Blog Aegro Logo
Blog da Aegro para negócios rurais
o que é hedge

Hedge agrícola: o que é e por que você deveria ter essa opção

- 8 de maio de 2019

Hedge agrícola: como funciona essa operação, todas as dicas de como utilizá-la e ter uma boa opção de venda da sua produção.

A função do hedge é minimizar os riscos e proteger contra as oscilações de preço que podem afetar a produção agrícola.

O risco do mercado de commodities é grande, e com a margem pequena da agricultura, não é difícil acabar tendo prejuízo.

Neste artigo, vou explicar o que é hedge e como essa operação financeira pode ser uma opção de negócio para você. Confira a seguir.

O que é e por que fazer hedge?

Hedge é uma palavra inglesa que significa proteção/cobertura. Assim, hedge é um instrumento que busca proteger operações financeiras contra oscilações de preço.

Ele reduz o risco de grandes variações de preço de um ativo ou commodity, por exemplo.

É uma operação antiga. No século 19, no mercado de commodities de Chicago, agricultores e pecuaristas traziam os produtos para venda na cidade e queriam reduzir o risco com a oscilação de preço dos produtos.

Então, eles decidiram negociar o preço antes da venda, o que hoje é chamado de operação a termo.

Por isso, o hedge faz parte de instrumentos financeiros chamados de derivativos. Vou explicar melhor no próximo tópico!

Derivativos e hedge agrícola

Os derivativos são instrumentos que têm objetivo de gerenciar o risco financeiro adequadamente, sendo utilizado por pessoas ou instituições.

Como o próprio nome diz, os derivativos derivam do preço de algum ativo. Ou seja, o valor depende e deriva de um ativo como commodities, taxa de juros, taxa de câmbio da moeda estrangeira, ações e outras.

Existem vários tipos de derivativos, sendo mais comuns:

  • Mercado a termo (compromisso de comprar ou vender um bem por preço fixado em data futura);
  • Mercado futuro;
  • Opções;
  • Swaps.

Esses podem ou não ser negociados na bolsa de valores.  Veja a diferença desses tipos de derivativos na tabela abaixo:

tabela com tipos de derivativos de hedge nos mercados a termo, futuro, de opções e de swap.

(Fonte: InvestMax)

Os derivativos têm várias funções. Uma delas é justamente proteger contra a variação do preço (hedge).

Os derivativos agropecuários disponíveis para negociação na bolsa de valores são: açúcar cristal, boi gordo, café arábica, etanol, milho e soja.

Agora que conhecemos mais sobre o conceito e como funciona o hedge, vamos entender como utilizá-lo no agronegócio.

Função dentro do agronegócio

É comum termos notícias, por exemplo, de que o preço da saca de soja caiu, afetando muitos produtores brasileiros.

Esse fato é frequente no Brasil, que produz commodities como soja, milho, café e outras. E elas apresentam variações de preço dependendo da oferta e demanda.

O Brasil produziu 252,3 milhões de toneladas de soja na safra 2020/21, segundo a Conab. Agora imagine se todos os produtores fossem vender esse grão ao mesmo tempo!

O preço certamente seria baixo, pois a oferta do produto seria alta. E isso, poderia trazer prejuízo aos produtores, não tendo dinheiro nem para pagar o custo de produção.

E como sempre gosto de destacar: sua lavoura é sua empresa e você precisa ter lucro com ela para continuar o negócio!

Por isso, você precisa vender o seu produto (commodity) por um preço adequado.

Assim, é possível realizar o hedge, ou seja, essa operação financeira que protege o valor do produto contra as variações/oscilações do preço de venda, onde o preço é negociado antes.

Agora que você já sabe o que é hedge, vou falar sobre a importância dessa operação para a agricultura.

Exemplo prático da importância do hedge na agricultura

Do plantio até a colheita da lavoura há um período de vários meses e muita coisa pode ocorrer nesse tempo. Você corre diversos riscos como:

E tudo isso pode afetar a produção e o preço de venda do produto. Além das oscilações de preços das commodities.

O hedge, como já falamos, minimiza esses riscos com a oscilação de preços. Vou dar um exemplo de hedge na agricultura, considerando a commodity soja.

Lembro que este é um exemplo muito simplificado, tendo mais valores e custos que podem estar associados a esta operação.

Suponhamos que o produtor de soja vai colher sua safra daqui a 40 dias e está com medo das oscilações do preço da saca. Ele então decide realizar hedge no mercado a termo para assegurar o preço e cobrir o custo de produção, com valor acordado de R$ 70 a saca de 60 Kg.

Após os 40 dias, no vencimento do contrato, o preço à vista da soja é de R$ 75. O produtor vai entregar a soja a R$ 70 e, assim, perde (na verdade, deixa de ganhar) R$ 5 comparado à venda à vista.

Mas, se ao contrário, o preço da saca de soja estiver R$ 65 no dia da venda, o produtor ganharia R$ 5. Pois, como fez hedge, ele vende a produção a R$ 70 a saca.

Então, é importante entender que o hedge é uma operação que protege a commodity contra a oscilação de preço.

Mas antes de realizar uma estratégia de hedge em sua fazenda, veja outros pontos que são essenciais antes de iniciar esta operação.

planilha controle de custos por safra

O que você precisa saber antes de fazer a operação

Para fazer operações de hedge, você precisa ter um bom planejamento da lavoura e saber seu custo de produção.

Assim, você terá os dados precisos para a tomada de decisão do quanto vale a pena vender sua produção agrícola. Por exemplo, se meu custo de milho foi de 22 reais, meu hedge precisa ser, no mínimo, desse valor.

Por isso é tão importante conhecer, ou ao menos ter um planejamento, dos custos da produção da sua lavoura. Assim, você pode verificar se o preço que está negociando cobre ou não seu custo de produção.

captura de tela de custo realizado no sistema de gestão rural Aegro


Com o Aegro, é possível planejar um custo orçado e acompanhar o custo realizado na safra em apenas alguns cliques, com todos os dados seguros

Veja algumas dicas de como realizar o hedge na agricultura.

Dicas para realizar o hedge agrícola

Como você observou nos tópicos anteriores, o hedge pode ser importante para a proteção de preços das commodities e você pode ter essa opção para sua fazenda.

Então veja algumas dicas para realizar o hedge:

  • Tenha o planejamento e custo de produção da lavoura;
  • Mantenha um planejamento estratégico: qual quantidade de produção será comercializada (fazer hedge) e qual será armazenada, por exemplo;
  • Acompanhe o preço dos produtos na bolsa de valores: veja por quanto as commodities estão sendo negociadas e analise com base no seu custo de produção;
  • Defina qual derivativo irá utilizar para realizar o hedge. Se utilizar o mercado futuro, por exemplo, você precisa ter uma conta em uma corretora de mercado futuro para conseguir negociar na bolsa de valores, ou entrar em contato com um corretor;
  • Ao escolher um corretor, ou uma empresa corretora, esteja seguro que são pessoas idôneas e de confiança;
  • Observe todas as opções no mercado de derivativos e tipos de hedge, escolhendo a melhor para a sua propriedade.

Conclusão

O hedge é uma importante ferramenta para se proteger das oscilações de preços das commodities.

Mas antes de fazer uma operação do tipo, você precisa conhecer tudo sobre o que está relacionado a ela.

Neste artigo, mostramos o que é hedge e o que são os derivativos. Falamos sobre como eles são importantes para a agricultura e o que você pode fazer antes de realizar essa operação.

Espero que essas informações te ajudem a melhorar o processo de venda dos seus produtos agrícolas e ter mais lucratividade!

>> Leia mais:

Tudo sobre barter: garanta o sucesso do seu negócio rural
Barter de milho: como começar e como melhorar suas negociações

Ficou alguma dúvida sobre o que é hedge e como ele pode ser feito? Adoraria ver seu comentário abaixo!

Comentários

  1. JORGE disse:

    Lavoura10, impressionante esse artigo da Gressa, que percorre com profundidade um tema tão importante de gestão de riscos que é o hedge. Parabéns pela forma de expor este assunto e pela leitura fácil e agradável. Também acompanho alguns artigos de nutrição, manejo e patologia. É uma profissional completa. Sucesso! Excelente meio e forma de comunicação!

    1. Gressa Chinelato disse:

      Jorge, muito obrigada, fico feliz que acompanha os textos do blog Lavoura 10 e que gosta dos temas e da forma de comunicação! Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.