Produção de laranja Pêra: plantio, adubação, doenças e outros manejos da cultivar mais querida da citricultura brasileira.

A laranja Pêra é uma das laranjas mais importantes na citricultura brasileira. Dos quase 400 mil hectares de laranjas plantadas, ela sozinha representa 35% do total de árvores.

A produção de laranja Pêra estimada na safra 2020/21 equivale a um total de 87 milhões de caixas (40,8 kg cada).

Segundo dados do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), nos últimos 10 anos, a participação da laranja Pêra em plantios novos foi, em média, de 45%.

A busca elevada pela produção ocorre principalmente por sua dupla aptidão: atende tanto à indústria de processamento para suco quanto o mercado de consumo in natura.

Quer saber um pouco mais sobre a laranja Pêra? Confira a seguir!

Laranja Pêra, a cultivar da meia estação

A laranja Pêra Rio – ou simplesmente laranja Pêra – (Citrus sinensis L. Osbeck), assim como a Valência e a Hamlin, pertence ao grupo das laranjas doces comuns.

Isso significa que o nível de acidez dos seus frutos está em torno de 1%.

Seus frutos têm um formato elíptico, por serem um pouco mais alongados do que os de outras cultivares.

A casca dessa laranja é lisa, fina e de coloração laranja a amarelada, com polpa suculenta e de coloração alaranjada.

produção de laranja pêra

Ilustrações das principais cultivares de laranja comercializadas no Brasil; laranja Pêra Rio é conhecida como laranja Pêra popularmente
(Fonte: CEAGESP)

Apesar de pertencerem ao mesmo grupo das laranjas doces comuns, a laranja Pêra se diferencia da Hamlin e da Valência pela época de maturação de seus frutos.

Quando falamos em maturação dos frutos de laranjas, podemos separar as cultivares em quatro grupos diferentes:

  • maturação precoce;
  • precoce a meia-estação;
  • meia-estação; e
  • tardia.

Enquanto a Hamlin é uma cultivar precoce e a Valência tardia, a laranja Pêra tem maturação típica de meia-estação.

A produção da laranja Pêra fica concentrada nos meses de julho a outubro. E, além disso, representa cerca de 22% da produção de laranjas do estado de São Paulo.

Confira no gráfico a seguir:

Período de colheita por grupo de maturação e porcentagem da produção em São Paulo

Período de colheita por grupo de maturação e porcentagem da produção em São Paulo
(Fonte: Markstrat – CitrusBR)

A origem da cultivar

Por ser produzida em grande escala apenas no Brasil, ela é considerada uma cultivar brasileira por excelência, mas pouco se sabe de suas origens.

Apesar de sua grande importância para a citricultura, a origem da laranja Pêra permanece desconhecida.

Diferente de outras cultivares comerciais importantes, como a laranja Valência, e tangerinas Ponkan e Murcott, não foram encontrados possíveis progenitores da laranja Pêra na região de origem desta espécie (no Sudeste Asiático).

Sabe-se que o cultivo e a produção de laranja Pêra se concentravam na Baixada Fluminense e que, no início do século 20, foi trazida para o estado de São Paulo.

A partir daí, seu cultivo se popularizou por todo o cinturão citrícola brasileiro, com os nomes de Pêra Rio, Pêra Coroa ou somente Pêra.

Apesar de não se ter completa certeza, existem suspeitas de que a laranja Pêra está diretamente relacionada a cultivares da Espanha e Portugal. Isso, graças às similaridades existentes entre essas cultivares.

Clones de laranja Pêra

Quando comparada com outras cultivares, a laranja Pêra apresenta uma grande quantidade de clones selecionados e cultivados.

O fato da produção de laranja Pêra ser bem consolidado e espalhado pelo país explica o aparecimento dessa elevada quantidade de novos clones e seleções.

Esses novos clones surgem, em sua maioria, por variações que ocorrem nas gemas das plantas matrizes (borbulheiras).

A ‘Pêra IAC 2000’, ‘Pêra Bianchi’, ‘Pêra Olímpia’, ‘Pêra Mel’ e ‘Pêra Rio’ são algumas cujas borbulhas podem ser encontradas no Centro de Citricultura Sylvio Moreira (IAC).

produção de laranja pêra

Detalhe dos frutos da laranja Pêra IAC-2000
(Fonte: IAC)

Plantio e tratos culturais da laranja Pêra 

Plantio

A implantação do pomar de citros não varia muito de uma cultivar para outra, apresentando muitos pontos em comum.

Por exemplo, toda implantação começa bem antes do plantio propriamente dito, que deve ser antecedido da análise e correção do solo.

O planejamento do plantio e a diversificação das cultivares no pomar é essencial para garantir a produção durante o ano todo.

Recomenda-se que cerca de 30% da área de plantio dos pomares de citros esteja destinada à produção de laranja Pêra (meia-estação). 

Em seguida, a correta escolha do porta-enxerto e aquisição de mudas de qualidade são pontos essenciais para a longevidade do pomar.

Principais variedades comerciais, seu porte e espaçamentos recomendados
(Fonte:Embrapa)

Para o plantio em si, é importante nos atentarmos ao espaçamento utilizado.

Como o porte da laranjeira Pêra é médio, um espaçamento interessante para essa cultivar é de 6,0 m x 4,0 m.

Mas tudo isso pode variar de acordo com o porta-enxerto e região de cultivo. Portanto, devemos estar sempre atentos e planejar com cautela.

Adubação

Via de regra, a adubação dos pomares cítricos pode ser feita de duas principais formas: via solo ou foliar

A escolha de uma técnica em detrimento da outra depende do nutriente que se deseja fornecer às plantas e do estágio fenológico da planta.

Vale ressaltar que os nutrientes apresentam particularidades, fazendo com que sejam melhor aproveitados pelas plantas por uma via ou outra.

Os nutrientes devem ser fornecidos às plantas nas épocas de maiores exigências da planta (fases críticas).

No estado de São Paulo, isso ocorre de setembro a março e coincide com a estação das chuvas, outro fator essencial para o sucesso da adubação.

Confira aqui 3 dicas para ser ainda mais eficiente na adubação em citros!

Particularidades da produção de laranja Pêra

A produção de laranja Pêra apresenta algumas restrições, principalmente relacionadas ao uso de alguns porta-enxertos e também ao vírus da tristeza dos citros.

Incompatibilidade de enxertia

Apesar de muito desejada e cultivada, a laranja Pêra apresenta incompatibilidade com uma série de porta-enxertos existentes, dentre eles podemos citar:

  • o limão ‘Rugoso da Flórida’ e ‘Volkameriano’;
  • as tangerinas ‘Sunki tropical’ e ‘Sunki maravilha’;
  • o Poncirus trifoliata;
  • alguns citrumelos e citrangeiros.

Atualmente, para que seja possível trabalharmos com esses porta-enxertos, é necessária a utilização de um interenxerto como a laranja Hamlin ou limoeiro cravo, por exemplo.

Além disso, a diversificação dos porta-enxertos tem sido amplamente estudada, buscando novos porta-enxertos para a citricultura.

Suscetibilidade ao vírus da tristeza

São diversas as doenças que acometem os citros. A laranja Pêra, em especial, apresenta elevada suscetibilidade ao vírus da tristeza dos citros.

Esse vírus se desenvolve nos tecidos da planta prejudicando seu metabolismo, reduzindo o vigor, crescimento, tamanho de folhas e frutos.

O principal sintoma que ocorre nas plantas doentes é chamado canelura ou ‘pitting’, como na figura a seguir:

Sintoma clássico do vírus da tristeza dos citros em cultivares suscetíveis

Sintoma clássico do vírus da tristeza dos citros em cultivares suscetíveis
(Fonte: M. Manners,FSC)

Para reduzir sua incidência, o ideal é manter o Pulgão preto (Toxoptera citricidus), inseto transmissor, controlado.

Além disso, a obtenção e plantio de mudas pré-imunizadas, ou seja, que foram inoculadas com estirpes fracas do vírus, pode ajudar.

Conclusão

A produção de laranja Pêra tem papel fundamental na citricultura brasileira graças à versatilidade dessa cultivar.

Apesar de não sabermos ao certo sua origem, hoje é a cultivar mais plantada no Brasil.

Alguns cuidados têm de ser tomados na implantação do pomar, especialmente na busca por mudas de qualidade.

É preciso estarmos sempre atentos à ocorrência do vírus da tristeza do citros e de seu vetor em nossos pomares de laranja Pêra.

>> Leia mais:

Florada do citros: 3 manejos essenciais para garantir uma boa produção

E você, como vai a sua produção de laranja Pêra? Conte pra gente nos comentários mais detalhes sobre seus pomares!