Qualidade da fibra do algodão: entenda quais são as características desejadas e quais as práticas de manejo podem influenciar.

Na cadeia produtiva do algodão, uma das exigências do mercado é a boa qualidade da fibra buscada pelas indústrias têxteis.

E o custo dessa fibra pode representar entre 40% e 60% do custo do fio. Por isso, entender mais sobre essas características e como elas estão ligadas à qualidade é essencial para você tomar algumas decisões importantes na sua lavoura.

Neste artigo, você vai entender quais fatores podem impactar na qualidade da fibra e os manejos mais recomendados para ter uma produção mais rentável na hora da venda. Confira!

Características intrínsecas e extrínsecas da fibra de algodão

A qualidade da fibra do algodão é determinada por um conjunto de características, divididas em intrínsecas e extrínsecas.

As características intrínsecas da fibra estão relacionadas a alguns parâmetros como:

  • comprimento (comprimento comercial, uniformidade e fibras curtas);
  • resistência;
  • índice micronaire (componentes de finura e maturidade);
  • cor (com brilho ou amarelo). 

Já as características extrínsecas da fibra fazem referências a:

  • regularidade da massa de fibra (preparação);
  • teor de neps (presença ou não de nós de fibra imatura e fragmentos de casca dos caroços);
  • presença ou não de contaminantes vegetais. 
tabela com as características intrínsecas e extrínsecas da fibra de algodão

(Fonte: Esalq/USP)

Qualidade exigida pelo mercado da fibra do algodão

No Brasil, as empresas de fiação demandam principalmente os tipos de fibras médios 5/6, 6/0 e 6/7. 

As principais características tecnológicas da fibra de algodão avaliadas para determinar a qualidade do produto e seu valor econômico no mercado são:

  • índice de fibras curtas;
  • comprimento;
  • uniformidade do comprimento;
  • resistência;
  • micronaire.

Para empresas que utilizam o fio de alta qualidade, o primeiro critério na hora da compra é a qualidade das características intrínsecas

Já para as empresas que utilizam o fio médio ou grosso, o principal critério é o preço. 

Para o mercado externo a busca é por:

  • abundante oferta de algodão;
  • tipos superiores;
  • características intrínsecas de alto nível.

Em relação a essas características desejáveis pelo mercado externo, o algodão brasileiro possui boas características intrínsecas.

Porém, em relação ao tipo, ainda há limitações devido à presença de contaminação de matérias estranhas como folhas, fragmentos de cascas e fibras de madeira.

Portanto, é preciso aliar as práticas culturais e industriais, aprimorando os componentes que formam o tipo da fibra e preservando as qualidades intrínsecas. 

Por isso, vamos ver agora um pouco mais sobre essas características e manejos que podem ser realizados.

Comprimento da fibra (POL ou UHML)

O comprimento da fibra é umas das características que mais interferem na qualidade. O valor mínimo de comprimento de fibra exigido pela indústria é de 28 mm. 

Esse valor pode ser menor dependendo da cultivar e das condições adversas como a falta de água durante o período de 25 a 30 dias após a fecundação das flores, pois reduz o crescimento da fibra.

Índice micronaire (MIC)

Este índice mede o diâmetro da fibra e deve estar com valores entre 3,8 e 4,5.

Ele também serve como medição indireta da combinação da maturidade da fibra (espessura) e a finura (diâmetro externo). 

A variedade determina o diâmetro externo da fibra, sendo definido de 3 a 5 dias após a floração. 

Algumas condições adversas no final do ciclo do algodão podem influenciar negativamente o índice MIC, como ataque de doenças e pragas, temperaturas baixas e falta de água.

tabela com classificação da fibra do algodão

Classificação da fibra do algodão
(Fonte: Geagra)

Maturidade da fibra (MAT)

A maturidade da fibra é a porcentagem de desenvolvimento da parede secundária da fibra. O valor deste índice deve ser superior a 0,86.

Como é um índice que mede o desenvolvimento da parede secundária, qualquer fator que interfira na celulose afetará a espessura da fibra.

A ocorrência de pragas e doenças, além de temperaturas baixas, afeta o transporte de carboidratos para conversão à celulose e, portanto, reduz a espessura da fibra. 

Resistência da fibra (STR)

A resistência da fibra do algodão é a capacidade que a fibra tem de suportar uma carga até se romper.  É uma característica que depende, em parte, da resistência do fio. Este índice deve ser maior que 28 g/tex.

Alguns fatores influenciam neste índice como:

  • cultivar;
  • seca;
  • encharcamento;
  • baixas temperaturas;
  • falta de luminosidade;
  • época de semeadura;
  • nutrição mineral;
  • população de plantas.

Uniformidade de comprimento (UI)

A uniformidade de comprimento é a relação entre o comprimento médio das fibras totais, expresso em %. Este índice representa a homogeneidade do comprimento das fibras do fardo.

A UI é uma consequência da qualidade.

Índice de fibras curtas (SF)

O índice de fibras curtas expressa a porcentagem de fibras curtas, sendo que este valor deve ser inferior a 10%. 

tabela com Índice de fibras curtas (SF) por parâmetro, instrumento, unidade e título do fio

(Fonte: Esalq/USP)

Fatores que impactam na qualidade da fibra do algodão

As cultivares de algodão possuem uma qualidade de fibra que é específica da cultivar. 

Quando a colocamos no campo, as características da qualidade da fibra vão depender dos manejos adotados.

Dentre os fatores determinantes para a qualidade da fibra (pluma) estão:

Controle de plantas daninhas e a qualidade da fibra do algodão

Entre os exemplos acima citados, a presença de plantas daninhas no final do ciclo do algodão pode causar a depreciação da matéria-prima.

Isso porque, diretamente, as plantas daninhas competem com o algodão pelos recursos do meio como água, luz e nutrientes, o que, consequentemente, leva à redução na produtividade.

Já indiretamente, as plantas daninhas no final do ciclo do algodão causam a contaminação por impurezas, pois algumas sementes podem ficar aderidas à pluma, além de atrapalhar a colheita.

Planilha algodão Aegro

Assim, dentre alguns manejos adotados no algodão para reduzir o efeito negativo das plantas daninhas sobre a qualidade da fibra são as aplicações tardias de herbicidas feitas em pós-emergência dirigida às entrelinhas da cultura (jato dirigido).

Algumas plantas daninhas que são prejudiciais no final do ciclo do algodão porque são facilmente aderidas à pluma são:

Beneficiamento do algodão e a qualidade da fibra

Durante o beneficiamento, alguns parâmetros podem ser afetados pelo descaroçamento como: comprimento, resistência e contaminantes.

O objetivo do descaroçamento é a separação entre fibra e caroço do algodão, sendo a primeira etapa do processamento.

Portanto, é uma etapa que precisa ser adaptada de acordo com as características do algodão que será tratado, dos mercados, das características do lote (matéria estranha e umidade) e das condições ambientais.

Por exemplo, a umidade do algodão em caroço é o principal fator no armazenamento, e tem grande influência sobre a qualidade da fibra e do caroço.

Uma secagem muito elevada leva à perda de tenacidade, redução do comprimento e amarelamento da fibra. 

Como durante a colheita a umidade é baixa, a técnica de umedecer o algodão em caroço é importante para a preservação da fibra. Isso também acontece depois de uma secagem excessiva.

O umedecimento restitui a umidade da fibra, assim, ela consegue suportar melhor as agressões mecânicas do descaroçador e limpador. 

Quando o algodão chega no descaroçador, o intervalo de umidade na fibra deve ser entre 6,5% e 8%, pois isso ajudará a garantir a qualidade. 

Como a genética interfere na qualidade?

A interação entre a genética e o ambiente vai influenciar na produtividade e na qualidade do algodão.

Alguns manejos podem ser adotados com o foco em produtividade e qualidade de fibra, dentre eles estão:

  • escolha de cultivar adequada para a região;
  • época de plantio adequada;
  • manejo de fertilidade do solo;
  • uso de regulador de crescimento;
  • aplicar desfolhante antes do início da colheita (evita que restos culturais fiquem presos à fibra).

Como você pode ver, algumas decisões são muito importantes e vão influenciar na qualidade da fibra.

Conclusão

Neste texto você viu quais são os índices utilizados para medir a qualidade da fibra do algodão.

Também aprendeu que alguns manejos podem interferir nestas características e reduzir a qualidade da fibra, o que reduz o preço pago pelo produto.

Agora que você já entendeu melhor sobre este assunto, que tal colocar em prática na sua lavoura?

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre a qualidade da fibra do algodão? Adoraria ver o seu comentário abaixo!