O Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

O Blog da Logo da Aegro
Foto de colheitadeira de trigo na lavoura

Colheitadeira: diferentes tipos, evolução e como escolher a melhor para a fazenda

- 9 de junho de 2022

Colheitadeira: entenda como funciona, quais são as funções, quanto custa, capacidade, detalhes sobre regulagem e mais!

A colheitadeira é uma máquina agrícola destinada à colheita das culturas. Ela pode colher plantas inteiras (forragem), partes de plantas (cana-de-açúcar), frutos (café) ou grãos (como milho e soja).

Nesse artigo, entenda a evolução das colheitadeiras e veja como escolher a ideal para a sua lavoura. Boa leitura!

Evolução das colheitadeiras

As colheitadeiras, também chamadas de colhedoras, colhedeiras, ceifeiras ou ceifadeiras, surgiram na esteira da modernização das lavouras. 

Antes das primeiras colheitadeiras chegarem ao Brasil, na década de 60, as colheitas eram manuais. O trabalho manual deu lugar para máquinas de tração animal, que foram sendo constantemente modernizadas.

Inicialmente as máquinas apenas cortavam as plantas. Ainda era necessária a separação dos grãos e frutos, por exemplo. Após isso, debulhadores e separadores de grãos e palhada foram desenvolvidos, bem como funções para limpeza e classificação de grãos.

Hoje, as máquinas possuem muito mais tecnologia e capacidade de colheita. Por exemplo, uma colheitadeira de soja colhe, em média, 3 hectares por hora. Já uma colheitadeira de milho silagem pode colher até 2 hectares por hora

As colheitadeiras modernas exercem funções além de colher. Elas podem oferecer a você detalhes que te ajudam a controlar as atividades sem necessariamente ir a campo. Isso é possível graças à agricultura de precisão

 Outra grande vantagem é a economia de custos que essas máquinas oferecem. 

Montagem com varias colheitadeiras diferentes, em evoluções diferentes

Evolução de colheitadeiras
(Fonte: editada pelo autor de múltiplas fontes)

Como funciona uma colheitadeira?

As colheitadeiras agrícolas são compostas de diversos sistemas que exercem atividades diferentes como corte, alimentação, trilha, separação, limpeza e transporte. Todas as funções juntas resultam em um processo completo. 

Essas atividades variam de acordo com a especificidade da máquina e da cultura a ser colhida. Veja detalhes de cada uma dessas funções de uma colheitadeira de grãos:

Corte ou despiga

Essa é a etapa inicial das colheitadeiras. Ela consiste na retirada das plantas ou das suas partes de interesse do campo. O corte depende da cultura que está no campo.

Em trigo, por exemplo, colhe-se a planta toda. No milho, faz-se apenas o arranquio das espigas. Já em milho silagem, toda a planta também é colhida.

Alimentação

Após o corte, o material vegetal é conduzido através do sistema de alimentação para a trilha. Esse sistema é composto por esteiras ou correntes transportadoras, caracóis de condução, elevadores, dentre outros.

Trilha

A etapa de trilha é principalmente feita nas colheitadeiras de grãos. Nessa etapa os grãos são retirados dos órgãos onde se prendem, como espigas, panículas, espiguetas, vagem, etc. Esse sistema se baseia em movimento, atrito e impacto

Os movimentos são coordenados, retirando os grãos sem causar danos ou impactos a eles.

Separação

Essa etapa consiste na separação de grãos e outras partes da planta como colmos, folhas, restos de espigas, normalmente conhecidos como palhada. 

Essa atividade pode acontecer em combinação com a trilha ou após ela. Normalmente, o grão segue para um compartimento e a palhada é ejetada para fora da máquina, se acumulando no campo.

Limpeza

Essa etapa atua na limpeza dos grãos e retirada de partículas como pedras, restos vegetais grandes ou pequenos, chamados de palhiço.  O sistema é normalmente composto pela bandeja de entrada que transporta a massa de grãos. 

Esses grãos são conduzidos a um sistema de peneiras de diferentes tamanhos e ventiladores. As peneiras de crivo maior permitem a passagem dos grãos e retém partículas maiores. O sistema de ventilação retira partículas mais leves que os grãos. 

Transporte e armazenamento

Os grãos limpos são conduzidos através de um escorregador para o fundo da máquina e elevados através de um elevador para o tanque graneleiro. Esse tanque será descarregado na carreta graneleira que acompanha a colheitadeira.

Banner do kit de gestão do maquinário

Principais tipos de colheitadeiras

As máquinas colheitadeiras podem ser classificadas quanto ao funcionamento (automotrizes, montadas ou de arrasto), quanto ao tipo de cultura e quanto ao sistema de trilha (radial ou axial).

Funcionamento

As máquinas podem se deslocar e executar as atividades por conta própria (automotrizes), necessitar de um motor externo (de arrasto) ou estar acoplada a um trator agrícola para movimento e tração (montadas);

Tipo de cultura

Existem colheitadeiras específicas para frutos como café, ou para plantas inteiras como forragem ou cana-de-açúcar, para algodão e para grãos/cereais. Elas são classificadas de acordo com o tipo da planta e o tamanho do grão. Porém, existem formas de adaptação entre as colheitadeiras de grãos para que se consiga utilizá-las para múltiplas culturas.

Sistema de trilha 

Existem dois tipos básicos de trilha. No sistema de tipo radial, a planta passa apenas uma vez entre um sitema fixo (côncavo) e um móvel (rotor). No sistema axial, o material vegetal passa por diversas voltas entre o sistema de rotor e cilindro separador.

Montagem com fotos de quatro colheitadeiras: de grãos, de silagem, de café e colheitadeira de cana

Tipos de colheitadeira

(Fonte: adaptação do autor)

Cuidados na colheita

No momento da colheita, esteja de olho em fatores como planejamento, logística, maquinário, mão de obra, tempo de colheita e cultura a ser colhida. As condições ambientais também devem ser consideradas para garantir a eficiência da operação e a qualidade dos grãos.

  • Planejamento e logística: estime a quantidade de horas necessárias para colheita de todas as áreas. Considere a máquina, a cultura a ser colhida, o tipo de solo, o ambiente, etc. 
  • Maquinário e mão de obra: é importante saber quais recursos são necessários para efetuar a colheita das áreas na época correta e sem desperdício de tempo. Organize o número e tipos de máquinas, suas manutenções e pré-preparo, a disponibilidade e experiência de operadores e a capacidade de armazenamento dos produto colhido;
  • Material vegetal e tempo de colheita: conhecer e monitorar a cultura no campo te ajuda a tomar a decisão do melhor momento de colheita. Fatores como o estágio de desenvolvimento da planta, teor de água da matéria verde e maturação do fruto/grão são os indicadores da colheita. Uma colheita precoce pode trazer embuchamento da máquina e danos aos grãos. Uma colheita tardia pode causar perda de grãos por abertura de vagens ou derrubada de frutos, por exemplo;
  • Condições ambientais: fatores como chuva, vento, insolação e temperatura podem causar problemas na colheita. Dias consecutivos secos e com alta temperatura podem desidratar rapidamente o material vegetal, enquanto que dias de chuva podem aumentar a umidade da planta e postergar a data de colheita. Esses fatores podem alterar não só as condições da planta, mas também do solo, podendo limitar a entrada de maquinários mais pesados. 

Regulagem da colheitadeira para evitar perdas na colheita

As regulagens da colheitadeira devem ser feitas de acordo com cada sistema. 

Para garantir eficiência da colheita, cuidar do corte, da trilha, da separação, limpeza e sensores das colheitadeiras é essencial. Todos esses aspectos trabalham em conjunto e  precisam estar bem ajustados para diminuir as perdas na colheita

Regulagens do sistema de corte e alimentação

Essa etapa representa a maior porcentagem de perdas na colheita (até 80%) por derrubada de plantas e grãos para fora da máquina. As principais regulagens são: 

  • averiguar a velocidade de deslocamento da máquina;
  • checar a altura da plataforma de corte;
  • checar a afiação do sistema de corte ou despiga da barra;
  • verificar rotação;
  • conferir posicionamento e ângulo de corte do molinete;
  • velocidade, altura e ajuste do caracol;
  • checar a esteira de transporte.

As perdas internas da máquina dependem do volume que chega aos sistemas através do sistema de alimentação. Quanto maior o volume de alimentação, maiores serão as perdas por separação.

Regulagens do sistema de trilha

Essa etapa pode causar perdas na qualidade dos grãos por excesso de atrito ou movimento abrupto na retirada do grãos. A principal regulagem é integrar os sistemas móveis e fixos, como:

  • cilindro, côncavo e batedor (radial);
  • rotor, côncavo e batedor (axial). 

As colheitadeiras axiais são mais eficientes e diminuem as perdas e danos aos grãos, quando comparadas com as de sistema radial.

Regulagens do sistema de separação, limpeza e sensores

Se mal regulado, o sistema de separação e limpeza pode gerar perdas por descarte de grãos junto com impurezas. As principais regulagens são:

  • checar o movimento da máquina;
  • escolher corretamente a malha de peneiras;
  • checar a velocidade e fluxo de ar e da combinação dos dois.

Além disso, com o avanço do uso de técnicas de precisão, é importante a calibração dos sistemas de sensores da máquina. Sobretudo os que medem fluxos, velocidades, umidade e outras características físicas da máquina e da cultura devem receber atenção.

Qual a melhor colheitadeira pra comprar?

Escolher a colheitadeira ideal vai depender da sua realidade e da cultura que você produz. Existem algumas marcas e modelos mais comprados no país. 

Para grãos, a colheitadeira mais vendida no país é a New Holland TC. A Case IH Axial-Flow 9250 é conhecida como a melhor do mundo. 

Para café, as mais utilizadas são as da marca Jacto, com destaque para os modelos KTR350 e K3 Millennium.

Além disso, considere aspectos financeiros, técnicos e da propriedade:

  • Aspectos financeiros: preço do produto, capacidade de investimento, tempo para pagar a máquina, depreciação do bem, custo da hora de trabalho;
  • Aspectos técnicos: culturas que podem ser colhidas, adaptação para múltiplas culturas, capacidade de colheita, horas de manutenção;
  • Aspectos da propriedade: tamanho da propriedade, características como declividade, facilidade de acesso, estruturas de armazenamento e manutenção de máquinas, especialidade de mão-de-obra.

No Brasil, existem várias marcas de colheitadeiras internacionais disponíveis, o que te dá muitas opções de compra. As principais são: Massey Ferguson, New Holland, Case-IH, John Deere, Valtra, Jacto e AGCO Power

A colheitadeira New Holland – TX 5.90, por exemplo, foi eleita a melhor colhedora de grãos pelo prêmio Machine of the Year Brasil 2022/23.

Qual o valor de uma colheitadeira?

Existem máquinas mais modernas que podem chegar a custar entre R$ 2 milhões a 3 milhões, como por exemplo a Fendt – IDEAL 9. Máquinas com alguns anos de uso custam em média  R$ 100 mil, e as novas, a partir de R$ 800 mil.

O valor de uma colheitadeira varia muito conforme tipo e capacidade da máquina. Além disso, máquinas novas e usadas tendem a ter preços bem diferentes. 

Vale destacar que, atualmente, os preços de maquinários agrícolas têm sofrido variações constantes. Isso acontece principalmente devido às alterações nas cotações do dólar.

Quanto custa em média a hora de uma colheitadeira?

O valor é composto pelos custos da máquina, da mão de obra e do combustível. Para uma colheitadeira de grãos, o valor estimado é de R$ 600 por hora. 

Porém, esse preço pode variar muito em função das oscilações de custo de combustível e também do tipo de máquina. É ideal que você calcule o custo operacional da máquina agrícola considerando todas essas variáveis.

Para te ajudar nesse cálculo, disponibilizamos uma ferramenta que torna esse processo automático. A ferramenta é gratuita, e irá calcular os custos operacionais da sua máquina de acordo com os dados que você fornecer.

Basta clicar na imagem abaixo para acessar.

Conclusão

Para uma execução eficiente da colheita,  é necessário planejamento e o uso de máquinas específicas.

As colheitadeiras são máquinas bastante caras e, por isso, avaliar bem antes da compra é essencial. Aproveite que a colheita é planejada bem antes do plantio e analise com calma antes de escolher.

Considere aspectos como a cultura, a terra, a propriedade e o financeiro. E, na dúvida, consulte um(a) engenheiro(a)-agrônomo(a) para te ajudar na decisão.

Qual tipo de colheitadeira você usa na sua fazenda? Quer compartilhar sua experiência com essa máquina? Deixe um comentário abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.