Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Irrigação de café: entenda os benefícios e desafios, custos envolvidos, potencial de ganho e compensação econômica do investimento

O déficit hídrico é um dos fatores de maior impacto na cafeicultura, prejudicando a sobrevivência, o crescimento e a produtividade das plantas. 

Contar apenas com a variação de chuva ao longo do ano aumenta a incerteza e os riscos da cultura do café. 

Por isso, o uso da irrigação tem se tornado uma alternativa bastante interessante, permitindo o aumento da produção do cafeeiro e também da qualidade das bebidas.

Mas quando vale a pena investir na irrigação de café? Qual método pode ser o mais adequado para a sua lavoura? Confira essas e outras respostas a seguir!

Por que irrigar o cafeeiro?

A principal intenção de irrigar o cafeeiro é fornecer uma quantidade de água ideal para o bom crescimento e desenvolvimento das plantas. 

Ao  corrigir a umidade do solo, a planta pode se aproximar do seu potencial produtivo, diminuindo perdas e aumentando a produção.

Essa técnica diminui o risco da atividade agrícola, que passa a não depender apenas dos níveis de chuva naturalmente acumulados. 

Ao manter o fornecimento de água ideal, a planta aumenta a eficiência do seu processo de fotossíntese, que é a sua maior fonte de biomassa.

Além disso, a cultura do café tem seu florescimento estimulado pela precipitação após um período de seca. Nesse caso, o uso de irrigação pode induzir floradas mais homogêneas, gerando maior produtividade, grãos de maior peneira e maturação mais igualitária de frutos.

A cafeicultura irrigada representa 12% da área total de café do país, mas responde por 30% da produção. Isso mostra a vantagem do uso da irrigação na produtividade quando comparada à cultura de sequeiro.

6 principais métodos de irrigação na cultura do café

Existem alguns métodos mais empregados para a irrigação do café. São eles:

  1. canhão hidráulico: é um sistema com alto consumo de energia e pode ainda causar desuniformidade de aplicação e desperdício de água;
  2. malha: é um método simples e efetivo, com baixo custo de implantação;
  3. pivô central: é um sistema preparado para irrigar uma área circular de lavoura e com boa uniformidade;
  4. microaspersores: é um sistema de irrigação localizada com alto rendimento e precisão;
  5. Gotejamento: usado para irrigação localizada, possui custo mais elevado, mas com alto rendimento e precisão;
  6. Tripas: é um sistema de irrigação localizada de custo mais baixo que os microaspersores e gotejamento.

A recomendação do método de irrigação depende de fatores como:

  • topografia da área;
  • disponibilidade de água na propriedade;
  • porosidade do solo;
  • nível tecnológico da fazenda;
  • condições climáticas como pluviosidade, temperatura e velocidade do vento.
gráfico com custo de implantação de sistemas de irrigação de café

Custo de implantação de sistemas de irrigação
(Fonte: Esalq, 2013)

Quando utilizar irrigação no cafeeiro?

As condições climáticas ideais para a cultura do café são temperaturas entre 19℃ e 21℃ e precipitação anual acumulada de 1.400 mm. 

Na maioria das regiões, onde a cultura é mais presente, as condições se aproximam das ideais.

Porém, tem-se verificado a alteração de padrões climáticos em algumas regiões, o que pode ocasionar aumento de temperatura e regime hídrico mais variável. 

O déficit hídrico a partir de 150 mm passa a causar danos no vigor e produtividade de plantas de café.

A recomendação de irrigação está muito ligada às condições climáticas de cada região.  Quanto maiores as limitações climáticas – como temperaturas altas e disponibilidade hídrica baixa – mais benéfica se torna a irrigação. 

Qual o potencial de ganho com uso da irrigação de café?

Assim como a recomendação do uso, o potencial da irrigação do café também depende das limitações climáticas da região.

Em regiões quentes e secas, o uso de irrigação pode aumentar a produtividade em 100%. Nas demais regiões o ganho pode variar de 25% a 60%.

Além disso, a irrigação proporciona uma florada mais homogênea, que pode garantir uma frutificação mais robusta, com grãos maiores e de maior qualidade. Isso aumenta a qualidade do café em termos de classificação de peneira e quantidade de defeitos.

Finalmente, a irrigação pode aumentar a qualidade de bebida do café pelo acúmulo de qualidades sensoriais do produto final.

Compensação econômica

A compensação econômica da implantação de um sistema de irrigação de café vai depender das limitações climáticas da região, da capacitação técnica da propriedade e do sistema escolhido.

Isso definirá os custos de produção e operação e também os ganhos em produtividade e qualidade do café

A tabela a seguir mostra um comparativo financeiro da implantação e produção de cafeeiros em sequeiro e irrigado.

O ganho com o sistema de irrigação no estudo de caso apresentado abaixo foi de 41% de aumento no lucro final por hectare. Esse índice, entretanto, pode ser maior ou menor de acordo com os fatores acima citados. 

Em alguns casos, o investimento na irrigação pode ser pago já na primeira safra  ou em um período maior, de até 2,2 anos, dependendo das realidades dos estudos de caso.

tabela com custos de produção de cafeeiros em sequeiro e irrigado obtidos em estudo de caso

Custos de produção de cafeeiros em sequeiro e irrigado obtidos em estudo de caso
(Fonte: Educampo, 2015)

Quais os desafios para a implementação da irrigação?

Os principais desafios para a implementação da irrigação no cafeeiro estão relacionados ao uso racional de água e energia

O planejamento e execução da irrigação deve ser feita por um profissional especializado. Além disso, a automatização de cálculos de lâmina de irrigação podem auxiliar na eficiência do processo. 

Outro ponto importante é a constante verificação e manutenção dos equipamentos de irrigação para evitar possíveis danos e problemas.

Finalmente, a boa escolha do sistema de irrigação e o conhecimento das legislações referentes à outorga e uso de água são fundamentais para aumentar a porcentagem de sucesso do empreendimento.

planilha custos de pivô Aegro, baixe agora

Conclusão

A irrigação do cafeeiro tem se mostrado uma opção viável e rentável. Ela contribui para diminuir os riscos da atividade agrícola, contornar as variações climáticas regionais, aumentar a produtividade da lavoura e racionalizar o uso de recursos vitais como água e energia.

A escolha do sistema de irrigação, sua instalação, manejo e manutenção são atividades primordiais para o sucesso do empreendimento.

Além disso, as recomendações de lâminas de água de acordo com a fase fenológica da cultura, das características climáticas e de solo também são importantes.

Como você viu, essa técnica se apresenta financeiramente viável através do pagamento de investimento por meio do aumento da produtividade do cafeeiro, da qualidade dos grãos e da bebida.

>> Leia mais:

“Poda do cafezal: como fazer para aumentar sua produção”

“Adubação para café: simples e prática (+ planilha)”

Você tem alguma experiência com relação à irrigação de café? Deixe seu comentário e vamos continuar essa conversa!