Você com certeza já ouviu falar de algumas práticas de manejo, mas você sabe o que é adubação verde e de culturas de cobertura? Sabe como fazer?

Talvez a função dessas práticas não esteja tão clara assim.

Mesmo assim, eu noto em campo uma grande ascensão nas propriedades brasileiras.

Os principais motivos são o fornecimento de nutrientes, retenção de água no solo e a melhora do solo.

Estudos indicam que as plantas de cobertura conseguiram liberar ao solo formas de fósforo que equivalem a 40% da demanda da cultura de milho cultivado em sequência.

Também pode ocorrer o aumento de matéria orgânica do solo de 1,7% a 6,5% em algumas áreas.

Mas para conseguir esses e outros benefícios da adubação verde e da cultura de cobertura essas práticas devem ser feitas corretamente.

Por isso, conheça mais sobre essas práticas e tire o melhor proveito delas:

O que são culturas de cobertura?

Culturas de coberturas são plantas cultivadas com a finalidade de criar uma camada de proteção no solo e melhorar a infiltração de água.

Essa camada sobre o solo ajuda a caracterizar o plantio direto, fazendo com que tenhamos mais umidade e menos erosão na nossa propriedade.

A palhada também ajuda a suprimir as plantas daninhas pelo seu efeito físico, alelopático (podem liberar substâncias que prejudicam as invasoras) e biológico.

As espécies utilizadas nesta prática são inúmeras, mas cada uma delas tem uma função específica, sendo que falaremos mais sobre isso ao longo do texto.

o que é adubação verde

(Fonte: Cultura Mix)

Vantagens da cultura de cobertura

 As culturas de cobertura apresentam algumas vantagens nos solos, dentre elas podemos citar as principais:

  • Cobertura do solo com grande quantia de massa verde;
  • Proteção do solo contra variações bruscas de temperatura;
  • Redução da infestação de plantas daninhas, com alguns trabalhos indicando que o plantio direto reduz em até 85% da infestação;
  • Aumentar a capacidade de retenção nutrientes do solo;
  • Proteção do solo contra erosão e lixiviação de nutrientes;
  • Melhoria da biodiversidade dos solos.

Agora que sabemos mais sobre a cultura de cobertura veremos sobre a adubação verde:

O que é adubação verde?

A adubação verde está relacionada à semeadura de plantas que possuem grande potencial de produção de massa vegetal.

Elas também podem possuir características morfológicas ou fisiológicas que trarão benefícios ao solo quando bem manejadas, como a fixação de nitrogênio.

Adubação verde é uma prática de cultivo milenar que visa o fornecimento de nutrientes ao solo.

Assim, após o ciclo da cultura for completado, nós passamos a grade, revolvendo a massa verde com o solo, e acelerando a ciclagem e, consequentemente, o fornecimento de nutrientes.

Podemos ver no campo que a adubação verde pode recuperar áreas degradadas e melhorar solos pobres em fertilidade e com pouca matéria orgânica.

As espécies utilizadas na adubação verde e culturas de coberturas podem ser as mesmas, o que muda é o manejo e o objetivo da prática.

Isso porque, enquanto com a cultura de cobertura deixamos a palhada sobre o solo, na adubação verde revolvemos essa massa vegetal.

Vantagens da adubação verde

A adubação verde apresenta inúmeras vantagens aos solos onde são implementadas.

Dentre as vantagens podemos falar das principais:

  • Descompactação de solos;
  • Ciclagem de nutrientes;
  • Controle de nematóides;
  • Redução de pragas agrícolas e doenças;
  • Proteção do solo contra erosão;
  • Aumento da população microbiológica dos solos;
  • Auxílio na absorção de fósforo nos solos;
  • Redução da infestação e controle de plantas daninhas;
  • Aumento da sustentabilidade dos sistemas de produção;
  • Melhora dos atributos físico químico dos solos;
  • Maior eficiência e aproveitamento de água e nutrientes;
  • Aumento da porosidade e estruturação do solo;
  • Aumento do teor de matéria orgânica.

Vejo também que a preferência dos produtores nessa prática é por leguminosas, já que têm a capacidade de fixar nitrogênio ao solo, reduzindo valores totais desse insumo.

o que é adubação verde

(Fonte: ImGrower)

Cuidados no manejo da adubação verde e cultura de cobertura

Os produtores devem se atentar ao corte das plantas, já que o corte tardio permite que as espécies introduzidas produzam sementes que serão liberadas no solo.

Essas sementes vão germinar durante sua safra, transformando em plantas daninhas na sua lavoura.

Assim, ao invés de melhorar a rentabilidade da propriedade, estaremos prejudicando ainda mais.

Por isso ter um bom manejo de plantas daninhas para este sistema é crucial no resultado final.

Além disso, cortes tardios promovem decomposição mais lenta, pois altos teores de lignina e celulose estão presentes nas plantas.

Cortes precoces favorecem o processo de decomposição das plantas, pois seus caules e folhas mais novas contém mais elementos minerais que serão de grande importância às plantas que serão introduzidas posteriormente.

Atente-se também para época ideal de cultivo para cada espécie:

épocas-plantio-adubo-verde

(Fonte: Carlos et al., 2006)

Desse modo, cabe você escolher qual prática (adubação ou cultura de cobertura) e qual corte (precoce ou tardio) utilizar, dependendo do seu planejamento agrícola.

Outro cuidado essencial é verificar os custos e benefícios dessas práticas, observando a saúde financeira da sua fazenda.

Para saber mais sobre custos de produção agrícola e como calculá-los clique aqui.

custo-realizado-gestão-rural

Diferenças entre culturas de cobertura e adubação verde

Como comentamos, a principal diferença entre as duas práticas está apenas no manejo e objetivo empregado.

A prática da cultura de cobertura forma uma camada de proteção no solo que leva geralmente mais tempo para disponibilizar os nutrientes às plantas.

Já na adubação verde, busca-se a liberação destes nutrientes em curto espaço de tempo.

Confira nos tópicos a seguir as espécies mais recomendadas para ambas as práticas.

Espécies recomendadas para adubação verde e cultura de cobertura

A espécie de adubo verde a ser escolhida devem seguir alguns critérios:

  • Ser capaz de adaptar-se à fertilidade e solos das regiões onde será inserida, sendo indicadas as espécies naturais da região;
  • Capacidade de produção de massa vegetal;
  • Reduzir a disseminação de pragas e doenças presentes nos solos;
  • Possuir crescimento rápido;
  • Capacidade de realizar a Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN);
  • Bom desenvolvimento radicular.

Espécies para adubação verde ou cultura de cobertura fixadoras de nitrogênio (N)

As leguminosas são famosas devido a sua capacidade de realização de FBN. Podem se associar às bactérias do gênero Rhizobium e Bradyrhizobium que fixam o N atmosférico.

nitrogenio-leguminosas-adubo-verde

(Fonte: Carlos et al., 2006 em Piraí)

Algumas ainda, como certas espécies de crotalárias, possuem como característica o controle de nematóides.

A palhada das leguminosas possuem menor relação C/N, o que auxilia na rápida disponibilização de nutrientes às culturas subsequentes.

Dentre os exemplos, destacam-se:

  • Feijão-de-porco;
  • Feijão guandu;
  • Ervilhaca;
  • Crotalárias;
  • Mucuna preta;
  • Lab-lab e outros.

Espécies gramíneas para adubação verde ou cultura de cobertura

A família das gramíneas apresentam elevado potencial de produção de matéria verde, mesmo em solos de baixa fertilidade.

Além disso, contam com bom desenvolvimento radicular superficial, o que favorece a atividade dos micro-organismos.

As gramíneas geram uma cobertura residual mais estável, o que beneficia ao maior acúmulo de matéria orgânica nos solos.

A utilização das gramíneas mais utilizadas são:

>> Leia mais: “Manual rápido de como fazer adubação de soja”

Onde encontrar sementes e informações para adubação verde?

Onde podemos encontrar sementes, muitas informações e conhecimento a respeito de adubação verde e culturas de cobertura é no site da Piraí.

Piraí sementes

Sediada em Piracicaba-SP, a empresa é referência no assunto, além de realizar um trabalho bem bacana dentro das Universidades, ministrando cursos e seminários a respeito do tema.

O site disponibiliza, gratuitamente, diversas publicações e campanhas sobre adubação verde e culturas de cobertura.

Vale a pena conferir!

Conclusão

Agora você já sabe o que é adubação verde e como fazer.

A adubação verde e o cultivo das culturas de cobertura auxiliam positivamente os produtores.

Como principais benefícios pode-se citar o incremento em renda, uma vez que frente a tal prática, tem-se a redução do uso de fertilizantes e melhora no solo.

Agora que você sabe as principais informações e dicas sobre essas práticas, é preciso verificar seus custos e colocá-los no seu planejamento agrícola.

Desse modo, a saúde da sua lavoura e também a da fazenda como o todo estarão muito mais garantidas!

Leia também:

>> Como produzir 211 Sacas de Milho por hectare com Gestão Agrícola

>> Colheita do milho: descubra possíveis perdas e como calculá-las

>> 5 Perdas na colheita que você pode estar sofrendo

>> Antes mesmo da colheita: Saiba estimar a produtividade de milho por hectare

>>Tipos de adubos químicos na cultura da soja

E você? Já tinha ouvido falar em adubação verde e culturas de cobertura? Você utiliza adubação verde em sua propriedade? Quer saber mais sobre alguma planta ou manejo específico? Restou alguma dúvida? Adoraria ver seu comentário abaixo.