Blog Aegro Logo
Blog da Aegro para negócios rurais
como a crotalaria controla nematoides

Crotalária: por que ela é uma boa opção de adubação verde e controle de nematoides

- 27 de junho de 2019

Atualizado em 16 de maio de 2022.

Crotalária: conheça os diferentes tipos, melhores épocas de plantio, tudo sobre seu manejo, benefícios, e mais!

A crotalária é uma leguminosa que pode reduzir até 80% dos nematoides da lavoura. Ela também é muito utilizada em adubação verde, e apresenta vários benefícios para a lavoura.

Muitos produtores já têm aderido à planta, e conhecer todos os detalhes é essencial para você decidir se ela é válida no seu campo.

Nesse artigo, você verá tudo sobre essa leguminosa, desde os manejos recomendados até os benefícios que ela proporciona. Acompanhe a leitura!

O que é e para que serve a crotalária? 

A crotalária é uma leguminosa da família Fabaceae que possui diversas espécies. Muito usada para adubação verde, ela tem rápido crescimento e sistema radicular pivotante. Isso significa que sua raíz penetra verticalmente o solo, favorecendo a absorção de nutrientes.

A crotalária controla nematoides de solo, e também é excelente na fixação biológica de nitrogênio. A consequência disso é você precisar usar menos adubos nitrogenados na cultura. Seu ciclo dura de 170 a 180 dias. 

Essa leguminosa é uma espécie de clima tropical, e tem baixa resistência ao frio. Porém, resiste bem à seca e a altas temperaturas. Ela produz compostos tóxicos que impedem a movimentação dos nematoides na lavoura.

Quando plantar crotalária?

O plantio da crotalária ocorre entre os meses de outubro e novembro, durante a primavera. Para a crotalária spectabilis, porém, a época de plantio é diferente: caso opte por essa espécie, plante entre outubro e março.

Você pode fazer a lanço ou em linhas, e preparar o solo como se fosse cultivar cana-de-açúcar. O comportamento dessas espécies é parecido. Além disso, o cultivo pode ser solteiro ou em consórcio com gramíneas forrageiras.

Espaçamento e profundidade

O espaçamento ideal para a crotalária é entre 25 cm a 50 cm. A profundidade ideal de semeadura deve ser de 2 cm a 3 cm

É extremamente importante distribuir entre 25 e 30 sementes por hectare. Além disso, lembre-se de não irrigar em excesso, porque a cultura se adapta bem a solos arenosos e mais secos.

Controle de doenças

As principais doenças que ocorrem na crotalária são a antracnose, murcha vascular, podridão da haste e oídio.

Essas doenças podem comprometer muito o desenvolvimento da cultura. O mais recomendado para reduzir as doenças é o controle químico, sobretudo com fungicidas

É importante ressaltar que cada uma dessas doenças é causada por um fungo diferente. Escolha o fungicida com base na doença presente na sua cultura para garantir um controle efetivo.

Controle de pragas

A lagarta-das-crotalárias (Utetheisa ornatrix) é a principal praga que ataca essa leguminosa. Ela costuma ser presente principalmente na fase de inflorescência e nas vagens da planta.

Se você pretende utilizar as sementes da crotalária, faça uso de inseticidas com ação de contato. Os fisiológicos também funcionam nesses casos.

Ela pode reduzir a área foliar e prejudicar a produção de sementes. Para o controle dessa praga, o manejo mais adequado é o uso de inseticidas a partir do momento em que você notar a presença na cultura.

Quais são os tipos de crotalária

Existem três tipos principais de crotalárias: Spectabilis, Juncea e ochroleuca . Veja como inseri-las no seu sistema de lavoura.

Crotalaria spectabilis

As sementes do tipo spectabilis contêm quantidades abundantes de proteínas.  As principais são peroxidases, proteases cisteínicas e inibidores de proteases cisteínicas.

Essas substâncias são significativas na redução de populações de nematoide das lesões (P. brachyurus). Pesquisas comprovaram seu potencial no controle do nematoide de cistos. 

Essa espécie tem algumas especificidades:

  • época de plantio vai de outubro a novembro em grande parte do Brasil;
  • para a semeadura a lanço, são recomendáveis cerca de 15 kg/ha;
  • fixação biológica de nitrogênio entre 100 kg/ha e 150 kg/ha

Crotalaria juncea 

A crotalária juncea é uma espécie de clima tropical. Essa é a espécie que mais produz biomassa. Ela também tem contribuições para o sistema de produção, melhorando a matéria orgânica e a microbiota do solo.

Essa espécie ficou bem famosa pelo combate à dengue. Ela atrai libélulas que são predadoras do mosquito transmissor da doença. 

As especificidades dessa espécie são:

  • época de plantio ideal de setembro a março em grande parte do Brasil. 
  • para semeadura a lanço, são recomendados cerca de 30 kg/ha.
  • a floração plena dessa espécie ocorre entre 107 e 157 dias;
  • a altura da planta pode passar de 2 metros;
  • suas raízes têm grande comprimento (cerca de 50 cm);
  • a espécie faz fixação biológica de nitrogênio entre 300 kg/ha e  450 kg/ha
Foto de crotalária juncea, já em estádio avançado

Crotalaria juncea: plantio da crotalária é feito entre setembro e março na maior parte do país

(Fonte: Embrapa)

Crotalaria ochroleuca

Esta é considerada a leguminosa mais eficiente na redução da população de nematoides. Além disso, o sistema radicular dessa espécie é agressivo. Isso melhora muito a qualidade física do solo.

As especificidades mais importantes dessa espécie são:

  • época de plantio ideal de setembro a dezembro em grande parte do Brasil. 
  • para semeadura a lanço, são recomendados 8kg/ha.
  • a fixação biológica de nitrogênio varia de 200 kg/ha a 300 kg/ha.

Quais os benefícios da crotalária?

A crotalária pode ser uma ótima opção para a lavoura, promovendo a adubação verde, o controle de nematoides e a recuperação do solo. A leguminosa também é forte aliada no controle de plantas daninhas.

Como a crotalária controla nematoides 

As crotalárias não são apenas uma hospedeira pobre ou não hospedeira de muitos nematoides parasitas de plantas. Elas têm a capacidade de produzir compostos alelopáticos (tóxicos) que impedem, por exemplo, a movimentação dos nematoides.

Elas atuam como plantas armadilhas, fazendo com que os nematoides não consigam completar seu ciclo até a vida adulta. 

O ideal é entrar na entressafra com a cultura. Somente a sua palhada, em um sistema de plantio direto, já possui contribuição enorme no controle de nematoides do solo.

Uma pesquisa realizada pela Unesp mostrou a possibilidade de fazer consórcio entre milho safra e safrinha com Crotalaria spectabilis. Houveram bons resultados de produtividade do milho e acúmulo de palhada sem a necessidade de uso de herbicidas.

Campo com plantio de milho e crotalária

Experimento conduzido em Taquaruçu do Sul, RS

(Fonte: Arquivo pessoal)

É fundamental que você saiba qual nematoide está presente em sua área. Só então é possível determinar qual tipo de crotalária será mais eficaz no controle.

  • Controle do nematoide das lesões radiculares: é indicado o uso de qualquer crotalária;
  • Controle de nematoide do cisto: é indicado o uso de qualquer crotalária;
  • Controle do nematoides de galhas: é indicada a rotação das crotalárias C. spectabilis e C. breviflora.
  • Controle do nematoide das galhas do algodão: a indicação é utilizar qualquer uma das crotalárias, mas evitar o plantio de milho.

Outro ponto importante é o monitoramento. Sem ele, você até pode reduzir a população de nematoides, mas garante as pragas (como lagartas) para a próxima safra.

Recuperação do solo 

A crotalária também apresenta grandes impactos no solo da sua lavoura. Dentre eles, estão:

  • proteção do solo e diminuição dos riscos de erosão;
  • minimiza os danos causados pelo uso intensivo do solo;
  • melhora a infiltração e retenção de água no solo;
  • maior disponibilidade de nutrientes;
  • raízes profundas que auxiliam na descompactação do solo;

Controle de plantas daninhas

A utilização da crotalária como cobertura do solo e adubação verde proporciona a redução da incidência de plantas daninhas.  Isso acontece pela cultura manter o solo coberto durante a entressafra.

Aumento da produtividade da lavoura

As crotalárias são grandes aliadas para o aumento da produtividade das lavouras. O uso da crotalária durante a entressafra favorece a manutenção da matéria orgânica e a atividade dos microrganismos do solo. 

Se você precisa produzir muita matéria orgânica em pouco tempo, pode apostar na crotalária. Além disso, essa leguminosa reduz a aplicação de fertilizantes nitrogenados no solo.

Consórcio de gramíneas forrageiras com crotalária

A crotalária consorciada com gramíneas forrageiras é uma alternativa de baixo custo para produção de palha. Isso tanto em quantidade quanto em qualidade.

Além disso, as crotalárias podem fornecer nitrogênio ao solo, via fixação biológica de nitrogênio. Dependendo da crotalária cultivada, há possibilidade de pastejo nos sistemas integrados.

O consórcio de crotalária com gramíneas forrageiras aumenta a produtividade de grãos da soja cultivada em sucessão. Isso acontece porque a rápida decomposição dos resíduos vegetais das crotalárias oferece nutrientes ao solo em curto prazo.

Gráfico de produtividade média de grãos de soja em duas safras, com e e sem crotalária.

Produtividade média de grãos de soja de duas safras, em função do cultivo de Brachiaria solteira e consorciada com crotalárias na entressafra

Fonte: (Garcia & Machado, 2019)

O consórcio de gramíneas forrageiras com crotalárias é uma alternativa para produção de biomassa em quantidade e qualidade.

Adubação verde

Os adubos verdes são bem conhecidos pela capacidade de fixar nitrogênio

Eles fornecem grande volume de matéria orgânica. Esse volume aumenta a atividade biológica do solo e contribui com o sistema de plantio direto.

Outra vantagem é o aumento dos inimigos naturais de nematoides parasitas de plantas. Um grande exemplo são os fungos que capturam nematoides ou se alimentam de seus ovos. 

A adubação verde também contribui para a liberação de ácidos graxos voláteis pelas plantas. Essa substância pode ser muito tóxica aos nematoides.

planilha controle de custos por safra

Conclusão

A crotalária é uma leguminosa que reduz a incidência de nematoides nas áreas.

Antes de utilizá-la em seu manejo, é preciso conhecer muito bem a sua área. Assim, saberá qual tipo de crotalária trará melhores resultados.

A melhor solução é a prevenção. Por isso, é recomendado manter o solo sempre coberto, diversificar e manter raízes vivas pelo maior tempo possível. Espero que com as dicas passadas aqui você consiga obter ótimos resultados.

>> Leia mais: Tudo sobre as novas cultivares de soja com resistência ao nematoide do cisto

Restou alguma dúvida sobre o manejo da crotalária? Já utilizou essa leguminosa na sua fazenda? Adoraria ler seu comentário!

redatora Denise Prevedel

Atualizado em 16 de maio de 2022 por Denise Prevedel.

Denise é engenheira-agrônoma e mestra em agronomia pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS). Doutoranda em agronomia pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Comentários

  1. Fabio disse:

    Boa tarde.
    Tem algum estudo para o controle da margarodes (pérola da terra) em videira?

  2. Joyce disse:

    Olá, estou a procura de informações relacionados aos locais de atuação que a toxina da planta se encontra, para combater os Nematoides.
    Pois minha duvida é se essa toxina, está presente apenas na floração ou se ela tbm encontra´se no sistema radicular.
    Obrigada.

  3. Raimundo Salazar disse:

    Material excelente, parabéns.

  4. Olir Roberto Silva disse:

    A crotalaria deve ser incorporada ao solo ? deve ser inoculada no plantio?
    Se sim, qual a,época da incorporação???

    1. Lara Delgado disse:

      Oi, Olir.
      Eu sou a Lara da comunicação da Aegro.

      A crotalária não precisa necessariamente ser incorporada, o que vai mandar é o manejo pra cultura posterior. E essa é uma cultura que tem bom desenvolvimento com inoculante de rizóbio.

      Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.