Inseticida natural: Conheça as opções que têm trazido melhores resultados e como fazer as aplicações na sua propriedade.

 

Cerca de 40% da produção agrícola no mundo é perdida devido ao ataque de pragas, segundo a FAO.

E as notícias sobre as falhas de controle com alguns inseticidas tradicionais já são conhecidas. Isso tem relação com pouco monitoramento, o que intensifica a pressão de seleção dos insetos.

Assim vemos que para otimizar o controle é válido incluir novas estratégias de manejo de insetos.

Neste artigo, compartilho informações sobre o uso de inseticidas naturais que, se bem posicionados, podem dar ótimos resultados. Confira a seguir!


 

Inseticida natural: Como defender minhas plantas

Os mecanismos naturais de defesas das plantas são eficientes: é como nosso sistema imunológico.

A fitopatologia confirma que a resistência é uma regra. A suscetibilidade é exceção.

Esses mecanismos de defesa contra qualquer patógeno e inseto são:

  • Defesa induzida direta: a defesa da planta acontece a partir de algum ataque de inseto.

Ocorre pela produção de compostos repelentes de herbívoros e substâncias químicas que inibem degradação das proteínas ingeridas pelos insetos (inibidores de proteases).

  • Defesa induzida indireta: a planta produz compostos voláteis que atraem inimigos naturais dos insetos.

E esses compostos voláteis são base de algumas formas de controles naturais contra insetos.

No entanto, a entomologia considera que as populações de insetos se multiplicam acima do normal e se transformam em pragas em condições excepcionais.

Além disso, segundo a lei da trofobiose, há forte relação de plantas mais suscetíveis ao ataque de pragas com quantidades maiores de aminoácidos.

Estes seriam os alimentos preferenciais dos insetos, e é o que ocorre nas lavouras atuais devido às práticas que temos hoje.

Mas, então, por onde começamos quando os ataques à lavoura ocorrem? Vou explicar melhor.

inseticida natural(Fonte: Mais Soja)

 

Manejo Integrado de Pragas

Não existe um inseticida milagroso para controlar os ataques de pragas. É a integração de diferentes táticas de controle que fará a diferença.

Portanto, adotar o MIP (Manejo Integrado de Pragas) pode reduzir 50% dos seus custos com defensivos agrícolas.

A base do MIP é o monitoramento constante para identificação da espécie que está atacando a lavoura.

Isso se realiza a partir de amostragem, registro e acompanhamento das populações de insetos-pragas e inimigos naturais presentes na cultura.

As orientações corretas de amostragem, além dos níveis de ação necessários, devem ser considerados na tomada de decisão para o MIP.

Lembre-se que um bom monitoramento deve apresentar a realidade de campo!

E faz diferença ter o histórico dessas informações no bolso. Além de facilitar o registro, isso permite ter informações acessíveis para agir na hora certa.

O Aegro permite que o monitoramento e o armadilhamento de pragas sejam feitos de forma fácil e com todos os dados seguros e fáceis de serem interpretados.

inseticida naturalAegro permite que você coloque o nível de controle por pragas, indicando o momento em que há risco de perdas econômicas na lavoura

 

A tecnologia é uma ferramenta importantíssima, mas precisa ser integrada a outras práticas.

Aqui no Lavoura10 nós explicamos os 8 fundamentos sobre Manejo Integrado de Pragas que você ainda não aprendeu”.

Agora que você já sabe mais sobre o MIP, vamos falar sobre inseticida natural para proteger suas plantas.

 

Inseticida natural: o que você precisa saber

Hoje existem diversas opções de produtos alternativos aos inseticidas químicos no mercado.

Há diferentes tipos: desde produtos à base de micro e macrorganismos até os que têm base de extratos vegetais, como os bioquímicos e semioquímicos (feromônios e aleloquímicos).

Quanto aos feromônios é importante ressaltar que mesmo sendo considerados por muitos um inseticida natural, já que de alguma maneira pode controlar a população de insetos por armadilhas, conceitualmente ele não se trata de um inseticida já que não mata as pragas.

Além disso, o mais comum é utilizar os feromônios sintéticos.

Já falamos sobre todos esses produtos aqui no blog em: “Como utilizar defensivos naturais e diminuir custos”.

Inseticida natural não é somente para a agricultura orgânica. O importante é superar preconceitos e conhecer mais opções, sejam químicas ou naturais. Afinal de contas, o objetivo final é o mesmo!

Os principais inseticidas naturais que eu recomendaria para que você teste em sua lavoura são:

Beauveria bassiana

É um fungo que parasita mais de 200 espécies de artrópodes como mosca branca, ácaros, incluindo carrapatos.

Através, do contato direto com o alvo, o fungo germina na superfície do inseto, penetrando no tegumento e colonizando-o internamente, liberando toxinas. Isso leva os insetos à morte.

inseticida naturalInsetos atacados pelo fungo ficam com aspecto chamado de “mumificação”, acima o exemplo de uma lagarta que sofreu o ataque
(Fonte:Kansas Bugs)

Metarhizium anisopliae

Também é um fungo. Neste caso, os esporos entram em contato com o inseto, penetram sua cutícula, colonizando os órgãos internos do hospedeiro, que para de se alimentar e morre.

Este processo ocorre entre 2 e 7 dias após a aplicação, dependendo das condições climáticas.

Pode ser usado no controle de cigarrinha das pastagens, mas também em larva alfinete ou coró na cultura do milho e outras.

inseticida natural
Cigarrinha das pastagens pode ser controlada com Metarhizium anisopliae
(Foto: Robson Paiva em Emater-RO)

 

Bacillus thuringiensis

Bactéria que auxilia principalmente no controle de lagartas ao ser ingerida pelo inseto.

É muito conhecida pelas culturas Bt, onde os genes que produzem as proteínas tóxicas às lagartas são incorporados às plantas de soja, algodão ou milho.

Também existe o bioinseticida à base de Bacillus thuringiensis. Mas não devemos utilizar culturas Bt e inseticidas também Bt, já que são dois métodos de controle com a mesma tecnologia.

Isso porque a pressão de seleção de indivíduos resistentes à tecnologia Bt aumentaria muito.

É um produto comercial registrado e de alta qualidade no mercado. A Embrapa inclusive tem promovido formações de capacitações para a produção “on farm” de qualidade.

Chromobacterium subtsugae

É uma bactéria que tem sido relatada para combater pragas como percevejo, mosca branca, pulgões e ácaros.

Através da produção de substâncias como a violaceína, polihidroxialcanoatos, cianeto de hidrogênio, antibióticos e quitinase.

Sua ação ocorre através da ingestão da mesma presente sobre as plantas.

Em pesquisa, houve até 78% de insetos emergidos no controle de caruncho do feijão (callosobruchus maculatus).

Feromônios

O uso de feromônios tem mostrado bons resultados para fazer o controle de pragas nas lavouras.

A Embrapa, por exemplo, conduziu pesquisa com produção de feromônio de percevejo macho em laboratório, usando-o em armadilhas para atração das fêmeas nas plantações de soja e arroz.

Os resultados foram tão bons que as armadilhas à base de feromônios estão patenteadas e à disposição no mercado pela empresa Isca.

Existem muitos outros tipos de feromônios, como para controle de traça na folha de tomate.

E outros como: Isaria fumosorosea (para mosca branca); Baculovirus spp. (para lagartas); e calda bordalesa (que pode ser pulverizada sobre as plantas, funcionando como repelente contra cigarrinha verde, cochonilhas, trips e pulgões).

inseticida natural
Armadilhas para teste de feromônio do percevejo da soja
(Fonte: Embrapa)

 

Conclusão

Quando o ataque de pragas se inicia, todo mundo quer conhecer todas as alternativas existentes para controle.

E os biopesticidas são uma opção. É uma tecnologia que atua mais a favor do meio ambiente e do bem-estar dos inimigos naturais.

Eles não servem só para sua horta orgânica, pelo contrário!

Vimos aqui que o inseticida natural tem tido cada vez mais resultados comprovados nas lavouras.

Por isso, inclua em seu planejamento agrícola novas estratégias de controle de pragas!

>>Leia mais: “7 pragas de armazenamento de grãos para você combater
>>Leia mais: “Inseticida piretroide: Como fazer o melhor uso dele”

Você já utilizou inseticida natural na sua lavoura? Quais foram os resultados? Compartilhe sua experiência conosco!