Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

análise microbiológica do solo

O que é e por que investir na análise microbiológica do solo?

- 22 de junho de 2021

Análise microbiológica do solo: entenda a importância dos indicadores microbiológicos e como eles te ajudam a garantir a qualidade do solo

Além das análises químicas e físicas, existe outra aliada para avaliar a qualidade do solo: a análise microbiológica. 

Ela permite detectar com antecedência alterações na qualidade do solo.

Quer descobrir se vale a pena inseri-la em seu planejamento?

Entenda melhor como funciona a análise microbiológica do solo e como utilizá-la em sua fazenda. Aproveite a leitura!

O que é a análise microbiológica do solo?

A MOS (Matéria Orgânica do Solo) é o principal componente e indicador de fertilidade do solo. Os microrganismos constituem a sua parte viva e mais ativa.

Qualquer alteração que afete a MOS também afetará os microrganismos presentes nela.

Com a análise microbiológica, é possível verificar precocemente alterações na comunidade microbiana do solo.

Os principais parâmetros avaliados nas análises microbiológicas são:

  • o carbono da biomassa microbiana;
  • a respiração basal;
  • o quociente metabólico;
  • a atividade das enzimas β-glucosidase, arilsulfatase e fosfatase ácida.

Essas análises são importantes para entender o comportamento da matéria orgânica do solo. Algumas vantagens são:

  • simples determinação analítica;
  • as análises são ligadas à ciclagem de nutrientes;
  • maior sensibilidade na detecção;
  • as análises não são influenciadas por adubos;
  • a amostragem é feita em pós-colheita;
  • baixo custo de análise;
  • reagentes baratos.

Veja as classes de interpretação de bioindicadores para Latossolos Vermelhos Argilosos de Cerrado, em cultivos anuais em plantio direto e convencional. 

tabela com valores referência que podem fornecer informações sobre os impactos de sistemas de manejo na qualidade do solo

Valores referência que podem fornecer informações sobre os impactos de sistemas de manejo na qualidade do solo
(Fonte: adaptado de Lopes et al. 2018)

Bioindicadores com valores baixos podem indicar um manejo do solo com práticas inadequadas. Valores elevados indicam que práticas adequadas estão sendo adotadas.

Esses valores são referências para te auxiliar a decidir qual sistema de manejo do solo será adotado na área de cultivo.

Como coletar as amostras para análise

Colete o solo com trado do tipo holandês, na profundidade de 0 – 10 cm

Faça isso após a colheita das culturas, coincidindo com a amostragem química do solo.

ilustração de como as amostras de solo devem ser coletadas na camada de zero a dez centímetros

As amostras de solo devem ser coletadas na camada de 0 – 10 cm
(Fonte: Laborsolo)

Para coletar as amostras no campo, utilize um pedaço de madeira (semelhante a uma régua). Ela deve ter uma marca no centro e duas marcas equidistantes para cada lado.

O importante é que a marca central seja no centro da linha de semeadura. As demais devem cobrir até a metade do espaçamento da entrelinha, como demonstrado abaixo.

ilustração de representação de coleta em cada ponto de amostragem

Representação de coleta em cada ponto de amostragem
(Fonte: Laborsolo)

Cada conjunto de amostras (linha e entrelinha) constitui um ponto de amostragem.

A quantidade de pontos amostrados dependerá do tamanho da área que você deseja avaliar. Porém, o ideal é coletar de 10 a 15 pontos.

Após a coleta de todos os pontos, o solo deve ser homogeneizado para formar uma amostra de aproximadamente 500 gramas.

Essa amostra deve ser acondicionada em saco plástico com identificação, mantida em refrigeração e encaminhada diretamente para o laboratório de análise de solo.

As coletas devem ser feitas em áreas homogêneas da propriedade, evitando períodos de estiagem para não prejudicar os resultados.

Por que investir na análise microbiológica do solo?

A maior vantagem da análise microbiológica do solo está em sua maior sensibilidade em detectar, com antecedência, alterações que ocorrem no solo em função do seu uso e manejo.

Para ilustrar, veja como as propriedades químicas do solo não permitiram diferenciar as áreas de cultivo:

tabela de como características químicas não permitem diferenciar as áreas de cultivo por tratamentos, soja/pousio e soja/braquiária.

Características químicas não permitem diferenciar as áreas de cultivo
(Fonte: Mendes et al. 2018)

Já com as análises microbiológicas de biomassa microbiana e atividade enzimática do solo, foi possível diferenciar as áreas de cultivo.

tabela com visão microbiológica do solo, além do excesso e falta de nutrientes

Visão microbiológica do solo, além do excesso e falta de nutrientes
(Fonte: Mendes et al. 2018)

Embora as duas áreas apresentem características químicas semelhantes, os atributos microbiológicos são completamente distintos.

O maior aporte de resíduos vegetais proporciona maior atividade microbiológica do solo. Isso eleva a sustentabilidade ambiental do sistema produtivo.

A inclusão desses bioindicadores nas análises permite um maior conhecimento sobre o funcionamento do solo.

Como construir um solo biologicamente ativo?

A construção de um solo biologicamente ativo envolve diversas práticas de manejo, como:

Sistemas de cultivo com maior aporte de resíduos vegetais proporcionam o aumento da atividade biológica do solo. 

Isso acontece devido à alta disponibilidade de carbono para o crescimento populacional dos microrganismos.

infográfico que mostra que o aporte de resíduos vegetais possibilita o aumento da atividade biológica que é o ponto inicial para melhoria de um solo

O aporte de resíduos vegetais possibilita o aumento da atividade biológica que é o ponto inicial para melhoria de um solo
(Fonte: Mendes et al. 2018)

Os atributos microbiológicos do solo estão relacionados à quantidade, qualidade e diversidade de resíduos vegetais depositados a longo prazo.

Desta forma, o aumento da atividade biológica do solo se torna possível, principalmente em sistemas integrados de produção.

curso de manejo de solo Aegro Educa, inscreva-se agora

Conclusão

A análise microbiológica é fundamental para detectar alterações na qualidade do solo em função do seu sistema de manejo.

Conservar o solo é usá-lo de forma sustentável. Respeitar suas características e aplicar técnicas de manejo que permitam preservar a sua qualidade é essencial.

Atente-se à qualidade microbiológica do solo. Assim, você poderá garantir o máximo potencial produtivo da sua lavoura. 

Qual tipo de análise você realiza em sua fazenda? Já realizou a análise microbiológica do solo? Adoraria ler seu comentário abaixo! 

Comentários

  1. Juliene disse:

    Muito bom!!!

  2. Excelente informação…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Banner de teste grátis do Aegro na cor verde com uma imagem no meio de uma máquina trabalhando no campo