Confira qual a melhor época para plantar feijão em cada região do país, além dos componentes, ciclo da cultura e estratégia de produtividade. 

O feijão é um dos principais alimentos da mesa do brasileiro e por conta do período de quarentena devido ao Covid-19, as vendas no mercado interno e externo cresceram.

Segundo o Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses (Ibrafe), em 2019 a exportação de feijão já era de  US$ 57,1 milhões nos sete primeiros meses do ano, um avanço de 34% em relação aos US$ 42,7 milhões do mesmo período de 2018.

O mercado que já vinha aquecido, nesse momento só tende a crescer. 

Sendo uma vantagem para você produtor planejar bem a sua safra, pois a compra é garantida. 

Por isso, vamos falar justamente sobre qual a melhor época para plantar feijão e seu ciclo em cada parte do Brasil. Acompanhe a seguir!

A produção de feijão no país

Por ser um alimento rico pela sua fonte nutricional e também pela sua alta durabilidade, atualmente o feijão vem sendo ainda mais consumido. 

A espera é que a segunda safra de 2020 seja boa para que o mercado interno fique abastecido e a demanda de exportação se mantenha. 

Desta forma, são três os principais tipos de feijões produzidos: 

  • Feijão comum-preto; 
  • Comum-cores; 
  • Feijão caupi. 

Vamos entender melhor sobre esta cultura e a melhor época de plantio.

Os componentes da planta

Para compreender o ciclo da feijão, precisa-se antes conhecer as partes que compõem sua planta.

O feijão (Phaseolus spp.) é uma planta herbácea pertencente à família Fabaceae, a mesma da soja.

São muitos os tipos de feijão, mas o nome científico do comum em que o mercado mais consome é Phaseolus vulgaris, principalmente o feijão-carioca, o feijão-preto  e o feijão-branco. 

Também temos suas variáveis como o feijão caupi, conhecido como feijão de corda – Vigna unguiculata.

As sementes do feijão apresentam germinação epígea, e seu sistema radicular é pivotante, com uma raiz principal e muitas ramificações (raízes secundárias).

A profundidade das raízes do feijoeiro podem chegar a alcançar cerca de 1,1 metro de profundidade, mas grande parte da densidade radicular se concentra nos 0,63 cm/cm³ do solo.

Outra característica é que o feijoeiro possui dois tipos de folhas: as folhas simples são as primárias, já presentes no embrião, e as demais folhas são trifolioladas.

A disposição das flores favorece a autofecundação e essas possuem diferentes colorações como brancas, branco-amareladas, róseas, purpúreas e ainda violetas. 

Além disso, o hábito de crescimento do feijoeiro pode ser determinado ou indeterminado. 

Crescimento determinado: o caule principal termina numa inflorescência, ou seja, quando inicia-se o florescimento o crescimento vegetativo finaliza. 

Crescimento indeterminado: na extremidade do caule existe gema vegetativa ou floral e vegetativa, ou seja, quando inicia o florescimento, o crescimento vegetativo pode continuar.
 

Qual a melhor época para plantar feijão: Ciclo

Existe uma certa variabilidade no ciclo do feijoeiro e a média geral se completa em 70 a 110 dias, dependendo da cultivar e das condições climáticas.

Diferente da soja que atualmente mudou suas nomenclaturas do ciclo de duração para grupos de maturação, o feijão mantém a mesma.  

A divisão entre a duração do ciclo pelas cultivares se dá entre superprecoces, precoces, médias e tardias.

Uma das recentes cultivares precoces do mercado tem a duração do ciclo abaixo dos 65 dias – a BRS FC 104 lançada pela Embrapa.

E falando em ciclo, as características morfológicas utilizadas na identificação de cultivares do feijoeiro, envolvendo as fases vegetativa e reprodutiva são muito importantes de serem conhecidas, pois interferem nos períodos em que se realiza o plantio (considerando o momento ideal das condições climáticas).

qual a melhor época para plantar feijão


Estádios de desenvolvimento da planta de feijoeiro
(Fonte: Embrapa)

Melhor época de plantio em cada região 

No Brasil, durante todo o ano ocorre a produção de feijão. Mas existem três safras mais pré-definidas no país. 

Na região Sul, o plantio é iniciado na segunda quinzena de agosto, quando se considera que não terá problemas com geadas. Essa é a conhecida “safra das águas”, que em geral vai de dezembro a fevereiro para realização da colheita. 

Na região Nordeste e Norte o plantio acontece de outubro em diante, indo até as colheitas de janeiro a abril. 

Na região Sudeste o plantio também se inicia em outubro, seguindo a colheita de janeiro a abril. 

Já na região Centro-Oeste ocorre em um período um pouco diferente, na conhecida “safra de inverno” que inicia com o plantio de maio a agosto.

Abaixo segue as recomendações do calendário agrícola para se plantar feijão em cada uma  das três safras que ocorrem no país: 

1º Safra

Região Norte

  • Tocantins:
    Primavera – plantio: novembro
    Verão – plantio/colheita: fevereiro

Região Nordeste

  • Piauí:
    Primavera – plantio: dezembro
    Verão – plantio/colheita: janeiro a fevereiro
  • Bahia:
    Primavera – plantio: outubro a dezembro 
  • Maranhão:
    Primavera – plantio: dezembro
    Verão – plantio: janeiro

Região Centro-Oeste 

  • Mato Grosso:
    Primavera – plantio: outubro a novembro
  • Mato Grosso do Sul:
    Primavera – plantio: outubro a novembro
  • Goiás – Distrito Federal:
    Primavera – plantio: outubro a dezembro

Região Sudeste

  • Minas Gerais:
    Primavera – plantio: outubro a dezembro
  • Espírito Santo:
    Primavera – plantio: novembro a dezembro
  • Rio de Janeiro:
    Primavera – plantio: outubro a novembro
  • São Paulo:
    Inverno – plantio: agosto a setembro
    Primavera – plantio: outubro

Região Sul

  • Paraná:
    Inverno – plantio: agosto a setembro
  • Santa Catarina:
    Inverno – plantio: setembro
    Primavera – plantio: outubro a dezembro
  • Rio Grande do Sul:
    Inverno – plantio: agosto a setembro
    Primavera – plantio: outubro
qual a melhor época para plantar feijão

Mapa da produção agrícola – Feijão primeira safra
(Fonte: Conab)

2º Safra

Região Norte

  • Roraima:
    Inverno – plantio: setembro
    Primavera – plantio: outubro a novembro
  • Rondônia:
    Verão – plantio: fevereiro a março
  • Acre:
    Verão – plantio: fevereiro a março
  • Amazônia:
    Inverno – plantio: julho a setembro
    Primavera – plantio: outubro a dezembro
  • Amapá:
    Outono – plantio: maio a junho
  • Tocantins:
    Verão – plantio: fevereiro a março
    Outono – plantio: abril a maio 

Região Nordeste

  • Piauí:
    Verão – plantio: março
    Outono – plantio: abril a maio 
  • Ceará:
    Verão – plantio: janeiro a março
    Outono – plantio: abril
  • Rio Grande do Norte: 
    Verão – plantio: fevereiro a março
    Outono – plantio: abril
  • Paraíba:
    Verão – plantio: janeiro a março
  • Pernambuco:
    Verão – plantio: fevereiro a março
    Outono – plantio: abril 
  • Maranhão:
    Verão – plantio: março
    Outono – plantio: abril a maio

Região Centro-Oeste 

  • Mato Grosso:
    Verão – plantio: fevereiro a março 
  • Mato Grosso do Sul:
    Verão – plantio: fevereiro a março
    Outono – plantio: abril
  • Goiás:
    Verão – plantio: janeiro a março 
  • Distrito Federal:
    Verão – plantio: janeiro a fevereiro

Região Sudeste

  • Minas Gerais:
    Verão – plantio: janeiro a março
    Outono – plantio: abril
  • Espírito Santo: 
    Verão – plantio: fevereiro a março
    Outono – plantio: abril
  • Rio de Janeiro:
    Verão – plantio: fevereiro a março
    Outono – plantio: abril
  • São Paulo:
    Verão – plantio: janeiro a março

Região Sul

  • Paraná:
    Inverno – plantio: dezembro
    Verão – plantio: janeiro a março
  • Santa Catarina:
    Verão – plantio: janeiro a março
  • Rio Grande do Sul:
    Verão – plantio: janeiro a fevereiro 

3º Safra

Região Norte

  • Pará:
    Outono – plantio: abril a junho
  • Tocantins:
    Outono – plantio: maio a junho
    Inverno – plantio: julho

Região Nordeste

  • Ceará:
    Outono- plantio: junho
    Inverno – plantio: julho
  • Paraíba:
    Outono- plantio: abril a junho 
  • Pernambuco:
    Outono- plantio: maio a junho
    Inverno – plantio: julho
  • Maranhão:
    Verão – plantio:
    Outono- plantio: abril a junho

Região Centro-Oeste 

  • Mato Grosso:
    Outono- plantio: maio a junho
    Inverno – plantio: julho
  • Mato Grosso do Sul:
    Inverno – plantio: julho a setembro 
  • Goiás:
    Outono – plantio: abril a junho
  • Distrito Federal:
    Outono- plantio: maio a junho

Região Sudeste

  • Minas Gerais:
    Outono – plantio: abril a junho
    Inverno – plantio: julho a setembro
  • São Paulo:
    Outono- plantio: maio a junho
    Inverno – plantio: julho

Região Sul

  • Paraná:
    Verão – plantio: março
    Outono – plantio: abril e maio

Mesmo com essas safras determinadas, sabemos que o clima tem se modificado e que nem sempre as estações estão pré-definidas. 

Por isso, é recomendada a semeadura em condições climáticas com menor probabilidade de ocorrência de estresse hídrico possível, principalmente na fase vegetativa da cultura.

Considerando que essa condição interfere diretamente na quantidade de plantas por área, tanto a escassez quanto o excesso podem contribuir para baixa produtividade da cultura.

E a tecnologia sempre pode auxiliar, como essa ferramenta desenvolvida pela Embrapa que orienta os períodos ideais de semeadura com menor risco climático e as cultivares de acordo com o ciclo.

Como aumentar a produtividade no plantio de feijão

Os rendimentos acompanhados nas três safras são variados. E um dos fatores que contribui diretamente nesse resultado é a umidade do solo

Essa variação de produtividade pode ser resumida em dois fatores: 

  1. O plantio em épocas com bom volume de chuvas;
  2. Evitar que a colheita seja feita em períodos com maior probabilidade de ocorrência de chuvas.

Além disso, seguir o vazio sanitário estabelecido na sua região é extremamente importante. Sendo que na cultura do feijão, um dos principais motivos do vazio é em função da mosca branca – vetor do mosaico dourado e também do carlavírus, que atinge o feijão e a soja. 

Veja mais no artigo: Prepare-se na pré-safra: Como combater as principais doenças de milho, feijão e sorgo. 

E claro, temperatura ideal, condição do solo rico em matéria orgânica e adubação bem feita são muito importantes para os resultados da sua safra. 

Assim como a inoculação da cultura de feijão também é uma das práticas para desenvolvimento e crescimento das plantas. Já falamos sobre o assunto, confira aqui.

Conclusão 

Acertar na época do plantio garante maior probabilidade de redução das perdas na lavoura por intempéries. É a escolha certa para a rentabilidade dos produtores rurais!

O mercado do feijão tem apresentado muitas vantagens econômicas e o investimento no plantio da cultura tem se mostrado bem vantajoso. 

Mas vimos que para garantir boas safras, a gestão dos manejos durante o ciclo é fundamental.

>> Leia Mais:
Feijão Guandu: Como ele pode melhorar seu sistema de produção
Veja como identificar as principais pragas do feijão

Inoculante para feijão caupi: por que e como utilizar

Restou alguma dúvida sobre qual a melhor época para plantar feijão? Tem alguma dica? Deixe nos comentários abaixo!