O Blog da Logo da Aegro

foto de folha de soja com sinais de ferrugem asiática

Como a morfolina pode te ajudar no manejo de doenças da soja

- 16 de fevereiro de 2022

Morfolina: entenda como o fungicida funciona, as recomendações de uso, cuidados que você deve seguir e muito mais!

Os relatos de resistência de fungos são cada vez mais frequentes. 

Por isso, é necessário usar alternativas de manejo nas culturas. Isso principalmente com grupos químicos diferentes.

As morfolinas são um bom exemplo de alternativa. No entanto, para funcionarem bem, alguns cuidados devem ser tomados.

Neste artigo, você irá conhecer o modo de ação das morfolinas nas plantas, indicações de uso e cuidados necessários para uma aplicação eficiente e segura!

O que é morfolina?

A morfolina é um fungicida que pode ser utilizado em todos os momentos do ciclo da soja.

O efeito da morfolina acontece somente depois da germinação dos esporos do fungo na planta. Ela impede a infecção e a colonização dos fungos.

Se utilizada da forma correta, a morfolina tem médio a baixo risco de resistência. 

A ação causa a morte dos fungos. Por isso os fungos devem estar presentes na planta para haver efeito.

Como a morfolina funciona

A morfolina pode ser absorvida e transportada para outras partes da planta. 

Ilustração de plantas sob o efeito de fungicidas. A planta que está sob efeito de um fungicida sistêmico está com coloração diferente, indicando que o produto atinge toda a planta, independente do local de aplicação.

Modo de ação dos fungicidas conforme a sua capacidade de translocação. O fungicida sistêmico, pode ser aplicado na parte aérea, por exemplo, e ser translocado (transportado para o sistema radicular, raízes).

(Fonte: adaptado pela autora de Dorrance e colaboradores., 2007)

Por isso, a aplicação desse fungicida sistêmico pode ser via foliar, na parte aérea. 

Assim, outras partes da planta também entrarão em contato com o fungicida pela capacidade de translocação.

Recomendações de uso de morfolina na soja

Alguns cuidados devem ser tomados na aplicação e na recomendação. 

Esses cuidados são relacionados à eficiência e a possíveis efeitos fitotóxicos causados nas plantas após a aplicação.

Pontos importantes no uso de morfolinas: 

  • As morfolinas não têm efeito sobre manchas foliares ou fungos que sobrevivem em restos de cultura.
  • Para se ter eficiência no uso, a doença causada pelo fungo deve estar presente na área
  • Para que o fungicida seja efetivo, a aplicação deve ser feita no tempo correto. O tempo ideal é quando a doença está na fase inicial. Aplicações anteriores ao início da doença não tem efeito.
  • Limitação em uso de misturas. Triazóis e triazolintiones não são recomendados.
  • Morfolinas devem ser sempre aplicadas em misturas com outros princípios ativos. Assim, você evita que populações resistentes do fungo sejam selecionadas no campo.

Controle de ferrugem asiática da soja com morfolina

Na cultura da soja, a morfolina (especialmente fenpropimorfe) é recomendada para o controle da ferrugem asiática. Isso principalmente se você quer fazer manejo da resistência. 

Gráfico que mostra que a produtividade  da soja com ferrugem asiática sob uso de morfolina é muito maior  em relação ao uso de outros fungicidas.

Produtividade da cultura da soja no controle da ferrugem asiática com diferentes associações de fungicidas. O tratamento 6 representado no gráfico foi realizado com associação de [trifloxistrobina + Proticonazol + Bixafem] + [Fenpropimorfe (morfolina)] e apresentou a maior produtividade, devido ao controle efetivo da doença.

(Fonte: Baldo, 2020)

O estádio de desenvolvimento da doença determinará a eficiência da aplicação. 

Por isso, aplique no início dos sintomas (quando localizados no terço inferior ou “baixeiro”). Não deixe de misturar a morfolina com outros princípios ativos.

Misturas podem ser realizadas com fungicidas multissítios, ou com triazóis + estrobilurinas

O triazol escolhido deve ser de menor agressividade (ciproconazole + estrobilurinas + morfolina, por exemplo). Assim, você evita o efeito fitotóxico.

Diferentes doses são recomendadas de acordo com os sintomas. Sempre confira a bula dos produtos, e siga as recomendações do fabricante.

É recomendado realizar o monitoramento e aplicações após o início do florescimento.

Se os sintomas aparecerem antes deste estádio, a aplicação pode ser feita imediatamente. 

Lembre-se de não ultrapassar 2 aplicações por ciclo da cultura. Faça no máximo 14 dias de intervalo. 

Em doses maiores (conforme orientação do produto), realize uma única aplicação. Isso porque o risco de fitotoxicidade é alto. 

Doses maiores são recomendadas exclusivamente em situações de alta pressão de fungos na área.

Foto de três folhas de soja com parte ampliada. A primeira apresenta alguns pontos marrons, a segunda muitos pontos e a terceira, possui coloração completamente marrom.

Sintomas e sinais observados de ferrugem asiática. A cultura deve ser monitorada constantemente, e aplicações com morfolina em misturas, só devem ser realizadas com a presença inicial da doença (terço inferior ou “baixeiro”)

(Fonte: Bayer, 2021)

Controle de oídio na soja com morfolina

A morfolina pode ser utilizada ainda para o controle de oídio. Use misturas de morfolina + estrobilurina + carboxamida, por exemplo.

Foto de folha de soja com sinais de oídio. As folhas apresentam coloração esbranquiçada e alguns furos.

Sintomas e sinais de oídio. Os sintomas se apresentam como um pó “esbranquiçado” em ambas as faces da folha (inferior e superior), podendo cobrir toda a planta, afetando hastes e vagens. 

(Fonte: Godoy e colaboradores, 2021)

Para o controle do oídio, deve haver cerca de 20% de severidade no terço inferior da planta.

Após o estádio R5.5 da soja, aplicações já não devem ser feitas.

Faça o número de aplicações máximas conforme o que indica a bula do produto. Normalmente, o ideal é fazer uma aplicação por ciclo da cultura, a depender da evolução da doença na área. 

Em caso de necessidade de mais uma aplicação, outros fungicidas recomendados para o oídio na soja devem ser utilizados.

Não se esqueça de monitorar a área, e de consultar um engenheiro agrônomo.

Recomendações de morfolina para outras culturas

Segundo o Agrofit, para outras culturas, o uso de morfolina é recomendado para as seguintes doenças:

  • Algodão: indicado para ramulária;
  • Cevada: indicado para mancha-reticular e ferrugem-da-folha;
  • Trigo: indicado para oídio, ferrugem-da-folha e ferrugem-do-colmo.

É importante observar que a morfolina pode causar queimaduras em cultivares suscetíveis de trigo. Isso também depende das condições climáticas no momento da aplicação.

Não aplique em períodos de baixa umidade relativa do ar (inferiores a 60%) e temperaturas superiores a 30 °C. 

Em temperaturas muito baixas ou em períodos de previsão de geadas próximas, a aplicação no trigo também não é indicada.

Fique de olho nas previsões climáticas para os dias após a pulverização. Chuvas quatro dias após a aplicação podem influenciar negativamente no desempenho do fungicida. 

O orvalho também afeta a eficiência do produto.

Banner de chamada para o download da planilha de cálculos de insumos

Conclusão

O uso das morfolinas para o controle de doenças de culturas como a soja, cevada, trigo e algodão é importante no manejo de resistência.

As aplicações devem ser realizadas em misturas com outros princípios ativos. Aplique somente quando a doença já estiver na área, porque o efeito do fungicida é curativo.

Não deixe de seguir as recomendações da bula do produto. Procurar a orientação de um(a) engenheiro(a)-agrônomo(a) também é fundamental!

Restou alguma dúvida sobre o uso das morfolinas? Adoraria ler seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.