Brusone no arroz: entenda o ciclo da doença, prejuízos que ela pode causar e como fazer o manejo adequado 

A brusone é considerada a principal doença da cultura do arroz, impactando a produção de forma qualitativa e quantitativa.

A lavoura afetada pode ser totalmente comprometida, com perdas de 100%.

Mas como identificar os primeiros sinais da doença no campo? E quando a aplicação de fungicidas deve ser efetuada para um controle efetivo?

Neste artigo, separamos as informações para que você precisa saber para evitar e controlar a brusone no arroz. Confira!

Importância da brusone no arroz

A brusone no arroz é causada pelo fungo Magnaporthe oryzae, sendo considerada a doença mais importante para a cultura em várias partes do mundo. No Brasil, sua distribuição é bastante ampla, sendo encontrada do sul até o norte do país.

A doença é um fator limitante para a produtividade do arroz. Se ocorrer na fase vegetativa (nas folhas), causa redução na altura da planta, no número de perfilhos, no número e na qualidade de grãos.

Além disso, dependendo das condições locais da área, pode ocasionar até 100% de perdas da produção.

Principais sintomas da brusone

A brusone pode ocorrer nas plantas de arroz desde o início do desenvolvimento até a produção de grãos, podendo causar sintomas nas folhas, colmos, panículas e grão.

Como sintomas típicos nas folhas temos pequenos pontos de coloração castanha que evoluem para manchas elípticas. 

Essas manchas podem aumentar de tamanho no sentido da nervura, tendo o centro cinza e os bordos de coloração marrom, podendo apresentar um halo amarelo.

imagem de brusone em uma folha de planta de arroz

(Fonte: Matzenbacher e Funck em Planeta Arroz)

Esse sintoma leva à redução da área fotossintetizante da planta, provocando queda na produção de grão. Se a infecção ocorrer no início do desenvolvimento da planta, pode levá-la à morte.

Já nos entrenós dos colmos, podemos observar manchas elípticas com centro cinza e bordos de coloração marrom. Essas manchas podem atingir grandes proporções do colmo

Além disso, as lesões podem provocar, na região dos nós (região nodal), uma ruptura do tecido, o que causa a morte dessa parte da planta.

Os sintomas podem ainda ser visualizados nas raques ou ramificações, com manchas de coloração marrom. Os grãos originados de partes infectadas ficam chochos.

Também podem ocorrer manchas marrons nas sementes ou grãos.

brusone no arroz

(Fonte: APS)

Se a brusone ocorrer antes do aparecimento de grãos leitosos, podemos observar panículas esbranquiçadas. Esse é um sintoma facilmente identificável no campo.

Mas, se a infecção ocorrer mais tardiamente, pode ocorrer redução no peso dos grãos e quebra da panícula, o que é chamado de “pescoço quebrado”.

O patógeno também pode infectar a semente e ser transmitido internamente, podendo causar sintoma nas plântulas. 

Ciclo da brusone no arroz

O fungo causador da brusone é disseminado por conídio, normalmente, levado pelo vento. Isso é um fator importante para a infecção de novas plantas dentro da mesma lavoura e para lavouras de arroz próximas de uma área infectada.

São condições ideais para seu desenvolvimento temperaturas entre 20℃ e 25℃, com água livre nas folhas (molhamento).

Outro ponto importante do ciclo da doença é que o fungo pode sobreviver em restos culturais, sementes e em plantas de arroz que permaneçam no campo.

A brusone pode ocorrer desde a fase de plântula até a maturação da cultura do arroz, em todos os estádios de desenvolvimento da planta. Mas, a fase de enchimento dos grãos é a mais suscetível à doença.

A severidade da brusone aumenta quando há desequilíbrio nutricional das plantas, principalmente de doses excessivas de nitrogênio.

A brusone pode ocorrer também em outras gramíneas, principalmente trigo e gramados.

Agora que já conhecemos a doença, veja como controlar a doença.

banner ebook produção eficiente de arroz

Controle da brusone do arroz

Quando pensamos em qualquer manejo para as doenças de plantas cultivadas devemos pensar em um manejo integrado, ou seja, que compreenda várias medidas de controle.

Por isso, para te ajudar a reduzir os prejuízos com a brusone do arroz e realizar esse manejo integrado, veja algumas medidas recomendadas:

Uso de variedades resistentes ou moderadamente resistentes

Em sistema irrigado, deve-se utilizar variedades com bom nível de resistência e manter uma lamina de água sobre o solo durante todo o ciclo. Isso pode reduzir o risco da doença.

Já no sistema de sequeiro, pode ocorrer deficiência hídrica, o que torna as plantas mais suscetíveis à brusone. Por isso, é importante a escolha das variedades corretas para cada sistema de cultivo e local.

Atenção às práticas culturais

A aração mais profunda permite o enraizamento mais aprofundado das plantas, reduzindo o efeito de estresse hídrico.

Também deve-se utilizar sementes sadias e certificadas, livres do patógeno.

O excesso de nitrogênio pode aumentar a suscetibilidade da doença, mas a deficiência também pode predispor a planta à brusone. Por isso, é necessário realizar uma adubação nitrogenada balanceada.

Outros pontos que devem ser considerados são a densidade e espaçamento de plantio. Alta densidade de plantas e menor espaçamento podem favorecer o estresse hídrico e a doença na cultura do arroz.

Uso de fungicidas 

Os fungicidas podem ser utilizados no tratamento de sementes (carboxina + tiran) e para pulverização na parte aérea das plantas de modo preventivo.

Efeito do tratamento de sementes de arroz para o controle de brusone. Tratamento químico com 3 fungicidas diferentes (A, B e C) e parcela sem tratamento (figura D).

Efeito do tratamento de sementes de arroz para o controle de brusone. Tratamento químico com 3 fungicidas diferentes (A, B e C) e parcela sem tratamento (figura D)
(Fonte: Lobo)

Caso a lavoura apresente algum sintoma da doença na fase vegetativa, a aplicação de fungicida deve ser realizada imediatamente. 

A proteção das plantas com aplicação de fungicida deve ser realizada quando se utiliza variedades suscetíveis ou moderadamente suscetíveis.

No Agrofit existem 78 produtos comerciais registrados para brusone no arroz.

Lembrando que, caso precise utilizar mais de uma aplicação de fungicida, utilize produtos com modo de ação diferente para reduzir a probabilidade de resistência do fungo.

Para o manejo integrado e para tomar a decisão no momento correto, é necessário que a lavoura seja constantemente monitorada para a diagnose correta.

E, para te auxiliar com o manejo dessa doença, você pode consultar um(a) engenheiro(a) agrônomo(a) para as recomendações.

Conclusão 

A brusone é considerada a doença mais importante do arroz e pode causar grandes prejuízos na lavoura.

Nesse artigo você conheceu os principais sintomas, ciclo da doença e como fazer um controle mais efetivo.

Agora que você tem essas informações, realize o manejo integrado para o controle da doença e proteja sua lavoura!

>> Leia mais:

Dicas para a plantação de arroz: colheita e pós-colheita

Você já teve problemas com brusone no arroz? Como realiza o manejo dessa doença? Adoraria ver seu comentário abaixo!