Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Inseticida na dessecação: quando eles podem ser vantajosos e quais produtos usar para o controle de pragas na preparação para a safra!

Muitos insetos-praga sobrevivem de uma safra para outra e precisam ser controlados ainda na dessecação.

Mas você sabe como planejar essa operação para ter um resultado mais estratégico? 

E quanto à escolha dos produtos: o que você precisa considerar?

Confira neste artigo como fazer o melhor uso de inseticida na dessecação da lavoura e ganhe mais eficiência no controle de pragas no início da safra!

Planejamento da dessecação

A dessecação é uma prática adotada para eliminar a vegetação de uma área e iniciar a semeadura da cultura comercial “no limpo”.

Esse manejo elimina plantas daninhas e restos da cultura antecessora no pré-plantio, evitando a competição entre daninhas e cultura no desenvolvimento inicial. 

Além disso, ajuda a formar palha para plantio direto quando plantas de cobertura são utilizadas na entressafra.

As plantas que não são eliminadas na dessecação podem hospedar pragas que atacam a lavoura no início do ciclo da cultura.

A pulverização para dessecação exige um planejamento apropriado, que inclui a aplicação de herbicidas com mecanismo de ação adequado para cada tipo de planta daninha identificada. 

Outros aspectos essenciais para o planejamento são:

  • o momento correto da dessecação;
  • conhecimento do solo para obter um bom residual;
  • boas práticas para pulverização;
  • informações adequadas de condições climáticas.

Uma prática importante a ser considerada no planejamento é o uso de inseticidas na dessecação da área. Você verá mais sobre isso a seguir.

Uso de plantas de cobertura na entressafra

Considere a cultura anterior para a obtenção de boas produtividades. Muitos produtores rurais têm optado pelas plantas de cobertura verde na entressafra.

No sul do país, culturas como aveia, azevém e ervilhaca são comuns. No cerrado brasileiro, a utilização do milheto, braquiária e crotalária pode ser destacada.

Neste cenário, pragas como lagartas polífagas têm sido beneficiadas. Elas têm capacidade de se reproduzir nesses campos e se abrigar na palha junto ao solo até a cultura comercial emergir, quando cortam as plântulas.

Lagartas do gênero Spodoptera apresentam esse comportamento de sobrevivência no ano todo. Isso porque completam seu ciclo se alimentando de diversas espécies vegetais até o início do ciclo da cultura, quando comem as plântulas.

Lavoura dessecada para semeadura

Lavoura dessecada para semeadura
(Fonte: Dekalb)

Regiões produtoras das principais culturas (soja, milho e algodão), onde se utilizam plantio escalonado (sucessão de culturas e/ou uso de cobertura verde) disponibilizam alimento constante para insetos, principalmente estas lagartas.

Tendo em vista o cenário de redução de estande e a consequente redução de produtividade, você viu a importância do controle inicial das pragas.

Quando é válido usar inseticidas na dessecação?

O uso dos inseticidas na dessecação visa a eliminar pragas antes do plantio da cultura comercial.

Como todo manejo, exige a avaliação de quesitos que determinam a viabilidade ou não desta prática, pois pode não haver necessidade. 

E como saber se há real necessidade?

Existem maneiras de você saber se deve ou não aplicar o manejo, respondendo a alguns questionamentos.

  • o estande de plantas é reduzido significativamente pelas lagartas?
  • a infestação de lagartas é reduzida no ciclo inicial da cultura?
  • a produtividade é afetada pelas lagartas que sobreviveram na palha?
  • os benefícios econômicos da aplicação de inseticidas na dessecação são reais?

Antes de definir qualquer estratégia, você deve conhecer as espécies presentes e escolher fazer ou não o controle. Essa informação é obtida através do Manejo Integrado de Pragas (MIP).

Quais inseticidas usar na dessecação?

Os produtos utilizados na dessecação são normalmente piretróides, carbamatos e organofosforados. Eles possuem como vantagem o menor custo, porém não são seletivos aos inimigos naturais.

Tendo em vista esse entrave, novas moléculas estão surgindo para contornar esse problema, agindo como ferramentas estratégicas do MIP.

Empresas têm apostado no IA (Ingrediente Ativo) metomil, se tratando de eficiência de controle e preservação contra inimigos naturais. Este inseticida pode ser utilizado com o glifosato, facilitando muito o manejo.

No entanto, estudo realizado no MT demonstrou que essa associação pode prejudicar a ação do inseticida citado acima, não recomendando essa mistura. O mesmo estudo demonstrou boa interação de tanque e bom controle do glifosato com IA espinosade.

Espinosade é um inseticida de origem natural do grupo químico espinosinas (extraído da bactéria Saccharopolyspora spinosa) e também é seletivo aos principais inimigos naturais de pragas de lavoura.

A seletividade dos produtos preserva o controle biológico natural, prática básica do MIP. Este fator melhora o controle das pragas, embora algumas possam ser tolerantes ou resistentes a alguns IAs.

Outros IAs também podem ser utilizados em conjunto com glifosato com bons resultados, como mostra a imagem a seguir.

tabela com produtividade da soja após pulverização de diferentes inseticidas na dessecação

Produtividade da soja após pulverização de diferentes inseticidas na dessecação
(Fonte: Revista Planta Daninha)

Ambos os inseticidas citados são recomendados para as principais culturas de plantas de lavoura e possuem bons resultados no controle de lagartas. Mais informações sobre estes e outros inseticidas você pode encontrar no Agrofit.

A utilização do controle cultural é outra estratégia importante do MIP. Soja, milho e algodão com tecnologia BT auxiliam no controle das pragas que sobrevivem à pulverização na dessecação e ajudam na manutenção do estande de plantas.

Para te ajudar no processo de pulverização, separei uma planilha para você. Clique na figura a seguir para baixá-la gratuitamente.

planilha de cálculo de pulverização Aegro, baixe agora

Conclusão

O uso de inseticida na dessecação é uma prática importante para o controle de pragas que podem atacar a lavoura no início do ciclo da cultura.

A eliminação ou redução da população de pragas (principalmente a Spodoptera) sem afetar os inimigos naturais é o objetivo dessa prática.

Avalie bem a situação de sua lavoura antes de decidir sobre usar ou não inseticidas na dessecação. Planeje bem sua safra e melhore seu plantio!

Escolha os produtos corretos para não gerar incompatibilidade e preservar os inimigos naturais e siga todas as recomendações de boas práticas agrícolas.

Isso aumenta a sua eficiência e rentabilidade. E não se esqueça: o planejamento é a chave para o sucesso de sua safra!

Ficou alguma dúvida sobre o uso de inseticida na dessecação? Conte a sua experiência sobre o assunto aqui nos comentários.