Como a crotalária controla nematoides: Diferentes tipos, melhores épocas de plantio e tudo sobre seu manejo.

Os nematoides são um grande desafio na lavoura.

E o manejo cultural tem sido uma das opções com melhor resultado para o controle, recuperação e regeneração dos solos.

As crotalárias têm sido excelente alternativa, pois possuem diferentes modos de ação para suprimir os nemátodes parasitas de plantas. 

Com isso, têm reduzido em até 80% a população do parasita, segundo pesquisa da Fundação MT. 

Nesse artigo, quero compartilhar um pouco sobre como a crotalária controla nematoides e como você pode inseri-la no manejo da sua lavoura! Confira a seguir!

 


Nematoides e as formas de controle

Existem muitos tipos de nematoides em nosso ambiente. A maioria dos nematoides do solo não parasitam as plantas, sendo até benéficos na decomposição da matéria orgânica. 

Mas os fitoparasitas são nosso grande desafio. E os principais tipos que encontramos nas lavouras brasileiras são: 

Por essa ampla diversidade, é extremamente difícil identificar ou distinguir diferentes espécies de nematóides. 

Uma das formas optadas para controle se dá pela pesquisa de cultivares resistentes e controle químico através de nematicidas. Esse tipo de abordagem, porém, ainda é pouco eficiente no controle a longo prazo na lavoura.

Além do que, se formos considerar que a soja em nosso país é produzida em solos arenosos, com rotações à semeadura de milho ou algodão na segunda safra, tem-se como consequência o aumento recente da importância de P. brachyurus, por exemplo. 

Temos como opções o controle biológico, químico e cultural. 

Quero te apresentar mais sobre o controle cultural, no qual a rotação e sucessão com culturas não hospedeiras são os métodos mais promissores de manejo. Confira na tabela abaixo:

reação de espécies vegetais aos principais nematoides


(Fonte: Adaptado de CB Soja)

As coberturas

Os adubos verdes são bem conhecidos pela capacidade de fixar nitrogênio. 

Além disso, fornecem expressivo volume de matéria orgânica que aumenta a atividade biológica do solo e contribuem no sistema de plantio direto.

Além da incrível engenharia da natureza de fixação biológica de nitrogênio do ar, através da associação simbiótica com bactérias do solo conhecidas como rizóbios, há ganhos nas características gerais no solo.

E também no aumento de inimigos naturais de nematóides parasitas de plantas, como os fungos que capturam nematóides ou se alimentam de seus ovos. 

E a contribuição na rizosfera das plantas pela liberação de ácidos graxos voláteis, produtos da sua decomposição, que podem ser tóxicos aos nematoides fitoparasitas, têm sido cada vez mais estudados. 

área de plantio

Crotalária prepara o solo para semeadura da soja no MT
(Fonte: Nova Hora)

Como a crotalária controla nematóides: Diferentes tipos de crotalárias

As crotalárias não são apenas uma hospedeira pobre ou não hospedeira de muitos nematóides parasitas de plantas. Elas têm a capacidade de  produzir compostos alelopáticos (tóxicos) que impedem, por exemplo, a movimentação dos nematóides.

Alelopatia refere-se aos efeitos benéficos ou prejudiciais de uma planta em outra planta ou na relação com microrganismos, como a monocrotalina.

Elas atuam como plantas armadilhas, na quais os nematóides não conseguem completar seu ciclo até a vida adulta. 

Vamos conhecer os três tipos principais de crotalárias e depois ver como inseri-las no seu sistema de lavoura.

Crotalária spectabilis

As sementes de C. spectabilis contêm quantidades abundantes de proteínas. Dentre estas citamos peroxidases, proteases cisteínicas e inibidores de proteases cisteínicas.

Essas substâncias são verificadas como significativas na redução de populações de  P. brachyurus. 

Sobre o assunto, você pode conferir aqui uma pesquisa realizada pela Embrapa Soja.

A época de plantio ideal vai de outubro a novembro em grande parte do Brasil. Para a semeadura a lanço são recomendáveis cerca de 15 kg/ha.

Pesquisas comprovaram seu potencial no controle do nematóide Heterodera spp. Algumas moléculas que essa espécie produz naturalmente também têm sido pesquisadas por fornecer outros benefícios,  como na fixação fixação biológica de nitrogênio de 100 a 150 kg/ha. 

Crotalaria juncea 

Essa espécie ficou bem famosa pelo combate à dengue, por atrair libélulas que são predadoras do mosquito Aedes aegypti

Mas, pensando em lavouras, ela também tem contribuições para o sistema de produção, seja na matéria orgânica ao solo e também para a microbiota do mesmo.

A época de plantio ideal vai de setembro a março em grande parte do Brasil. Para semeadura a lanço, são recomendados cerca de 30 kg/ha.

A floração plena dessa espécie ocorre entre 107 até 157 dias. A altura da planta pode passar de 2 metros.

Suas raízes são conhecidas pelo seu grande comprimento (cerca de 50 cm) e uma relação de fixação biológica de nitrogênio de 300 a 450 kg/ha. 

crotalaria juncea

Crotalaria juncea: plantio da crotalária é feito entre setembro e março na maior parte do país
(Fonte: Embrapa) 

Crotalaria ochroleuca

Esta é considerada a leguminosa mais eficiente na redução da maioria da população de nematoides. 

A época de plantio ideal vai de setembro a dezembro em grande parte do Brasil. Para semeadura a lanço são recomendados 8kg/ha.

Sua fixação biológica de nitrogênio varia de 200 a 300 kg/ha. Além disso, seu agressivo sistema radicular melhora a qualidade física do solo.

Agora que já falamos sobre como a crotalária controla nematoides, vamos entender como fazer o melhor manejo na sua área.

Como a crotalária controla nematoides: Orientações para esse manejo 

O ideal é entrar na entressafra com a cultura. Somente a sua palhada, em um sistema de plantio direto, já possui contribuição enorme no controle de nematóides presentes no solo.

Isso foi observado em pesquisa para controle de Meloidogyne spp apenas com palhada de crotalária em feijoeiro.

Pesquisa realizada pela Unesp mostrou ainda a possibilidade de se realizar consorciação de milho (e milho safrinha) com Crotalaria spectabilis. O estudo mostrou bons resultados de produtividade do milho e acúmulo de palhada sem a necessidade de aplicação de herbicidas.

Experimento conduzido em Taquaruçu do Sul, RS
(Fonte: Arquivo pessoal)

É fundamental que você saiba qual nematoide está presente em sua área para, então, determinar qual tipo de crotalária será mais eficaz no controle dos nematoides.

Para manejo do Pratylenchus brachyurus (nematóide das lesões radiculares) e nematoide do cisto, a recomendação é do uso de qualquer crotalária. 

No caso dos nematoides de galhas, para Meloidogyne javanica, a indicação é plantar híbridos de milho que possuem resistência aos nematóides ou cultivar algodão, além da rotação das crotalárias C. spectabilis e C. breviflora

Para M. incognita, a indicação é utilizar qualquer uma das crotalárias, mas evitar o plantio de milho.

E uma coisa que aprendi na lida do campo é que as áreas de rotação de culturas ou pousio devem ser monitoradas também. 

Se não monitorarmos, podemos até reduzir a população de nematóides, mas garantir pragas da próxima safra, como lagartas

Conclusão

A crotalária tem sido uma opção que reduz significativamente a incidência de nematóides nas áreas.

Mas antes de utilizá-la em seu manejo, é preciso conhecer muito bem a sua área. Assim, saberá qual tipo de crotalária trará melhores resultados.

Além disso, sabemos que a melhor solução é a prevenção. Por isso, é recomendado manter o solo sempre coberto, diversificar e manter manter raízes vivas pelo maior tempo possível. 

Espero que com as dicas passadas aqui você consiga obter ótimos resultados.

>> Leia mais: “Tudo sobre as novas cultivares de soja com resistência ao nematoide do cisto

Restou alguma dúvida sobre como a crotalária controla nematóides? Você já teve alguma experiência do tipo? Adoraria ler seu comentário!