Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

El Niño no Brasil: Entenda como esse fenômeno pode afetar sua lavoura e confira 5 dicas para garantir uma boa produtividade.

Excesso ou falta de chuvas, temperaturas acima da média… Esses são alguns dos reflexos provocados pelo El Niño no Brasil.

Esse fenômeno climático pode trazer prejuízos, sendo que em anos anteriores, com quebra de safra de soja na Bahia, milho no Piauí e cereais no Sul, só para citar alguns exemplos.

Mas apesar dos efeitos inevitáveis no clima, estratégias eficientes para conseguir manter uma boa produtividade e evitar prejuízos.

Por isso, neste texto vou explicar melhor o que é o El Niño no Brasil e seus impactos na agricultura.

Também mostramos dicas para enfrentar esse fenômeno e garantir bons resultados da lavoura. Confira a seguir.

El Niño: entenda o que é esse fenômeno

O El Niño é um fenômeno climático que causa aumento nas temperaturas da superfície do mar do Oceano Pacífico Tropical e enfraquecimento dos ventos alísios.

Com isso, há diminuição das águas mais frias que afloram próximo à costa oeste da América do Sul.

O que eu quero dizer, de forma prática, é que esse aquecimento pode alterar o regime de chuvas em muitas regiões. Isso impacta, consequentemente, a agricultura.

O último El Niño havia sido registrado em 2015/16. Mas, o de 1982 foi um dos piores, causando vastas mudanças na circulação atmosférica.

O Brasil sofreu com tempestades torrenciais e nos Estados Unidos houve tempestades ao longo da costa da Califórnia.

Além do El Niño, também pode ocorrer a La Niña. Neste caso, acontece o contrário: há resfriamento das águas do Pacífico Equatorial.

Há também os anos neutros – quando as águas do Pacífico estão com temperatura próxima ao normal, não ocorrendo nem resfriamento, nem aquecimento.

Desde o final de 2018, o Brasil está sob influência do El Niño, com intensidade considerada de fraca a moderada.

E a expectativa é de que esse fenômeno dure até maio/junho de 2019.

Porém, não existe regra para a ocorrência desses fenômenos.

O início do ano passado, por exemplo, foi influenciado pela La Niña. Aqui no blog nós falamos sobre como produzir a segunda safra de milho mesmo com a La Niña.

Tanto El Niño quanto La Niña podem ser classificados por intensidade: forte, moderado e fraco.

Para você ter uma ideia da diversidade desses fenômenos e da intensidade deles, separei um gráfico. Veja:

2-el-niño-no-brasil
(Fonte: GGWEATHER)

Efeitos do El Niño no Brasil

Como eu comentei acima, o fenômeno El Niño pode afetar a temperatura e a quantidade de chuvas em muitas regiões do mundo.

Normalmente, com o El Niño, as temperaturas ficam um pouco acima do normal no Brasil.

Assim, as altas temperaturas em algumas áreas do país neste início de 2019, como na região Sudeste, podem estar associadas a esse fenômeno.

De modo geral, na região Norte e na região Nordeste do Brasil podem ocorrer redução das precipitações.

No Sudeste costuma haver aumento das temperaturas. Na região Sul, as chuvas podem ser mais abundantes. Já no Centro-Oeste pode haver irregularidade das chuvas.

Veja o que acontece nas regiões brasileiras com o fenômeno El Niño, de acordo com o CPTEC/INPE.

3-el-niño-no-brasil

(Fonte: CPTEC/INPE)

Veja que esse fenômeno pode influenciar nas temperaturas e nas chuvas pelo mundo:

4-el-niño-no-brasil
5-el-niño-no-brasil

(Fonte: CPTEC/INPE)

Efeitos do El Niño na agricultura brasileira

Estima-se que  80% da variabilidade da produtividade agrícola dependa das condições climáticas.

Áreas com redução das chuvas podem desacelerar o desenvolvimento das culturas, ocorrendo queda da produtividade.

Já em regiões com aumento da precipitação pode haver  inundações nas culturas, o que também favorece a redução da produtividade.

Além disso, chuvas em excesso no momento da colheita podem diminuir a qualidade dos produtos e ainda inviabilizar o escoamento da safra.

Culturas anuais podem ser altamente afetadas por essas variações, como é o caso das lavouras de grãos.

Elas podem ser prejudicadas principalmente no momento do enchimento dos grãos.

As culturas perenes também podem ter redução na produtividade. Mas, como elas ficam por mais tempo no campo, há possibilidade de se recuperarem após essas variações. Porém, não esqueça de monitorar essas culturas também!

Para você entender melhor, veja algumas consequências do último El Niño na agricultura brasileira:

Impactos do último El Niño no Brasil

Nos estados do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), houve falta de chuva no início do plantio de soja. Isso reduziu a germinação das sementes e causou redução do stand das plântulas;

No MT houve irregularidade nas chuvas no início do plantio. Assim, em uma mesma região houve grandes perdas e em outras isso não ocorreu;

Na região Sul, a chuva abundante pode ter favorecido a produtividade dos grãos. Porém, o excesso de umidade pode ter desfavorecido outras culturas, como o arroz.

Não podemos esquecer que o El Niño também pode trazer benefícios, como aumento da umidade em várias localidades.

Isso favorece o plantio e o desenvolvimento das culturas – desde que o aumento das chuvas não seja em excesso.

6-el-niño-no-brasil


(Fonte: Somar Meteorologia)

Falta ou excesso de chuva causados pelo El Niño no Brasil: o que fazer?

Pesquisadores da Embrapa orientam sobre como proceder quando ocorre um destes dois problemas:

Excesso de chuva:

  • Realizar o preparo do solo para a semeadura – assim, quando as condições permitirem, o solo já estará preparado para realizar a semeadura;
  • Semeadura no início do período recomendado;
  • Não semear em solos encharcados;
  • Realizar rotação de culturas, pois alta umidade pode favorecer o desenvolvimento de doenças;
  • Utilizar cultivares resistentes a doenças que podem se desenvolver com alta umidade;
  • Realizar adubação nitrogenada e monitorar, pois, com excesso de chuva, o nitrogênio pode ser lixiviado;
  • Realizar a colheita quando o produto atinge umidade adequada, pois chuvas podem reduzir a qualidade do produto agrícola.
10-el-nino-no-brasil

(Fonte: Altech)

Falta de chuva:

  • Utilizar sistema de plantio direto. Este sistema pode favorecer a germinação das sementes pela umidade do solo por causa da palhada;
  • Utilizar cultivares mais resistentes ao estresse hídrico;
  • Utilizar cultivares com sistema radicular mais profundo;
  • Plantio mais profundo;
  • Utilizar irrigação quando possível e necessário;
  • Não utilizar uma população de plantas acima da recomendada.

E, claro, tanto nos casos de excesso como falta de chuva, você precisa monitorar as condições meteorológicas da sua região.

Outros efeitos do El Niño no Brasil e na agricultura

Não podemos esquecer que o clima está associado a algumas variáveis no campo, como a ocorrência de doenças nas plantas.

Como sempre digo: para uma doença se estabelecer na sua lavoura ela precisa do hospedeiro (planta), do patógeno (agente causal da doença) e do ambiente favorável. Isso é representado pelo triângulo da doença.

7-el-niño-no-brasil

Ter ambiente favorável está relacionado com temperatura e precipitação.

Assim, relacionando a ocorrência de doenças com o El Niño:

Excesso de chuvas na região pode favorecer para que as plantas fiquem por mais tempo com as folhas molhadas.

Isso pode ser a condição ideal para o desenvolvimento, por exemplo, de algum fungo que cause doença na planta. No entanto, condições de clima seco também podem interferir na ocorrência de doenças.

Pragas e plantas daninhas também são influenciadas por temperatura e chuva.

Por isso, é muito importante conhecer a sua cultura e as doenças, pragas e daninhas que podem estar associadas a ela. Além disso, é necessário realizar o monitoramento da sua lavoura.

Agora que conhecemos os efeitos causados pelo El Niño na agricultura, vou te dar 5 dicas para ter uma boa produtividade na sua lavoura!

5 Dicas para ter uma boa produtividade na lavoura mesmo com o El Niño no Brasil

1. Fique de olho nas condições meteorológicas e fenômenos climáticos na sua região

Como a agricultura é muito dependente das condições meteorológicas, você precisa estar de olho nas previsões para a sua região.

Isso é muito importante para o planejamento das suas atividades.

Para te auxiliar nesta atividade, você pode utilizar aplicativos de celular como CPTEC/Inpe, Agritempo, Tempo Agora, entre outros.

Você também precisa saber se há algum fenômeno como El Niño ou La Niña influenciando a temperatura e a precipitação em cada época do ano.

Além disso, conheça os efeitos que esses fenômenos causaram em sua região. Assim você pode se planejar baseando-se nos efeitos que foram causados.

8-el-niño-no-brasil

(Fonte: Aplicativo Agritempo)

2. Conheça bem sua propriedade e sua lavoura

Você precisa conhecer a sua propriedade, ou seja, saber qual o tipo de solo (análise de solo), qual o clima da região, entre outros.

Além disso, ter conhecimento a respeito das plantas que você cultiva ou irá cultivar é essencial.

Conheça o hábito de crescimento das plantas e quais as condições ideais para seu desenvolvimento. Conheça também as pragas, doenças e daninhas que podem afetar a sua lavoura.

el-niño-no-brasil
Com o Aegro você tem as observações de campo e monitoramento de pragas georreferenciado e muito mais fácil de visualizar

3. Realize um bom planejamento da sua atividade agrícola

O conhecimento dos itens 1 e 2 deste tópico te auxilia no planejamento das atividades agrícolas.

Esses conhecimentos são importantes para sua atividade e para obter lucro com sua lavoura.

Ter um planejamento e uma boa gestão agrícola é essencial. Para isso, você pode utilizar anotações, planilhas e até softwares.  Mas, não confie na memória para realizar seu planejamento.

Para te ajudar com isso, aqui você pode encontrar um comparativo entre planilhas agrícolas x software: o que é melhor para sua fazenda.

4. Anote ou registre suas atividades agrícolas

Você precisa registrar todas as atividades: custos, estoque, produção e outros dados da propriedade.

Isso te auxilia a calcular o custo de produção agrícola, ter o histórico da atividade agrícola, além de te auxiliar no planejamento da próxima safra.

fluxo de caixa Aegro

5. Monitore sua lavoura e a proteja dos efeitos do El Niño no Brasil

É importante realizar o monitoramento da lavoura, pois como já comentei, o El Niño pode causar efeitos que favorecem doenças, pragas e daninhas.

Caso necessário, realize o controle de pragas doenças e plantas daninhas na sua lavoura.

Veja como você pode facilitar seu monitoramento em: “Como estas 5 tecnologias mudam a forma de monitoramento da produção agrícola”.

Conclusão

Como você viu, o El Niño no Brasil provoca mudanças na temperatura e no regime de chuvas em diversas regiões.

E os efeitos desse fenômeno climático impactam a produção agrícola. Mas você pode conseguir uma boa produtividade, mesmo com influência do El Niño. Uma das dicas mais importantes é realizar o planejamento das suas atividades agrícolas.

Lembre-se que o planejamento é essencial para o lucro com sua empresa rural.

Então, não deixe que o El Niño cause efeitos negativos na sua propriedade!

>> Leia mais: Software rural no sucesso da lavoura: A história de um produtor de Mato Grosso

>> Leia mais: “Condições climáticas para safra 2019/20

Você já sentiu as interferências do El Ninõ no Brasil? O que tem feito para contornar falta ou excesso de chuva e manter a produtividade? Adoraria ver seu comentário abaixo!