Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Dormência em sementes:  o que é, quando ocorre, tipos, causas e as interferências na agricultura

Na maioria das espécies, as sementes são responsáveis pela propagação das plantas.

Para poderem germinar, emergir e produzir, são necessários estímulos do ambiente. Sem eles, a produção fica comprometida.

Entretanto, algumas sementes apresentam bloqueios internos e/ou externos que impedem a germinação. Esse problema é conhecido como dormência.

Quer saber mais sobre a dormência em sementes e como ela interfere na produção agrícola? Confira a seguir!

O que é dormência em sementes?

Após a maturação, se as condições de água, temperatura, oxigênio e luz forem favoráveis, as sementes iniciam o processo de germinação.

Entretanto, há espécies que mesmo em locais com condições favoráveis não germinam. São exemplos:

  • alguns cereais (aveia, cevada);
  • frutíferas;
  • arbóreas;
  • hortaliças;
  • forrageiras;
  • ornamentais, entre outras. 

Isso ocorre por causa de mecanismos de resistência que as sementes adquirem na maturação ou após ela. Esses mecanismos são induzidos por ações do ambiente.

Tipos de dormência

Há dois tipos de dormência em sementes:

  • dormência primária: se os mecanismos de bloqueio da germinação forem adquiridos durante o processo de maturidade das sementes;
  • dormência secundária: caso a dormência seja imposta após a dispersão das sementes, devido a condições ambientais desfavoráveis.

Sementes dormentes após a dispersão irão germinar ao longo do tempo. Elas apresentarão maior longevidade e resistência a condições desfavoráveis do ambiente. 

infográfico da dormência e longevidade da semente

Dormência e longevidade da semente
(Fonte: Revistaneoo)

A dormência é uma proteção.  

A semente só irá germinar quando os mecanismos de bloqueio forem removidos ou desativados naturalmente, e as condições ambientais forem ideais para aquela espécie.

Interferência da dormência na produção agrícola 

A dormência é favorável por evitar germinação da semente quando ainda está ligada à planta-mãe. Além disso, as sementes se conservam por longos períodos. Bancos de sementes e armazenagem são ideais.

Entretanto, como desvantagem, a superação natural da dormência pode ser longa. Pode levar meses ou anos, o que dificulta a avaliação da qualidade das sementes colhidas.

Muitas plantas daninhas apresentam esses mecanismos para que haja perpetuação da espécie. Como consequência, seu controle é dificultado.

A germinação de sementes dormentes é desuniforme e lenta. Isso reduz a germinação em campo, e é necessário realizar tratamento para a quebra da dormência.

Germinação desuniforme de Brachiaria devido a dormência

Germinação desuniforme de Brachiaria devido a dormência
(Fonte: Conceito Agronômico)

Como ocorre a dormência nas sementes?

A dormência pode ser primária ou secundária. As causas desses dois tipos de dormência podem ser endógenas e exógenas

Endógena

As causas endógenas da dormência também são denominadas embrionárias, pois são associadas ao embrião das sementes.

A dormência endógena pode ser subdivida em fisiológica, morfológica ou morfofisiológica.

Fisiológica 

Ocorre devido à presença de substâncias inibidoras da germinação ou falta de substâncias promotoras presentes no embrião ou endosperma. Há aí um desbalanço hormonal.

Também pode ocorrer devido à restrição no desenvolvimento do embrião, causada pelos tecidos que o envolvem.

Morfológica 

Ocorre quando as sementes são dispersas da planta-mãe, mas o embrião não está totalmente desenvolvido.

Essa dormência é perdida com o tempo. Por isso, as sementes colhidas precisam de um período para que o embrião fique pronto para ocorrer a germinação.

Morfofisiológica 

Essa é a combinação da causa fisiológica e morfológica.

Exógena 

As causas exógenas são ligadas ao impedimento físico da germinação, que começa com a protrusão da raiz primária.

Esses impedimentos são causados pelo pericarpo e tegumento das sementes. Eles são subdivididos em dormência química, física e mecânica.

Dormência química 

Ocorre pela presença de inibidores químicos presentes no pericarpo das sementes. Esses compostos impedem a germinação. Essa causa é adquirida quando as sementes ainda estão ligadas à planta-mãe.

Dormência física 

O pericarpo ou o tegumento das sementes impedem a passagem de água e gases para seu interior. Essa obstrução pode ser adquirida na dormência primária ou secundária.

Mecânica  

Ocorre quando as sementes ainda estão ligadas à planta-mãe. A consistência do mesocarpo ou endocarpo impedem o crescimento do embrião.

Principais causas da dormência por espécies

A dormência nas sementes muitas vezes é uma associação das causas apresentadas acima. Algumas causas são mais encontradas com maior frequência nas espécies de importância agrícola.

A impermeabilidade a trocas gasosas pelo tegumento impede a entrada de oxigênio no interior das sementes. Sem a entrada de oxigênio e saída de gás carbônico, as sementes não conseguem germinar. São afetados:

  • alface;
  • trigo;
  • maçã;
  • beterraba;
  • abóbora;
  • cevada;
  • e arroz.

Na dormência do embrião, as sementes são formadas de modo desuniforme. 

Algumas sementes, após se desprenderem da planta-mãe, apresentam o embrião em desenvolvimento, necessitando de um período para poderem germinar. São afetados:

  • cenoura;
  • aveia;
  • castanha do Brasil;
  • gramíneas forrageiras;
  • manga;
  • pêssego.

A resistência mecânica da cobertura é ligada à causa de dormência mecânica. Alguns componentes da semente, como pericarpo, tegumento e endosperma, são barreiras que impedem o crescimento do embrião. Pode ocorrer em:

  • pepino;
  • pimenta;
  • tabaco;
  • tomate.

As sementes que não conseguem absorver água são conhecidas como sementes duras. Impermeabilidade do tegumento a água é uma das causas mais comuns em espécies cultivadas, como:

  • quiabo;
  • alfafa;
  • leucena;
  • mucuna preta;
  • soja perene.

Substâncias inibidoras, como o ácido abscísico, podem estar presentes nos componentes internos ou externos das sementes. A semente só irá germinar quando houver um balanço hormonal adequado entre os inibidores e promotores da germinação.

São afetados:

O que fazer para superar a dormência em sementes?

Para evitar falhas de estande pela ocorrência de germinação desuniforme, é necessário realizar, em alguns casos, a superação da dormência.

Cada causa tem um ou mais tratamentos para remover os mecanismos que provocam dormência. Veja abaixo os principais tratamentos:

infográfico com tratamentos para superação das diferentes causa de dormência sendo choque de temperatura, embebição em água, exposição a ácidos, desgaste em local áspero, utilização de hormônios vegetais e imersão em água quente

Tratamentos para superação das diferentes causa de dormência
(Fonte: G1)

Armazenamento

Para sementes que apresentam dormência devido ao embrião imaturo ou alta concentração de inibidores da germinação, o armazenamento é o método para superar este bloqueio.

Com alguns meses de armazenamento, o embrião completa seu desenvolvimento. A  concentração de inibidores da germinação pode diminuir, aumentando a presença dos hormônios promotores da germinação.

O uso de giberelinas em algumas sementes têm demonstrado aumento da germinação, causado pela superação da dormência.  

Escarificação química

A escarificação química com uso de ácidos é utilizada nas sementes em que a dormência é causada pela impermeabilidade à água, gases ou inibidores químicos. Esses ácidos permitem que as sementes realizem as trocas.

Sementes de Brachiaria antes e depois da escarificação química

Sementes de Brachiaria antes e depois da escarificação química
(Fonte: Matsuda)

Uso de água quente

O uso de calor pode ser eficiente para superar a dormência, principalmente as causadas por ação de inibidores. O uso de água quente é uma boa opção.

Escarificação mecânica

Em sementes que apresentam impedimento na entrada de água, é necessário realizar a escarificação mecânica.

Esse tratamento consiste em remover parte do tegumento para que a água possa entrar. Assim, a semente ativa o metabolismo e germina.

foto de escarificação mecânica com uso de lixa

Escarificação mecânica com uso de lixa
(Fonte: Horta em casa)

Na Regra para Análise de Sementes, você encontra as espécies botânicas e os principais tratamentos recomendados para superar a dormência.

planilha de controle dos custos com insumos Aegro, baixe grátis

Conclusão

A dormência nas sementes é algo complexo. É muito influenciada pelo clima, durante a maturação.

O bloqueio da germinação pode ocorrer devido a uma ou mais causas de dormência. Essas causas impedem a germinação adequada das sementes.

A dormência é algo natural. O melhoramento genético retirou esse mecanismo de proteção de algumas espécies de importância econômica.

Além disso, existem diversos tratamentos para superação de dormência. Para realizá-los corretamente, é necessário saber qual dormência sua semente apresenta.

>> Leia mais:

Tratamento de sementes na fazenda ou industrial? Faça a melhor escolha!

Tratamento de sementes de trigo na fazenda: Confira as melhores práticas

Tratamento de sementes de soja ainda melhor: Todas as orientações

Restou alguma dúvida sobre a dormência em sementes? Você já teve de realizar algum tratamento para superá-la? Adoraria ler seu comentário abaixo!