Blog Aegro Logo
Blog da Aegro para negócios rurais
tipos-de-implementos-agricolas-capa

Tipos de implementos agrícolas: o que são e os 9 mais importantes

- 24 de agosto de 2018

Atualizado em 18 de maio de 2022.

Tipos de implementos agrícolas: saiba o que considerar ao escolher seus implementos, vantagens, tendências para o futuro e mais!

Os implementos agrícolas são equipamentos usados para atividades agrícolas, e são conectados a algum sistema de tração. Eles te ajudam nas tarefas do campo, aumentando a agilidade e eficiência das atividades.

Existe um grande número de implementos e conhecer todos eles é fundamental para fazer boas escolhas.

Neste artigo, você saberá mais sobre os 9 principais tipos de implementos agrícolas, seus usos e o que considerar para fazer uma boa escolha.  Confira!

O que é um implemento agrícola?

Implementos agrícolas são equipamentos acoplados a algum sistema de tração, como máquinas e tratores, para ajudar a executar uma atividade específica. Eles estão presentes em várias tarefas, desde o preparo do solo até o fim do ciclo da cultura

A principal diferença entre máquinas e implementos agrícolas é que um implemento agrícola não tem um sistema motriz, ou seja, não se move sozinho.  

Cada tipo de implemento exerce uma função bastante específica. É importante você ter os equipamentos corretos para o tipo de atividade que exerce na propriedade. Veja quais são os principais tipos de implementos agrícolas e seus usos.

9 tipos de implementos agrícolas mais usados

Existe uma grande variedade de equipamentos. Aqui, você verá os 9 implementos agrícolas mais usados e importantes para se ter na fazenda:

1. Arados

Os arados são implementos que atuam no preparo do solo e servem para arar e descompactar a terra para o cultivo das plantas. Sua atuação é na camada superficial da terra e sua principal função é propiciar melhores condições de:

Os arados podem ser de discos ou de aivecas. Ambos podem ser fixos ou reversíveis.

Os reversíveis podem movimentar o solo para a direita ou esquerda. Basta que o operador, ao manobrar o trator, coloque o implemento no sentido inverso.

Os reversíveis possibilitam melhores desempenhos operacionais nas manobras de cabeceira. A seguir, vamos explicar melhor dois tipos de arado: de discos e de aiveca.

Esquema que representa arados reversíveis e fixos, um dos principais tipos de implementos agrícolas

(Fonte: Mecanização Agrícola)

Arados de Discos

Os arados de discos são formados pelos discos, colunas e cubos. Eles são acoplados ao trator agrícola por meio dos três pontos.

Os discos podem ter números e tamanhos diferentes. Sua principal função é promover o corte, elevação e mobilização da leiva. A escolha correta consiste basicamente em avaliar o solo onde o implemento irá trabalhar.

Para solos arenosos, são indicados os discos lisos. Já para solos argilosos e com maiores quantidades de palhada, são indicados discos com bordas recortadas, pois possibilitam maior penetração.

Arados de aiveca

Os arados de aiveca têm uma superfície torcida que recebe o nome de “aiveca”. Essa superfície é responsável por elevar, torcer e inverter parcialmente a leiva cortada.

O arado de aiveca promove melhor incorporação dos restos culturais quando comparado com o de discos. Por isso, no caso de adubação de cobertura, esse arado pode ser mais indicado.

Além disso, ele não precisa de peso como o de discos para penetração no solo. Afinal, sua penetração é dada pela conformação de suas partes ativas. 

2. Subsolador

O subsolador atua na superfície e na subsuperfície do solo, desagregando as camadas compactadas. Devido ao intenso tráfego de máquinas pesadas nas lavouras, a compactação do solo nas camadas inferiores é comum.

É importante lembrar que passar o subsolador não resolve o problema de compactação do solo. Essa é uma medida paliativa. 

Existem no mercado diferentes tipos de subsoladores, mas todos atuam em uma camada superior a 30 cm de profundidade. Trata-se de um implemento robusto, que demanda grande força de tração.

A subsolagem é uma das operações de maior custo operacional. Isso acontece porque ela necessita de tratores potentes e grande consumo de combustível.

As hastes possuem diferentes calibrações, que devem ser ajustadas de acordo com a necessidade. O número de hastes, angulação e espaçamento entre as hastes também podem ser escolhidos.

No entanto, quanto maior o número de hastes, maior será o gasto energético do conjunto trator-implemento e mais cara será a operação.

custo operacional de máquinas

3. Grades aradoras e niveladoras

As grades aradoras intermediárias ou pesadas realizam em uma só operação a aração e a gradagem. O perfil do solo revolvido é superficial, cerca de 10 cm a 15 cm.

O solo preparado com esse tipo de implemento, especialmente quando úmido, apresenta descontinuidade entre o perfil preparado e o solo abaixo.

As consequências deste preparo são conhecidas como “pé de grade”. O pé de grade é uma camada com 5 cm ou mais de espessura endurecida ou compactada.

Os efeitos causados pelo pé de grade são:

  • Erosão laminar;
  • Dificuldade de crescimento das raízes das plantas;
  • Baixa capacidade de infiltração de água nos solos;
  • Prejudica a emergência das plantas.

O trabalho deve ser realizado com velocidades em torno de 5 km/h a 6 km/h.

Dentre os benefícios deste implemento, há:  incorporação de adubos orgânicos ou químicos, enterrio de sementes distribuídas a lanço e destorroamento.

Cada grade demandará  força de tração. De acordo com o tamanho dos discos, formato e peso, teremos diferentes profundidades de trabalho. As grades aradoras e niveladoras são os implementos de preparo de solo mais utilizados no Cerrado.

4. Sulcadores

Os sulcadores têm a função de abrir um sulco no solo, onde serão depositadas as sementes e os adubos. São normalmente usados em combinação com semeadoras ou semeadoras-adubadoras.

Normalmente,  os tipos de sulcadores são de disco, haste ou enxada:

  • Sulcadores de discos: podem ser de discos simples ou de discos duplos, e são os mais utilizados atualmente. São os mais presentes em semeadoras-adubadoras;
  • Sulcadores de haste (ou facão): são também bastante utilizados, principalmente em combinação com adubadoras. Eles rompem mais facilmente as camadas de solo e depositam o adubo em maiores profundidades.
  • Sulcadores de enxada: são mais recomendados para áreas mais limpas e sem restos de cultura ou troncos/tocos.

Em termos de gasto de combustível, os que menos demandam são os de disco, seguidos pelo de haste e de enxada. Essa é a mesma ordem para o embuchamento por restos vegetais. O de discos tem menor possibilidade de embuchamento.

5. Semeadoras-adubadoras

A função da semeadora-adubadora é depositar no sulco de plantio a semente e/ou o adubo. Esses implementos podem ser encontrados individualmente ou em conjunto.

Existem semeadoras-adubadoras com sistema de movimentação. Porém, o mais comum é  usar esses implementos acoplados ao trator.

As semeadoras podem ser específicas ou adaptáveis para diversos tipos de plantio. Por exemplo, existem:

Já as adubadoras podem estar em conjunto com as semeadoras no plantio, mas também atuar individualmente para adubação de cobertura.

As carretas esparramadoras ou distribuidoras também são implementos importantes na adubação e correção do solo

6. Pulverizadores

Os pulverizadores têm a função de aplicar produtos fitossanitários no campo, como fungicidas, inseticidas, herbicidas, dessecadores ou mesmo fertilizantes.

Os pulverizadores autopropelidos, com alta performance e que não permitem desacoplamento são cada vez mais comuns. Porém, pulverizadores tratorizados ainda são muito utilizados.

Esse é um dos tipos de implementos agrícolas mais importantes durante todo o ciclo da cultura. Eles podem ser usados para a proteção e controle de pragas, doenças e plantas daninhas. 

Os pulverizadores de barra são os mais comuns em acoplamento com tratores.

7. Enxada rotativa

A enxada rotativa atua sobretudo no preparo de solo. Ela é utilizada na eliminação de plantas daninhas, trituração e incorporação de fertilizantes, corretivos e restos culturais.

Esse implemento consiste em lâminas que giram em torno de um eixo horizontal.  A enxada rotativa causa revolvimento intenso da camada superficial do solo. Por isso, deve ser bem regulada, evitando assim a pulverização do solo.

8. Rolo-faca

O rolo-faca é um implemento bastante utilizado em sistemas de plantio direto. Sua principal função é derrubar, amassar e acamar as plantas de cobertura ou restos da cultura.

Essa atividade melhora a eficiência da cobertura do solo. Afinal, mantém grande parte da palhada na área de plantio, o que facilita a incorporação posterior ao solo.

9. Colhedeira de forragem

As colhedeiras de forragem são utilizadas, conforme o próprio nome, para colher forragem. A grande maioria é autopropelida. Porém, também existem as colhedeiras de acoplamento

Uma das vantagens de seu uso é a menor compactação do solo, uma vez que são muito mais leves que as autopropelidas. Também são mais econômicas em termos do gasto de combustível.

(Fonte: adaptação do autor)

Quando usar implementos agrícolas?

Alguns indicadores podem te mostrar a necessidade de implementos agrícolas. Esses indicadores são:

  • Baixa eficiência de atividades agrícolas;
  • Baixa escala produtiva;
  • Atividades e processos demorados;
  • Baixa flexibilidade do sistema de manejo em geral;
  • Extenuação e insatisfação de funcionários envolvidos em atividades no campo;
  • Baixa produtividade da cultura e do sistema em geral;
  • Perdas relacionadas a atrasos de atividades como preparo de solo, plantio, controle de doenças, pragas e plantas daninhas, colheita, etc.

Se uma ou mais dessas situações acontecem na sua fazenda, você provavelmente precisa avaliar e investir em implementos.

Banner de chamada para o download da planilha de depreciação de máquinas agrícolas

O que considerar para escolher seus implementos

Existe uma série de fatores que devem ser considerados ao decidir qual implemento adquirir. Abaixo, veja alguns deles:

Cultura

Alguns implementos são adaptados para sementes graúdas e miúdas. Porém, existem máquinas que são específicas para certas culturas

Por exemplo, propriedades com atividades relacionadas a grãos terão tipos de máquinas bastante diferentes de propriedades canavieiras ou cafeicultoras;

Dimensão da propriedade

Muitos implementos são separados de acordo com suas dimensões, como número de linhas, área de cobertura, etc. Considere a dimensão de sua área ao decidir a dimensão do implemento.

Sistemas de cultivo

Apesar da possibilidade de alteração, alguns implementos são específicos para manejos em plantio direto ou convencional. Por isso, é importante levar o sistema de plantio em conta antes de escolher um implemento.

Planejamento e capacidade de expansão

A escolha da dimensão dos implementos deve considerar não só o patamar atual da fazenda, mas a previsão de expansão nos anos seguintes.

Compatibilidade 

Verifique se o implemento a ser comprado é compatível com as características do sistema de tração a ser utilizado. Por exemplo, veja se a potência do trator é compatível com a requerida pelo implemento.

Custo-benefício 

Existem máquinas mais baratas que são capazes de efetuar com grande qualidade suas funções. Juntamente com os fatores anteriores, o custo deve ser avaliado e decidido de acordo com a capacidade de investimento.

Benefícios dos implementos agrícolas na fazenda

O uso de implementos pode trazer várias facilidades para o seu trabalho, como o aumento da eficiência das atividades agrícolas. Tarefas repetitivas e de alta intensidade tornam-se muito mais viáveis. Além disso, existem outras vantagens:

  • aumento da uniformidade da atividade;
  • diminuição da necessidade de mão de obra e supervisão humana;
  • diminuição dos riscos de acidentes e erros;
  • diminuição do tempo e aumento da eficiência da atividade;
  • diminuição da dependência do fator humano na execução;
  • aumento no controle do tempo de execução;
  • aumento na liberdade e planejamento do produtor ou mão de obra.

Futuro dos implementos agrícolas

Apesar de os implementos agrícolas já oferecerem grande agilidade para o seu trabalho, a tecnologia nessa área continua avançando. Veja algumas das tendências para o futuro dos implementos:

Inteligência artificial

A inteligência artificial é aplicada ao maquinário agrícola. Ela auxilia quem produz a planejar melhor seus trajetos e fazer operações mais otimizadas.

Esses avanços trazem melhorias ao manejo da lavoura, aumentando a eficiência do uso de implementos e diminuindo os custos de produção. Menores custos de combustível e menos tempo de execução de tarefas também são vantagens.

Sistemas de referenciamento e mapas

Os sistemas de referenciamento e mapas permitem que as atividades sejam feitas apenas em áreas necessitadas, e não em todo o campo. Por exemplo:

  • aplicação de defensivos por área, de acordo com a infestação da cultura;
  • uso do subsolador de acordo com a compactação de cada área de um talhão;
  • correção ou adubação diferencial baseada na análise de solo em áreas específicas;

Máquinas autônomas

Máquinas autônomas, com inteligência artificial, podem atuar no planejamento das melhores rotas ou na melhoria do trajeto

Isso é feito através de piloto automático agrícola. Como consequência, retrabalhos são evitados, há mais economia de recursos e mão de obra. 

Drones

Os drones agrícolas podem ser úteis no processo de monitoramento das atividades feitas pelos implementos. Com eles, você também pode identificar pontos que precisam de manejo na lavoura, como a presença de plantas daninhas.

A grande vantagem é que isso pode ser feito sem você precisar necessariamente ir até o campo.

Big Data

A  “Big Data” é a interpretação de uma grande quantidade de informações. Essas informações podem ser provenientes de dados coletados do campo, que te ajudam a tomar as melhores decisões antecipadamente.

Isso inclui o planejamento antecipado de atividades durante o ano. Consequentemente, isso torna as operações mais econômicas e assertivas.

Melhore a eficiência econômica e operacional do seu maquinário. Ao lado do texto, foto de uma colheitadeira em uma lavoura de trigo

Conclusão

A agricultura atual disponibiliza inúmeras máquinas e tipos de implementos agrícolas. Esses implementos devem ser selecionados e utilizados corretamente.

O uso correto diminui custos desnecessários com combustível e força de tração. Como consequência, os custos de produção ficam menores e você consegue lucrar mais..

Portanto, a escolha correta dos implementos é essencial para o sucesso nas operações. E lembre-se que nem sempre as maiores máquinas propiciam os maiores ganhos!

Que tipos de implementos agrícolas você usa na sua fazenda? Está de olho nas novidades que aparecem no mercado? Adoraria ver seu comentário abaixo.

Foto do redator João Paulo Pennacci

Atualizado em 18 de maio de 2022, por João Paulo Pennacchi.

João é engenheiro eletricista pela UNIFEI e engenheiro-agrônomo formado pela UFLA. Mestre e doutor em agronomia/fisiologia vegetal pela UFLA e PhD em ciências do ambiente pela Lancaster University.

Comentários

  1. Telison Rosa disse:

    Oi, Boa tarde!
    Gostaria de saber se existe um padrão nacional ou algum normativo ABNT que defina as especificações de Tratores e implementos agrícolas, ou se o Brasil é signatário de algum acordo internacional neste sentido.
    As máquinas e implementos fabricados na China, por exemplo, possui o mesmo padrão do Brasil. Ex.: Uma plantadeira fabricada no Brasil, possui encaixe em um trator chinês, ou vice-versa.

    Grato!

  2. GOSTEI DESSE DEMOSTRATIVO, TINHA ALGUMAS DUVIDAS MAIS AGORA POSSO TIRÁ-LAS. MUITO BOM!!!

    1. Luis disse:

      Obrigado José.

      Certamente existem uma infinidade de implementos agrícolas disponíveis no mercado e cada um possui função e característica próprias. Continue acompanhando o blog Lavoura10 que estamos sempre trazendo novidades a vocês!

      Grande abraço,

      Luis

  3. Sou professor de ensino técnico e esse material me ajudou muito e meus alunos

    1. Olá José Zorzi, fico muito contente que tenha te ajudado!

      Continue nos acompanhando que buscamos sempre trazer conteúdos relevantes para o agro.

      Grande abraço
      LUIS

  4. Paulo Matos disse:

    Bom dia. Não tem como compartilhar estas matérias nas redes sociais?

    1. Raíssa Natasha Ciccheli disse:

      Olá, Paulo
      Sou da comunicação da Aegro. Estamos implementando uma funcionalidade de compartilhamento direto nas redes sociais, mas por enquanto você pode copiar o link e adicionar em sua rede.
      Obrigada pelo comentário e continue nos acompanhando. Abraço!

  5. César da Silveira disse:

    Parabéns pela matéria muito esclarecedora gostaria de mais no solo arenoso do MT. Obrigando abraços fraternos

    1. Raíssa Natasha Ciccheli disse:

      Olá, César
      Sou da comunicação da Aegro.
      Temos um artigo sobre específico sobre solo arenoso, dê uma olhada: https://blog.aegro.com.br/solo-arenoso/
      Espero que possa te ajudar.
      Abraço!

  6. Carla Taine Barbosa Antunes disse:

    Sou aluna do curso Técnico em Agropecuária, os conteúdos ajudaram a sanar várias dúvidas.
    Obrigada !

  7. Rosa Boemo disse:

    Adorei a matéria,temos uma área pra plantio de arroz,bastante compactada,pensamos em adquirir um escalificador sete hastes, é o implemento correto a ser usado?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

KIT

Gestão de Máquinas Agrícolas

Receba e-book, planilhas e vídeos que vão te ajudar na gestão, controle e manutenção das máquinas