Consultoria rural: descubra as principais falhas cometidas e as dicas de uma especialista sobre o que fazer para contorná-las!

O início de qualquer nova atividade é desafiador. Conhecer os erros que podem acontecer te auxilia a evitá-los ou superá-los.

Com a consultoria rural não é diferente. Na verdade, é mais desafiador, pois além de gerir pessoas e negócios, você ainda tem que ficar atento ao clima, que pode mudar todo o planejamento.

Você verá nesse texto 10 erros cometidos durante a consultoria rural e as dicas de como contorná-los com a consultora Margareth Senne que tem experiência em comércio exterior e consultoria industrial e rural por mais de 20 anos. 

Boa leitura!

O que é prestar serviço de consultoria rural

Ser consultor é uma atividade profissional de ação ou efeito de dar consultas na sua área de especialidade.

Na consultoria rural você deve ser capaz diagnosticar o problema, traçar um planejamento e solucionar, buscando sempre melhorar o sistema de gestão e gerar mais rentabilidade para o produtor.

A consultoria rural é, portanto, um desafio a cada novo serviço e saber os erros que você pode estar cometendo te auxilia a melhorar sua atuação e conquistar o mercado.

Segundo a consultora Margareth Senne, erros são comuns de acontecer, o que você precisa é corrigi-los rapidamente

Veja 10 erros que podem ser cometidos durante a consultoria rural

1- Falta de foco no seu objetivo

Começar ou desenvolver uma atividade sem ter um objetivo é ruim, pois você não consegue traçar metas e objetivos. Isso dificulta a superação de obstáculos e a persistência no seu negócio.

A dica da consultora Margareth Senne é:

“Se prepare muito se realmente é isso que você deseja! Tenha seu objetivo sempre em mente, tenha foco e saiba que você levará vários ‘nãos’, mas não desista. Entenda a diferença entre as pessoas que desistem e as que não desistem facilmente. Saiba diferenciar entre desistir e persistir em algo que não te brilhe os olhos.”

2- Falta de conhecimento sobre o negócio

O agronegócio é amplo e não conhecer seus caminhos e sua estruturação é um erro!

Há muitas variáveis a serem consideradas na fazenda como máquinas, culturas diferentes, pragas, doenças, preços de compra e venda, valor do dólar, condições climáticas, entre outros.

Não conhecer onde irá atuar, qual problema você irá resolver e como irá resolver, gera falhas na sua atuação.

A dica da especialista aqui é buscar saber como estruturar um negócio. “Entenda dos processos, utilize uma metodologia e saiba implementar as ferramentas corretamente, principalmente as de automação que irão lhe auxiliar”, recomenda Margareth.

3- Falta de atualização profissional 

Achar que já sabe tudo de determinado assunto, é um grande erro. Mesmo que você seja especialista em um determinado assunto, sempre há algo de novo para aprender. 

Acreditar que você sabe tudo te limita a explorar e expandir seu mercado de atuação – que exige estudo, dedicação e meta. 

“Leia livros que farão você ser melhor gestor, entenda de pessoas, estude análise de processos, seja curioso para pesquisar diversas ferramentas de produtividade e gestão”, aconselha Margareth. “Estude sobre empresas e gestão de sucesso, estude sobre empresas que faliram e erraram. Você vai se surpreender e entender os erros cometidos.”

4- Falta de flexibilidade na gestão de pessoas

Na fazenda há dois tipos de personas, cada uma com uma perspicácia diferente. Alguns mais teóricos e outros mais práticos – e lidar do mesmo modo com ambos, é um erro!

Definir planos e estratégias com o gerente é diferente de realizar essa tarefa com os trabalhadores do campo. Os problemas que enfrentam no dia a dia são distintos.

A dica da consultora Margareth Senne é:

“Entenda os principais problemas das personas dentro da fazenda, tenha versatilidade ao conversar com cada persona, haja de forma coerente nos ambientes distintos, ou seja, saiba se comunicar tanto no ambiente de escritório quanto no ambiente de lavoura, pois juntos formam a empresa e você precisa integrar esses ambientes.”

5- Não diagnosticar corretamente o problema  

Conversar com o produtor e saber o que ele precisa e voltar para seu escritório para desenvolver o planejamento é um erro!

Você tem que conhecer e verificar onde estão as limitações da fazenda. Às vezes, o que o produtor pede para você não é a principal fonte da limitação.

Não rastrear o foco do problema dificulta sua resolução.

“Saiba os problemas do produtor, porque ele te contratou, mas você deve entender o que a empresa/fazenda precisa. Mostre ao produtor o que vai acontecer se ele não encontrar uma solução para o principal problema dele”, afirma a especialista.

banner Aegro - Seja uma consultoria parceira. Saiba mais!

6- Não incluir o produtor e trabalhadores no processo 

É preciso planejar e traçar as ações que serão realizadas considerando todos que fazem parte do processo.

Conversar apenas com o produtor, sem ouvir os funcionários de campo ou de escritório, e não incluí-los no desenvolvimento do seu planejamento faz com que as ações não sejam efetivas.

“Converse com todos que participam do processo, explique suas ações e ensine o que deve ser realizado. Entregue relatórios semanais ou quinzenais, mostrando seu trabalho diário na empresa/fazenda, e com a equipe de campo, se possível, faça reuniões diárias, para saber quais problemas estão enfrentando naquele dia”, diz Margareth.

7- Querer resolver demandas de vários sistemas diferentes 

Querer, inicialmente, resolver sozinho os problemas de vários processos diferentes pode ser um erro.

Na fazenda o produtor pode ter problemas:

  • na lavoura, sendo mais de uma cultura durante o ano, as quais demandam produtos diferentes e conhecimento específico como o tipo de solo, entre outros. 
  • no escritório, com anotações de custos, gestão de pessoas, entrada e saída de mercadorias e produtos no estoque, entre outros.
  • No galpão, com quebra de máquinas e implementos, que entravam a produção, entre outros.

Muitas vezes esses problemas são interligados e requerem experiência para poder resolvê-los em conjunto, principalmente em grandes propriedades.

Mas você não precisa resolver todos os problemas logo no começo! “Vá devagar, foque em um nicho para se especializar e conseguir ganhar confiança do mercado. Comece com áreas pequenas, com poucas pessoas trabalhando, assim vai ganhando experiência e confiança”, diz Margareth.

“Faça parcerias com consultores que tenham habilidades diferentes das suas e que buscam o mesmo objetivo. Tenha um mentor para ajudar você a se desenvolver, que possua experiência e possa entregar conhecimentos que não existem na internet e nem são ensinados na faculdade”, reforça a especialista.

8- Não automatizar os processos de gestão 

O mundo está cada vez mais tecnológico e ao ignorar ferramentas que auxiliam o desenvolvimento do seu trabalho, além de demandar mais tempo do seu dia, te deixa limitado.

A dica da consultora Margareth Senne é:

“A tecnologia de informação está trazendo sempre inovação e guiando a gestão. As ferramentas conseguem trazer uma visão mais clara de determinados sistemas como um todo, te auxiliando a passar as transformações para cada setor. Algumas ferramentas que me auxiliam são as da Aegro, por exemplo, para verificar custos e produtividade e de cada talhão da fazenda.”

demonstração em gif do software de gestão rural Aegro - consultoria rural

Exemplo da visualização de custos da fazenda possível com uso do Aegro

9- Não apresentar com clareza os resultados 

Entregar um relatório padrão, com várias folhas e somente parte escrita, é um erro.

Não utilizar gráficos, imagens e até mesmo vídeos com a parte escrita minimiza a compreensão do seu alvo, seja produtor, gestor da fazenda, funcionários de campo ou de escritório.

Use ferramentas distintas para mostrar as transformações que estão ocorrendo. Algumas pessoas são mais visuais, outras mais auditivas, então, utilize vídeos, gráficos ou elementos que as pessoas entendam com maior facilidade como deve ser feita determinada atividade, e tenha horário de início e fim das reuniões”, afirma Margareth.

10- Não saber vender seu trabalho 

Não basta ser um bom consultor: é preciso saber vender seu trabalho!

Não adianta ter conhecimento de estruturação do negócio, saber os processos que é capaz de atuar e ter uma metodologia sólida, se você não souber mostrar isso para os produtores e mercado de trabalho.

A dica da consultora Margareth Senne é:

“Saiba vender seu trabalho, mostrando a importância de resolver determinado problema e as ferramentas que você utilizará para ajudar na resolução. Não acredite que vendas e marketing são áreas distintas, hoje são habilidades que o consultor tem que desenvolver para mostrar seu trabalho para o mercado.”

Dica bônus: sempre aperfeiçoe sua consultoria rural 

Ser consultor rural é um desafio, pois no campo há pessoas de diferentes níveis de conhecimento, existem diversos sistemas de produção e vários modos de realizá-los.

Toda consultoria bem-sucedida precisa ter três elementos: gestão de pessoas, processos e ferramentas de gestão e automação, como a desenvolvida pela Aegro”, diz Margareth.

Desenvolva sempre esses três elementos durante sua vida profissional, pois desafios sempre irão surgir e estar preparado para enfrentá-los e resolvê-los é o diferencial! 

Conclusão

Tenha sempre seus objetivos em mente, planeje bem seu negócio e tenha uma metodologia de trabalho.

Sempre busque conhecimento, aprimore o que você sabe e vá em busca do desconhecido.

Aprenda a lidar com pessoas diferentes e ser dinâmico na resolução e apresentação dos problemas.

Use ferramentas que auxiliam seu trabalho, e ensine o produtor a usá-las também para que ele mantenha o controle e gestão da fazenda.

A consultora Margareth Senne tem mais de 20 anos de experiência como gestora de empresas, consultoria e assessoria, atuando na estruturação e gestão na área de agronegócio e indústrias de bens e serviços, além de ser mentora de negócios. Instagram: @margareth.senne; LinkedIn: Margareth Senne.

>> Leia mais:

Consultor gera economia de R$ 20 mil em operações de máquinas usando software rural

Quer profissionalizar sua consultoria rural e ganhar mais eficiência em sua atuação? Conte com o Aegro: conheça nosso programa de consultores aqui!