O Blog da Logo da Aegro

inseticidas-naturais

6 Inseticidas naturais para você começar a usar na sua lavoura

- 10 de dezembro de 2018

Inseticidas naturais: O que são, como usar e quais são os principais produtos para seu manejo ser ainda melhor e menos custoso.

Muitas vezes o uso de inseticidas pode gerar um custo pesado no orçamento da safra.

Por isso, dentro do seu planejamento agrícola inclua novas estratégias de controle de insetos.

Não só os custos, mas também o manejo de pragas como um todo fica muito mais eficiente e o ambiente equilibrado com a diversificação nos métodos de controle.

Uma dessas opções de manejo são os inseticidas naturais. Aqui recomendo os principais produtos e orientações para seu manejo ser ainda melhor e menos custoso.

O que são inseticidas naturais? Eles realmente matam os insetos?

Inseticidas são os produtos ou meios que usamos para combater algum inseto praga.

Quando falamos dos defensivos agrícolas químicos, esses são classificados de acordo com a sua composição química. Você pode conferir essa classificação e outros detalhes sobre inseticidas neste artigo sobre os principais tipos de inseticidas para grãos.

Mas, além dos produtos químicos, há outras formas de fazer o controle dos insetos.

Os produtos biológicos de controle de insetos são exemplos disso e estão ganhando cada vez mais adeptos.

No controle biológico nós utilizamos como base os macro e microbiológicos para realizar o controle dos insetos pragas. E os principais são:

  • Microbianos;
  • Insetos predadores;
  • Parasitóides.

Com o aumento do número de resistências aos produtos químicos e novos insetos pragas surgindo, as pesquisas com controladores biológicos tem aumentado.

E acredito que o futuro teremos mais soluções biotecnológicas utilizando os recursos genéticos dos microrganismos, com o descobrimento e desenvolvendo produtos mais seletivos e assertivos com base nos microrganismos.

Mas o que chamamos de inseticidas naturais são produtos botânicos de compostos vegetais secundários ou outros subprodutos de origens orgânicas. Os principais são os de base vegetal como:

  • Piretrina;
  • Rotenona;
  • Nicotina;
  • Cevadinha e Veratridina;
  • Rianodina;
  • Quassinóides.
2-inseticidas-naturais

(Fonte: Toxicidade dos principais inseticidas botânicos)

A maioria dessas substâncias são derivadas de metabólitos secundários com propriedades inseticidas, fruto da própria evolução natural das plantas.

As vantagens estão na seletividade, prejudicando bem menos insetos benéficos, como os inimigos naturais.

Além das pragas: A importância dos inseticidas naturais para outros insetos

Pode até soar distante da realidade de uma grande lavoura falar de inimigos naturais de pragas agrícolas.

Mas não. Os inimigos naturais são em geral bem pequenos, menores que os insetos pragas, e existem em grande quantidades em todos os agroecossistemas.

São tanto nematoides como parasitoides, e à medida em que a safra vai se desenvolvendo o número desses insetos só aumenta.

É bom lembrar as principais leis naturais que regem todo o agroecossistema terrestre.

As plantas cultivadas servem de alimento para os herbívoros, os quais ocupam o segundo nível trófico,  e que por sua vez, servem de alimento para os organismos carnívoros, ocupantes do terceiro nível trófico.

Os carnívoros atuam como agentes reguladores das populações dos herbívoros, sendo esses os ‘inimigos naturais”.

3-inseticidas-naturais-cadeia-alimentar

(Fonte: Controle Biológico de Pragas: Princípios e Estratégias de Aplicação em Ecossistemas Agrícolas – Embrapa Agrobiologia)

Mesmo com a aplicação de muitos produtos químicos não seletivos, os inimigos naturais continuam a existir nas lavouras.

Porém, nem todos em quantidades adequadas para cumprirem seu papel de reguladores naturais.

Como por exemplo, a Cotesia flavipes é parasitóide que realiza o controle da broca da cana-de-açúcar.

Dentre os inimigos naturais, também consideremos os microrganismos. Cerca de 80% das doenças de insetos são causadas por fungos, e os principais gêneros são:

  • Aschersonia;
  • Aspergillus;
  • Beauveria;
  • Enthomophthora;
  • Erynia;
  • Hirsutella;
  • Metarhizium;
  • Nomurea;
  • Penicillium.

Assim, eles podem ser usados para o combate de diversas pragas.

A Beauveria bassiana, por exemplo,  tem realizado controle da broca do café (Cosmopolites sordidus) e broca do pedúnculo floral do coqueiro (Homalinotus coriaceus). Já o Baculovírus anticarsia apresenta controle eficiente das lagartas na soja.

4-inseticidas-naturais

(Fonte: Controle Biológico de Pragas: Princípios e Estratégias de Aplicação em Ecossistemas Agrícolas – Embrapa Agrobiologia)

5 Inseticidas naturais para começar a usar

Extrato de nim (Azadirachta indica)

O nim é uma árvore, nativa do continente indiano, muito resistente a seca.

O extrato de nim, tem origem na semente da árvore, e possui em sua composição mais de 30 compostos tóxicos, se destacando a azadiractina.

Sua atuação se dá principalmente retardando o desenvolvimento e repelindo insetos, sendo que nas fases da ecdise em insetos pode impedir ou interromper, causando a morte dos mesmos.

O óleo de nim é extraído por prensagem das sementes, das quais se obtém 47% de óleo com 10% de azadiractina.

Segundo Brechelt (2004) os produtos a base de nim não afetam animais de sangue quente, inclusive o homem, não se acumulam no meio ambiente, e tem pouco efeito sobre os organismos benéficos.

Veja abaixo os efeitos do óleo de Nim em insetos:

5-inseticidas-naturais

(Fonte: Brechet, 2004)

2. Extrato de Bougainvillea ou primavera (Bougainvillea spp.)

O extrato de primavera realiza um controle preventivo muito eficaz.

Sua principal atuação é sobre o tripes, inseto transmissor de viroses , pois este transmite o vírus causador da doença “Vira Cabeça” do tomateiro.

No tomate, o uso ocorre na emergência das mudas, em intervalos de 2 a 3 dias no desenvolvimento das plantas, até o início do florescimento das mesmas.

3. Extrato de Alho (Allium sativum)

O extrato possui uma composição rica em enxofre, que contribui para a repelência de insetos e, assim, controle de pragas.

Ao ser pulverizado sobre as plantas, o extrato do alho em litros de água, é absorvido pela planta, e seu odor natural “engana” os insetos pragas. Os principais controles são com lagarta das maçãs e pulgões.

4. Óleo de rícino e de citros

Outros inseticidas naturais que têm despertado interesses em mais pesquisas são o óleo de rícino e de citros que causam mortalidade em ninfas de moscas-brancas.

Também nessa linha, o extrato aquoso de cravo da índia, pó de café e de folhas de tomate repelem pulgões e outras pragas.

Esses produtos são de baixo custo e normalmente utilizados em horta orgânica, misturando-os até mesmo com sabão de coco, para combater as pragas.

No entanto, esses tipos de óleo mineral e outros extratos vêm sendo cada vez mais pesquisados para larga escala.

5. Cinamomo (Melia azedarach)

Utilizamos o extrato de folhas de cinamomo para o combate de algumas pragas agrícolas importante.

Estudos indicam, por exemplo, o controle eficiente da lagarta-mede-palmo, mosca-das-frutas, traça-das-crucíferas e outros.

6. Extrato pirolenhoso

O extrato pirolenhoso é um inseticida natural, o qual é um líquido resultante da condensação da fumaça, a partir da carbonização de madeiras.

Mesmo não sendo um produto direto de derivação botânica, sua fonte é orgânica. Este líquido pode conter mais de 200 tipos de compostos diferentes, predominando, porém, o ácido acético.

Sua principal forma de atuação é como repelente aos insetos pragas.

6-inseticidas-naturais

(Fonte: Pirolenhoso BR)

A defesa é o melhor ataque: Silício

Esse elemento será cada vez mais falado na agricultura. Plantas com suprimentos adequados deste elemento, possuem resistência e tolerância a insetos e doenças.

Isso ocorre devido a uma camada protetora formada sobre a epiderme da planta.

A sua ação sobre os insetos é o desgaste das mandíbulas e a atração de inimigos naturais. Veja abaixo o efeito do silício sobre insetos:

7-inseticidas-naturais

(Fonte: IPNI – Silício: Um elemento benéfico e importante para as plantas)

O silício é um elemento pouco móvel, absorvido na forma de ácido monossilícico, o que vem a contribuir na dinâmica dos elementos no solo.  

Por exemplo, na redução da fixação do fósforo, pois os dois elementos competem pelos mesmo sítios ativos, contribuindo também na saturação de bases do solo.

>> Leia mais: “Por que defensivos biológicos? Conheça mais sobre esses produtos e tire suas dúvidas

Conclusão

Quem não gosta de experimentar novas tecnologias eficazes, mais econômicas e sustentáveis?

Aqui trouxe alguns defensivos naturais que podem ser testados em conjunto com outros manejos de inseticidas nas suas lavouras.

Podem contribuir em economia e te auxiliar a ver outras formas de realizar controle contra pragas.

Os inclua em seu planejamento agrícola e orçamento e faça seu Manejo Integrado de Pragas de forma ainda mais eficiente.

>>Leia mais: “Agrotóxicos naturais: Manejo certeiro mesmo em grandes culturas
>>Leia mais: “O futuro de defensivos agrícolas: as novas tecnologias que veremos no campo
>>Leia mais: “Inseticida piretroide: Como fazer melhor uso dele”

Você já tinha ouvido falar de inseticidas naturais? Já usa algum na sua área? Restou alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

Comentários

  1. Flávio Barbosa da Silva disse:

    Boa tarde sou Flávio Engenheiro Agrônomo pela UFScar na linha da agricultura agroecológica que visa produzir alimentos saudáveis livres de agrotóxicos e o fortalecimento dos agroecossistemas explorando – os de maneira sustentável. Estou lendo os artigos parabéns pela disponibilidade dos materias em seu blog. Ganhou mais um seguidor.

    1. Olá Flávio! Que bela linha de pesquisa a seguir! Com certeza esse deverá ser o futuro da agricultura. Muito obrigada por nos acompanhar e fique à vontade para enviar suas dúvidas e sugestões. Forte abraço!

      1. Mariusa Divina de Jesus disse:

        Boa tarde!

        Sou paisagista, sonho em fazer controle natural de pragas e doenças em plantas ornamentais. Vi a reportagem e pensei que fosse encontrar receitas para preparar esses produtos.
        Por favor os 6 produtos – Extrato de nim; Extrato de Bougainvillea; Extrato de alho; Óleo de rícino e de citros; Cinamomo e Extrato lenhoso), mencionados na matéria, são fabricados por vocês e estão disponíveis para venda no mercado? Como faço para adquiri-los?

        Obrigada

        1. Raíssa Natasha Ciccheli disse:

          Olá, Mariusa
          Sou da comunicação da Aegro.
          Nossos artigos tem o intuito apenas de informar os produtores, não comercializamos os inseticidas. Para adquiri-los, recomendamos sempre a orientação de um(a) agrônomo(a) para que indique as aplicações necessárias.

          Obrigada por nos acompanhar,
          Abraço!

  2. Jairo Augusto Raizi disse:

    Bom dia…
    Que maravilha, precisamos buscar mais o controle nsturais, e sermos menos agrecivos com o meio ambiente e a vida, para alimentar o mundo com dignidada.
    Sou agricultor familiar e coord. Municipal de agricultura, trabalho com MIP, em minha lavoura e oriento os produtores nesta prática.

  3. jonas disse:

    O uso desses produtos inseticidas naturais na jardinagem, É nessessario um técnico nessa área ou agrônomo. para comprar ou receitar e acompanhar a aplicação do produto. Ter registro no CREA. ?

  4. Elson Ramos Junior disse:

    Sou iniciante na produçao de soja . Plantamos pequena área com a soja.
    Utilizamos a parafernália de venenos para proteger as plantas contra as chamadas
    “Pragas”. Eu gostaria de ter a assessoria de alguem que pudesse supervisionar
    nossos plantios sem termos que usar os tais “defensivos”.
    Sei perfeitamente que, utilizando venenos estamos indo contra a natureza.

    1. Raíssa Natasha Ciccheli disse:

      Olá, Elson
      Sou da comunicação da Aegro.
      Se a área for realmente pequena e couber um controle mais biológico, recomendamos o auxílio de um(a) agrônomo(a) em sua propriedade. Assim, essa pessoa responsável também saberá recomendar as boas práticas ao longo de todo o plantio.

      Obrigada por nos acompanhar,
      Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *