Como eliminar o besouro castanho com maneiras eficazes de controle dessa praga e, ainda, evitar prejuízos no armazenamento de grãos.

Na produção de grãos, os desafios não param após a colheita e você, como produtor, deve ficar de olho nas pragas de armazenamento.

De modo geral, as pragas secundárias não costumam ser vistas como problemas, mas as de armazenamento podem fazer um estrago e tanto. 

O besouro castanho é um desses insetos que podem causar sérios prejuízos no armazenamento de culturas como arroz, milho, soja e trigo.  

E é realmente possível acabar com essa praga? Vamos entender como eliminar o besouro castanho. Confira a seguir! 

Como eliminar o besouro castanho

Adulto de besouro castanho
(Fonte: AgroBase)

Características do besouro castanho

A espécie é Tribolium castaneum que pertence à família Tenebrionidae, da ordem Coleoptera. O besouro castanho é popularmente conhecido como ‘caruncho’.

São besouros bastante diminutos, medindo cerca de 2 a 4 mm de comprimento, possuem coloração castanho-avermelhada e corpo achatado. 

As fêmeas ovipositam, em média, 500 ovos em locais como frestas, fendas de parede, sacarias e sobre os grãos. 

Já as larvas, branco-amareladas, têm corpo alongado e cilíndrico e são do tipo elateriforme. 

Todo o ciclo de uma geração desta praga dura cerca de 20 dias em ambientes quentes com umidade alta.

Assim, o besouro castanho é tido como uma praga secundária por não ter a capacidade de romper o tegumento dos grãos. Devido a isso, ataca grãos armazenados que já haviam sido atacados por pragas primárias.

Além de causar sérios prejuízos em estoques de produtos moídos, farináceos e em grãos que não permanecem totalmente íntegros, o grande problema está no ataque do embrião dos grãos.

Como eliminar o besouro castanho

Besouro castanho – Tribolium castaneum. Larva (a, b), pupa (c) e adulto (d)
(Fotos: Adriana de Marques Freitas/Embrapa)

Manejo do besouro castanho

Para manter o controle do besouro castanho nos armazéns é essencial o Manejo Integrado de Pragas de Grãos e Sementes Armazenadas (MIPGRÃOS/ MIPSEMENTES).

E o controle dele não se dá de forma individual. 

Por isso, quando se trata de grãos armazenados existe todo um complexo de pragas em que se deve ter atenção.

No MIP, a integração de diferentes métodos e um bom sistema de monitoramento é o que vai garantir a supressão e, até mesmo, a eliminação desta praga. 

Antes de tudo, tenha em mente 6 etapas essenciais como prevenção e para manter a fitossanidade do armazém:

1. Mudança de comportamento dos armazenadores

É imprescindível que produtores e operadores estejam cientes da importância das pragas de grãos armazenados.

Não adianta você somente se preocupar com a praga quando ela já estiver lhe causando danos. 

2. Conhecimento da unidade armazenadora de grãos

Saiba qual o histórico de pragas do local nos anos anteriores e identifique problemas passados. 

A unidade deve ser conhecida por todos que estiverem envolvidos com o armazenamento, desde a colheita até o momento em que o produto será retirado do local. 

3. Limpeza e higienização local

A limpeza do local vai contribuir para que possíveis focos de infestações sejam eliminados e não prejudiquem um armazenamento adequado. 

Como mencionado, o besouro castanho tem hábito de oviposição em substrato inerte, ou seja, em fendas de parede e outros locais em que há necessidade da higienização. 

4. Fazer uma correta identificação das pragas 

As medidas de controle somente serão corretas se a identificação das pragas também estiver sido feita corretamente. 

Uma vez que tiver uso incorreto de alguma medida, o resultado só será visto quando já houver prejuízo final. 

5. Potencial de destruição das pragas 

Entender a capacidade de destruição de cada praga para que se determine a viabilidade de comercialização dos grãos armazenados. 

6. Gerenciamento da unidade armazenadora

Todas as atitudes devem ser realizadas por meio de um gerenciamento, desde a chegada dos grãos, a permanência no armazém até a saída para comercialização e consumo. 

Tudo isso garantirá diminuição de perdas e aumento da qualidade dos grãos.

banner planilha manejo integrado de pragas

E como deve ser o monitoramento?

O monitoramento do besouro castanho deve estar atrelado ao das demais pragas de grãos armazenados. Isso porque, como você viu, esta praga é secundária e sua ação será facilitada com a presença de pragas primárias no armazém.

Assim, os grãos devem ser monitorados durante todo o período de armazenamento. Isso vai garantir a detecção de possíveis focos das pragas. 

Desta forma, você deve utilizar armadilhas fixas ou fazer a coleta de grãos em vários pontos do armazém.  

As armadilhas fixas são para a captura dos insetos em pontos pré-determinados no local de armazenamento. 

E, ao optar pela coleta das amostras, você pode utilizar uma peneira de 20 x 20 cm, com malha de 2 mm com coletor para posterior identificação da praga.

Além disso, fique de olho na temperatura e umidade do local. 

Se ficar muito quente e úmido, você corre um sério risco de aumentar a população da praga caso seja detectada.

Controle de pragas em grãos armazenados

No MIP, o ideal é que não seja feito apenas o controle químico. Por isso, utilize de vários métodos ao mesmo tempo.

Como eliminar o besouro castanho: Métodos físicos

Você deve manipular os fatores físicos do ambiente de armazenamento como temperatura, umidade relativa do ar, controlar a atmosfera do ar (CO2, O2 e N2), utilizar pós-inertes, remoção física, radiação, luz e som. 

Ao ajustar todos ou apenas um dos métodos citados acima, a eliminação do besouro castanho e das demais pragas ficarão em níveis mais toleráveis ou poderão ser totalmente eliminadas.

Caso o uso dos métodos físicos não seja suficiente, você pode utilizar o método químico em conjunto.

Como eliminar o besouro castanho: Métodos químicos

O método químico é bastante empregado, mas lembre-se que não deve ser o único. Se utilizado de maneira incorreta e demasiada pode comprometer o controle e provocar resistência das pragas aos inseticidas. 

Podem ser feitos dois tipos de tratamentos:

1. Tratamento preventivo de grãos e sementes

Se o período de armazenamento for acima de 90 dias, os grãos e sementes devem ser secos, limpos e expurgados antes da entrada no armazém. 

Neste tratamento, aplica-se inseticidas líquidos sobre os grãos, na correia transportadora, no momento de carregar o armazém ou no momento de ensaque das sementes. 

É importante que os grãos e as sementes estejam descansados e recebam a aplicação de forma homogênea. 

2. Tratamento curativo (expurgo) de grãos e sementes 

Caso você já esteja tendo problemas com as pragas com os grãos já armazenados, é o momento de fazer um tratamento curativo com inseticidas. 

Os produtos à base de fosfeto de alumínio, precursores das fosfinas são os mais utilizados. A temperatura ideal para realizar o expurgo é cerca de 25°C. 

O local deve ficar vedado para que seja feita a fumigação do produto. 

Veja na tabela abaixo os inseticidas indicados tanto para tratamento preventivo como para curativo. Lembre-se sempre de consultar o(a) engenheiro(a) agrônomo(a).

Inseticidas indicados Embrapa

Inseticidas indicados para tratamento preventivo e/ou curativo de pragas de grãos e sementes armazenadas
(Fonte: Embrapa)

Conclusão

O besouro castanho é uma praga secundária de grãos armazenados, mas pode causar grandes perdas na produção se não for controlado. 

Portanto, algumas medidas podem ser tomadas para evitar surtos e também existem maneiras de controlar este inseto para suprimir ou eliminá-lo do armazém.

Vimos então que as medidas de controle devem ser feitas de acordo com MIP.

Quais medidas de como eliminar o besouro castanho você utiliza? Deixe seu comentário abaixo!