Nematoides na soja: Veja como reconhecê-los na sua lavoura e as 5 principais maneiras de controlá-los de forma eficiente.

No Centro-Oeste brasileiro já foram relatadas perdas de até 80% da produtividade de soja devido aos nematoides.

Os nematoides podem causar perdas pequenas até a inviabilização de uma área em sua propriedade.

O maior desafio é correta identificação no campo, já que é facilmente confundida com deficiência de nutrientes e de água.

Depois, a grande questão é como manejar esse patógeno, o que nem sempre é simples.

Neste artigo veremos como é a identificação dos principais nematoides na soja e como fazer o seu controle de forma eficiente.

Os nematoides na soja: características gerais

Para o controle correto dos nematoides em qualquer cultura é necessário reconhecer esse problema em campo.

Por isso, vou repassar as condições favoráveis a esses patógenos, assim você já tem uma noção se pode ser esse o problema da sua lavoura.

Em geral, terrenos arenosos ou franco-arenosos são mais favoráveis aos nematoides. Bem como as áreas de baixo índice de matéria orgânica.

Isso porque é bem mais facilitado a movimentação e a migração deles no solo.

As temperaturas ideais são as acima de 28 °C e a umidade também os favorece.

A presença de nematoides causam sintomas de baixo vigor e pouco desenvolvimento da parte aérea, podendo ocorrer clorose das folhas.

Por afetarem o sistema radicular esses sintomas podem ser confundidos com deficiências nutricionais e estresse hídrico, uma vez que podem prejudicar a absorção de água e nutrientes.

nematoides na soja

Sintomas visuais causados por nematoides na soja
(Fonte: LSU Ag Center)

É importante saber também que a severidade do ataque dos nematoides depende muito da suscetibilidade da cultivar plantada, e da espécie e raça do nematoide presente na lavoura.

Agora que vimos as características gerais, vou detalhar os sintomas dos principais nematoides na cultura da soja:

Nematoide de Cisto da Soja – Heterodera glycines

As fêmeas adultas e cistos se alimentam das raízes e nódulos radiculares.

Por isso, os danos causados resultam em sintomas visíveis como estresse e deficiências nutricionais.

Assim, o crescimento da soja é atrofiado e as folhas ficam cloróticas, até ganhando o nome de “doença do nanismo amarelo”.

Com a presença desses nematoides é possível visualizar sintomas foliares confundidos com estresse hídrico ou deficiência nutricional.

Em geral, a cinco semanas após a semeadura, observam-se pontos de coloração branca e amarelada nas raízes.

Se você tiver uma lupa, pode observar nas raízes nematoides brancos ou marrons, com formato de minúsculos limões.

2-nematoides-na-soja

Cistos do nematoide nas raízes da soja
(Fonte: Santino Aleandro da Silva em Agro Rural News)

Nematoide das galhas – Meloidogyne spp.

A ocorrência dos sintomas do nematoide das galhas também são semelhantes com os outros nematoides. Assim, os sintomas são em reboleira, sendo que as folhas ficam amareladas e o crescimento da planta é atrofiado.

O ciclo completo de vida do nematoide das galhas se dá em 37 dias. Os jovens penetram nos ápices radiculares e iniciam o desenvolvimento de células gigantes nos tecidos da raiz (as galhas).

Por isso, a diferença dos sintomas é no sistema radicular, onde se desenvolvem as galhas. Elas prejudicam o transporte de água e nutrientes, causando os danos que comentei.

3-nematoides-na-soja

(Fonte: Phytus Club)

Lesões radiculares – Pratylenchus brachyurus

Esse nematoide está bem presente em culturas de gramíneas também. Eles são favorecidos em áreas com solos mais arenosos.

O sistema radicular da soja parasitada se apresenta totalmente escurecido e as raízes finas ficam curtas.

4-nematoides-na-soja

(Fonte: Phytus Club)

Reniforme – Rotylenchulus reniformis

Os sintomas são muito parecidos com aqueles causados por outros tipos de nematoides, se assemelhando com problemas de deficiência nutricional.

Eles ocorrem em qualquer textura de solo, fazendo com que o sistema radicular se apresenta de forma mais “fraca”, mas sem formação de galhas.

A característica principal para a identificação é a massa de ovos sobre a superfície das radicelas (raízes finas).

5-nematoides-na-soja

Rotylenchulus reniformis em raízes
(Fonte:Jonathan D. Eisenback, Virginia Polytechnic Institute and State University em  CABI)

Baixe aqui a planilha gratuita para estimar sua produtividade de soja!

5 maneiras de controlar os nematoides na soja

Com certeza o manejo mais eficiente aos nematoides será os realizados na entressafra e no plantio.

Os desafios técnicos são grandes porque após o sua presença e estabelecimento na lavoura, a única saída é regredir e estabilizar a sua população, pois dificilmente eles serão eliminados.

Com isso as práticas culturais, continuam sendo as principais atividades para o controle.

Como veremos a seguir, essas práticas envolvem a rotação, sucessão de culturas e até mesmo consórcio com plantas não hospedeiras.

Mas uma prática isolada não é a solução.

A melhor opção é o uso associado de diferentes estratégias de controle, consolidando um manejo integrado.

Por isso agora vamos conhecer as 5 principais maneiras de controlar os nematoides na soja, assim você poderá selecionar as que fazem mais sentido na sua fazenda.

1. Controle Biológico de nematoides

Já foram identificados mais de 200 diferentes organismos que são inimigos naturais dos fitonematoides.

Estes microrganismos são encontrados normalmente no solo, parasitando ovos e cistos, ou predando nematoides juvenis e adultos.

Mas, pensar em uso de microrganismos para o controle de nematoides, devemos ter em mente que esses terão que aguentar as altas temperaturas de solo na semeadura.

Assim, se atente para a temperatura no plantio nesse método de controle.

Entre os microrganismos com efeito nematicida comprovado estão Paecilomyces lilacinus, Trichoderma harzianu, Arthrobotrys oligospora, Arthrobotrys musiformis, assim como algumas rizobactérias.

A seguir confira os principais para o controle na soja:

Paecilomyces lilacinus

É um fungo que afeta a capacidade reprodutiva dos nematoides.

Através do parasitismo dos ovos, ele penetra e destrói o embrião, ou atacando as fêmeas sedentárias, que são colonizadas e mortas.

Sua capacidade é de promover a redução de 60% na penetração do nematoide na fase de estabelecimento da cultura.

E existem produtos comerciais como o Nemat da Ballagro.

Trichoderma harzianum

É um fungo que através de várias estratégias combate o nematoide das lesões radiculares Pratylenchus spp.

Pochonia chlamydosporia

Esse fungo que parasita e mata ovos e fêmeas de nematoides.

E existem produtos comerciais no mercado, como o Rizotec, desenvolvido através do trabalho colaborativo entre a Universidade Federal de Viçosa e o Instituto de Biotecnologia Aplicada à Agropecuária (Bioagro).

Bacillus amiloliquefaciens

Essa bactéria age de duas maneiras principais sobre os nematoides.

Quando aplicada em tratamento de semente ou em sulco de plantio, o seu estabelecimento no solo promove colonização do sistema radicular da planta, alimentando-se dos exsudatos radiculares.

Com isso, os nematoides não conseguem reconhecer os exsudatos radiculares, inibindo assim a penetração dos nematoides nas raízes

Já o mecanismo de produção de produção natural de antibióticos e toxinas, há a morte do embrião de nematoide dos ovos presentes próximos ao sistema radicular.

Existem produtos comerciais no mercado com o NemaControl, recomendado para o controle de Pratylenchus brachyurus (nematoide das lesões radiculares)

Além desses, tratamentos bacterianos de solos e de sementes com biopesticidas contendo Pseudomonas fluorescens, Pasteuria penetrans, Bacillus subtilis, B. methylotrophicus e o B. pumilis que controlam o nematoide dos cistos, também têm sido eficientes.

2. Cultivares resistentes

Plantas são definidas como resistentes a fitonematoides quando previnem, ou restringem marcantemente, a reprodução deles.

E existem no mercado algumas cultivares de soja e milho já resistentes a nematoides.

Sempre bom lembrar da importância de considerar realmente o posicionamento técnico recomendado pela empresa que você adquiriu.

3. Rotação de culturas

Essa é uma das principais práticas e que realmente faz a diferença.

Você pode inserir plantas não hospedeiras, que possuem a resistência passiva, ou também chamada de pré-infeccional.

Essa é uma característica inerente às plantas, ocorrendo independentemente do parasitismo pelos nematoides..

Isso ocorre devido à presença nessas plantas de substâncias repelentes ou tóxicas aos nematoides.

Nesse sentido, temos as crotalárias, girassol, sorgo, e os milhetos resistentes  como ADR 300 ou ADR 8010.

Além disso, a rotação de cultura contribui na melhora das condições físicas, químicas e biológicas do solo, sendo que também quebra o ciclo de pragas e doenças.

4. Tratamento de sementes

O tratamento de sementes é um método complementar no manejo dos nematoides na soja.

Isso porque eles combatem esses patógenos nas primeiras semanas após o plantio, e não na safra toda. No entanto, plantas melhor formadas conseguem resistir mais aos futuros ataques de nematoides.

Além disso, essa primeiras semanas são fundamentais para a definição de produtividade e as plantas conseguem resistir mais aos futuros ataques de nematoides.

Ademais, a quantidade reduzida de nematicida utilizado na semente resulta em maior sustentabilidade e segurança no sistema de produção agrícola.

Os defensivos agrícolas mais utilizados são os à base de abamectina e de tiodicarbe.

6-nematoides-na-soja

À esquerda lavoura com tratamento de sementes com nematicidas, à esquerda sem tratamento de sementes
(Fonte: Ag Update)

5. Controle químico

Aplicados em sulco ou em pulverização terrestre. Porém, sempre considere uma abordagem integrada dos métodos de controle e não só o químico.

Medidas preventivas para combater os nematoides na soja

Algumas medidas de prevenção são fundamentais para o manejo adequado dos nematoides na soja:

  • Cultivares de soja de alta produtividade e resistentes;
  • Monitoramento da lavoura antes do plantio, amostragem de solo;
  • Rotação de culturas como já comentado;
  • Culturas de adubos verdes ou de cobertura (ex: trevo), como hospedeiros alternativos, para atrair nematoides para longe das plantas de soja;
  • Eliminação das plantas daninhas, pois estas podem contribuir no aumento da população de nematoides;
  • Limpeza de equipamentos para não disseminar os patógenos.

Você pode ver mais artigos sobre doenças da soja aqui:
>>6 Dicas para combater de vez a ferrugem asiática da soja
>>9 curiosidades que você não sabe sobre ferrugem-asiática da soja e como combatê-la
>>O Combate às ferrugens: Controle essas doenças nas culturas do milho e soja

Conclusão

Na disciplina de fitopatologia, existia a ideia de que as melhores respostas na prova seria sempre a rotação de cultura e cultivar resistente.

E realmente essa é uma dobradinha que dá resultado. E, por isso, realmente deveria ser um mantra nas lavouras.

Mas, existem mais práticas que contribuem significativamente para combater os nematoides na soja, especialmente a integração delas.

Aqui, vimos as principais maneiras de controle para que você escolha as melhores dentro da realidade da sua fazenda e consiga um manejo efetivo!

>>Leia mais:

Nematoides na cana-de-açúcar: como reconhecer e manejar

Fungicidas da cultura da soja que já apresentam resistência e alternativas de controle

Como você faz o controle de nematoides na soja da sua propriedade? Tem mais dicas sobre esse manejo? Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!