Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

praga agrícola na lavoura

8 fundamentos sobre Manejo Integrado de Pragas que você ainda não aprendeu

- 26 de abril de 2018

Fundamentos do Manejo Integrado de Pragas: o que você precisa saber para começar o MIP em sua área e ter o controle adequado de pragas.

O Manejo Integrado de Pragas ou MIP, tem se tornado uma alternativa bastante eficaz no combate de pragas.

As lavouras são muito afetadas pelas pragas, o que tira o sono de qualquer agricultor. Então, como isso pode ser minimizado?

O começo da solução é fazer o planejamento agrícola, antecipando e se preparando contra os inimigos naturais que podem surgir na sua lavoura.

Assim, no planejamento de sua lavoura você pode, e deve,  usar o manejo integrado de pragas (MIP).

A partir da implantação do MIP é possível reduzir as pulverizações com inseticidas em até 68%.

Por isso aqui vamos entender os fundamentos do MIP para colocá-lo em seu planejamento.

1. O que é Manejo Integrado de Pragas (MIP)?

É a utilização de diversas técnicas de  manejo para manter a população da praga abaixo do nível de dano econômico, relacionando com aspectos econômicos, sociais e ecológicos.

Tomar uma decisão não é uma tarefa nada fácil.  E o MIP pode te auxiliar nessa tarefa.

Você deve estar se perguntando o que são essas diversas técnicas de manejo?

2. Algumas técnicas de manejo utilizadas no MIP

Primeiramente, você utiliza qual tipo de manejo para controlar as principais pragas agrícolas em sua lavoura?

O primeiro manejo que veio à sua cabeça certamente foi o controle químico.

Sobre o controle químico, você pode ler aqui 5 dicas infalíveis para uma aplicação de defensivos mais eficaz.

Mas, você pode utilizar outros tipos de manejo em sua cultura.

manejo integrado de pragas

(Fonte: Amici mecanização agrícola).

Um bom exemplo de controle integrado é o controle biológico, que utiliza organismos benéficos para o controle de pragas, ou seja, utiliza um inimigo natural para reduzir a ocorrência da praga em sua lavoura.

Um exemplo de controle biológico no manejo integrado de pragas é a utilização do ácaro predador no manejo do ácaro rajado em diversas culturas, como feijão, cultura do milho e soja.

controle biológico e manejo integrado de pragas

(Fonte: Governo do Estado de São Paulo, APTA e Instituto Agronômico)

Além disso, você pode utilizar outras técnicas integradas de manejo.

Tais como rotação de culturas, mudas sadias, eliminação de plantas doentes, época de plantio e o controle genético (variedades resistentes).

Esses métodos são utilizados principalmente, antes ou na instalação da lavoura, por isso, o MIP faz parte do planejamento agrícola, como já citei lá no começo do texto.

Claro, que você pode utilizar o controle químico, mas deve realizar as pulverizações de uma forma mais consciente e racional.

E o MIP pode te ajudar a realizar essas pulverizações de forma racional, veja como a seguir:

3. Mantenha as pragas abaixo do Nível de Dano Econômico

Você deve estar se perguntando, como assim, “manter a praga abaixo do nível de dano econômico”?

Nível de dano econômico é a menor densidade populacional da praga que causa dano econômico.

Devemos realizar o controle da praga quando a população da mesma alcançar o “Nível de Controle” (NC),  assim não haverá nenhum dano econômico para a cultura.

nivel de dano economico

No MIP é necessário o monitoramento da praga para você saber quando atingiu o NC.

Assim, aqui disponibilizamos gratuitamente uma planilha para você fazer seu MIP. Saiba qual o Nível de Controle de cada praga e quando você deve aplicar, mantendo tudo organizado. Clique na figura a seguir para baixar!

E antes de falar sobre monitoramento das pragas, vamos falar de alguns benefícios que o MIP pode trazer para sua lavoura.

4. Benefícios do Manejo Integrado de Pragas

Manejar sua lavoura no momento certo pode reduzir o custo de produção, através da utilização de menos aplicações de defensivos agrícolas.

Com este tipo de manejo há menores riscos para o meio ambiente e esta prática pode ser utilizada em propriedades de qualquer tamanho.

Pode reduzir o número de aplicações e diminuir 8% (cerca de 70 mil reais) do seu custo de produção na sua lavoura de soja com a utilização do MIP .

Embrapa e Emater apontam o manejo integrado de pragas e doenças reduziu o uso de defensivos em quase 50%.

Reduzir o custo de produção torna seu negócio mais lucrativo.

Para conseguir esses resultados você deve seguir as etapas do MIP.

5. Etapas Fundamentais para você seguir

Para implementar o MIP algumas etapas a serem seguidas são:

1.Avaliação do ecossistema: conheça as pragas da cultura e qual seu nível pelo monitoramento;

2.Tomada de decisão: com o monitoramento e o nível de dano econômico saiba qual é o momento certo para efetuar o controle;

3.Escolha da estratégia de controle a ser utilizada na sua lavoura: avalie suas opções de controle após o estabelecimento da praga na lavoura: controle biológico ou químico.

Além disso, a regra número 1 é o planejamento da sua lavoura, primordial para não permitir que a praga se estabeleça na cultura.

E regra número 2: você deve conhecer sua lavoura, quais são as pragas existentes, áreas com maior incidência de pragas e qual a incidência.

Para isso, o monitoramento é essencial.

6. Monitoramento da lavoura

Um dos pilares do MIP é o monitoramento da lavoura para determinar o momento correto para manejar a praga.

Para isso, há necessidade de realizar o monitoramento frequentemente.

Primeiramente, para o monitoramento, você deve conhecer as pragas que atacam sua cultura.

O pano de batida é um dos métodos de monitoramento que você pode usar na sua propriedade.

Aliás, é o método mais utilizado de monitoramento e você pode saber como fazê-lo aqui.

metodo-pano-de-batida

Método de pano de batida utilizado para o monitoramento de pragas (dimensões de 1×1,5m)

Você pode fazer planilhas para anotar os dados do monitoramento.

ficha MIP

Exemplo de planilha para o monitoramento da praga em sua lavoura, amostrando 10 pontos

(Fonte: Fundação MS)

Ou você pode usar um aplicativo que guarda seus dados de maneira muito mais segura.

Monitoramento Aegro

Com o Aegro você pode fazer o monitoramento de forma digital. Peça uma demonstração grátis aqui

O monitoramento com mapas de danos pode ser feito digitalmente e diretamente na área pelos funcionários da fazenda e você ainda pode conferir quando e onde esse monitoramento foi realizado.

Após o monitoramento da cultura, você deve procurar qual o nível de controle para cada praga.

Quando a praga atingir o NC , você deve utilizar algum método de controle em sua lavoura para não ter perdas de produção.

Há várias publicações gratuitas que ajudam você a determinar quais as pragas podem ocorrer em sua lavoura.

Algumas publicações sobre as pragas da soja:

Artropodes soja

(Fonte: Embrapa clique aqui para acessar)

Manual de Pragas Soja

(Fonte : Agrolink clique aqui para acessar)

Nesta publicação da Fundação MS, você encontra sobre a identificação da praga, seu ciclo de vida e o dano na cultura.

A identificação com foto da praga te ajuda a compreender seu comportamento e ver se há infestação desse inseto na sua lavoura.

falsa medideira

(Fonte: Fundação MS  clique aqui para acessar)

E também encontra o NC (Nível de Controle ou Nível de Ação de Controle), ou seja, qual a quantidade de insetos identificados no monitoramento indica que se deve fazer o controle.

falsa medideira

No caso da falsa-medideira, deve ser feito o controle quando for encontrado 40 lagartas grandes por pano de batida.

Você já identificou a praga e descobriu que a infestação está em nível de controle, mas qual método de controle utilizar?

7. Métodos de controle de pragas. Qual medida de controle utilizar?

Para determinar qual tipo de medida utilizar, você pode consultar publicações, como as relatadas acima, que além da descrição da praga também mostram quais os métodos de manejo.

E também consulte um engenheiro-agrônomo para a prescrição de algum produto.

Consultando o Agrofit , você consegue ver os produtos químicos e biológicos registrados para sua lavoura, a praga que o produto controla e a dose que deve ser utilizada do produto.

Você pode pesquisar os produtos por pragas (insetos, doenças e plantas daninhas), ingrediente ativo e produtos formulados.

8. Manejo integrado de pragas e doenças

Os principais fundamentos do MIP são os mesmos para controle de plantas daninhas e doenças.

Porém, existe também o manejo integrado utilizado para doenças, o qual é chamado deMID (manejo integrado de doenças).

Este tipo de manejo ainda é de pouca utilização para as doenças, em função do nível de dano econômico que ainda é difícil de ser medido.

Isso porque, na maioria das vezes, quando se identifica uma doença em campo, esta já causou perdas de produção.

Por isso, é difícil determinar qual é o nível de dano econômico para as doenças antes de ocorrer reduções de produtividade e, consequentemente, perdas econômicas.

Mas, já existem algumas pesquisas para  aperfeiçoar o MID.

Para a ferrugem da soja, foram monitorados os esporos do patógeno Phakopsora pachyrhizi, para determinar a presença precoce do fungo e determinar quando utilizar fungicidas para esta doença.

Conclusão

Voltando a pergunta inicial, como posso minimizar perdas por pragas? Primeiramente, realize o planejamento de sua lavoura.

O MIP faz parte deste planejamento.

Realizando o Manejo Integrado de Pragas, você saberá o momento certo de fazer o controle, reduzindo custo de produção e aumentando sua lucratividade.

Espero que você tenha muito sucesso com sua lavoura!

Tem algum tipo praga tirando seu sono? Tem dúvidas sobre os fundamentos do manejo integrado de pragas? Adoraria ver seu comentário aqui embaixo.

Comentários

  1. JULIO BONETTO JUNIOR disse:

    OBRIGADO : EXCELENTES MATÉRIAS OBJETIVAS CLARAS , PROSPERIDADE A TODOS .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Banner de teste grátis do Aegro na cor verde com uma imagem no meio de uma máquina trabalhando no campo