas de decisão.

Você tem dificuldades de tomar decisões em uma crise ou oportunidade?

Sem organização e atualização constante dos dados realmente fica difícil!

Dessa forma, é essencial que você tenha todos seus dados organizados de forma clara, em um único lugar, para planejar melhor o seu negócio.

Um exemplo prático da importância da organização do seu planejamento:

Na sua lavoura de algodão se você se deparasse com algo assim:

(Fonte: International Plant Nutrition Institute- IPNI)

 

Plantas menores, clorose, folhas encarquilhadas, internódios curtos…

Você saberia qual é o problema?

Garanto que sua experiência profissional te dá várias opções.

Como intoxicação de herbicidas, alguma doença ou praga, deficiência nutricional, etc.

Mas para saber o que realmente está acontecendo só verificando tudo o que aconteceu desde antes da semeadura da cultura.

 

Mas e aquela figura, qual a resposta?

A figura mostra uma planta de algodão por deficiência de zinco!

O zinco é fundamental para a síntese das proteínas, desenvolvimento das partes florais, produção de grãos e sementes e maturação precoce das plantas.

Você deve estar se perguntando se é mesmo necessária a adubação de zinco, mas saiba que nem sempre esse é o problema.

O zinco pode se tornar deficiente na planta em solos com pH alto.

Será que esse produtor não exagerou na calagem?

Se ele tivesse todas as atividades guardadas e conhecimento do seu solo saberia que houve calagem excessiva.

E assim saberia com muita mais precisão o que estava acontecendo e como agir para mudar essa situação.

Falando nisso, confira esse guia de sintomas no milho para te ajudar na sua cultura:

Healthy: saudável; Phosphorus: fósforo; Nitrogen: nitrogênio; Drought: seca; Disease: doença; Chemicals: defensivos agrícolas.

(Fonte: International Plant Nutrition Institute- IPNI)

 

Sétima Dica: O Que Realmente Compensa?

Já citamos rapidamente isso na segunda dica: verifique se altas produtividades compensam o seus custos.

À medida que o uso de insumos aumenta, chega-se a um momento em que as quantidades a mais de produção obtidas vão se tornando menores.

Até chegar o ponto de que o preço pago para continuar colocando mais insumos não compensa o preço de venda da produção adicional que você terá pela colocação desses insumos.

Falando em preço, pelo fato de produtos agrícolas serem commodities, os preços baixos muitas vezes não compensam certos investimentos na safra.

 

Conclusão

Para conhecer a fundo seu negócio e fazer todas essas 7 dicas funcionarem só tem uma maneira.

É só mesmo com planejamento agrícola, anotação dos preços e das atividades agrícolas e organização de todos esses dados, como já falamos ao longo desse texto.

Transforme sua fazendo em seu negócio e com todas essas 7 dicas garanta a rentabilidade dele!

 

Gostou das dicas? Faz algum diferente na sua propriedade que dá resultado? Conte aqui embaixo! Adoraria ver seu comentário.

Crédito da imagem: Glenn Carstens-Peters on Unsplash

Maiara Franzoni
Sou Engenheira Agrônoma formada na ESALQ-USP. Atualmente, estou cursando MBA em Agronegócios e terminando o mestrado no Programa de Fitotecnia-Plantas Daninhas na ESALQ