Falsa-medideira: Conheça as principais características para identificar essa praga e controlá-la de maneira efetiva.

Lagartas são pragas que provocam danos muito significativos na lavoura.

A falsa-medideira, em especial, é uma das principais desfolhadoras da soja e pode causar estragos expressivos na plantação.

Por ser um inseto polífago, tem capacidade de se desenvolver em mais de 70 hospedeiros diferentes, desde plantas ornamentais até grandes culturas.

Mas é preciso identificá-la para fazer o manejo adequado. E isso muitas vezes não acontece!

Neste artigo vou te explicar sobre esta praga na cultura da soja, suas principais características, danos e controle. Saiba mais a seguir!

Como identificar a falsa-medideira?

As lagartas-falsas-medideiras são assim denominadas por possuírem dois pares de pernas abdominais e um par na região caudal, fazendo com que elas se desloquem de modo semelhante às lagartas-medideiras “medindo palmo”.

As falsas-medideiras são um complexo de espécies da subfamília Plusiinae muito associadas à soja.

Mas a espécie que vem ganhando maior atenção é Chrysodeixis includens, antes Pseudoplusia includens.

Além das pernas abdominais nas lagartas, é muito importante que você observe outras características morfológicas desta espécie.

Os adultos possuem duas manchas prateadas no primeiro par de asas – e as asas posteriores são de coloração marrom.

Os ovos são colocados, em geral, na face abaxial das folhas, com formato globular e coloração amarelo-clara.

As lagartas que eclodem têm coloração verde-clara, listras longitudinais brancas e pontuações pretas ao longo do corpo.

Outra forma de você identificar esta praga, é por meio do comportamento tanto alimentar como da parte em que as lagartas se estabelecem na lavoura.

falsa-medideira
Chrysodeixis includens nas fases de ovo (a), lagarta (b), pupa (c) e adulto (d)
(Fonte: Embrapa)

O que levou a falsa-medideira a se tornar um problema?

Essa espécie foi considerada praga secundária até o início dos anos 2000.

Após o aparecimento da ferrugem-asiática, os fungicidas começaram a ser utilizados com alta frequência.

Muito provável que isso levou a um decréscimo de fungos entomopatogênicos que ocorriam naturalmente e controlavam a falsa-medideira e outros insetos por epizootias.  

Consequentemente, houve um aumento expressivo da praga, que passou de secundária para primária.

Atualmente, um outro fator que contribui muito para os crescentes problemas é o uso de inseticidas não seletivos, como os piretroides.

Eles atingem, além das pragas, os inimigos naturais presentes na lavoura.

E existem diversos predadores e parasitoides que podem, naturalmente, controlar essa praga, como Nabis sp., Trichogramma spp., Microcharops sp, e diversos outros.

Como você pode ver, a alteração do equilíbrio do agroecossistema pode causar prejuízos a curto e a longo prazo.

banner planilha manejo integrado de pragas

E quais seriam os danos e qual parte da planta é atacada?

As lagartas mais novas consomem apenas o parênquima foliar, ou seja, elas raspam as folhas.

Já as lagartas maiores consomem o limbo foliar e, com isso, as nervuras permanecem intactas, causando aspecto de “folhas rendilhadas”.

Esta é uma característica bastante importante para que você diferencie do ataque da lagarta-da-soja, Anticarsia gemmatalis, à qual consome as folhas por inteiro.

Há também diferenças no local em que a planta é atacada. A falsa-medideira tem o hábito de atacar a baixeira e o terço mediano; a lagarta-da-soja ataca a parte superior.

Essas diferenças, provavelmente, causam problemas a você em relação ao controle da falsa-medideira.

falsa-medideira
Ciclo de desenvolvimento de Chrysodeixis includens e parte em que a soja é atacada; período pupal dura em média 7 dias até emergência dos adultos
(Fonte: Embrapa)

Quando controlar a falsa-medideira?

Para que seu manejo seja eficiente, você deve realizar o monitoramento para determinar se deve ou não entrar com o controle.

O método mais indicado de amostragem das lagartas é o pano de batida. Lembre-se que a falsa-medideira fica mais abaixo do terço superior.

falsa-medideira

É recomendável que você inicie o controle quando encontrar, em média, 20 lagartas grandes por pano-de-batida.

Juntamente com a amostragem das lagartas, faça um exame visual dos terços mediano e inferior das folhas.

Entre com o controle se houver desfolha de 30% no período vegetativo e de 15% no período de florescimento da planta. Veja na imagem:

falsa-medideira
Amostra de folíolos de soja com diferentes porcentagens de desfolha causada pela alimentação de insetos
(Fonte: Adaptada de Panizzi et al. (1977))

Controle da lagarta-falsa-medideira

Dentre os métodos do Manejo Integrado de Pragas (MIP) para evitar o ataque, o ideal é que você faça a rotação de culturas.

Dessa forma, você consegue quebrar o ciclo da praga e reduzir a incidência da população na área.

Outra forma de evitar danos, é utilizar cultivares de soja transgênica com a tecnologia Bt (Bacillus thuringiensis), que confere proteção à cultura.

Quando os níveis de controle são atingidos, você pode utilizar, de forma associada, os controles biológico e químico.

Controle biológico

Se a sua cultivar for convencional, poderá fazer aplicação de produto microbiológico à base de Bt.

O inseticida biológico Dipel é registrado para controle desta praga, com dose de 0,3 a 0,5 L/ha (volume de calda de 100 a 200 L) e, no máximo, 3 aplicações.

Importante mencionar que, se você estiver utilizando cultivar com tecnologia Bt, o uso deste produto não é recomendado.

Liberações massais de Trichogramma pretiosum têm contribuído para a redução das populações de lepidópteros-praga na soja.

O produto TRICHOMIP-P é registrado com recomendação de liberação de até 750 mil adultos em 50 pontos por hectare.

Controle químico

Como mencionei anteriormente, é importante que você utilize inseticidas seletivos aos inimigos naturais das pragas para mantê-los na área.

Pensando nisso, selecionei alguns dos inseticidas mais seletivos registrados para esta praga que você poderá utilizar em associação com o controle biológico natural e inundativo.

Vale considerar a rotação das aplicações com diferentes princípios ativos para evitar a seleção de pragas resistentes.

falsa-medideira
(Foto: Ernesto de Souza/Editora Globo)

Diamidas

  • Belt (flubendiamida) – 50 a 70 mL/ha em
  • Prêmio (clorantraniliprole) – 40 a 50 mL/ha

Clorfenapir

  • Pirate (clorfenapir)  – 0,6 a 1,2 L/ha

Oxadiazina

  • Avatar (indoxacarbe) – 400 mL/ha

Benzoilureia

  • Nomolt (teflubenzurom) – 125 a 150 mL/ha

Diacilhidrazina

  • Intrepid (metoxifenozida) – 135 a 150 mL/ha

Para que você tenha sucesso no controle da falsa-medideira por meio da aplicação de inseticida, invista na tecnologia de aplicação para que seu produto chegue adequadamente na baixeira e no terço médio da planta.

O volume da calda inseticida também vai ser determinante nesse momento, pois baixos volumes podem ficar retidos no terço superior, comprometendo assim o controle desta praga.

>>Leia mais: “5 tecnologias para controlar a Helicoverpa armigera eficientemente
>>Leia mais: “7 verdades sobre Helicoverpa zea: Sua origem e como combatê-la

Conclusão

O desequilíbrio no ecossistema da lavoura trouxe consequências como a mudança de praga secundária para primária da lagarta-falsa-medideira.

E é importante saber identificar a praga, seu comportamento e local de ataque.

Manter os inimigos naturais na área ajuda a reduzir o nível populacional desta lagarta.

Prefira inseticidas seletivos para evitar surtos desta e de outras pragas, além de rotacionar os grupos químicos.

Espero que, com essas informações, você consiga manejar a falsa-medideira com sucesso na sua lavoura!

>>Leia mais: “Não cometa erros no manejo: 5 métodos de controle da lagarta-do-cartucho
>>Leia mais: “As tecnologias que você precisa saber para controlar Spodoptera frugiperda

Referências

HERZOG, Donald C.; TODD, James W. Sampling velvetbean caterpillar on soybean. In: Sampling methods in soybean entomology. Springer, New York, NY, 1980. p. 107-140.)

BUENO, R.C.O.F.; PARRA, J.R.P.; BUENO, A.F.; MOSCARDI, F.; OLIVEIRA, J.R.G.; CAMILLO, M.F. Sem barreira. Revista Cultivar, v. 93, p. 12-15, 2007

Você tem problemas com a falsa-medideira em sua lavoura? Restou alguma dúvida sobre como fazer o controle adequado? Deixe seu comentário!