Inoculante para milho silagem: vantagens da utilização, como aplicar e o que observar na hora de comprar.

Uma boa produção de silagem envolve três aspectos importantes: teor de matéria seca, de proteína bruta e teor de carboidratos.

E, apesar do milho ser considerado uma planta forrageira padrão, o processo de ensilamento pode ocasionar perdas acima de 20% na qualidade nutricional.

Com isso, o uso de inoculante para milho silagem pode se tornar uma alternativa interessante para o produtor. 

Saiba quando vale a pena usar esse aditivo e as dicas do que observar na hora de comprar o produto. Confira a seguir!

Qual o papel de um inoculante para milho silagem?

O inoculante é um aditivo à base de bactérias que auxilia no processo de fermentação da silagem, tornando esse processo mais rápido e eficiente.

Além disso, promove uma maior estabilidade da silagem após abertura do silo, podendo também atuar como agente antifúngico. 

Os inoculantes são preparados contendo estirpes bacterianas muito eficientes na fermentação láctica. Como exemplo podemos citar os lactobacillus buchneri, lactobacillus plantarum e enterococcus faecium.

Eles são responsáveis por aumentar as fermentações lácticas e provocar uma rápida acidificação do meio. Isso reduz as perdas e melhora a digestibilidade do milho silagem na alimentação do gado de leite.

A melhora da digestibilidade está associada à atuação dessas bactérias sob a celulose e a hemicelulose, o que aumenta a digestão da fibra no rúmen, garantindo mais energia

inoculante para milho silagem

Perdas no processo de silagem do milho podem passar de 20%, o que pode cair com uso de inoculantes
(Foto: Suino.com)

Inoculante para milho silagem: fases da ensilagem 

Já sabemos que silagem é uma maneira de conservação das forrageiras com o intuito de manter ao máximo o valor nutritivo verificado no momento da colheita.

Mas como ocorrem as fases da ensilagem?

1ª fase 

Enchimento até o fechamento do silo: ocorre picagem da planta inteira e posterior compactação.

Nesse momento ocorrerá a respiração até o esgotamento do oxigênio e modificação de estruturas devido às enzimas da planta. 

2ª fase

Início da fermentação: início da atividade dos micro-organismos, incluindo as bactérias produtoras de ácido láctico, o que conserva a silagem (pH até 4,5).

Nesta fase queremos que o pH caia mais rapidamente para diminuir a atividade de micro-organismos indesejáveis (clostrídios, clostrídios sacarolíticos e proteolíticos e coliformes fecais).

Desta maneira, utilizar inoculantes com bactérias eficientes formadoras de ácido láctico garante essa rápida queda e, portanto, maior qualidade da silagem

3ª fase

Fermentação: dizemos que chegamos no pH de estabilidade (menor que 4,5), onde temos predominantemente a atividade das bactérias lácticas. 

4ª fase

Abertura do silo: momento em que o material ensilado tem umas das faces em contato com o ar, facilitando a proliferação de fungos, leveduras e mofos. 

Por isso, a retirado do material ensilado deve ser feita como se estivesse cortando uma fatia de bolo perfeita com pelo menos 20 cm. 

Outra estratégia é a utilização de inoculantes para manter a estabilidade aeróbica da silagem, os quais contêm bactérias propiônicas. Por converter ácido lático em ácido propiônico, o qual tem propriedade fungistática, isso prolonga a qualidade da silagem.

Fases da ensilagem

Fases da ensilagem 
(Fonte: Kera Nutrição Animal)

Quais as vantagens de usar inoculante para milho silagem?

O maior benefício com a utilização de inoculante para milho silagem é a redução da perda de nutrientes do material ensilado. 

Além disso, há outras vantagens como:

  1. Redução rápida do pH, acelerando o processo de fermentação;
  2. Menores perdas de proteína e energia;
  3. Menos proliferação de fungos e leveduras;
  4. Redução na formação de gases e ácidos indesejáveis (amoniacal);
  5. Melhora na digestibilidade da fibra, consequentemente melhor conversão;
  6. Melhora da estabilidade aeróbia pós-abertura do silo. 

Mas é preciso lembrar que o inoculante não melhora a qualidade da ensilagem: ele é complementar. O processo deve ter sido feito com qualidade e utilizando forrageiras com alto teor nutritivo!

3 dicas para escolher um inoculante para milho silagem

Como já expliquei, a principal vantagem do inoculante é manter a qualidade da silagem.

Hoje, existem diversos inoculantes para milho silagem no mercado, mas como escolher o mais adequado?

A escolha deve ser baseada na sua realidade e de acordo com esses aspectos: 

  1. Esteja atento à concentração de células bacterianas. 
  2. Se a silagem contiver um teor muito alto de matéria seca, comprometendo a compactação, utilize inoculantes com atividade fungistática, além de bactérias produtoras de ácido láctico. 
  3. Observe se as cepas bacterianas são indicadas como boas produtoras de ácido nas condições normais de uma silagem (temperatura, umidade, pH, dentre outras).

Como inocular adequadamente sua silagem

Os inoculantes normalmente são pulverizados ou aspergidos no material ensilado, buscando sempre uma aplicação homogênea. Tal cuidado garante a qualidade da silagem

Para a aplicação, pode-se usar a bomba costal ou o aplicador com bomba dosadora acoplada à máquina de ensilar.

A bomba dosadora permite a aplicação mais uniforme usando em média 2 litros de calda por tonelada de silagem. 

É recomendada aplicação de, no mínimo, 106 ufc (unidade formadora de colônia)/g de forragem fresca no início do processo fermentativo.

Essa é a quantidade considerada mínima para que seja assegurada posição dominante do inoculante adicionado sobre as bactérias epifíticas já existentes.

inoculante para milho silagem

Milho é considerado forrageira padrão para ensilagem por apresentar condição favorável tanto para fermentação quanto em aspecto nutricional
(Foto: Revista Agropecuária)

E se a silagem estiver quente?

Se a silagem apresenta temperatura acima de 38℃, não é um bom sinal. Isso significa que fungos e leveduras estão oxidando seus nutrientes e convertendo em calor, gás carbônico e água. 

Mas o que provoca isso? 

Esse aumento de temperatura pode esta associado a erros no processo de fermentação, como é o caso de má compactação, e pode estar associado à abertura do silo, quando ocorre excesso de oxigenação.

E como isso tem relação com os inoculantes?

Bem, com uso de inoculantes bacterianos, as perdas no processo de ensilagem podem ser reduzidas a 13%. Isso representa 10 pontos percentuais a menos do que em condições de não utilização de inoculantes de silagem. 

Além das bactérias lácticas, alguns inoculantes têm bactérias que fazem a produção de ácido acético e propiônico que controlam a proliferação de fungos.

Conclusão

O uso de inoculante para milho silagem é complementar dentro do processo de ensilagem. Ele não é capaz de aumentar teores nutricionais da forrageira, mas conserva a qualidade do material ensilado. 

Com isso, além de minimizar perdas de proteína e energia, seu uso também diminui proliferação de fungos e leveduras na silagem.

Também discutimos as características que você deve considerar na hora de escolher o inoculante e como fazer a aplicação adequada.

Espero que, com essas dicas, você consiga garantir silagens de milho com alta qualidade!

>> Leia mais:
3 maneiras de lucrar mais com um software de gestão agrícola
Como Elivelton reduziu 40% do seu custo de manutenção de máquinas com aplicativo para agricultura

Você planeja usar inoculante para milho silagem? Restou alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe seu comentário abaixo!