Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Você sabia que com um planejamento agrícola bem feito você pode gastar menos e ganhar mais?

Afinal de contas, quem não quer reduzir seus custos e aumentar sua rentabilidade.

Até porque não existe árvore que dê dinheiro…

Para reduzir os custos da nossa casa nós prestamos mais atenção no uso de energia elétrica, no uso da água e nas compras no supermercado.

E tem o modo de economizar em cada um desses itens.

Para a energia elétrica, por exemplo, nós desligamos as luzes dos cômodos que não estão sendo usados, tomando banho mais rápido, etc.

Mas e na sua fazenda?

Quais os itens a que você deve se atentar?

E qual o modo certo de economizar sem afetar a produtividade?

Ficou curioso? Então confira abaixo como fazer um planejamento agrícola.

Como o planejamento agrícola se relaciona com diminuição de custos?

Antes de tudo, você precisa saber que o planejamento estratégico da produção agrícola é a raiz de tudo isso.

O controle de custos é uma corrente para ter lucratividade.

Voltando ao exemplo da nossa casa, nela você sabe exatamente o que fazer e como fazer para diminuir os custos.

E o jeito de saber isso na sua propriedade é por um bom planejamento agrícola.

Quais são os principais itens que me fazem gastar mais?

Como fazer um estoque enxuto, mas que atenda às necessidades do campo?

A tudo isso, você vai encontrar a resposta quando fizer um planejamento bem feito.

Agora que você sabe a importância do planejamento agrícola bem feito, vamos aos principais itens que você deve se atentar e planejar corretamente para que no final do mês nada esteja vermelho na sua conta.

Diferença entre planejamento agrícola e tomada de decisão

Pegamos o exemplo anterior da sua casa.

Você tem todos os dados anotados, certo?

Conta de luz, conta de água, conta do gás, conta da TV por assinatura, telefone, celular, enfim. Agora você tem todas as contas e sabe o quanto você vai ter que ganhar por mês para pagá-las.

Imaginemos que suas contas foram mais altas do que você recebeu no fim do mês.

Diante destes dados, agora você tem que tomar uma decisão. Continuo com minhas contas a pagar no vermelho ou irei otimizar para gastar menos e sobrar mais dinheiro no final do mês?

No planejamento agrícola é a mesma coisa. A administração rural é o planejamento das atividades agropecuárias.

Depois que você planeja o que irá fazer na sua lavoura, você tem dados e informações para tomar decisão.

Irei plantar em todos os talhões? Se sim, quanto tenho que investir na compra de insumos e defensivos?

Irá acontecer algum extremo climático na semeadura? Se sim, você tem que tomar decisões para minimizar riscos.

Enfim, dentro do planejamento agrícola irá acontecer centenas de tomadas de decisões o tempo todo.

Diminua seus custos com planejamento e dimensionamento de conjuntos mecanizados agrícolas

R$ 294,6 milhões é o aumento estimado com gastos de combustíveis no estado de Mato Grosso, segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) na comparação com 2016.

maquinário agrícola

(Fonte: RD News)

Na porteira para dentro, no uso em máquinas agrícolas, o custo com diesel arcado pelos produtores rurais é estimado em R$ 105,8 milhões a mais que em 2016.

Devido a isso, planejar as paradas, pontos de manobra e rotas mais curtas é essencial.

Para isso, você terá que observar e estudar o mapa da sua propriedade.

Veja onde estão os talhões e carreadores e onde é o local de reabastecimento (para combustíveis, insumos e água).

Você deve se atentar especialmente ao tamanho dos talhões e à distância até o local de reabastecimento.

Essas verificações, juntamente com a eficiência de combustível no trator, a dose do fertilizante e o volume de calda dos defensivos são fundamentais para que você reduza os custos com combustível.

Por exemplo, no caso de uma aplicação de um defensivo recomendado para 200 litros por hectare com a capacidade de tanque de aplicação de 2000 litros, você só precisa dividir 2.000L por 200L/ha.

Então você saberá que pode fazer 10 hectares para depois reabastecer de água e defensivo.

planejamento agrícola e tomada de decisão no maquinário

Com alguns cálculos simples e conhecimento da sua área você pode planejar as rotas mais curtas e eficientes dentro da sua propriedade.

Também é importante fazer a manutenção antes e depois das operações, evitando falhas no funcionamento que podem causar quebras e prejuízos.

Regular os implementos agrícolas também é fundamental para evitar desperdícios de insumos e assim reduzir custos.

Por exemplo, a sobreposição excessiva na pulverização pode aumentar significativamente os gastos com produtos na lavoura, e pode ser minimizado ou resolvido com a correta regulação.

>> O que você precisa saber sobre regulagem e manutenção de implementos agrícolas

pulverização mecanizada nas lavouras do brasil

(Fonte: Cooperfarms)

Falando em insumos, esse é o assunto dos próximos tópicos.

Diminua seus custos envolvendo sementes

Além de uma boa semeadura ser o primeiro passo para altas produtividades, semente de baixa qualidade pode dobrar o custo de semeadura.

Por isso, é fundamental planejar e pesquisar antes da safra começar.

Você vai precisar planejar anteriormente:

  • Qual semente? Escolha de cultivares de soja, milho e feijão;
  • Qual espaçamento? Espaçamento para milho, soja e feijão;
  • Como calcular quantidade de semente a ser utilizada?

Pesquisando tudo isso anteriormente você pode buscar sementes de alta qualidade.

E sabendo a quantidade correta não terá sobra nem falta desse insumo na sua fazenda.

Tão importante quanto à semeadura, são os defensivos e fertilizantes que ajudarão a sua semente se tornar uma planta que produza muito!

Diminua seus custos envolvendo defensivos e fertilizantes

Sempre acaba faltando ou sobrando defensivos e fertilizantes na sua propriedade?

Essa é uma das principais formas de gastos desnecessários das propriedades.

Para comprar defensivos e fertilizantes sem errar (na quantidade ou na formulação) é preciso saber o que existe na sua lavoura, tanto em pragas (insetos, plantas daninhas e doenças) quanto em nutrientes no solo.

Históricos das safras passadas e monitoramento adequado são essenciais para isso.

Se você ainda não se atentou para o gasto com adubação, pense de novo!

39% dos custos das lavouras no Brasil é com fertilizantes, quase o dobro do que os EUA gasta e até quatro vezes mais do que a Argentina.

Demanda de fertilizantes por cultura

(Fonte: INTL FCStone em TradeCorp)

A adubação das fazendas é exemplo típico de como a tecnologia ajuda os produtores a cortar despesas e gerar mais lucro.

Isso porque a tecnologia de agricultura de precisão permite a visualização de manchas de solo e resulta em mapas mostrando onde é preciso mais e menos de nutrientes.

Fazendo com que a aplicação de taxa variável seja mais eficiente e econômica.

>> Como conseguir mais nutrientes para sua lavoura com adubação verde

No caso dos defensivos, essa eficiência e economia passam pelo manejo integrado.

Com a utilização do MIP (Manejo Integrado de Pragas e Doenças) foi constatada uma redução de 45% na aplicação de fungicidas em soja na safra 2016/2017 e 50%  na aplicação de inseticidas na safra 2015/16.

O monitoramento é uma das bases do MIP.

Manejo Integrado de Pragas (MIP)

(Fonte: Embrapa)

O método de amostragem mais utilizado para monitoramento de insetos de um modo geral é o pano-de-batida.

Veja como fazer o passo-a-passo desse método para cultura da soja (é adaptável para qualquer cultura):

1. Coloque um pano branco preso em duas varas e com 1 a 1,4m de comprimento estendido entre duas fileiras de soja;

2. As plantas de um lado das linhas devem ser sacudidas vigorosamente sobre o pano;

Pano de batida etapa 1 e 2

(Fonte: Embrapa)

3. Verifique os insetos (adultos e formas jovens) que caírem sobre o pano

4. Esses insetos devem ser contados e anotados numa ficha de amostragem que podem ser elaboradas de várias maneiras;

Pano de batida 3 e 4

(Fonte: Embrapa)

5. O exame de plantas, principalmente das hastes, dos pecíolos, dos ponteiros e das vagens, complementa a amostragem com o pano-de-batida.

Esse procedimento é o equivalente a uma amostragem.

Recomenda-se, no mínimo, seis amostragens para lavouras de até 10 ha, oito para lavouras de até 30 ha e 10 para lavouras de até 100 ha.

Para propriedades maiores recomenda-se a divisão por talhões de 100 ha.

Isso deve ser repetido semanalmente nas épocas críticas das pragas.

Para te ajudar, você pode baixar aqui a ficha para monitoramento de pragas e doenças desenvolvimento pela Embrapa.

Ficha MIP Soja

(Fonte: Embrapa)

Assim, o controle de insetos é feito apenas quando os níveis críticos de dano (níveis de ação de controle) forem atingidos.

Ou, se você já possui um smartphone, você pode baixar nosso aplicativo gratuito e anotar seus dados sem medo de perdê-los.

Você pode baixar o aplicativo na versão android aqui.

Ou versão para iphone aqui.

Você pode ver os níveis de ação de controle na própria ficha disponibilizada pela Embrapa que é detalhada por espécie.

Caso a espécie da sua lavoura não apareça na ficha, você pode usar essa tabela, mais geral:

Nível de Ação de Controle Soja

Níveis de ação de controle para as principais pragas da soja.

(Fonte: Embrapa)

Aplicando inseticidas somente quando é necessário, você diminui seus gastos e, de quebra, ajuda a combater a resistência de insetos aos defensivos.

>> Cuidados que você deve ter para evitar deficiência de potássio na Soja

Conclusão

Um planejamento agrícola bem feito permite o controle das suas atividades agrícolas e só assim você consegue evitar gastos desnecessários.

O maquinário agrícola, sementes, defensivos e fertilizantes são decisivos para a diminuição de custos e aqui você aprendeu a como fazer isso!

É mais controle da lavoura, e claro, dinheiro no bolso!

>> Leia mais: “6 passos para fazer o planejamento financeiro da sua fazenda com sucesso

Tem mais dicas de como diminuir os custos? Ou você já conseguiu evitar desperdícios com alguma dica que citei? Adoraria ler sua opinião! Deixe seu comentário aqui embaixo.