Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

8 perguntas para fazer ao seu consultor sobre defensivos agrícolas

- 15 de junho de 2018

Entenda agora quais são as 8 perguntas que você deve fazer ao seu consultor sobre uso de defensivos agrícolas.

Pesquisas mostram que os defensivos agrícolas terão aumento de 15% no preço, enquanto outros falam de até 30% em 2018.

O resultado você já sabe: ainda maiores custos na sua produção agrícola.

numeros sobre uso de defensivos agricolas

(Fonte: Dinheiro Rural)

Planejar e orçar tudo o que será usado com o auxílio de um consultor agrícola facilita muito o corte de desperdícios e escolhas indevidas.

No entanto, precisamos saber mais sobre os produtos químicos, especialmente para escapar de “enrascadas”.

Para isso, o que perguntar para seu consultor e evitar todos esses problemas?

Neste artigo mostramos as principais perguntas para você fazer ao seu consultor, com informações valiosas sobre uso de defensivos agrícolas! Veja:

Primeiro passo antes da aquisição de seu defensivo agrícola

Assim como eu já comentei, o planejamento é o primeiro passo para tudo.

Isto inclui a época de plantio, quais as culturas a serem rotacionadas, análise de solo completa e manejo da adubação, escolha de sementes, entre outros.

No caso dos defensivos agrícolas, é muito interessante ter em mãos o histórico da área mostrando o que houve na propriedade em relação às plantas daninhas, doenças e insetos.

Assim você já sabe muito antes o que vai ser preciso na próxima safra, já que essas pragas das safras passadas tendem a ocorrer nas próximas.

Como ter esse histórico: monitoramento.

planilha de compras de insumos

A inspeção frequente da lavoura, anotando o que foi encontrado nela faz com que doenças e outras infestações sejam combatidas logo no início.

Além de que, o monitoramento é chave no Manejo Integrado de Pragas.

Após monitorar sua lavoura e consultar seu histórico, você deve conversar com o consultor e certificar-se de obter respostas precisas às suas perguntas que irão evitar que entre em uma “roubada”.

Para isso, confira as perguntas:

Veja agora as 8 perguntas sobre uso de defensivos agrícolas que você deve fazer ao seu consultor:

1. Qual é a bula deste defensivo agrícola?

Veja a bula dos herbicidas, fungicidas e inseticidas que foi indicado.

Vendo a bula você tem certeza se o produto é mesmo registrado pelo MAPA, se é indicado para sua cultura e para o problema que possui, além das doses corretas.

Eu sei que não é nada confortável ler a bula no próprio produto, mas por isso que existem sites confiáveis que podemos verificar as informações sobre os produtos.

Nesse sentido, você pode consultar os produtos registrados no país pelo site do Agrofit.

No site você pode procurar por inseticidas, herbicidas e todos os produtos químicos registrados no MAPA.

No exemplo abaixo eu comecei a procurar produtos registrados no combate de insetos:

agrofit-defensivos-agrícolas

Depois é só completar com as demais informações e fazer sua consulta.

Lembre-se também que os defensivos agrícolas só podem ser comercializados com receituário agronômico obtido por profissional habilitado.

Neste artigo ensinamos como fazer uma lista de defensivos agrícolas.

>> Tudo o que você precisa saber para fazer sua lista de defensivos agrícolas na pré-safra

Você deve comprar a quantidade exata de defensivo que irá utilizar durante a safra, evitando que sobre ou falte, já que ambas podem lhe causar prejuízos financeiros.

Importante que fique atento ao prazo de validade e à qualidade da embalagem, se estão danificadas e se você consegue ler a bula, sem dificuldades.

Armazene seus defensivos agrícolas adequadamente consultando o artigo:

>> Armazenagem de defensivos agrícolas: como fazer e o que é preciso saber

2. Como deve ser feita a aplicação deste defensivo agrícola?

De nada adianta ter o produto correto, se a aplicação de defensivos agrícolas não for bem realizada.

Assim, pergunte ao seu consultor sobre:

Época de aplicação

A época de aplicação está relacionada com o estádio fenológico da cultura, dessa forma, você deve monitorar sempre como está o desenvolvimento da cultura.

Além disso, também sempre questione qual nível de controle ou infestação, independente se for planta daninha, inseto ou fungo.

Para inseticidas, o correto é fazer o monitoramento e seguir os níveis de controle.

Assim, a aplicação é feita somente quando a população do inseto ou os danos da cultura atingirem esse dano.

É muito importante também perguntar qual época não se pode aplicar por prejudicar muito a cultura.

defenivos-agricolas

(Fonte: Dinheiro Rural)

Condições ambientais

Segundo a Embrapa, de modo geral as condições climáticas no momento de aplicação devem ser:

  • Temperatura: mínima de 10°C; ideal de 20° a 30°C; máxima de 35°C;
  • Umidade relativa do ar: mínima de 60%; ideal 70 a 90%; máxima de 95%;
  • Não realizar aplicações com velocidades de vento acima de 10 km/h sobre plantas estressadas ou em casos de chuva;

A recomendação de não aplicar em plantas estressadas, se deve à menor absorção e translocação do produto no interior da planta.

Lembre-se que cada produto apresenta uma condição ideal de aplicação, portanto, isso é algo que você deve perguntar.

Certifique-se que a regulagem e calibração do pulverizador seja feita a cada aplicação, de acordo com as características da cultura e do produto.

Procure utilizar bicos de acordo com o prescrito, dependendo do alvo a ser controlado, e ao modo de aplicação.

>> O que você precisa saber sobre regulagem e manutenção de implementos agrícolas

3. Qual a dose recomendada?

Perguntar sobre doses, qual a necessidade de aumentar as doses de algum produto dependendo da sua situação, é primordial.

A dose recomendada na bula, podendo variar de acordo com as mudanças das condições climáticas ou situações de aplicação.

Como você já viu, é possível consultar a bula no Agrofit.

No entanto, caso você identifique pragas, doenças ou plantas daninhas que desconheça, sempre questione sobre as dosagens para controlar o alvo.

O volume de calda, principalmente nessas situações de dúvida, deve ser perguntado.

Muitas vezes, o aumento das áreas de plantio ou por questões de transporte, tendemos a optar por diminuir o volume de calda aplicado por hectare.

No entanto, isso causa maior concentração de ingrediente ativo dentro da calda e diminui o tamanho da gota na superfície da folha, podendo causar sintomas de intoxicação, prejudicando a cultura.  

Não se esqueça de perguntar sobre a necessidade de óleos e adjuvantes e qual a dose mais indicada também desses produtos.

4. Qual a porcentagem de controle deste produto para determinada praga? Não existe outro com igual e mais barato?

Tão importante quanto ter os dados do fabricante, sobre quais espécies o produto controla, é ter dados estatisticamente relevantes para te orientar se o seu problema será resolvido.

pulverizador-defensivos-agricolas

(Fonte: Jacto)

Pesquisar sobre a eficiência de controle do produto, além de conhecer as características técnicas, garantem que você esteja a um passo à frente antes de conversar com seu consultor e tomar as decisões de compra.

Por exemplo, no caso de herbicidas, o controle de 80% das plantas daninhas é considerado o mínimo para se dizer que a aplicação foi eficiente.

Menos que isso, não se recomenda que utilize o herbicida.

Além de que, sempre pesquise no Agrofit outros produtos que parecem ter a mesma ação e que podem custar menos.

Você pode questionar o seu consultor sobre esses outros produtos e perguntar as diferenças de eficiência entre eles.

5. Como fazer a mistura de defensivos agrícolas no tanque de aplicação?

Acredito que mistura de defensivos agrícolas no Brasil, em tanques de aplicação é um assunto bastante polêmico.

Isso porque estudos mostraram que 97% dos produtores utilizam misturas, mas ainda não é legalizado no Brasil.

Também há muitas dúvidas sobre  incompatibilidade de produtos e intoxicação das culturas.

Sendo assim, esta é uma pergunta de grande importância: pergunte se esse produto pode ser misturado com outros defensivos químicos, quais possuem incompatibilidade com ele, etc.

Fique atento também para a ordem de mistura desses produtos, conforme recomendado:

ordem-mistura-defensivo-agricola

(Fonte: Syngenta)

Este artigo do blog, pode tirar grande parte de suas dúvidas sobre a mistura de defensivos agrícolas.

6. Qual é o intervalo de segurança desse defensivo agrícola?

Intervalo de segurança, ou período de carência, é o intervalo de tempo entre a aplicação e a colheita, para o uso e consumo seguro do alimento.

Este prazo tem como objetivo garantir que o alimento esteja dentro do LMR (Limite máximo de Resíduos), no momento de colheita e manuseio.

Este limite é determinado pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e cada produto tem o seu intervalo.

É uma informação que você deve se certificar, principalmente para culturas frutíferas, ou se pretende exportar a produção final.

7. Influência do uso de defensivos agrícolas na sua cultura

Você deve ficar atento ao efeito residual no solo, de herbicidas, por exemplo, e à fitotoxicidade.

Uma situação que acaba acontecendo bastante é a seguinte:

Um produtor realiza o controle químico com herbicidas pré-estabelecidos, sem considerar as condições da sua lavoura, como solo, clima, cultivar.

O resultado disso é a intoxicação de plantas por causa de herbicidas, aplicados nessa cultura ou até mesmo aplicados na cultura anterior.

Esse efeito prejudicial de um herbicida aplicado na safra anterior é chamado carryover, e ocorre devido ao efeito residual no solo deste defensivo agrícola.

Este caso evidencia a importância de você conhecer e questionar o consultor sobre a dinâmica dos produtos que você irá utilizar.

No entanto, outros problemas na aplicação e recomendações podem causar intoxicações nas plantas (fitointoxicação).

fitoxidez-soja-triazois

Sintoma de fitotoxicidade por fungicidas triazóis na cultura da soja
(Fonte: Grupo Cultivar)

Os sintomas de fitotoxidez na área podem ser identificados da seguinte maneira:

  • Deformações nas folhas:
    • Encarquilhamento: folhas curvadas;
    • Carijó – queima dos tecidos entre as nervuras da folha;
  • Verificar bordas da lavoura: chegada ou saída do pulverizador após acionamento ou desligamento da barra [;
  • Verificar se houve sobrepasse da barra de aplicação;
  • Observar se não se apresenta em plantas isoladas: por questões operacionais, o problema será visível em áreas de grande trânsito do pulverizador.

Além disso, pesquisas afirmam que a toxicidade de fungicidas aumentam em condições climáticas adversas, como período de seca.

Isso porque altas temperaturas aumentam a evaporação da gota aplicada, formando depósitos cristalinos nas superfícies das folhas.

8. Qual será o custo de aplicação por hectare?

Saber quanto vai custar cada aplicação por hectare, é outro fator de extrema importância que é decisiva para sua tomada de decisão.

Isso te ajuda a se planejar, escolher as melhores estratégias de controle e por fim realizar uma melhor gestão da sua propriedade.

Controlar incorretamente ou não controlar alguma praga ou doença, irá lhe trazer prejuízos financeiros.

Isso vai ocorrer seja pelo gasto desnecessários com produtos errados, ou pela queda de produtividade.

Assim, você pode adicionar esse custo de aplicação com seus custos de produção e assim comparar se vale a pena, e o quanto isso representa de seu custo total.

custo-realizado-defensivos-herbicida

Conclusão

Fazer as perguntas certas te previne de cometer erros na escolha de produtos e auxilia a fazer o manejo da melhor forma possível.

Na minha opinião, quanto mais crítico e questionador, as chances de sucesso serão mais altas.

E não se esqueça, o consultor é alguém que te auxilia e guia para boas escolhas, mas quem tem o poder de decisão final, é você.

Aqui você conheceu mais sobre o uso de defensivos agrícolas e quais as principais perguntas a serem feitas ao seu consultor sobre defensivos agrícolas.

Agora, conhecendo seu histórico da área e seus custos de produção, você pode ter segurança na tomada de decisão!

Leia mais sobre uso de defensivos agrícolas:

>> Tudo o que você precisa saber sobre resistências a defensivos agrícolas

>> Como fazer controle de estoque de defensivos agrícolas em 5 passos

>> Defensivos agrícolas genéricos ou de marca: a batalha definitiva do que usar na sua propriedade

O que você achou do texto? Sentiu falta de alguma pergunta em específico? Quer mais dicas? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Banner de teste grátis do Aegro na cor verde com uma imagem no meio de uma máquina trabalhando no campo