Laranja valência: Características da cultivar, espaçamento de plantio e outras recomendações para um plantio bem-sucedido.

A citricultura representa um setor importantíssimo para o país. O Brasil é responsável por 34% dos frutos e 50% do suco produzidos no mundo. 

A produção e a qualidade dos frutos depende de uma série de fatores relacionados a aspectos da planta (porta-enxerto e enxerto), clima, solo e práticas culturais.

Apesar dos elevados custos, caprichar na implantação do pomar já é meio caminho andado para o sucesso do plantio e da boa produção.

Confira a seguir um pouco mais sobre o comportamento das cultivares de copa e 5 dicas que vão te auxiliar na implantação do pomar de laranja valência.

Laranja valência, uma cultivar tardia

Grande parte das cultivares cítricas floresce na primavera. O intervalo de tempo entre o florescimento e a colheita é chamado ciclo de desenvolvimento e pode variar de 6 a 16 meses.

Essa variação no ciclo de desenvolvimento faz com que as cultivares apresentem distintas épocas de maturação. Isso nos permite classificá-las em 4 grupos

  • Cultivares de maturação precoce;
  • Maturação precoce a meia-estação
  • Maturação meia-estação;
  • Maturação tardia.

Junto com diversas outras cultivares, como a Hamlin e a Pêra-Rio, a laranja valência (Citrus sinensis L. Osbeck) faz parte do grupo das laranjas doces comuns. Isso significa que seus níveis de acidez variam de 0,9% a 1% quando maduras.

A valência é uma cultivar considerada de maturação tardia. Ou seja, seus frutos atingem a maturação entre os meses de setembro a janeiro

Em campo, a planta apresenta uma copa arredondada e um porte elevado. O fruto, como podemos observar na figura abaixo, apresenta um bom tamanho e formato elíptico. 


A casca é laranja-amarelada e a polpa de coloração laranja com alto teor de suco, podendo ser destinada para a indústria ou para mesa.

laranja valencia

Ilustração das principais cultivares de laranja comercializadas no Brasil 

(Fonte: Hortiescolha – Ceagesp) 

Dentro de nossa propriedade é interessante que haja diversificação de copas. Ou seja, cultivares com diferentes épocas de maturação, para garantirmos produção e rentabilidade durante todo o ano.

Veja abaixo uma tabela com sugestão da distribuição das diferentes variedades (em porcentagem) que podemos ter em nossa propriedade.

laranja valencia

Sugestão para plantio cultivares de diferentes épocas de maturação (em porcentagem)

(Fonte: Adaptado de Embrapa Informação Tecnológica, 2005).

A seguir, veremos um pouco mais sobre o plantio da laranja valência.

Como plantar laranja valência: 5 pontos que você deve considerar

Como o pomar de laranjeiras é perene, ou seja, permanecerá no campo por muitos anos, a instalação do pomar é uma fase crítica na definição da longevidade do plantio.

Portanto, separamos para você os 5 principais pontos que devemos focar durante o processo de instalação de nossos pomares!

1 – Clima

Aspectos relacionados ao clima, como quantidade e distribuição das chuvas e as temperaturas da região, devem ser estudadas antes de iniciarmos a implantação. Eles são fatores determinantes das áreas de cultivo.

A indução floral em plantas cítricas é estimulada por baixas temperaturas e pelo estresse hídrico proporcionado pelo inverno. Mas, as laranjeiras têm preferência por temperaturas amenas, de 23ºC a 32ºC, e um regime hídrico de 1.000 mm a 1.800 mm bem distribuídos durante o ano. 

Contudo, muitas vezes as exigências hídricas não são atendidas, sendo fundamental o uso de técnicas de manejo, como a irrigação.

Os efeitos da temperatura podem ser observados no desenvolvimento da planta e também na qualidade dos frutos.

Temperaturas mais baixas garantem coloração da casca e polpa mais acentuadas. Já regiões com maiores temperaturas produzem frutos com maiores teores de açúcares e menor acidez.

2 – Local para o pomar de laranja valência

O local está diretamente relacionado ao clima, mas também a outros aspectos importantes como distância do mercado; topografia (relevo); disponibilidade hídrica; e, principalmente, ao tipo de solo e ocorrência de pragas e doenças.

Antes do plantio, as principais características de solo que devemos nos atentar são a acidez e fertilidade. Elas devem ser corrigidas quando necessário, baseado na análise de solo

As laranjeiras se desenvolvem bem em solos pouco ácidos, com pH entre 5,5 e 6,5, e também com boa fertilidade. Portanto, adubação e calagem são essenciais.

Além disso, a textura do solo, bem como a profundidade do perfil e drenagem irão influenciar diretamente na escolha do porta-enxerto e manejo da adubação e irrigação.

As plantas cítricas preferem solos de textura areno-argilosa, profundos e com boa drenagem. Apesar disso, se adaptam a solos arenosos e argilosos. 

É importante evitar solos com problemas de drenagem ou impedimentos ao desenvolvimento radicular.

3 – Mudas

A muda cítrica é considerada a base da citricultura, sendo essencial sua garantia sanitária e fidelidade genética.

Neste sentido, os estados de São Paulo e Rio Grande do Sul foram pioneiros no estabelecimento de normas e procedimentos para produção de mudas cítricas, com monitoramento através da certificação dos viveiristas.

Para a certificação, as mudas devem ser livres dos agentes patogênicos do cancro cítrico, da clorose variegada do citros (CVC), da morte súbita do citros, da gomose e, mais recentemente, do HLB (greening).

Além disso, a garantia de fidelidade genética se mantém graças aos processos de certificação das plantas matrizes (borbulheiras).

laranja valencia

Produção de mudas de laranjeiras enxertadas produzidas em ambiente protegido

(Foto: Marcelo Brossi Santoro)

4 – Cultivares copa e porta-enxerto

Para escolhermos as cultivares copa devemos ter sempre em mente qual será nosso mercado consumidor: fruta fresca ou indústria.

Cada mercado tem sua exigência, mas, de forma geral, nossas cultivares copa devem apresentar boa produtividade e qualidade de fruto.

Já as cultivares porta-enxerto devem apresentar bom vigor, nível de tolerância ao estresse hídrico, adaptação ao solo e, principalmente, resistência a pragas e doenças.

Independente da copa e porta-enxerto escolhidos, é imprescindível que sejam compatíveis, para que as plantas sejam produtivas e perdurem em campo.

5 – Laranja valência: Aspectos técnicos 

A interação dos fatores anteriores será essencial para determinação do espaçamento, preparo e manejo do solo e cuidados pré e pós-plantio.

Para o cultivo de laranjeiras, o espaçamento pode variar de 7 m a 6 m entre linhas por 5 m a 3 m entre plantas, de acordo com as variedades escolhidas. 

Embora a tendência atual seja de adensamento dos pomares, na laranja valência, que apresenta um porte elevado, podemos optar por um espaçamento de 7 x 4 metros.

Uma vez que tudo esteja pronto, podemos realizar o plantio, preferencialmente na época das chuvas e em dias de pouca insolação.

Devemos realizar um corte no sistema radicular das mudas para remover enovelamentos e acertar a profundidade de plantio, mantendo o colo da planta pelo menos 5 cm acima do solo.

Os cuidados no pós-plantio são os mais diversos, desde desbrotas, controle de formigas, inspeções de pragas e doenças, controle de plantas daninhas à adubação e irrigação.

Conclusão

A instalação do pomar de laranja valência é crucial para o sucesso do plantio.

Neste artigo, listamos os 5 principais pontos que devemos nos atentar durante o planejamento.

Lembre-se que cada caso é um caso e, por isso, devemos analisar com cuidado cada situação para que tenhamos uma boa produtividade e frutos de qualidade!

>>Leia mais:

Florada do citros: 3 manejos essenciais para garantir uma boa produção

Tudo sobre o manejo da Laranja Hamlin

E você: qual a sua experiência com implantação de pomar de laranja valência? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário!