Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Cercosporiose no café: principais sintomas, as condições favoráveis para a doença, como controlar e muito mais!

O Brasil é um dos maiores produtores de café do mundo. Apesar disso,  alguns problemas tendem a prejudicar as lavouras.

As doenças causadas por fungos, como a cercosporiose, são um desses problemas. Você sabe como evitar isso e garantir uma boa produtividade?

Conhecer as doenças do café e suas particularidades é essencial. Através desse conhecimento, você é capaz de tomar as decisões de manejo corretas.

Neste artigo, você conhecerá melhor a cercosporiose no café, como a evitar e a controlar. Confira tudo a seguir!

O que é a cercosporiose do café?

A cercosporiose no café é causada pelo fungo Cercospora coffeicola. Também é conhecida como mancha de olho pardo ou mancha-de-cercospora.

Esse fungo ataca principalmente as folhas e os frutos. Como consequência, causa perdas de produtividade e da qualidade dos grãos.

A doença foi relatada no Brasil, pela primeira vez, em 1887. Ainda hoje está presente em praticamente todas as áreas produtivas do país.

A cercosporiose pode afetar as plantas desde sua fase jovem. Ou seja, desde logo após o plantio até cafeeiros em plena produção.

Por isso, é considerada a segunda doença mais importante na cultura do café, estando atrás apenas da ferrugem.

A fim de evitar perdas de produção e de qualidade do café, é necessário realizar o manejo adequado da doença.

Veja na figura a seguir as principais doenças do café, além dos períodos mais favoráveis ao desenvolvimento de cada uma.

Doenças do café e períodos favoráveis ao desenvolvimento

Doenças do café e períodos favoráveis ao desenvolvimento
(Fonte: adaptado de Manual de Fitopatologia)

Sintomas da doença

A cercosporiose pode causar danos em mudas, folhas e frutos.

Nas folhas, os sintomas inicialmente são pequenas manchas circulares de coloração marrom-escura, que vão crescendo rapidamente.

O centro dessas lesões se torna cinza-claro, com um anel amarelado em volta dela. A aparência é de um olho, daí o nome da doença.

Além disso, algumas lesões podem não formar o halo amarelado. As manchas podem ser mais escuras, sem a formação do centro cinza-claro.

Nessas condições, a doença é chamada cercospora negra. Ela é muito comum em cafeeiros com deficiência de fósforo.

As folhas atingidas caem rapidamente, causando intensa desfolha das plantas e até mesmo a seca dos ramos. Por isso, a fotossíntese da planta é prejudicada.

As mudas podem se tornar raquíticas devido à desfolha intensa. Isso as torna impróprias para a comercialização e plantio.

Sintoma clássico de cercosporiose em folha de cafeeiro

Sintoma clássico de cercosporiose em folha de cafeeiro
(Fonte: Infectário)

Já nos frutos, os sintomas começam a aparecer quando ainda estão pequenos. Eles aumentam no início da granação (80-100 dias após a florada do café).

Esses sintomas são pequenas manchas necróticas e deprimidas, de coloração marrom a preta.

Além disso, também ocorre:

  • a queda precoce dos frutos;
  • maturação acelerada;
  • aumento da quantidade de grãos cochos.

Esses sintomas prejudicam o descascamento e despolpamento dos frutos. Afinal, essas lesões da casca necrosada ficam aderidas à semente.

Isso causa o problema de grãos quebrados e de má qualidade, o que prejudica a qualidade da bebida.

três fotos com sintomas de cercosporiose em grãos de café

Sintomas de cercosporiose em grãos de café
(Fonte: Daniela de Cássia da Silva)

Ciclo de vida e condições ideais para o desenvolvimento da cercosporiose no café

A disseminação do fungo ocorre através do vento, água ou até mesmo por insetos.

Após atingir a planta e sob as condições favoráveis de umidade e temperatura, ocorre a sua germinação e a penetração através da cutícula. 

A ocorrência se dá pelas aberturas naturais da folha.

A doença é favorecida em temperaturas entre 18°C e 25°C, com elevada umidade relativa e elevada radiação solar.

Após períodos de chuva seguidos de veranicos ou em períodos de intensa radiação solar e déficit hídrico, a doença pode ser intensificada.

O desequilíbrio nutricional também pode influenciar na incidência dessa doença.

Em sistemas convencionais, outros fatores podem resultar em maior suscetibilidade da cercosporiose no café:

  • menores teores de cálcio;
  • magnésio foliares nas fases de granação e maturação dos frutos;
  • carência de nitrogênio.

Como prevenir e evitar o ataque da cercospora no cafeeiro

Evitar a entrada do patógeno na sua lavoura é sempre muito importante. Você deve evitar, primeiramente, a entrada do fungo nos viveiros de mudas de café.

Para isso, existem medidas que você pode adotar: 

  • controle de irrigação diária, evitando excesso de água;
  • evitar o excesso de potássio nas adubações;
  • realizar a calagem no substrato, evitando assim a falta de cálcio para as mudas;
  • sementes limpas, sadias e devidamente tratadas;
  •  o viveiro deve ser bem arejado e com sombreamento adequado;
  •  proteger as mudas de ventos frios e da insolação;
  •  eliminar mudas e folhas mortas do viveiro;

Já na lavoura, as medidas preventivas envolvem:

  •  evitar plantio em solos arenosos e compactados;
  •  fertilização equilibrada;
  •  níveis adequados de nitrogênio;
  • evitar excesso de umidade;
  • evitar plantios tardios;
  • uso de mudas de variedade com maturação tardia para regiões mais quentes.

Para prevenir o ataque da cercospora no cafeeiro, dosar os nutrientes corretamente é essencial.

Para tornar o processo de adubação do café mais fácil, preparamos uma planilha para você! Baixe gratuitamente clicando na imagem a seguir:

planilha adubação de café Aegro, baixe agora

Controle da mancha de cercospora

O controle sempre será mais eficiente com auxílio do manejo integrado de doenças. Realize todas as medidas que estão disponíveis.

Por isso, nunca use apenas um tipo de controle. Em relação à cercosporiose do café, não há relatos de variedades resistentes ou tolerantes. 

Utilize o controle químico com o uso de fungicidas como ferramenta de controle preventivo da doença.

O controle da cercosporiose coincide com o controle da ferrugem. Portanto, você pode usar formulações ou misturas de tanque que envolvam produtos para as duas doenças.

Entretanto, algumas lavouras apresentam elevadas cargas de frutos e estão situadas em regiões mais favoráveis à doença.

Nesses locais, as aplicações também devem ser realizadas entre final de dezembro e os meses de março e abril. Aplique especialmente se suas plantas não receberem tratamento contra ferrugem.

Além da escolha certa do ingrediente ativo, escolher a tecnologia correta é ideal. Não esqueça de considerar todos os fatores que podem afetar a aplicação sem prejudicar o controle dessa doença.

Conclusão

A mancha de cercospora em cafeeiro é causada por um fungo e está presente nas principais regiões produtoras de café do Brasil.

Esse fungo é favorecido pela alta radiação solar e pela elevada umidade. Além disso, desequilíbrios nutricionais podem intensificar os danos causados por essa doença.

Os danos da cercosporiose no café podem afetar as mudas e a qualidade da bebida. Por isso, o manejo correto é essencial.

Lembre-se que um bom planejamento do plantio pode ser muito eficaz para prevenção da doença e para o aumento da produtividade!

>> Leia mais:

“Guia rápido da adubação de boro e zinco no café”

10 dicas para melhorar a gestão de sua lavoura de café

Você já teve problemas com a cercosporiose no café? Quais medidas de manejo você precisou realizar? Deixe sua experiência aqui nos comentários!