Agricultura de Precisão: Equipamentos mais utilizados, etapas e recomendações de como e quando usar, além das inovações tecnológicas.  

Com tecnologias de ponta para o setor e interligando toda a propriedade, a agricultura de precisão (AP) é uma abordagem que envolve uma integração de técnicas agrícolas. 

Buscando minimizar perdas, na AP são utilizados métodos inovadores desde a amostragem de solo e de plantas até para os silos de grãos e os armazéns. 

Mas com tantas novidades para AP no mercado, quais são essenciais na lavoura? 

Aproveite este artigo para ficar por dentro das inovações e dos principais equipamentos para implementar a agricultura de precisão na sua produção rural. Confira!

Para que serve a agricultura de precisão? 

A agricultura de precisão trata nosso ambiente de uma forma desuniforme, o que é mais condizente com a realidade.

E, tratando o ambiente com suas diferenças na qualidade do solo, fertilidade, temperatura do ar, umidade e velocidade dos ventos, podemos proporcionar o manejo necessário para a lavoura atingir todo seu potencial.

mapa de produtividade desuniformidade

Exemplo de mapa de produtividade ilustrando a desuniformidade na produção
(Fonte: Arquivo pessoal do autor)

Utilizando os insumos e manejando o local correto de acordo com sua desuniformidade, conseguimos ir para uma situação mais uniforme.

mapa de produtividade uniformidade

Exemplo de mapa de produtividade ilustrando a maior uniformidade na produção
(Fonte: Arquivo pessoal do autor)

Tudo isso, usando menos insumos nas áreas com menor necessidade e investindo estrategicamente nas áreas com maior prioridade, uniformizando a lavoura.

As vantagens da AP são inúmeras:

  • Diminuição no uso de fitossanitários;
  • Diminuição no uso de adubos;
  • Aplicação de insumos no momento correto;
  • Menores perdas na colheita, etc. 

Agricultura de Precisão: Equipamentos essenciais nas fazendas 

Há alguns anos, os principais instrumentos utilizados na Agricultura de Precisão eram os sensores de produtividade em tempo real das colhedoras.

Em seguida vieram os aplicadores de insumo a taxas variáveis.

As colhedoras com sensores de produtividade em tempo real são, de longe, a tecnologia mais adotada atualmente. Elas já estão presentes na maior parte das fazendas de grande porte do nosso país!

agricultura de precisão equipamentos

Agricultura de precisão: equipamentos como console de colhedora com sensor de produtividade e variabilidade espacial já é realidade no campo
(Fonte: Farmers Weekly)

Já os aplicadores de fitossanitários e adubos a taxas variáveis são equipamentos com uso ainda em crescimento no Brasil.

E, mais recentemente, vieram as semeadoras que ajustam a taxa de semeadura para adequar à população de plantas. 

Culturas como o milho, por exemplo, podem ter um incremento expressivo da produtividade com o aumento da população em locais com alta fertilidade.

Já a soja funciona ao contrário: altas populações em solos com alta fertilidade podem levar ao acamamento de plantas. 

Então, nesse caso, a semeadora pode aumentar a população em áreas de baixa fertilidade visando maximizar o lucro daquela área.

Mesmo que os aplicadores a taxas variáveis ainda sejam pouco usados por aqui, são eles que propiciam, na prática, reduções nos usos de insumos na propriedade.

Porcentagem e tempo de uso, mapas, imagens aéreas e equipamentos presentes nas propriedades AP

Porcentagem e tempo de uso, mapas, imagens aéreas e equipamentos presentes nas propriedades que adotam AP
(Fonte: Senar)

Esses aparelhos, aliados às tecnologias de georreferenciamento, mapas de produtividade e fertilidade – e ao já bastante usado piloto automático – conseguem distribuir os insumos em maior ou menor quantidade dependendo da programação.

Mas, nos últimos anos, a chegada dos drones agrícolas e sensores cada vez mais precisos fizeram uma nova revolução na própria AP.

Sensores que indicam como a planta está nutricionalmente, além do acúmulo de biomassa e qualidade do solo, foram acoplados aos drones na agricultura de precisão.

Isso fez com que essas informações pudessem ser geradas com mais rapidez e frequência, facilitando a tomada de decisão na lavoura.

Etapas da agricultura de precisão

A agricultura de precisão se baseia essencialmente em um ciclo de três etapas: 

  • Levantamento de dados
  • Interpretação desses dados; 
  • Medidas de manejo adotadas com base nos dados levantados.

Para cada uma das etapas existem equipamentos para auxiliar o produtor, desde o levantamento dos dados até o manejo propriamente dito.

O levantamento de dados pode ser feito manualmente ou através de sensores, que têm a capacidade de adquirir um volume maior de dados, aumentando sua precisão.

Já a interpretação desses dados é feita pelo produtor rural ou por técnicos capacitados com o auxílio de programas ou softwares de gestão. 

aegro

Esses programas, ligados aos sensores, são capazes de transformar a informação gerada em mapas e gráficos que vão embasar a tomada de decisões na propriedade.  

E, ao final do ciclo, temos os aparelhos que são instalados aos implementos para, de fato, realizar as mudanças de manejo planejadas na fase de interpretação dos dados coletados.

Na agricultura de precisão, os equipamentos permitem o uso de taxa variável na semeadura, adubação de base/cobertura e uso dos produtos fitossanitários

Eles auxiliam também na precisão do plantio, com ajustes automáticos de espaçamento e velocidade da semeadura.

>> Leia mais: “Software para Agricultura de Precisão: O guia definitivo para escolher um

Kit para Agricultura de Precisão: Equipamentos  essenciais para começar

O essencial para iniciar a Agricultura de Precisão em áreas de grandes culturas é ter uma boa administração do faturamento e gastos da propriedade.

Isso é primordial para reconhecer se o investimento em AP pode gerar retorno favorável.

Constatada a viabilidade, vale investir em equipamentos básicos que cumpram cada uma das etapas que descrevemos anteriormente!

No caso do levantamento de dados, os sensores das colhedoras para gerar mapas de produtividade são o principal equipamento.

Seguido pelas análises de solo em grade e georreferenciadas que são essenciais para se sobreporem aos mapas de produtividade, indicando como a lavoura está performando em cada situação de solo.

Sensores das colhedoras

Sensores das colhedoras estão cada vez mais sofisticados, auxiliando mais a rotina do campo
(Fonte: Agronegócio Interior)

Já existem também alguns sensores fixos com baixo custo que podem ser deixados no campo gerando esses dados. 

Também existem formas indiretas de levantar essas informações, como no caso de equipamentos que medem a condutividade elétrica do solo e a relaciona às características físicas e químicas desse solo.

Após levantar os dados e interpretá-los junto a um técnico, é necessário aplicar as medidas de manejo diferenciadas.

Para isso, aplicadores de taxa variável são essenciais, pois são eles que colocam tudo em prática.

Como já vimos aqui, eles podem ser os aplicadores de adubo ou de semente à taxa variável ou sensores que leem, ao mesmo tempo, imagens do solo e aplicam herbicidas de acordo com a quantidade de plantas daninhas.

Novidades de mercado e o futuro do agro

O mercado da Agricultura de Precisão foi revolucionado pela ascensão dos drones, barra de luzes, sensores e algoritmos, por meio da “internet das coisas”.

A popularização dos drones na agricultura possibilitou que sensores avançados fossem capazes de analisar as lavouras em um tempo mais curto.

drones agricultura de precisão equipamentos

(Fonte: DJI)

Isso melhorou o entendimento das informações sobre o que os sistemas de produção dão em resposta aos diferentes manejos adotados, que podem variar.

Por sua vez, os sensores são capazes de levantar essa quantidade de dados de forma rápida graças aos algoritmos e à inteligência artificial, permitindo a relação de dados antes sem relevância com índices de qualidade das lavouras.

Já a “internet das coisas” promete interligar todos os equipamentos e máquinas das propriedades, formando uma rede que levanta, interpreta e define o manejo, tudo na tela do proprietário.   

banner do curso de NDVI na agricultura da Aegro

Conclusão 

As inovações não param, por isso que a agricultura de precisão tende a melhorar cada vez mais o agro e a rotina do produtor rural com a implementação dessas tecnologias no campo. 

Neste artigo, vimos os equipamentos essenciais para a agricultura de precisão na fazenda, as etapas de utilização e as novidades de mercado.  

Essas novas tecnologias prometem deixar a lavoura mais eficiente, incrementando a produção de alimentos diante de um cenário de aumento da população mundial e da escassez de comida. 

E ainda mais, aumentando a rentabilidade das fazendas ao minimizar desperdícios. 

Se na agricultura de precisão equipamentos de ponta fazem a diferença, quais você já utiliza? Gostaria de saber mais sobre AP? Deixe a sua dúvida nos comentários abaixo.