O Blog da Logo da Aegro

mosca-branca

Como fazer o manejo eficiente da mosca-branca

- 24 de junho de 2019

Mosca-branca: Melhores táticas para controle cultural, químico e biológico dessa praga que está ainda mais frequente nas lavouras.

Infestações de moscas-brancas têm sido cada vez mais frequentes em diversas culturas.

E não se engane ao achar que um inseto tão pequeno como esse não lhe causará problemas.

Fique bastante atento, pois os danos podem não ser revertidos apenas reduzindo o nível populacional.

Vou te explicar melhor as características da mosca-branca e os cuidados que você deve tomar em sua lavoura. Veja a seguir!

O que é a mosca-branca?

Diferente das moscas, as moscas-brancas pertencem à ordem Hemiptera e possuem dois pares de asas.

São da família Aleyrodidae e já foram registradas cerca de 1.550 espécies de 160 gêneros diferentes.

Mas, dentre as várias espécies existentes, Bemisia tabaci se tornou alvo de preocupação por causar danos a uma grande variedade de culturas agrícolas de importância econômica, como feijão, algodão, cultura da soja e olerícolas.

Por ser uma espécie com grande diversidade genética, a maioria dos pesquisadores considera que existam diferentes biótipos.

Acredita-se que, no Brasil, ocorra uma maior incidência do Biótipo B (Middle East Asia Minor 1 whitefly - MEAM1).

Porém, já foram encontrados, principalmente em plantas ornamentais, espécimes de mosca-branca B. tabaci Biótipo Q (Mediterranean - MED) no sul do Brasil, no centro-oeste e no sudeste.

mosca-branca
Adultos de mosca-branca em soja; nível de dano varia de acordo com a cultura
(Fonte: Mais Soja)

Identificação e danos da mosca-branca

O adultos da mosca-branca B. tabaci possuem coloração amarelo-palha e medem de 1 a 2 mm.

Os ovos têm formato de pêra e são colocados na parte abaxial das folhas. Cada fêmea tem capacidade de postura de 100 a 300 ovos durante seu ciclo de vida.

Ao eclodir, as ninfas, translúcidas e amarelo-palha, são capazes de se locomover. Após a primeira ecdise, se fixam nas folhas para succionar a seiva da planta até que se tornem adultos.

Tanto os adultos como as ninfas, ao introduzirem o aparelho bucal no tecido da planta, injetam um tipo de toxina. Isso pode provocar alteração no desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da cultura, reduzindo a produtividade.

Além disso, também excretam líquido açucarado, o “honeydew”, que induz o crescimento de fungos que provocam a fumagina. Isso reduz a capacidade fotossintética da planta.

Mas o maior perigo desta praga está na transmissão de vírus que causam doenças bastante severas.

Cerca de 120 espécies de vírus já foram descritas sendo transmitidas por mosca-branca B. tabaci:

  • geminivírus em tomateiro, pimentão e batata;
  • vírus do mosaico comum em algodoeiro;
  • vírus do mosaico anão em soja;
  • vírus do mosaico crespo em soja;
  • vírus do mosaico dourado em feijoeiro.

Mais recentemente, foi detectada a transmissão de geminivírus por B. tabaci em lavoura de soja no Brasil.

Além dos danos causados direta e indiretamente, a mosca-branca ainda possui alta taxa reprodutiva, fácil dispersão, polifagia e desenvolvimento de resistência à inseticidas, o que contribui para a disseminação das doenças.

mosca-branca
Na primeira imagem, uma fêmea e dois machos. Na segunda imagem, adultos e ovos de Bemisia tabaci.
(Fonte: Perring et al., 2018)

Como controlar a mosca-branca?

Devido ao fato de causarem danos diretos, pela sucção da seiva, e indiretos, pela transmissão de vírus, é muito provável que você partiria direto para o controle químico, não é mesmo?

Você não está errado nesse ponto, mas é necessário considerar outras táticas de manejo, de acordo com o Manejo Integrado de Pragas (MIP), até mesmo para não ter problemas futuros como resistência das pragas aos inseticidas.

Controle cultural

O controle cultural pode ser feito antes, durante e depois do cultivo.

  • Fazer o plantio com mudas sadias
  • Uso de armadilhas para reduzir a população da praga (armadilha adesiva amarela ou uso de armadilha luminosa)
  • Manter a lavoura livre de plantas daninhas hospedeiras de mosca-branca
  • Eliminar restos culturais para impedir o ciclo da praga
  • Barreiras vivas para impedir a disseminação pelo vento
  • Eliminar plantas que estejam contaminadas com vírus
  • Uso de cultivares resistentes

Controle biológico

O controle biológico da mosca-branca pode ser feito de maneira natural, em que você fornece condições para que os insetos benéficos possam permanecer na área.

O uso de inseticidas seletivos vai contribuir muito para que isso aconteça.

Você também pode fazer liberações massais de insetos produzidos em laboratório em épocas em que a população da praga estiver alta.

Existe uma variedade muito grande de inimigos naturais da mosca-branca, incluindo predadores, parasitoides e entomopatógenos.

Predadores

Na literatura, existem registros de mais de 150 espécies de artrópodes descritas como predadores de mosca-branca. Podemos citar:

  • Coleoptera -  Espécies de joaninhas como Coleomegilla maculata e Eriopis connexa.
  • Hemiptera - Espécies das famílias Anthocoridae, Berytidae, Lygaeidae, Miridae, Nabidae e Reduviidae.
  • Neuroptera - Chrysoperla spp. e Ceraeochrysa spp.
  • Ácaros da família Phytoseiidae - Amblydromalus limonicus, Amblyseius herbicolus, Amblyseius largoensis, Amblyseius tamatavensis e Neoseiulus tunus.

Parasitoides

Já foram registradas mais de 500 espécies de parasitoides de mosca-branca de 23 gêneros diferentes.

São representados por seis famílias da ordem Hymenoptera, mas os principais gêneros são Encarsia e Eretmocerus da família Aphylinidae.

Entomopatógenos

Naturalmente, podem ocorrer na sua lavoura os fungos entomopatogênicos referentes às espécies de Isaria (Paecilomyces), Lecanicillium (Verticillium), Beauveria, e Aschersonia.

A espécie Beauveria bassiana tem como produto registrado Boveril WP PL63 (Koppert Biological Systems) para controle de mosca-branca em todas as culturas.

mosca-branca
mosca-branca

Controle químico

O controle químico com uso de inseticidas registrados deve ser realizado levando em conta a rotação de inseticidas com modo de ação distintos.

Alguns produtos, devido ao uso contínuo para controle dessa praga, perderam a eficiência devido ao desenvolvimento da resistência. Fique bastante atento!

A seguir, alguns ingredientes ativos registrados para controle da mosca-branca que você pode usar para rotacionar o modo de ação:

Piretroide

Bifentrina - Seizer 100 EC

Tiadiazinona

Buprofezin - Applaud 250 WP

Diamida

Ciantraniliprole - Benevia 100 OD

Neonicotinoide

Acetamiprido - Mospilan 200 SP

Cetoenol

Espiromesifeno - Oberon 240 SC

Sempre verifique se o produto tem registro para a cultura em que você queira controlar a mosca-branca.

>> Leia mais: "O que você precisa saber sobre o mecanismo de ação dos inseticidas neonicotinoides, organofosforados e carbamatos"

Conclusão

A mosca-branca Bemisia tabaci é uma praga tem causado infestações cada vez mais frequentes em diversas culturas de interesse econômico.

Além de causar danos diretos, também é vetor de vírus causadores de doenças.

Quando houver sua presença em culturas em que transmite vírus, deve ser controlada.

O uso de diversas táticas para o controle da mosca-branca é importante como forma de integração e para evitar resistência à inseticidas.

Com as informações passadas aqui, espero que você tenha um ótimo controle da mosca-branca em sua propriedade.

>> Leia mais: "Percevejos: Você conhece tudo sobre esses insetos?"
>> Leia mais: “As principais orientações para se livrar do percevejo barriga-verde

>> Leia mais: "Todas as formas de controle para se livrar do percevejo-castanho"

Referências

Martin, J.H., Mound, L.A., 2007. An Annotated Check List of the World’s Whiteflies (Insecta: Hemiptera: Aleyrodidae). Zootaxa 1492. Magnolia Press, Aukland, New Zealand.

Gerling, D., 1990. Whiteflies: Their Bionomics, Pest Status, and Management. Intercept, Andover, Hants, UK.

Perring TM, Stansly PA, Liu TX, et al (2018) Whiteflies: Biology, Ecology, and Management. In: Sustainable Management of Arthropod Pests of Tomato. pp 73–110

Você tem tido problemas com a mosca-branca na sua lavoura? Quer receber artigos como esse no seu e-mail? Cadastre-se na nossa newsletter!

Comentários

  1. William Oliveira do Lago disse:

    Faltou os inseticidas fisiológicos aí, como os agonistas do Neotenin, ingrediente ativo piriproxifem, que aliás é muito bom visto que tem ação translaminar podendo chegar assim na face abaxial das folhas onde a mosca coloca seus ovos, e ainda tem ação ovicida. Produtos comerciais: Cordial e Tiger

    1. Thaís Fagundes Matioli disse:

      Oi, William! Muito obrigada pela sugestão. Os inseticidas que indicamos também atuam de forma fisiológica, mas são apenas algumas opções para vocês utilizarem na lavoura de forma rotacionada. Existem muitos outros registrados pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) que também estão sendo bastante comercializados. Agradecemos o interesse pelo Blog. Abraço.

  2. Giovana disse:

    Parabéns pela matéria!!!

    1. Thaís Fagundes Matioli disse:

      Oi, Giovana! Que bom que gostou. Continue nos acompanhando por aqui. Um abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *