Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Colheita de soja: veja dicas desde o plantio até a regulagem da colhedora para evitar perdas desnecessárias e garantir a sua produção

Com uma produção projetada em 122 milhões de toneladas de soja na safra 2018/19, o Brasil se configura como o 2° maior produtor mundial.

Apesar da preocupação estar sempre voltada para o manejo da lavoura em si, como pragas e doenças, outros fatores interferem na produção final.

Um dos mais importantes é o momento da colheita de soja, quando podemos reduzir perdas e assim ganhar produtividade. Confira como com as 7 dicas a seguir:

1ª dica da colheita de soja: teor de umidade e atenção às condições climáticas

O principal fator para evitar perdas na colheita de soja é a umidade.  A colheita deve ser feita preferencialmente quando os grãos apresentarem de 13% a 15%.

Em áreas muito grandes, o início da colheita pode ser quando a umidade dos grãos for em torno de 15% a 16%.

Esses são os chamados pontos de colheita. É neste momento em que o recolhimento dos grãos deve ocorrer, já que a partir dele a probabilidade e perdas só aumenta.

Como o grão está pronto para ser colhido, fatores da própria planta ou às condições ambientais (chuva torrencial, granizo, ventos fortes, altas temperaturas, etc), já resultam em danos.

Se atente para o fato de que, quando colhido com umidade abaixo da recomendada, é fácil ocorrer quebra dos grãos.

Por isso, a umidade deve ser acompanhada por 15 dias antes da data prevista para colheita.

Além disso, se possível, faça a colheita de soja no período da manhã, onde temos alta umidade do ar e temperatura amena.

Isso porque as maiores perdas são em horários de maior calor e menor teor de umidade do ar.

planilha para estimativa de perdas na colheita Aegro

2ª dica: acerte na regulagem da colhedora

Muitas das perdas se deve à má regulagem das máquinas. Um dos pontos é a velocidade da colhedora que não deve exceder a 5 Km/hora. Dentro de regulagem podemos subdividir a colhedora em partes:

2-colheita-de-soja

(Fonte: Embrapa)

1. Barra de corte

Atenção com a altura das plantas, evitando utilizar a barra muito alta devido à debulha das vagens.

Além disso, troque as navalhas e contra-navalhas quebradas ou muito desgastadas.

Lembre-se que a folga entre a navalha e a guia da barra de corte é de aproximadamente 0,5 mm. Já a folga entre as placas de desgaste e a régua da barra de corte é de 0,6 mm.

2. Molinete

É nessa parte da colhedora que se observam maiores perdas. Deve ser ajustado quanto a sua velocidade de rotação e posição relacionada à altura da inserção da primeira vagem.

Em geral, a rotação do molinete deve ficar um pouco superior à velocidade da colhedora.

Para ajustar essa rotação:

  • Faça uma marca em um dos pontos de acoplamento dos travessões na lateral do molinete;
  • Regule a rotação para cerca de 9,5 voltas em 20 segundos (molinetes com um a 1,2 metro de diâmetro), e em torno de 10,5 voltas em 20 segundos (molinetes com 90 cm de diâmetro), com velocidade da colhedora até 5,0 km/h.

A rotação ideal é aquela que o molinete toca e inclina a planta ligeiramente sobre a plataforma antes de ela ser cortada pela barra de corte.

3. Cilindros

Deve-se atentar a abertura do côncavo e ajustar a velocidade do cilindro, para evitar a quebra de grãos.

4. Peneiras

Observe o diâmetro dos orifícios das peneiras, sendo a peneira superior responsável pela separação de haste e vagens de maiores tamanhos. Já a inferior, é responsável pela limpeza final.

Quando o orifício da superior tem uma abertura muito maior ela sobrecarrega a inferior. E quando a abertura for inferior os grãos passam pela retrilha o que diminui a eficiência do sistema.

3-colheita-de-soja
(Fonte: Walter Boller e Carlos Augusto Pizolotto em A Granja)

Para regulagem da peneira inferior feche totalmente as aberturas da mesma e coloque um pouco dos grãos que estão sendo colhidos.

Dessa maneira, aumente as aberturas da peneira até que os grãos da cultura da soja passem por elas. Quando isso ocorrer, aumente as aberturas em mais uma ou duas posições.

Para regular a peneira superior,  mantenha as aberturas em torno de 50% maiores que a inferior.

Outro detalhe importante se refere à força com que o ventilador está forçando a passagem de ar, isso irá depender do tamanho do grão da cultivar que você está utilizando.

>>Leia mais: “5 dicas da regulagem de colheitadeira para melhor desempenho na lavoura

custo operacional de máquinas

3ª dica: preparo do solo

Um solo bem nivelado facilita uma colheita mais uniforme, realizando o corte das hastes em mesma altura, evitando a debulha das vagens.

4ª dica: época de plantio e densidade

Semeaduras em épocas recomendadas permitem que a inserção das primeiras vagens seja mais alta, devido ao bom desenvolvimento da planta, facilitando a colheita.

A densidade também afeta o desenvolvimento da planta e, além disso, favorece o acamamento quando alta, aumentando desta maneira as perdas.

5ª dica: utilização de cultivares

As cultivares devem adequadas para o local onde deseja plantar. Assim, elas precisam ser responsivas aos índices pluviométricos, luminosidade, temperatura, dentre outras características ambientais.

Isso garante um bom desenvolvimento das plantas e propiciar a colheita mecanizada.

6ª dica: manejo de plantas daninhas

O controle de plantas daninhas é fundamental, seja no desenvolvimento vegetativo ou reprodutivo. Na colheita, elas atrapalham muito no movimento das máquinas agrícolas, ocorrendo o “embuchamento”.

Os embuchamentos ocasionam danos e quebras nas peças, lentidão na operação agrícola e, consequentemente, atraso da colheita.

As invasoras ainda fazem com que a umidade continue no grão, resultando em prejuízos nos mesmos.

Uma das principais plantas daninhas na plantação da soja atualmente é a buva, sendo que, muitas vezes, a solução é o dicamba. Porém, o uso do herbicida precisa de responsabilidade.

Saiba mais sobre o controle de buva aqui: “Como fazer o controle da buva resistente a glifosato”.

Além disso, a dessecação da soja para colheita é uma boa alternativa para evitar prejuízos nessa operação agrícola.

7ª dica: colheita feita em época certa

Como já falamos, quanto mais tempo os grãos ficam no campo, mais expostos a patógenos e outras ocorrências poderão prejudicar sua qualidade.

Por isso, enfatizo aqui a importância do planejamento agrícola e da calendarização das operações para conseguir realizar a colheita da safra no ponto certo.

Ademais, a colheita da primeira safra na época certa viabiliza a safra de milho (segunda safra).

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado, informou nesta safra 2018/19 que até a 2ª quinzena de fevereiro, mais de um terço da área do Paraná (cerca de 5,5 milhões de hectares) havia sido colhido.

No Mato Grosso, a colheita neste período chegou a mais da metade da área plantada total.

Além das condições climáticas adequadas, o planejamento e a gestão são fundamentais para o bom andamento das operações agrícolas.

Por que planejar minha colheita de soja?

Para nós do ramo agrário planejar sempre envolve uma relação de sintonia com as condições climáticas. No processo de colheita esse panorama não é diferente.

Um dos exemplos mais atuais que podemos destacar é a colheita de soja do Paraná deste ano.

Por motivos de pancadas de chuvas sucessivas ela teve de ser atrasada, o que também atrasou o plantio do milho safrinha.  

Além dessa peculiaridade climática, podemos perceber que no mercado existem as demandas e ofertas, o que norteiam os preços da mercadoria.

E é por isso que planejar se torna uma boa ferramenta, pois conseguimos tornar com que algo oscilante possa se tornar uma situação mais equilibrada.

colheita de soja

Organização e facilidade da gestão da colheita de soja no software agrícola Aegro

Com o planejamento, dentro de uma boa gestão, é possível verificar quais atividades podem ser feitas em paralelo, se é possível adiantar alguma coisa e outras estratégias para diminuir esses atrasos.

A gestão agrícola também influencia na pós-colheita: a negociação da venda não precisa ser feita às pressas.

Com tudo organizado, há tempo para pensar com calma nas melhores maneiras de conseguir bons preços.

Além de conseguir melhores valores, o produtor de soja consegue se organizar de maneira dinâmica na forma de transportar sua produção.

Conclusão

A colheita de soja é tão importante quanto qualquer outra etapa do sistema de produção.

Aqui vimos o quanto a umidade é essencial para uma boa colheita, bem como outras dicas para aumentar sua eficiência.

A regulagem a colhedora, por exemplo, evita as perdas dos grãos, sendo que aqui discutimos como realizá-la.

Agora que você já sabe mais sobre essa etapa da produção de soja, boa colheita!

>>Leia mais:

“Secagem e armazenamento de grãos: diferentes tipos e seus custos”

“Entenda melhor a classificação da soja e saiba usá-la para aumentar sua lucratividade

Gostou do texto? Tem mais alguma informação para ajudar na colheita de soja? Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!