Soja convencional: veja características, vantagens, diferenças de outras cultivares, mercado e resultado produtivo para sua lavoura. 

A estimativa do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária) indica que 8% do total de soja produzida no Mato Grosso são convencionais, do total de 33 milhões de toneladas produzidos no estado.

Isso porque utilizar cultivares convencionais contribui na rotação de produtos para o controle de plantas daninhas, além de ter um custo de produção mais baixo.

E sobre o portfólio de cultivares, as convencionais apresentam bons resultados produtivos e um mercado cada vez mais em ascensão para bonificações diferenciadas.

Neste artigo vou compartilhar as vantagens da soja convencional e os diferenciais dessas cultivares disponíveis no mercado. Confira a seguir!

Características da soja convencional

Uma das decisões mais importantes no planejamento da safra com certeza é a cultivar. 

E para essa escolha, a proporção continental do Brasil interfere bastante nessa decisão. Sendo que as regiões com condições climáticas tão distintas do país necessitam de cultivares diferentes, que possam apresentar bons resultados produtivos. 

São dois os tipos principais de cultivares disponíveis, as convencionais e as transgênicas

A soja convencional conta com uma tecnologia intrínseca, ou seja, sem modificação por melhoramento genético, possui tecnologia natural como ferramenta de manejo de alta resistência a doenças e alto potencial produtivo, além de também ter produtividade competitiva.

Já a soja transgênica possui alto potencial produtivo e as principais são a RR, resistente ao glifosato, e a IPRO que também possui tolerância ao glifosato e a alguns insetos como as lagartas. 

Entre os benefícios, as cultivares convencionais contribuem na manutenção da biodiversidade e, se em conjunto com a aplicação de manejo integrado, para uma maior conservação do meio ambiente. 

Além disso, atua na rotação de cultivares evitando o desenvolvimento de resistências a doenças e plantas daninhas.

Mas para isso, a qualidade da semente é importante. 

Então, lembre-se: uma semente certificada é sua melhor garantia de qualidade em atributos fisiológicos, físicos, sanitários e genéticos. 

Saiba um pouco mais no artigo Semente de soja: Principais cuidados e novas tecnologias para fazer a melhor escolha

soja convencional

(Fonte: Página Rural)

Vantagens da Soja Convencional

A cultivar deve atuar como uma ferramenta que auxilia no manejo da lavoura e, no caso das cultivares convencionais, você pode rotacionar os produtos fitossanitários de controle de plantas daninhas e pragas agrícolas. 

Além da vantagem de diminuir os custos da lavoura com o pagamento de royalties, existe a possibilidade de bonificação para esse tipo de produto, que vamos falar mais adiante. 

Mesmo não passando por um processo de melhoramento biotecnológico, como uma transgenia, os resultados de desempenho agronômico das cultivares convencionais também são competitivos.

Como exemplo, trabalhei com o teste de 13 cultivares e muitos pontos importantes foram considerados e revelados no resultado produtivo da cultivar. 

Os principais que são válidos considerar em características agronômicas:

  • Projeção de produtividade e estabilidade;
  • Grupo de maturação; 
  • Tolerância e resistência a doenças;
  • População;
  • Época de semeadura;
  • População recomendada. 

Para comparar essas cultivares e verificar as vantagens e desvantagens, foram utilizadas parcelas com o objetivo de avaliar o desempenho de cada uma, lado a lado.

Assim, foi possível verificar os dados dos vendedores de características agronômicas, descrição da semente, pacote sanitário, populações e data de semeadura de cada variedade. 

A partir daí, selecionamos as cultivares com alta adaptabilidade, média adaptabilidade e não recomendadas.

Entre os principais critérios foram considerados produtividade e estabilidade, tolerância a doenças, grupo de maturação, composição e altura do grão – que são as principais características varietais que devem ser ponderadas, engalhamento, acamamento, ciclo e nós viáveis. 

Com os resultados de desempenho agronômico deste teste foi decidido qual das cultivares seria colocada no próximo ano em uma parcela de hectares e, caso os resultados na próxima safra fossem mantidos, seria plantada em um grande talhão. 

Esse procedimento garantiu confiabilidade da adaptação e do desempenho da cultivar em nossas condições.

Diferenças entre soja convencional, Intacta e soja RR

Somente a partir de 2005 que a produção de soja transgênica foi liberada no Brasil. 

Nas cultivares transgênicas como RR ou IPRO (soja Intacta) são utilizados produtos do grupo dos glifosatos no manejo fitossanitário. 

Agora nas cultivares convencionais, você terá que utilizar produtos para folhas largas e produtos para folhas estreitas, sendo que isso pode ser uma grande vantagem.

Se considerarmos que 25% das perdas nas lavouras são por conta das plantas daninhas que estão apresentando mais resistência, a utilização de outros tipos de produtos fitossanitários vão auxiliar no manejo integrado. 

A mudança do manejo fitossanitário pode contribuir e muito com os resultados da sua área.

Como essas cultivares interferem nos resultados

Os resultados produtivos são iguais aos das cultivares transgênicas no quesito produtividade. As cultivares convencionais também são resistentes a nematoides como os cistos – que são mais comuns em áreas arenosas.

Veja esta lista de cultivares disponíveis no mercado que você pode verificar as recomendações agronômicas para a sua região:

  • BRS 7980 da Embrapa;
  • Cultivar BRS 8381 da Embrapa;
  • BRS 8581 da Embrapa;
  • BR 284 da Embrapa;
  • Brs 6680 da Embrapa;
  • 4182 da Amaggi/TMG;
  • ANsc83 022 da Agronorte; 
  • BRS pintado da Amaggi;
  • TMG 4185 da TMG;
  • W870 (Bayer) do Agrobom;
  • Msoy 8757 da Monsoy;
  • M 8866 da Monsoy;
  • FTS 4188 CV da FT.

Você também pode verificar as opções de cultivares de soja convencional no site da Embrapa, de acordo com sua localização. 

soja convencional

Cultivares por Região Edafoclimática (REC)
(Fonte: Embrapa Soja

Mercado da soja convencional

O mercado tem aumentado a demanda por soja convencional. Existem tendências que os animais na União Européia sejam alimentados exclusivamente com grãos não geneticamente modificados, segundo o relatório do Global Protein Ingredients.

Também há iniciativas como o Programa Soja Livre, uma parceria da Aprosoja Mato Grosso e da Embrapa para o fortalecimento e o desenvolvimento do mercado para a soja. O objetivo é que os produtores tenham poder de escolha por meio de conteúdos e dias de campo para repassar informações sobre as tecnologias das cultivares convencionais. 

Assim como o Centro de Difusão e Aprendizagem (CAD) – Parecis que tem promovido mostras dos campos experimentais com as sojas convencionais.  

A venda como soja convencional e sua bonificação é condicionada a todo o cuidado realizado durante o manejo, pois não é permitido a contaminação por soja transgênica.

Por isso, as práticas de limpeza do maquinário desde a plantadeira, colheitadeira e caminhões é muito importante.  

Vale lembrar que boas práticas tecnológicas como a inoculação e o manejo integrado de pragas fazem toda a diferença nos seus resultados produtivos.

Conclusão

As cultivares convencionais podem proporcionar um maior valor agregado ao produto e também contribuir em um manejo mais integrado da sua lavoura pela rotação de produtos.

Os custos de produção são altos e, por isso, vimos que realizar a escolha de uma cultivar que tenha alta produção e estabilidade é fundamental. 

O grande diferencial sempre é a compatibilidade de diferentes táticas para o sucesso da lavoura. 

E você, qual cultivar de soja convencional utiliza na sua lavoura? Ficou com dúvidas? Deixe o seu comentário abaixo.