Blog Aegro Logo
Blog da Aegro para negócios rurais
Vagem e grãos de mucuna-preta nas mãos de uma pessoa

Por que a mucuna-preta pode ser uma opção vantajosa para adubação verde

- 7 de junho de 2022

Mucuna-preta: conheça as características, como cultivar, formas de utilização e também os benefícios da rotação de culturas com essa espécie.

A mucuna-preta é uma leguminosa de primavera/verão com hábito de crescimento trepador. Ela controla a presença de nematoides e de plantas daninhas, além de ser vantajosa para solos degradados.

Trata-se de uma planta rústica e adaptada às condições de clima e de solo brasileiros.

Neste artigo, confira um pouco mais sobre a mucuna-preta e os benefícios do seu cultivo para adubação verde e rotação de culturas. Boa leitura!

Mucuna-preta: para que serve?

A mucuna-preta é uma planta com diferentes finalidades: adubação verde, fixação biológica do nitrogênio, rotação de culturas, recuperação de áreas degradadas e no combate à erosão do solo. 

Em razão da grande produção de biomassa, garante cobertura vegetal bastante eficiente na conservação do solo.

Além disso, a mucuna-preta tem potencial na alimentação humana e animal. Os grãos têm alto teor de proteína e a planta pode ser destinada à produção de silagem e feno, e também ser utilizada sob pastejo direto.

A mucuna-preta também é uma alternativa para o controle de plantas daninhas e de nematoide-das-galhas (Meloidogyne incognita e Meloidogyne javanica). 

Características da mucuna-preta 

A mucuna-preta (Mucuna pruriens ou Mucuna aterrima) é uma espécie herbácea da família Fabaceae, das leguminosas. Ela é adaptável ao clima tropical e subtropical, e seu ciclo pode ser anual ou bianual.

O período do plantio ao pleno florescimento é de 140 a 180 dias. Além disso, os caules da mucuna são grandes, finos e flexíveis. Ela tem hábito de crescimento rasteiro e trepador. Seu porte é baixo, podendo medir até 90 cm de altura. 

As flores são grandes e de coloração violeta ou branca. As vagens têm de 3 a 6 sementes

Mucuna-preta em lavoura, na fase de inflorescência

Inflorescência da mucuna-preta

(Fonte: TV TEM)

As sementes são grandes, pretas e com hilo de cor clara. Além disso, a dormência das sementes da mucuna-preta é comum. Isso ocorre em função da impermeabilidade do tegumento à água. 

Para a quebra da dormência, a Embrapa recomenda que antes do plantio as sementes sejam colocadas em água quente. A temperatura deve ser de aproximadamente 80 °C e as sementes devem permanecer na água durante um minuto.

Vagem de mucuna-preta com alguns grãos

Vagem com sementes de mucuna-preta

(Fonte: Adaptado de Santos, 2016)

A mucuna-preta é bastante rústica e apresenta boa adaptação às condições de solos ácidos. Ela também tolera bem elevadas temperaturas e déficit hídrico.

Essa leguminosa se desenvolve tanto em solos argilosos quanto nos solos arenosos. Além disso, não é exigente quanto à fertilidade. 

Ela é tolerante à toxidez por alumínio, ao sombreamento e ao encharcamento temporário do solo.

Plantio da mucuna-preta

Geralmente, a semeadura da mucuna-preta é realizada em linhas. A recomendação é de 6 a 9 sementes por metro linear, com espaçamento entre linhas de 50 cm.

O plantio também pode ser feito em covas. No plantio em covas, a recomendação é de 2 a 3 sementes por cova, espaçadas em 40 cm.

Fique de olho também na quantidade de sementes: geralmente, usa-se 60 kg de sementes de mucuna-preta por hectare. Se a semeadura for feita a lanço, é recomendado usar 100 kg por hectare.

A melhor época para plantio da mucuna-preta é entre outubro e novembro. Logo em seguida da floração, cerca de 150 dias depois do plantio, é feito o corte/colheita da mucuna.

Inoculação 

No intuito de maximizar a fixação de nitrogênio, é recomendado fazer a inoculação das sementes de mucuna-preta antes do plantio. A estirpe de rizóbio indicada é a SEMIA 6158 (BR 2811), da Embrapa Cerrados.

Isso é necessário porque a fixação biológica do nitrogênio ocorre pela simbiose estabelecida entre as raízes das leguminosas e bactérias específicas (rizóbios). 

Em solos com baixa fertilidade, a nodulação da mucuna-preta pode ficar abaixo do esperado.  Isso ocorre pela baixa eficiência das bactérias nativas presente no solo.  A ausência desses microrganismos também é um problema.  

Quais os benefícios da mucuna na rotação de culturas? 

A rotação com mucuna-preta pode trazer inúmeros benefícios à lavoura, como descompactação do solo e melhora das condições de aeração e infiltração de água. Além disso, reduz os custos com adubação, manejo de plantas daninhas e nematoides. 

A mucuna-preta é excelente para adubação verde e fixação biológica de nitrogênio. Ela também oferece maior sustentabilidade da atividade agrícola e maior produtividade da cultura principal.

A rotação de mucuna-preta com soja, milho e feijão é uma prática agrícola muito comum. O cultivo de espécies como a mucuna ocorre na entressafra da cultura anual, e serve como fonte de nutrientes para a próxima safra, principalmente nitrogênio.

Vale ressaltar que os dois principais e mais relevantes benefícios são o controle de plantas daninhas e de nematoides. Veja mais sobre eles em seguida.

Controle de plantas daninhas

A mucuna-preta suprime plantas invasoras da lavoura. Seu rápido crescimento forma uma barreira física que prejudica o desenvolvimento de espécies espontâneas. 

Além da barreira física, ela também apresenta efeitos alelopáticos que contribuem para o manejo de daninhas. Isso quer dizer que ela produz compostos que inibem o desenvolvimento dessas plantas.

O picão-preto (Bidens pilosa) e a tiririca (Cyperus rotundus) são exemplos de invasoras afetadas pela mucuna-preta.

Controle de nematoides

Em áreas infestadas por nematoide-das-galhas (Meloidogyne incognita e Meloidogyne javanica), a mucuna-preta apresenta eficiente controle da população dos parasitas.

Apesar disso, é importante lembrar que o cultivo dessa planta de forma sucessiva em uma mesma área deve ser evitado. Afinal, a mucuna-preta é hospedeira de outro gênero de nematóide, o Pratylenchus, também conhecido por nematóide-das-lesões.

Dessa forma, o plantio sequenciado da mucuna-preta pode reduzir a população de nematóides do gênero Meloidogyne. Entretanto, pode favorecer os nematóides do gênero Pratylenchus.

Outra planta que tem efeito direto no controle de nematóides é a crotalária. Assim como a mucuna-preta, ela melhora a qualidade do solo e aumenta a população de microrganismos inimigos dos fitonematóides. 

planilha controle de custos por safra

Conclusão

A mucuna-preta é utilizada como adubo verde, na recuperação de áreas degradadas, no combate à erosão e na rotação de culturas.

Ela incrementa a matéria orgânica do solo e favorece a manutenção do equilíbrio dos nutrientes. Além disso, diminui os custos de produção pela menor dependência dos adubos nitrogenados.

Essa espécie também colabora com o manejo de nematóides e plantas invasoras. Todos esses motivos são mais que suficientes para considerar o plantio de mucuna-preta na lavoura!

Você já cultivou mucuna-preta na sua propriedade? Teve uma boa experiência com a cultura? Adoraria ler seu comentário.

Comentários

  1. Anísio Rocha disse:

    Muito interessante esta matéria!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.