Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

drones-na-agricultura

Como melhorar sua gestão rural com o uso de drones

- 23 de julho de 2018

Nada substitui a botina suja do campo dentro da gestão rural.

Mas os drones, ou VANTs, não vieram para substituir, e sim complementar esse monitoramento em propriedades rurais.

Você bem sabe as horas de equipe, e consequentemente dinheiro, investidos no monitoramento de pragas e doenças.

Com o uso das imagens aéreas você consegue direcionar em que área sua equipe deve monitorar, economizando tempo, dinheiro e ainda sendo mais efetivo.

Os drones ainda te ajudam a melhorar sua estratégia de manejo, aperfeiçoando ainda mais sua gestão rural.

Para saber os principais usos dos drones e como eles te auxiliam na gestão rural confira este artigo!

O uso de drones dentro da gestão rural

Você pode até pensar que o uso de drones não tem nada a ver com gestão rural, mas a verdade é que a tecnologia agrícola está intimamente ligada à gestão.

Com as imagens aéreas produzidas pelos drones podemos visualizar a lavoura de modo muito mais fácil e rápido.

A partir dessas imagens podemos interpretar o que está acontecendo no campo e definir estratégias mais assertivas.

Temos como exemplo essa imagem aérea abaixo, mostrando a localização de plantas daninhas em uma lavoura:

incidência-daninhas-imagem-drone

(Fonte: Horus)

Nessa imagem você pode notar que as partes amarelas (plantas daninhas) estão especialmente nas bordas dos talhões.

Isso faz sentido, já que as áreas adjacentes podem não possuírem nenhum tipo de manejo de plantas daninhas, ocorrendo chuva de sementes para a área da lavoura.

No entanto, notamos que os talhões 18, 19, 10 e 12 possuem infestações maiores que os demais em suas bordas, sendo recomendado a ida ao campo para verificar melhor manejo nas áreas ao lado dessas.

Dessa forma, vemos que pode ser criada uma melhor estratégia no manejo de plantas daninhas a partir das imagens aéreas, otimizando nossa gestão rural.

Essas imagens são importantes para todo tamanho de propriedade rural, mas é fato que em vastos campos as imagens aéreas ganham ainda mais relevância, já que há maior dificuldade de monitoramento.

Falando em monitoramento, veja o artigo “O que são mapas NDVI e como consegui-los de graça para sua fazenda“.

Agora detalhes de como pode ser o manejo de plantas daninhas com o uso de drones:

Os drones na gestão rural de plantas daninhas

As imagens aéreas feitas por drones nos ajudam a localizar onde estão as principais reboleiras de infestações.

Assim podemos identificar mais facilmente se houveram problemas na tecnologia de aplicação de defensivos agrícolas, se há indícios de resistência de plantas daninhas, e muitos outros.

Isso ajuda no monitoramento da sua lavoura, orientando em quais locais sua equipe deve ir para verificar infestações, economizando recursos e otimizando seu custo de produção agrícola.

Como por exemplo, temos as imagens abaixo, onde podemos ver um pomar de citros com infestação de planta daninha de hábito trepador nas copas das árvores.

daninhas-citros-drones

Imagem à direita não tratada por software, e imagem à esquerda tratada para facilitar o reconhecimento de infestações.

(Fonte: Horus)

Sem esse tipo de imagem, a infestação seria muito difícil de ser identificada em campo.

Com as localizações exatas das infestações você também consegue fazer aplicações localizadas, economizando o uso de defensivos agrícolas.

Alguns softwares de drones geram arquivos que podem ser integrados com as máquinas, automatizando esses processos.

Esses fatores otimizam possibilitam que sua gestão rural seja ainda mais assertiva e eficiente, buscando cada vez mais melhores.

Os drones no manejo de doenças da sua lavoura

É fundamental sempre estar atento e avaliar a saúde das culturas, detectando possíveis doenças bacterianas, fúngicas e viroses.

Ao analisar uma cultura usando luz visível e infravermelha, os dispositivos carregados por drone podem identificar quais plantas refletem diferentes quantidades de luz em diversos comprimentos de onda.

Com isso, são produzidas imagens multiespectrais que rastreiam mudanças nas plantas e indicam sua saúde.

Assim você pode ter uma resposta rápida que pode salvar uma lavoura inteira.

Isso porque a doença é descoberta de maneira mais rápida e seu local é muito mais preciso, levando maior efetividade nas pulverizações.

E no caso de quebra de safra, você será capaz de documentar as perdas de uma maneira muito melhor para pedidos de seguro.

Mas o monitoramento pode também ser com o objetivo de observar o desenvolvimento da cultura, veja a seguir:

Acompanhe o desenvolvimento da sua cultura pelas imagens aéreas

drone-gestão-rural

(Fonte: Horus)

Os defensivos agrícolas e até alguns outros tipos de manejo dependem do estádio fenológico da cultura para serem efetivos.

No caso de plantas daninhas na entressafra, por exemplo, se a planta estiver em seus estádios iniciais de desenvolvimento já sabemos que é mais fácil controlá-la.

Assim podemos tranquilamente utilizar apenas herbicidas de contato, como paraquat.

Se as plantas daninhas já estiverem adultas, ou seja, apresentarem mais que 4 folhas para espécies de folha larga, ou mais de um perfilho, para gramíneas, o manejo muda.

Nesse caso, recomendo a dessecação antecipada, com a aplicação de um herbicida sistêmico (como o glifosato) e após 15 a 20 dias, a pulverização de produto de contato, como o paraquat.

Dentro da safra a história não muda: dependendo do estádio da cultura e da planta daninha são indicados diferentes produtos e doses.

Para doenças e pragas sabemos que há épocas críticas da cultura que devemos estar mais atentos.

Além disso, saber o momento certo da adubação de cobertura e da realização da colheita garantem que sua produtividade não seja perdida.                                                                              

Ao invés de fazer esse monitoramento da cultura e das invasoras à campo e com dispêndio de horas trabalhadas da sua equipe, um drone pode fazê-lo.

É possível realizar voos periódicos durante todo o ciclo da cultura, inclusive antes e depois dela.

Dessa maneira vemos a saúde da vegetação, ataque de pragas e doenças, problemas devido à má calibração do maquinário, e outros, tudo em apenas alguns cliques e da onde você estiver.

Isso lhe dará muito mais segurança e certeza nas tomadas de decisão na sua gestão rural, com economia de tempo e, muito provavelmente, de insumos.

Mas frente a todos esses progressos, o que podemos esperar do uso de drones no futuro?

O que esperar dos drones e gestão rural no futuro

As tendências mostram que no futuro teremos frotas de drones autônomos que farão inúmeras tarefas coletivamente, facilitando nossa gestão rural.

drones-gestão-rural

(Fonte: The Economist)

Esse enxame de drones seria baseado na comunicação mínima, mas eficaz, entre seus membros.

A ideia é que cada equipamento tome suas próprias decisões com base em estímulos locais.

Por exemplo, se o voo passar por uma passagem estreita, os equipamentos perceberiam isso e se agrupariam, enquanto que numa turbulência poderia ocorrer o contrário.

Para orientar cada drone em relação ao seu “vizinho” pode haver receptores GPS, mas estuda-se o uso câmeras e softwares capazes de reconhecimento de objetos e são mais versáteis e menos propensos a falhas.

Também há pesquisadores que estão estudando o controle de drones descentralizado.

Eles estão se inspirando na organização de colônias de formigas. Pode parecer loucura, mas também pode dar muito certo.

Para você entender melhor, quando é necessário ir para algum lugar desconhecido, primeiro vão algumas poucas formigas.

Se um número suficiente desses insetos retornam ao formigueiro as outras formigas recebem estímulos pelo cheio desses que retornaram, e assim o restante do formigueiro sabe que é seguro ir para esse local.

Isso as protege de condições meteorológicas perigosas ou predadores.

Além disso, se as primeiras formigas encontram dificuldades para encontrar comida, elas retornarão em um fluxo lento demais para estimularem as outras.

A intenção é que os drones poderiam, da mesma forma das formigas, tomarem decisões coletivas mais complexas além de simplesmente seguirem um ao outro em um bando.

Apesar dessas pesquisas incríveis, hoje ainda enfrentamos algumas barreiras no uso de drones, como segurança das operações, questões dos dados e a qualidade dos mesmos.

Para lidar com isso, o setor já está buscando sensores e câmeras cada vez mais sofisticados e equipamentos mais autônomos.

Conclusão

O monitoramento da lavoura é essencial, e agora com o uso de drones isso ficou mais rápido, ágil e assertivo.

Essa nova forma de monitorar o campo fornece informações de extrema relevância para tomada de decisão mais segura e eficiente, facilitando a gestão rural.

Desse modo, o manejo de plantas daninhas, pragas e doenças fica cada vez mais ágil e viabilizado.

Pesquisas futuras ainda mostram usos ainda mais complexos dos drones, fazendo com que sua gestão rural seja ainda mais eficiente e fácil em um futuro próximo.

>>Leia mais: “Drones e agricultura de precisão: 8 Pontos para você considerar”
>>Leia mais: “Software rural no sucesso da lavoura: A história de um produtor de Mato Grosso”
>>Leia mais: “5 maneiras de melhorar seu gerenciamento rural”

Gostou do texto? Tem mais informações sobre drone e gestão rural que não comentei aqui? Você também pode ter mais algumas perguntas, envie para nós comentando abaixo!

Comentários

  1. Belo texto Engª Agrª Maiara.!
    Estou buscando um drone para agro-pecuária.
    Temos campos dobrados aqui em Bagé RS e preciso, entre outras coisas, monitorar melhor o gado.
    Você teria uma indicação de drone para esta finalidade!?

    Fraterno abraço!

    Dionisio

  2. Olá Dionísio,

    Atualmente a pecuária está utilizando muitos drones. Os preferidos são os multirrotores, pela facilidade de manuseio, estabilidade no voo e baixo custo. Como exemplo desses drones podemos citar o Phantom da DJI, o Mavic, entre outros. A distância de operação varia de acordo com o rádio da aeronave, mas geralmente irá variar de 2 a 4 km em média. De acordo com as câmeras e sensores acoplados é um excelente equipamento para utilizar tanto na pecuária, quanto agricultura.

    Abraço!

  3. Mailson rocha disse:

    Eu gostaria de saber quais os primeiros passos para consegui um drone para o monitoramento e se possível fazer a pulverização nós cafezais?.a pergunta e .se com um drone só eu conseguiria realizar todo processo?um abraço Mailson!

    1. Olá Mailson!

      O primeiro passo seria começar a cotar em empresas esse tipo de serviço ou equipamento caso você mesmo queira fazer o monitoramento e pulverização. Acredito que há casos que o mesmo equipamento consiga fazer as duas coisas, mas é interessante ver se compensa mesmo a compra de um equipamento desses ao invés só dos serviços. Obrigada por nos acompanhar e forte abraço!

  4. Vanderlei Orzari disse:

    Olá Maiara,
    Você teria algum case de sucesso para apresentar, com resultados e informações da eficácia da utilização de drones para a parte de cana de açúcar?
    E também onde você adquiriu esses conhecimentos. O que você me indica de cursos para utilização de drones na parte de cana de açúcar?

    1. Raíssa Natasha Ciccheli disse:

      Olá, Vanderlei
      Sou da comunicação da Aegro.
      Não temos uma indicação específica para a cultura de cana, mas temos outros conteúdos que podem te ajudar: https://blog.aegro.com.br/page/1/?s=drone
      Sobre o curso, podemos indicar a Horus Aeronaves que tem um sobre mapeamento com drones: veja aqui!
      Agradecemos por nos acompanhar,
      Abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Banner de teste grátis do Aegro na cor verde com uma imagem no meio de uma máquina trabalhando no campo