Pragas do Trigo: Conheça melhor as principais pragas da cultura desde o campo até o armazenamento. 

A cultura do trigo tem importância global devido à forte demanda na produção de alimentos, sendo uma matéria-prima base. 

É um dos cereais mais abundantes mundialmente, podendo ser produzido em regiões bastante distintas.

E como toda cultura agrícola, existem doenças e pragas que podem prejudicar a produção.

Mas você sabe quais são as principais pragas do trigo e como combatê-las? Vou te explicar a seguir.

Principais pragas da cultura de trigo 

Este cereal pode ser produzido em diversas condições climáticas, graças a pesquisas como as da Embrapa Trigo

Devido a esta distinção de regiões e climas em que os trigais se encontram, as pragas podem variar dependendo do local em que a cultura está sendo produzida.

Neste artigo, falaremos dos insetos-pragas que acometem a cultura de forma geral, desde a implantação no campo até o armazenamento, além das formas de controle de acordo com o Manejo Integrado de Pragas (MIP). 

Para facilitar nossa conversa, vamos dividi-las em pragas de campo e pragas de armazenamento.

Pragas do trigo: campo

Pulgões

Os pulgões do trigo são afídeos que causam danos diretos pela sucção da seiva, reduzindo o poder germinativo das sementes, o número de grãos por espiga, o tamanho e peso dos grãos. 

Mas mesmo quando não há população significativa para causar danos diretos, os pulgões causam danos indiretos sendo vetores de doenças, principalmente de espécies de Barley yellow dwarf virus (BYDV). 

As espécies pertencem à família Aphididae dentro da ordem Hemiptera, sendo que os pulgões mais frequentes na cultura são:

1. Pulgão-do-colmo-do-trigo – Rhopalosiphum padi

pragas do trigo

(Fonte: Defesa Vegetal)

2. Pulgão-da-folha-do-trigo – Metopolophium dirhodum 

Pulgão-da-folha-do-trigo

(Fonte: Defesa Vegetal)

3. Pulgão-da-espiga-do-trigo – Sitobion avenae 

 Pulgão-da-espiga-do-trigo

(Fonte: Defesa Vegetal)

4. Pulgão-verde-dos-cereais – Schizaphis graminum 

Pulgão-verde-dos-cereais

(Fonte: Defesa Vegetal)

Como controlar os pulgões?

Antes de decidir qual controle você deve fazer é recomendado realizar um monitoramento da área para a tomada de decisão.

Monitoramento e critérios para tomada de decisão no controle de pulgões em trigo
(Fonte: Informações Técnicas para Trigo e Triticale)

O controle biológico pode ser realizado para reduzir a população de pulgões que podem causar danos diretos com o uso de insetos parasitoides e predadores, como microhimenópteros e joaninhas.

Porém, devido aos danos indiretos causados pela transmissão de doenças, também existe a necessidade do uso do controle químico. 

Para isso, existem muitos produtos registrados no site do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), dentre eles piretroides e neonicotinoides.

Lagartas desfolhadoras

As lagartas desfolhadoras atacam desde plântulas até espigas na cultura tritícola e podem causar perdas significativas se não controladas. 

As três principais espécies que pertencem à família Noctuidae, ordem Lepidoptera, são: 

1. Lagarta-do-trigo – Pseudaletia adultera

pragas do trigo

Adulto (a) e lagarta de Pseudaletia adultera (b)
(Fonte: Agrolink)

2. Lagarta-do-trigo – Pseudaletia sequax

Lagarta-do-trigo

Adulto (a) e lagarta de Pseudaletia sequax (b)
(Fonte: Defesa Vegetal e Agrolink)

3. Lagarta-militar – Spodoptera frugiperda 

 Lagarta-militar

(Fonte: Agro Bayer Brasil)

Como controlar as lagartas desfolhadoras?

Para o controle das lagartas também é ideal que se faça monitoramento. 

Sendo assim, as amostragens devem ser semanais e é importante avaliar não somente as plantas, mas também o solo ao redor. 

Monitoramento e critérios para tomada de decisão no controle de lagartas em trigo
(Fonte: Informações Técnicas para Trigo e Triticale)

Para a lagarta-militar, o monitoramento deve ter início logo após a emergência das plantas e a tomada de decisão deve ser realizada com lagartas pequenas. 

Com o espigamento, deve-se intensificar o monitoramento para lagartas-do-trigo e ainda fazer observações da redução da folha bandeira. 

O controle biológico, tanto o natural como o aplicado, reduzirão efetivamente as lagartas desfolhadoras da lavoura. 

Caso seja necessário o uso de inseticidas, prefira aqueles específicos para as lagartas e que sejam registrados no Mapa. Além disso, devem ser seletivos aos inimigos naturais.

Percevejos

Os percevejos mais frequentes na cultura do trigo são do gênero Dichelops. Pertencem à família Pentatomidae, da ordem Hemiptera. 

Podem causar problemas no período do emborrachamento do trigo como desenvolvimento atrofiado, redução da altura da planta e má formação das espigas, deixando-as sem grãos ou com formação parcial. 

As espécies que ocorrem são Dichelops furcatus e Dichelops melacanthus, sendo conhecidos como percevejos-barriga-verde.

pragas do trigo

Dichelops furcatus (a) e Dichelops melacanthus (b)
(Fonte: Embrapa)

Como os insetos são bastante semelhantes, é recomendado que você saiba identificar cada espécie. Veja na tabela abaixo: 

Características fenológicas de adultos dos percevejos barriga-verde que permitem separar as duas espécies mais comuns
(Fonte: Embrapa Trigo)

Como controlar o percevejo-barriga-verde?

Para controlar os percevejos, você deve monitorá-los nos períodos vegetativos e reprodutivos. 

Monitoramento e critérios para tomada de decisão no controle de percevejos barriga-verde em trigo
(Fonte: Informações Técnicas para Trigo e Triticale)

Atualmente, o controle dos percevejos é basicamente realizado com uso de inseticidas. Mas reforço que existem insetos que atuam naturalmente parasitando ou predando estes percevejos.

Sempre opte por inseticidas que sejam específicos para o controle de percevejos, como os inseticidas sistêmicos. Evite inseticidas de amplo espectro.

Corós

Os corós são as pragas de solo que mais causam problemas ao triticultor. São insetos grandes que se alojam no solo a uma profundidade de cerca de 10 cm.

As infestações ocorrem em reboleiras e variam muito de um ano para o outro, devido ao ciclo reprodutivo das pragas, à mortalidade natural provocada por predadores e parasitoides e devido às condições climáticas. 

Atacam sementes, raízes e plântulas, podendo puxar as plantas para dentro do solo. 

As espécies mais comuns são:

1. Coró-das-pastagens – Diloboderus abderus

pragas do trigo

Adultos (A) e Larva (B)
(Fonte: Embrapa Trigo)

2. Coró-do-trigo – Phyllophaga triticophaga

Coró-do-trigo

Adulto (A) e Larva (B)
(Fonte: Embrapa Trigo)

Como controlar os corós?

Uma maneira de evitar surtos é saber o histórico da sua área. Esses insetos podem permanecer na área por um período maior do que o do próprio cultivo do trigo

O monitoramento deve ser realizado antes da semeadura.

Monitoramento e critérios para tomada de decisão no controle de corós em trigo
(Fonte: Informações Técnicas para Trigo e Triticale)

O controle cultural para os corós com aração e gradagem pode reduzir bastante a população. Porém, quando a realidade é plantio direto, esse método é incompatível.

O tratamento de sementes é o método mais indicado para controle destas pragas.

Pragas do trigo: armazenamento

Seria bem mais fácil se, após a colheita, o trigo estivesse totalmente seguro em um local de armazenamento. Mas não é bem isso que acontece!

Existem diversas pragas, primárias e secundárias, que atacam o trigo no armazenamento. 

Os insetos primários atacam diretamente os grãos sadios e os secundários atacam os grãos já danificados. 

Além dos danos diretos, causam danos indiretos por facilitarem a contaminação fúngica e presença de micotoxinas.

Podemos destacar insetos-praga da ordem Lepidoptera, das famílias Curculionidae e Bostrichidae. Os principais são:

1. Gorgulho-do-milho – Sitophilus zeamais

pragas do trigo

(Fonte: Termitek)

2. Gorgulho-do-arroz – Sitophilus oryzae

Gorgulho-do-arroz

(Fonte: Defesa Vegetal)

3. Besourinho-dos-cereais – Rhyzopertha dominica

Besourinho-dos-cereais

(Fonte: Defesa Vegetal)

Como controlar as pragas de armazenamento?

Neste caso, deve-se avaliar o histórico do ambiente em que se armazena o seu trigo. 

Você pode realizar medidas como:

  • Preventivas – armazenamento com teor de umidade abaixo de 13%, higienização e limpeza dos silos, eliminação de focos de infestação e pulverizações das instalações com inseticidas.
  • Monitoramento – o trigo deve ser monitorado durante todo o período em que permanecer armazenado. Deve-se amostrar as pragas e medir temperatura e umidade com frequência. 
  • Curativas – fazer expurgo dos grãos com produtos à base de fosfina, registrados pelo Mapa, e fazer vedação total.

Conclusão

A cultura do trigo tem importância mundial e pode ser cultivada em diversas regiões.

Porém, é uma cultura atacada por pragas desde o campo até o armazenamento.

Aqui você conheceu as principais pragas e como combatê-las de acordo com o MIP.

>> Leia Mais: “Tudo que você precisa saber sobre as plantas daninhas do trigo

Quais as pragas do trigo que mais acontecem em sua lavoura? Restou dúvidas? Deixe seu comentário abaixo!