Florada do citros: Irrigação, recomendação de  adubação mineral e foliar, controle de doenças e outras recomendações para a melhor produtividade do pomar!

A ocorrência de florescimentos fracos e de doenças nas flores é um problema comum em citros.

Assim como para outras frutíferas perenes, a florada é apenas o primeiro passo em direção a uma boa produção.

Por isso, precisamos estar atentos às condições ambientais, nutricionais e fitossanitárias de nosso pomar.

Confira a seguir como podemos fazer os melhores manejos para uma boa florada e, consequentemente, para uma boa produção!

Florada do citros: Fisiologia do florescimento do citros

Para entender o manejo, precisamos conhecer um pouco a respeito da fisiologia do florescimento.

As plantas cítricas quando cultivadas em clima subtropical apresentam de 2 a 5  fluxos de crescimento durante o ano.

O fluxo de primavera, que ocorre do final de julho a meados de setembro, após o repouso fisiológico, é o precursor da principal florada dos citros.

Já em regiões de clima tropical (mais quentes), o crescimento e o florescimento podem ocorrer durante todo o ano, desde que ocorra a indução.

O principal fator responsável pela indução do florescimento das plantas cítricas é o estresse hídrico.

Apesar de simples e belo, a florada do citros é um processo complexo, que envolve a ação conjunta de fatores endógenos e exógenos

O teor de carboidratos e de hormônios, assim como a temperatura média do ar e as relações hídricas e nutricionais, são alguns deles.

As perfumadas flores cítricas se formam em inflorescências, que são conjuntos de flores que podem ou não apresentar folhas.

Isso ocorre de acordo com as condições ambientais que a planta passa durante a época de indução.

Em grande parte das cultivares cítricas, é nas inflorescências com folhas que ocorre maior fixação das flores e, consequentemente, mais frutos.

Isso acontece graças a melhor condição endógena proporcionada pela folha, presença de carboidratos, hormônios, entre outros.

florada do citros

Esquema do tipos de inflorescências formadas nas plantas cítricas: inflorescências sem folhas (1 e 2); inflorescências com folhas (3 e 4) e ramo vegetativo sem flores (5).
(Adaptado de Yair Erner e Ilan Shomer, 1996).

Desenvolvimento floral

O desenvolvimento floral apresenta 7 estágios diferentes antes da fixação e desenvolvimento do fruto, como você pode ver na figura abaixo:

estágio floral do citros

Estágio de desenvolvimento floral dos citros. (R1) botões verdes cobertos pelas folhas; (R2) botões verdes cobertos pelas sépalas; (R3) botões brancos; (R4) botões brancos alongados ‘cotonete’; (R5) flores abertas; (R6) queda das pétalas (70% de queda) e (R7) frutificação ‘chumbinho’.
(Adaptado de Silva-Júnior et al., 2014)

De forma geral, esse é o processo da florada do citros.

Agora que entendemos e conhecemos a fisiologia, confira a seguir 3 manejos essenciais para não errar e aumentar a produção!

Florada do citros: 3 manejos essenciais para aumentar a produção

1. Irrigação

Como vimos, o estresse hídrico é essencial para a indução do florescimento das plantas cítricas.

Porém, as plantas cítricas demandam cerca de 900 mm a 1.200 mm de chuvas por ano, sendo este um fator limitante para a sua produção.

A produção de citros em regiões cujo déficit hídrico anual supere 300 mm, exige a instalação de um sistema de irrigação.

Muitas vezes nos prendemos muito à quantidade de chuva e nos esquecemos da distribuição delas ao longo do ano.

Períodos de déficit hídrico superiores a 2 meses podem reduzir drasticamente nossa produção.

Para atingirmos bons níveis produtivos, a demanda hídrica nos meses de verão pode chegar a até 4 mm/dia. No inverno, isso varia de 2 a 3 mm/dia.

Lembre-se: a demanda hídrica pode variar

Além dos aspectos ambientais, ela também é alterada pela copa/porta-enxerto usado, características do solo, espaçamento, idade da planta, sanidade, entre outros.

2. Adubação

O manejo da adubação dos citros é essencial para seu ciclo produtivo. E deve ser realizado sempre com base em análises de solo e folha. 

Normalmente, a adubação é realizada na época das águas (de setembro a março), englobando a pré-florada e o pós-florada. 

Esta é a época de maior demanda nutricional da planta, onde se concentra o crescimento vegetativo, florescimento e fixação de frutos.

Normalmente, o adubo deve ser aplicado em faixas de largura igual ao raio da copa da planta, sendo dois terços dentro e um terço fora da mesma.

O parcelamento é uma técnica comum e recomendada, podendo ser feito em duas ou três vezes no período chuvoso.

Confira na tabela que eu separei:

Época de aplicação e parcelamento de nitrogênio, fósforo e potássio em plantas cítricas de 2 ou mais anos.
(Adaptado de Embrapa Informação Tecnológica, 2005).

Os micronutrientes também são essenciais para o bom desenvolvimento das plantas e falarei deles mais à frente!

Nos últimos anos, as técnicas de fertirrigação e adubação foliar se destacaram como essenciais para a melhora da florada dos citros.

>> Leia mais: “Como fazer amostragem de solo com estes 3 métodos diferentes.

Adubação foliar para florada do citros

A adubação foliar na citricultura ganhou espaço devido à crescente produtividade dos pomares cítricos, buscando complementar a nutrição via solo. 

A técnica busca a manutenção ou correção dos níveis nutricionais das plantas, principalmente no que diz respeito aos micronutrientes.

Os principais micronutrientes aplicados via foliar são: manganês (Mn), molibdênio (Mo), zinco (Zn), cobre (Cu) e boro (B).

As adubações foliares devem ser realizadas nas épocas de fluxos de crescimento (primavera – verão), sempre nas horas mais amenas do dia.

Enquanto as brotações ainda são novas, sua cutícula ainda não está completamente desenvolvida e isso permite melhor absorção dos nutrientes.

Alguns macronutrientes também podem ser aplicados via foliar buscando melhorias na florada do citros. É o caso do nitrogênio (N) e do cálcio (Ca).

Mas, lembre-se: devido à elevada demanda dos macronutrientes, estes não devem ser restritos à adubação foliar.

Muitas vezes a adubação foliar é realizada em conjunto com defensivos agrícolas, desde que haja compatibilidade entre eles.

Fertirrigação

As principais vantagens desta técnica são a aplicação localizada e em solo molhado dos fertilizantes, via água de irrigação.

A projeção da copa engloba maior quantidade de raízes ativas, portanto, otimizamos a absorção de nossos fertilizantes.

Mas, como nem tudo são flores, para usarmos a fertirrigação precisamos que nosso pomar já possua sistema de irrigação instalado.

Além disso, precisamos que nossos fertilizantes estejam completamente solubilizados na água para que não ocorram entupimentos.

O uso dessa técnica exige monitoramento constante para que não aconteça salinização do solo, especialmente na região do bulbo de molhamento.

comportamento do bulbo

Comportamento do bulbo de molhamento em solo argiloso e arenoso.
(Fonte: Solo, planta e atmosfera: conceitos, processos e aplicações. Reichardt & Timm, 2004.)

3. Controle fitossanitário

As plantas cítricas apresentam uma grande quantidade de pragas e doenças que interferem em seu desenvolvimento – e durante a florada não é diferente.

As flores cítricas são alvo do fungo chamado Colletotrichum acutatum, causador da chamada podridão-floral ou “estrelinha”.

florada do citros

Flor saudável (1)  e flor atacada pelo fungo Colletotrichum acutatum (2)
(Fontes: (1) Marcelo Brossi Santoro e (2) Fundecitrus)

Esse fungo infecta flores e frutos jovens levando à queda das flores e, consequentemente, reduzindo a produção das plantas.

As fases R3, R4 e R5 vistas no decorrer do artigo são as mais críticas à infecção do fungo.

O controle deve ser realizado preventivamente no pré-florescimento, com fungicidas do grupo das estrobilurinas e triazóis. 

Mas atenção! Longos períodos de chuva favorecem infecção.

Florada do citros: Particularidade da florada da ponkan

A ponkan (Citrus reticulata) é uma das cultivares de tangerinas mais produzidas no Brasil e no mundo.

Sua maturação, no estado de São Paulo, é considerada de precoce à meia estação, ocorrendo nos meses de abril a junho.

Apesar de ser amplamente cultivada, as tangerinas ponkan apresentam uma particularidade a qual devemos nos manter atentos.

Embora a fisiologia básica seja a mesma, as tangerinas Ponkan podem apresentar a chamada alternância produtiva.

Isso acontece devido a um desbalanço entre as fases vegetativa e reprodutiva da planta, levando a prejuízos na produtividade e trazendo impacto sobre a qualidade dos frutos.

O principal responsável por esse desbalanço é o florescimento excessivo

Esse florescimento exagerado pode esgotar as reservas energéticas das plantas, levando a uma produção muito baixa ou até mesmo nula no ano seguinte.

Portanto, o uso de técnicas que redução da florada podem e devem ser aplicadas de forma preventiva ou corretiva.

As principais técnicas comercialmente utilizadas são o uso de reguladores de crescimento, poda e raleio químico ou manual.

Conclusão

Neste artigo, pudemos perceber que a florada dos citros pode ser afetada por diversos fatores: demanda hídrica, nutricional e aspectos sanitários.

Por isso, precisamos nos manter atentos, sempre alinhando as técnicas de manejo às necessidades fisiológicas e particularidade de nossas plantas.

Dessa forma, transformaremos uma bela florada numa bela produção!

>> Leia mais:
Como não errar na implantação do pomar de laranja valência
Tudo sobre o manejo da Laranja Hamlin

E você: qual manejo não abre mão na florada do citros? Conte pra gente nos comentários!