Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Plano Safra 2021/22: conheça as principais linhas de financiamento e o que mudou em relação ao plano anterior

O Plano Safra 2021/22 é de suma importância para o planejamento da sua fazenda.

Por isso, é preciso saber os valores destinados a cada linha de financiamento, volume de recursos e suas respectivas taxas de juros.

Os contratos podem ser realizados entre 1º de junho de 2021 e 30 de junho de 2022.

Neste artigo, você ficará por dentro das principais novidades e descobrirá como se beneficiar do Plano. Assim, você conseguirá se organizar melhor. Confira!

Como se beneficiar do Plano Safra 2021/22 

Dentre as principais demandas do agronegócio, está a destinação de mais recursos para:

  • produção;
  • comercialização;
  • investimentos em tecnologia;
  • inovação;
  • sustentabilidade. 

A resposta a esta demanda veio por meio do Plano Safra 2021/2022. Apesar de abaixo do esperado, o plano teve aumento de R$ 14,9 bilhões em relação ao anterior.

Uma das principais formas de você se beneficiar do novo Plano Safra é por meio da ampliação de práticas sustentáveis

Essas práticas são cada vez mais cobradas do setor no cenário global.

O governo elevou em 101% os recursos para esta finalidade em relação ao plano anterior. O aumento foi possível com o fortalecimento do Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono).

painéis solares ao lado de uma lavoura

 A energia solar é uma das principais fontes de energias renováveis do campo
(Foto: Agrovale/Divulgação)

Serão R$ 5,05 bilhões em recursos, com taxa de juros de 5,5% e 7% ao ano. Além disso,  carência de até 8 anos e prazo máximo de pagamento de 12 anos.

Por meio do Programa ABC, você pode financiar projetos destinados à redução da emissão de gases de efeito estufa e agregar valor à sua produção agrícola.

Também foram fortalecidos os programas:

  • Inovagro (R$ 2,6 milhões, taxa de juros de 7% ao ano);
  • Proirriga (R$ 1,35 bilhões, juros de 7,5% ao ano).

O financiamento para a produção de bioinsumos e biofertilizantes para uso próprio, para energia renovável e adoção de práticas conservacionistas também aumentou.

No Plano Safra 2021/2022, o limite de crédito coletivo para projetos de geração de energia elétrica a partir de biogás e biometano será de até R$ 20 milhões.

Mais recursos para armazenagem de grãos 

Uma das grandes demandas do setor de grãos no Brasil é o financiamento para estruturas de armazenagem no campo.

Em comunicado recente, a Aprosoja (representante dos sojicultores) pediu que o Mapa destinasse R$ 3 bilhões ao PCA (Programa de Construção e Ampliação de Armazéns), no Plano Safra 2021/2022.

Para a Aprosoja, “a armazenagem é crucial, mais importante até que o custeio agrícola”.

Isso porque, segundo a Aprosoja, os investimentos em armazenagens proporcionam a redução do custo do frete e a melhor trafegabilidade das rodovias durante a colheita. 

A resposta do governo veio além da expectativa. Houve destinação de R$ 4,12 bilhões ao PCA, além de acréscimo de 84% em relação ao Plano Safra 2020/2021.

Armazéns de até 6 mil toneladas terão taxas de juros de 5,5%.

Armazéns com capacidade acima disso terão taxa de 7% ao ano, carência de 3 anos e prazo de até 12 anos para pagar.

O Mapa estima que os recursos destinados ao PCA sejam suficientes para construir cerca de 500 novas plantas. 

Além disso, podem ser suficientes para aumentar a capacidade instalada em 5 milhões de toneladas.

Custeio e comercialização 

O custeio e a comercialização também receberam grande atenção do Plano Safra 2021/22. 

Do total destinado ao novo plano:

Para o médio produtor, no âmbito do Pronamp, o Plano Safra disponibilizará R$ 34 bilhões. Isso corresponde a um aumento de 3% em relação à safra passada.

De acordo com o governo, são:

  • R$ 29,18 bilhões para custeio e comercialização;
  • R$ 4,88 bilhões para investimento, com juros de até 6,5% ao ano.
Tabela disponibilizada pelo Mapa de custo e comercialização do plano safra

Tabela disponibilizada pelo Mapa
(Fonte: Mapa)

Agricultura familiar tem juros mais baixos

A agricultura familiar também foi beneficiada no Plano Safra 2021/22.

O setor que abrange mais de 5,1 milhões de pequenas propriedades no país terá no novo Plano Safra R$ 39,34 bilhões para financiamento por meio do Pronaf.

Os juros dos financiamentos variam entre 3% e 4% ao ano. 

Do valor total disponível:

  • R$ 21,74 bilhões são para custeio e comercialização;
  • R$ 17,6 bilhões para investimentos.  

Mais sustentabilidade

Uma das novidades do Plano Safra 2021/2022 para os pequenos agricultores é o maior incentivo ao Pronaf Bioeconomia.

Essa linha de financiamento é voltada para investimentos em: tecnologias de energia renovável, ambientais, armazenamento hídrico e práticas conservacionistas

O novo Plano Safra incluiu nos financiamentos a:

  • SAFs (Sistemas Agroflorestais);
  • construção de unidades de bioinsumos e biofertilizantes; 
  • turismo rural;
  • serviços de sociobiodiversidade.
Tabela que detalha valores de linhas de financiamento do plano safra

Tabela detalha valores de linhas de financiamento 
(Fonte: Mapa)

Seguro rural e redução de riscos

No setor agrícola, investir em seguro rural é essencial para reduzir riscos da atividade.

Para 2021, o governo destinou R$ 948,1 milhões

Isso para contratar cerca de 150 mil apólices e proteger 10,1 milhões de hectares. O valor total segurado é de R$ 52,5 bilhões

E em 2022, o orçamento será de R$ 1 bilhão.

Esse valor possibilitará a contratação de 158.500 apólices e a proteção de 10,7 milhões de hectares. O valor total segurado é de R$ 55,4 bilhões.

Também importante para redução de riscos no setor agrícola é o Zarc (Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático).

Serão incluídas 12 culturas no Zarc, e estão previstas mudanças de metodologias com a inclusão de 6 classes de armazenamento hídrico para solos e níveis de manejo.

>> Leia mais: “Seguro rural: entenda melhor e veja as novidades”

informativo Aegro gratuito de diagnóstico de gestão trezentos e sessenta graus para avaliar o seu negócio rural, baixe agora

Conclusão

Neste artigo, você viu que o Plano Safra 2021/2022 tem como importantes novidades o aumento do financiamento para mais sustentabilidade ambiental da produção.

O governo quer incentivar um agro mais verde, mais produtivo, inovador e mais tecnológico.

Isso atende às exigências da sociedade (nacional e internacional) por uma produção agrícola que garanta a sobrevivência do planeta.

O aumento de financiamentos para armazenagem de grãos, do seguro rural e da geração de energias renováveis e bioinsumos são pontos fundamentais para você.

Conheça as linhas de financiamento em que você se enquadra e planeje com mais segurança a sua produção agrícola.  

>> Leia mais:

“Contabilidade do agronegócio: 5 passos para não ficar no vermelho”

“Como fazer fluxo de caixa sem complicação na sua fazenda”

O que você achou das novidades trazidas pelo Plano Safra 2021/22? Conte pra gente nos comentários!