O Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

O Blog da Logo da Aegro
plantadeira-plantio-direto

Semeadoras plantio direto: como encontrar a melhor para sua fazenda

- 5 de outubro de 2018

Plantadeira plantio direto: as melhores do mercado, as principais funções para você se atentar e mais dicas para não ter falhas na semeadura.

Semeaduras inadequadas podem ocasionar perdas na emergência de 15% ou mais na cultura do milho.

Se cada planta de soja produz em média 18 g de grãos, com a falta de emergência de uma planta por metro linear já perdemos 6 sacas de soja por hectare.

Você pode perceber como é importante a escolha correta das semeadoras.

E existe uma infinidade de máquinas presentes no mercado que podem atender às nossas condições, especialmente em plantio direto.

Mas como saber qual é a máquina ideal?

Veja agora quais são os melhores tipos de semeadoras e outras dicas para não perder mais nenhuma saca devido ao plantio:

Quais as principais funções de uma plantadeira?

As funções básicas de uma plantadeira podem ser classificadas como:

  • Armazenamento de sementes;
  • Promover a liberação controlada das sementes;
  • Distribuir corretamente a semente no terreno;
  • Preparar o leito de semeadura;
  • Cobrir as sementes;
  • Adensar o solo ao redor das sementes.

Além disso, as máquinas podem ser divididas quanto a forma de distribuição das sementes.

Essa distribuição pode ser à lanço, aérea e terrestre ou linhas.

No caso da distribuição em linhas, há duas formas de semeadura:

  1. Fluxo contínuo: sem precisão entre sementes/sementes miúdas, conhecida convencionalmente como semeadora;
  2. De precisão: dosadas uma a uma, conhecida convencionalmente como plantadora.

Partes constituintes mais importantes das semeadoras

As partes que possibilitam que as funções das plantadeiras (citadas acima) possam ser realizadas corretamente são:

  • Mecanismos dosadores de sementes;
  • Mecanismos dosadores de adubo (se houver);
  • Sulcadores;
  • Mecanismos para corte de palha – discos de corte (plantadeira plantio direto);
  • Controladores de profundidade;
  • Cobridores de sulco;
  • Mecanismos de compactação;
  • Reservatório de sementes;
  • Mecanismos de transmissão;
  • Tubos condutores de sementes;
  • Marcadores de linha;
  • Rodados.
plantadeira plantio direto

(Fonte: Semeato em Campo e Lavoura)

Além do mais ,os mecanismos devem estar calibrados corretamente para execução da boa semeadura.

Para a melhor calibração você deve se atentar ao manual da semeadora, ou mesmo consultar o revendedor ou site do fabricante.

Isso porque, as particularidades entre máquinas são muitas, e você deve adequá-las ao seu ambiente da fazenda.

Qual a diferença para uma plantadeira plantio direto?

Uma plantadeira plantio direto realiza a semeadura em áreas sem o preparo convencional do solo e com a presença de cobertura vegetal. Assim, ela deve mobilizar o mínimo necessário o solo, apenas nas linhas de semeadura.

A principal diferença de uma plantadeira plantio direto é que ela deve, além das demais funções que já comentamos, cortar a palha e abrir o sulco afastando-a.

Infelizmente, às vezes temos problemas para cortar e afastar a palha corretamente.

Por isso, vale a atenção redobrada na manutenção dessas máquinas agrícolas: as trocas de peças e regulagens não podem ser deixadas de lado.

Nesse sentido, saiba mais sobre regulagens em : “Como fazer a regulagem de plantadeira de soja e garantir a lavoura”.

A equipe de operadores também deve ser devidamente treinada, conhecendo todo o potencial da plantadeira plantio direto em questão.

Além disso, fique atento para os restos vegetais presentes na sua área antes da semeadura.

Se os restos estiverem mal distribuídos ou forem de grande tamanho, é provável que a plantadeira plantio direto “embuche”.

Por isso, a máquina que manejou a cultura de cobertura ou a cultura anterior deve ser adequada para picar e distribuir bem os restos vegetais.

As plantadeiras, ou semeadoras, podem ainda ser classificadas naquelas que realizam ou não a adubação em conjunto com a semeadura.

banner aegro seguros

Semeadoras adubadoras: principais características

É comum optar por plantadeira plantio direto que possua a função de adubação também.

Para semeadoras adubadoras de sementes graúdas (milho, soja, etc.) em plantio direto, deve-se buscar:

  • Carrinhos de sementes independentes e desencontrados;
  • Sistema pantográfico, principalmente nas sementes;
  • Boa flutuação vertical nos carrinhos;
  • Sulcadores que mobilizem pouco o solo;
  • Diversas opções de regulagens;
  • Fácil troca de sulcadores.
2- plantadeira-plantio-direto

(Fonte: Grupo Cultivar)

Semeadoras sem adubadoras

São máquinas que realizam a semeadura, mas não possuem depósitos de fertilizantes acoplados à máquina.

Para estes casos é necessário a realização de duas operações na área: uma máquina realizará  a semeadura da cultura e outra a adubação, na maioria das vezes a lanço.

Desse modo, é possível a realização da adubação antecipada no sulco de semeadura utilizando ferramentas de agricultura de precisão disponíveis no mercado.

A vantagem dessas semeadoras sem o depósito de adubos são os ganhos em rendimento operacional. Uma vez que, retirados os depósitos de fertilizantes é possível acoplar um maior número de linhas e ganhar em escala.

São máquinas maiores e utilizadas em terrenos extensos e relativamente planos, como temos nos cerrados brasileiros.

Assim, as máquinas que vêm se destacando  neste cenário são as famosas DBs da John Deere.

Tratam-se de  plantadoras de grandes dimensões para agricultores de média e grande escala. As máquinas variam de 23 a 48 linhas.

Algumas máquinas possuem capacidade operacional de até 18 hectares por hora, o que auxilia nas curtas janelas de semeadura, encontrados em diversas regiões brasileiras.

Opções de máquinas semeadoras sem adubadoras

A DB74 (48 linhas) e a DB50 (32 linhas) da John Deere são máquinas que se destacam nesse cenário.

3-plantadeira-plantio-direto

Plantadeira plantio direto DB74 48 linhas
(Fonte: John Deere)

O plantio sem adubação na linha, com disco duplo na semente e o sistema VacuMeter permitem velocidades maiores no deslocamento, podendo chegar até 12 km/h.

Além disso, os carrinhos do tipo pantográfico auxiliam na melhor distribuição de sementes na profundidade correta, e com isso, tem-se uma melhor emergência de estande.

Semeadora múltipla: é possível sementes miúdas e graúdas

Esta plantadeira é conhecida como multissemeadora, semeadora 2 em 1, ou ainda semeadora múltipla.

A mesma máquina possui mecanismos que são capazes de executar semeaduras tanto de fluxo contínuo quanto de precisão.

Tais máquinas possibilitam que sejam realizadas algumas alterações nos mecanismos dosadores e distribuidores.

Com essas alterações é possível semear desde culturas de inverno, como também de verão.

Essas multissemeadoras são mais comuns nas pequenas propriedades, uma vez que com apenas uma máquina, ambas as operações podem ser executadas.

No entanto, a complexidade da regulagem das peças para as operações fazem com que elas não sejam muito utilizadas.  

Além disso, as multissemeadoras exigem certa capacitação e pessoal qualificado para realização das manutenções, substituições e troca de componentes para cada operação.

>> Leia mais: “Plantio direto na soja: Como fazer ainda melhor na sua lavoura”.

Opção de semeadora múltipla

Uma das semeadoras múltiplas presentes no mercado é a linha SHM 11/13 e 15/17 da Semeato.

Embora sejam múltiplas, são semeadoras versáteis e de fácil manuseio e regulagem. Ideais para pequenas e médias propriedades.

Assim, a distribuição de sementes miúdas é realizada por meio de rotor acanalado helicoidal, com abertura de acordo com o tamanho das sementes.

Já a distribuição de sementes graúdas é realizadas por meio de discos alveolados, que devem ser trocados dependendo do tamanho de cada semente a ser plantada.

Agora que vimos sobre essas semeadoras, vamos para outro tipo de máquina:

Semeadoras de precisão (ou de sementes graúdas)

São as plantadeiras que fazem a semeadura e adubação de sementes graúdas, como o milho ou soja.

Assim, as sementes são depositadas no solo uma a uma, com distância (em geral) uniforme.

Essa distribuição uniforme é o resultado do mecanismo dosador-distribuidor e do deslocamento da máquina.

Opções de semeadora adubadoras de precisão

Uma semeadora muito boa presente no mercado para semeadura em plantio direto é a PST3 da Tatu Marchesan de 8 a 12 linhas para o espaçamento 0,45m e 0,50m entre as linhas.

A plantadora possui chassi reforçado e resistente, corte eficiente da palhada, uniformidade da adubação, plantio do estande correto e na profundidade certa com linhas de plantio do tipo pantográfica.

Suas regulagens são fáceis de serem realizadas e possui boa capacidade tanto para sementes quanto para adubos.

São 45 litros para cada linha de sementes e 400 Kg por caixa de adubo, o que diminui o tempo para reabastecimento e aumenta os rendimentos operacionais.

Veja também: “Guia para iniciantes sobre Agricultura de Precisão (AP)

Tecnologias envolvendo semeadoras

Hoje em dia, existem uma infinidade de acessórios que auxiliam os produtores no momento da semeadura perfeita. Veja algumas delas:

Monitores de sementes

Estão presentes no mercado, sensores com fotocélula que realizam a contagem de sementes que foram introduzidas na área em cada tubo condutor de sementes.

Dessa forma, erros operacionais de entupimento de linhas de semeadura podem ser evitados em tempo real.

Um sinal sonoro é emitido sempre que existirem problemas com a semeadura, auxiliando os operadores na execução correta da atividade.

Controladores de seção no plantio

Outra tecnologia bacana para quem busca otimização e intensificação da semeadura são os controladores de desligamento de seção.

Com esta ferramenta é possível reduzir gastos extras com sementes.

Ela mantém os espaçamentos corretos de semeadura, mesmo nas bordaduras ou fechamento das quadras, aumentando a eficiência de campo operacional.

Estimativas falam sobre a margem de sobreposição de 2,6% da área total semeada, sem a utilização desse sistema.

Normalmente essas tecnologias de semeadoras existem em máquinas novas, mas será que sempre compensa uma plantadeira plantio direto nova ou melhor investir na usada?

Plantadora nova X plantadora usada

É uma dúvida de muitos produtores: compro uma plantadora nova ou usada?

Atualmente existem diversas linhas de crédito que auxiliam a compra de máquinas novas.

Um programa de financiamento é o “Moderfrota”, disponível com taxa de juros pré fixada de até 7,5% ao ano aos produtores que possuem faturamento anual de até R$ 90 milhões e 9,5%  daqueles que faturam acima de R$ 90 milhões.

A aquisição de máquinas usadas pode ser uma solução também, porém, o estado da máquina a ser adquirida deve ser muito bem avaliada.

Se os custos com manutenções e peças de reposição forem altos e o rendimento operacional for prejudicado, vale sempre buscar alternativas para aquisição de máquinas novas.

No entanto, fica difícil essa avaliação se você não tem os custos reais de toda a sua produção, especialmente as máquinas e seus abastecimentos.

Com o Aegro é possível visualizar seus custos de abastecimento de modo muito mais fácil e rápido

Veja aqui como o agricultor Elivelton descobriu, por meio de dados reais, que compensava comprar uma nova máquina devido aos custos de manutenção da antiga.

Cálculo de rendimento operacional: Quanto a máquina consegue trabalhar por dia?

Vamos aprender a calcular o rendimento operacional da plantadeira plantio direto

Exemplo de uma DB74, da John Deere, plantando soja:

6-plantadeira-plantio-direto

(Fonte: John Deere)

Dessa forma, conseguimos calcular o quanto em hectares conseguimos plantar em um dia de trabalho de 10h.

Se eu tenho que plantar 2000 ha e meu rendimento operacional é de 182,25 ha/dia:

2000 ha/182,25 ha/dia = 10,97 dias

Precisaremos de uma janela de plantio de aproximadamente 11 dias para realizar a operação com essa máquina.

Se a minha janela de plantio for menor que esses 11 dias, uma solução é terceirizar parte do plantio. Outra solução seria aumentar a jornada de trabalho diário.

A compra de outra máquina que fique ociosa pode acarretar em custos desnecessários, por isso o bom planejamento agrícola é essencial para o sucesso das operações.

Plantadeira plantio direto ou Plantadora? Semeadeira ou semeadora?

Você pode perceber que ao longo do texto utilizei várias denominações. Isso porque estamos em um conversa informal.

No entanto, no conceito teórico, ocorreu em 2011, um fórum para padronização destes termos no meio acadêmico.

Esse fórum ficou conhecido pelo seu tema de “Terminologia de Máquinas Agrícolas” e foi inserido na programação do Conbea (Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola).

As diferenças, basicamente, dependem da operação que cada máquina realiza.

A semeadora é a máquina que acoplada a um trator agrícola realiza a operação da semeadura das culturas, ou seja, introduz sementes de plantas no solo.

A plantadora é a máquina que realizará o plantio das culturas e inserção no solo de partes vegetativas de plantas como bulbos, colmos e tubérculos.

Além disso, a transplantadora é a máquina que realizará o transplantio das culturas nas nossas lavouras, inserindo plântulas ou mudas no solo em seu estágio inicial.

Como exemplos das três operações podemos citar:

  • Semeadura: soja, milho, feijão, aveia
  • Plantio: cana, mandioca, batata
  • Transplantio: eucalipto, café, tomate

Portanto, como em plantio direto normalmente temos grãos, ocorre a semeadura dos mesmos.

Qual é o correto: Semeadeira ou Semeadora?

Geralmente o sufixo “ora” remete a máquina agrícola que realiza a operação.

E o sufixo “eira” remete a pessoa que planta ou semeia, por exemplo plantadeira e semeadeira.

Assim, o mais correto seria “semeadora”.

Conclusão

Existe uma infinidade de máquinas presentes no mercado.

Aqui neste artigo, cito algumas que estão mais presentes nas fazendas que visito.

Cada máquina e cada produtor deve avaliar o que é melhor para sua fazenda.

Máquinas grandes que ficam ociosas devem ser evitadas, enquanto que máquinas pequenas que possuam baixos rendimentos operacionais também.

Cada operação deve ser bem planejada, iniciando como planejamento da safra e safrinha.

Os bons gestores conseguem aumentar seus rendimentos operacionais com as máquinas certas. Os ótimos gestores conseguem fazer exatamente a mesma coisa, e ainda reduzir os custos operacionais!

>>Leia mais:

4 tipos de implementos agrícolas e quais são seus usos
O que você precisa saber sobre regulagem e manutenção de implementos agrícolas
Como fazer fluxo de caixa sem complicação na sua fazenda

E você? Já utiliza algumas dessas máquinas citadas? Utiliza alguma plantadeira plantio direto específica? Sabia que existiam semeadoras múltiplas? Restou alguma dúvida? Adoraria ver seu comentário abaixo.

Comentários

  1. Lycas disse:

    “Se cada planta de soja produz em média 18 g de grãos (180 Kg/ha), com a falta de emergência de duas plantas já perdemos 6 sacas de soja por hectare.” Não entendi qual foi o raciocínio utilizado. Poderia me explicar melhor?

  2. Luís Gustavo disse:

    Boa tarde Lucas, esse cálculo é proveniente de um raciocínio simples do professor Dirceu Gassen, onde ele fala a respeito de falhas na semeadura da soja. Para um espaçamento médio de 10cm entre plantas, e levando em conta a produção de 18g de soja produzidos por cada pé, teremos a perda de 400 kg/ha (10000/0.45 x 18g), ou seja, 6 sacas/ha. Se o vigor ou as falhas na semeadura chegarem a 2 sementes por metro linear, as perdas serão de ainda maiores, cerca de 12 sacas/ha. A matéria completa do professor pode ser acessada nesse link http://conhecimento.aegro.com.br/webinar-sps-dirceu-gassen) . Evidentemente são valores médios e que irão variar de acordo com espaçamento entre plantas e genética dos cultivares, mas nota-se a extrema importância da regulagem correta das semeadoras e atenção na velocidade ideal da operação. Espero ter ajudado!

    Grande Abraço.
    Luís Gustavo

  3. Diogo disse:

    Boa tarde Luis Gustavo, primeiramente, gostei muito do artigo e gostaria de te dar parabéns, muito bem explicado. Gostaria de saber, na sua opinião, para plantio de 30 alqueires de soja em SP, qual trator e semeadora você recomendaria. Estou pensando em começar com um trator de 100 a 120 cv usado e semeadora de 9 linhas nova, porém tenho dúvidas quanto a marca e tecnologia. É uma configuração boa para este tamanho de terreno? Você recomenda uma semeadora a vácuo pela uniformidade de planta ou uma convencional mecânica, como por exemplo a múltipla da semeato que você postou? Tenho muita dúvida, pois acredito que a semeadora é o item mais importante no que tange a distribuição da semente e adubo, que afeta diretamente a produtividade. Agradeço desde já!

    1. Fala Diegão, nessa área com uma semeadora de 9 linhas tu irá gastar cerca de 6 dias para semear os 72 hectares aproximadamente, uma vez que esta máquina possui plataforma de cerca de 4 m se for espaçamento de 0,45 cm e semeando a cerca de 4km/h e 8h por dia. A escolha por semeadora a vácuo possibilita maiores velocidades na hora de semear, é muito boa, porém mais cara também. Quanto ao trator, geralmente calculamos 15 cv para cada linha se for semeadora com disco de corte, um pouco mais se for botinha.
      Eu recomendo buscar equipamentos com revenda na sua região, seja John Deere, Case, Massey, New Holland… Quanto a semeadora, se você não for semear sementes miúdas como pastagem, uma opção é a 1109 da John Deere, eu acho fácil de regular e o operacional fica facilitado. Um trator de cerca de 100 a 130 cv consegue tracionar ela.
      Espero ter ajudado, Grande abraço, LUIS

  4. Martinho José Hoffmann disse:

    Quais são as especificações que você consideraria básicas em uma plantadeira para a realização de um plantio bem feito ? Plantadeiras pantográficas, pivotadas, pneumáticas, quais são as diferenças entre elas ?

    1. Luis disse:

      Martinho, ótima dúvida, eu gosto bastante das com carrinhos pantográficos para ajustar bem o stand de plantas, gosto se for plantio direto de trabalhar com plantadoras de disco, se for áreas maiores eu gosto de plantadoras articuladas para copiar melhor o terreno e quanto a distribuição de sementes graúdas gosto das pneumáticas que permitem (se bem calibradas) semear com maiores velocidades de plantio.
      Espero ter ajudado
      LUIS

      1. Giovanny Castro disse:

        Bom dia eu gostei muito do artigo. Saudações da Colômbia. Saudações da Colômbia. Eu estou semeando soja no sistema de plantio direto com semeadoras pantograficas de 12 linhas a 50cm e a nossa eficiência é de 20 há / dia / máquina.
        Nos trabalhos a velocidades de 4 km/h
        O que você acha? É muito pouco?

  5. Junior disse:

    Boa tarde Luis, tudo bem???? Me orienta aí se for possível. Para 800 hectares de soja em Goiás, com terreno bem plano, com poucas ondulações. Quantas plantadeiras usar? Qual a melhor plantadeira indicada, pivotada ou pantográfica? Não tenho condições de comprar plantadeiras novas, tenho que procurar por plantadeiras usadas. Qual eu procuro????? E o trator????? Você acha que um trator de 180 cv toca uma plantadeira de 12 linhas com espaçamento de 50 centímetros???? Me ajuda

  6. Olá Junior, ótima dúvida, pode usar 1 plantadeira apenas.
    O cálculo também envolve fatores como dias secos para efetuar o plantio, turnos diários que serão adotados e eficiências gerenciais de vocês na fazenda. Eu optaria por uma pantográfica de 12 linhas com espaçamento de 50cm que é o que tu deseja. Eu optaria por um trator mais potente para ter uma reserva de potência, um de 180cv também é capaz de tocar (15cv por linha), porém pode gastar mais combustível se trabalhar forçado. Tu pode optar por uma PST3 da Tatu Marchesan, mas lembra de checar se tem peças de reposição e assistência na sua região, senão busca outra marca.
    Segundo o cálculo no texto, se você trabalhar com uma plantadeira de 12 linhas, 50cm espaçamento, 4km/h, eficiência de 65% operacional e 8h no turno diário, o conjunto terá capacidade diária de semear 124,8ha. Sendo semeados os 800ha em aproximadamente 6,4 dias, óbvio que tem que colocar quebras de peças, paradas, chuvas, etc., mas 1 plantadora bem manejada dá conta do serviço.

    Espero ter ajudado.
    Luis

  7. Guilherme lovato brum disse:

    Olá Luis, muito bacana seu artigo, eu estou pensando em entrar para agricultura e vc deu dicas importantes!
    E apartir deste percebi que tenho de me preparar melhor estudar mais sobre semeadoras, tratores e claro principalmente sementes, ciclos produtivos e fertilizantes.
    E assim gostaria de lhe pedir ajuda se vc saberia me informar onde buscar mais informações?
    Grato pela atenção

    1. Raíssa Ciccheli disse:

      Olá, Guilherme
      Sou da comunicação da Aegro.
      Ficamos felizes que esteja entrando na área da agricultura. Aqui no nosso blog tem muitos artigos sobre grãos e cereais que podem auxiliar em seus estudos.
      Também temos uma plataforma de cursos, acesse por aqui: https://cursos.aegro.com.br/

      Agradecemos por nos acompanhar,
      Abraço! 🙂

  8. JUCINEI ALVES DE SOUZA disse:

    BOM DIA.
    MUITO PRODUTIVA A MATERIA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais proteção no dia a dia do produtor rural

Conheça nossas modalidades de seguros:

✓ Agrícola
✓ Máquinas e equipamentos
✓ Propriedade rural
✓ Vida
✓ Automóveis

Mecanização agrícola: foto de colheitadeira em lavoura