Blog da Aegro sobre gestão no campo e tecnologias agrícolas

Sementes de soja: importância do uso de sementes certificadas, manejo de produção, danos provocados por estresses, beneficiamento e patógenos associados a sementes

O uso de sementes de alta qualidade pode aumentar a produtividade da sua lavoura em até 20%.

É importante conhecer o máximo possível sobre as sementes de soja. Assim você saberá quais cuidados devem ser tomados para a manutenção da qualidade.

Afinal, a qualidade das sementes não pode ser melhorada, e sim conservada ao longo do armazenamento.

Neste artigo, você irá conferir todos os cuidados necessários para extrair todo o potencial de sua semente de soja.

Importância de uma semente de soja de boa qualidade

As sementes são responsáveis pelo estabelecimento adequado do estande inicial das plantas e, consequentemente, por altas produtividades.

Escolher uma semente de alta qualidade é fundamental para uma boa produção de soja.

Sementes de alta qualidade são aquelas que apresentam todos os atributos fisiológicos, físicos, sanitários, genéticos e de pureza.

No momento da escolha, opte por sementes certificadas. Elas estão dentro do padrão de qualidade estabelecido pela legislação.

Apesar da qualidade da semente ser estabelecida no campo de produção de sementes, alguns cuidados são essenciais para a manutenção dessa qualidade.

Isso envolve a escolha da cultivar e outros pontos que veremos neste artigo.

Sementes de soja de alta qualidade

Sementes de soja de alta qualidade
(Fonte: Jovenil José da Silva, 2016)

>> Leia mais: “O que caracteriza as sementes piratas e como fugir disso

Manejo da produção de sementes de soja

A escolha das sementes é fator-chave para o sucesso produtivo da lavoura. Por isso, há pontos muito importantes que devem ser considerados, como:

  • um bom manejo, começando pelo tratamento de sementes;
  • inoculação;
  • adubação da área;
  • pulverização foliar com micronutrientes;
  • controle de pragas, doenças e plantas daninhas.

Sementes certificadas passam por processos rigorosos de produção, controle de pragas, insetos e doenças. 

Além disso, passam por controle de qualidade, e possuem material genético de elevada pureza.

A germinação mínima que um lote de sementes de soja deve ter para ser comercializado é de 80%.

Porém, lotes com germinação de 90% ou 80% podem ter o vigor semelhante. Por isso, testes são importantes para conhecer o vigor do lote de sementes.

Sementes podem apresentar elevada germinação no teste, mas possuírem baixo vigor.

Inoculação de sementes com bactérias como Bradyrhizobium, fixadoras de nitrogênio e o tratamento industrial de sementes (TSCI) são indispensáveis.

Esses cuidados servem para fornecer um bom estande, uniformidade da lavoura e proteção às sementes no solo, que estarão suscetíveis a patógenos.

Nós falamos mais sobre a inoculação de sementes neste vídeo:

Aplicação de micronutrientes como molibdênio e cobalto, via foliar, no estádio  V4 da soja, são importantes para garantir o sucesso da fixação biológica de nitrogênio.

Mas atenção: o tratamento de sementes deve ser realizado imediatamente antes do plantio. O armazenamento das sementes após o tratamento não é recomendado.

Sementes tratadas e armazenadas têm redução na qualidade.

Opte sempre pelo tratamento de sementes industrial. Ele oferece maior uniformidade, economia de produtos, menor poluição ambiental, alvo mais controlado e controle de qualidade.

O tratamento de sementes on-farm, ou seja, dentro da fazenda, não é recomendado.  

Ele pode causar problemas com recobrimento uniforme das sementes, descarte de embalagens, intoxicação, além da falta de controle de qualidade da aplicação.

Danos por estresse em sementes de soja 

É indispensável conhecer quais estresses climáticos podem estar relacionados aos danos observados no campo. Esses estresses podem ser causados por:

  • elevadas temperaturas, especialmente no período de enchimento de grãos
  • restrição hídrica ou excesso de precipitações;
  • umidade;
  • percevejos.

Leia um pouco mais sobre cada um deles:

Excesso hídrico

Especialmente na fase de pré-colheita, o estresse hídrico provoca enrugamento das sementes. Isso acontece por causa da expansão e contração dos tecidos.

Sementes enrugadas devido a deterioração por umidade

Sementes enrugadas devido a deterioração por umidade
(Fonte: José de Barros França-Neto, 2018)

Déficit hídrico e elevadas temperaturas

A temperatura e umidade relativa influenciam no processo de maturação das sementes.

A rápida secagem não degrada a clorofila das sementes no mesmo grau que a secagem lenta. Isso deixa as sementes esverdeadas.

Sementes esverdeadas devido ao déficit hídrico e elevadas temperaturas durante o enchimento dos grãos

Sementes esverdeadas devido ao déficit hídrico e elevadas temperaturas durante o enchimento dos grãos
(Fonte: Danilo Estevão, 2015)

Essas condições durante o enchimento de grãos causam sementes com menor germinação e vigor, pequenas, menos densas, imaturas ou verdes, enrugadas ou deformadas.

Temperaturas elevadas 

As temperaturas elevadas podem causar sementes com depressões nos cotilédones. Além disso, podem gerar abertura parcial dos cotilédones do lado oposto ao eixo embrionário.

Sementes com cotilédones abertos, esverdeadas e sementes com depressão nos cotilédones, danos causados principalmente por altas temperaturas

Sementes com cotilédones abertos, esverdeadas e sementes com depressão nos cotilédones, danos causados principalmente por altas temperaturas
(Fonte: Zorato, 2019)

Umidade

Colheita de sementes com alto grau de umidade (a partir de 18%) provoca amassamento.

Colheita com grau de umidade muito baixo (abaixo de 13%) provoca trincamentos.

Esses trincamentos diminuem o tempo de armazenamento e facilitam a entrada de insetos e fungos.

Há muitas situações que só são visualizadas através do teste de tetrazólio

Esse teste é realizado por laboratórios de análise de sementes, e é um dos mais importantes para avaliação da qualidade de sementes de soja. 

Ele analisa o poder germinativo e o vigor, além de verificar aspectos como:

  • a perda do poder germinativo e vigor;
  • rachaduras no tegumento;
  • quebra das sementes;
  • lesões no eixo embrionário (de onde serão emitidas as raízes e a parte aérea das plântulas);
  • cortes;
  • amassamentos.

A emergência em campo também é um teste bastante utilizado para avaliar o vigor das sementes e seu estande. 

Teor de água das sementes e temperatura de secagem

A cultura da soja é colhida com diferentes umidades ou teores de água. Isso acontece de acordo com a disponibilidade ou finalidade de secadores.

A colheita é realizada assim que as sementes atingem teor de água entre 15% e 18%.

Para que a qualidade da semente de soja seja garantida, realize a secagem artificial.

Para essa operação, você deve se atentar para a temperatura da massa de sementes, de acordo com o teor de água dos grãos. Confira na tabela abaixo!

 Grau de umidade da semente (%) e temperatura da massa de sementes (ºC)

 Grau de umidade da semente (%) e temperatura da massa de sementes (ºC)
(Fonte: Krzyzanowski et al., 2015)

Danos por percevejos

Os percevejos são os insetos que mais causam danos na cultura da soja. Afetam significativamente a qualidade fisiológica do lote de sementes e a qualidade sanitária.

Quando os percevejos picam as sementes, injetam em seus tecidos enzimas e a levedura Nematospora coryli, associada a fungos como Alternaria spp. e Fusarium spp.

A consequência é a deterioração e a redução da viabilidade das sementes durante o armazenamento.

Os danos por percevejo podem ser visualizados diretamente ou pelo teste de tetrazólio.

O teste fornece informações importantes sobre a saúde da lavoura, norteando a tomada de decisão sobre quais estratégias de manejo devem ser adotadas.

Lesões necróticas em sementes de soja, resultante da picada por percevejos

Lesões necróticas em sementes de soja, resultante da picada por percevejos
(Fonte: Krzyzanoeski et al., 2015)

Qual teste é o mais adequado para o monitoramento dos danos na lavoura?

O teste de tetrazólio é o mais indicado, porque fornece informações valiosas. 

Por meio dele, é possível verificar se:

  • a velocidade de colheita está adequada;
  • as sementes estão sendo colhidas com a umidade adequada;
  • a lavoura apresenta infestação por pragas e doenças.

A maioria dos danos não pode ser visualizada a olho nu. 

Pelo teste de tetrazólio, as sementes absorvem (a depender de sua qualidade) o sal que colore seus tecidos, indicando quais fatores estão associados a sua deterioração.

Cuidados com os danos mecânicos

Danos mecânicos influenciam diretamente na qualidade das sementes. Para evitá-los, alguns cuidados devem ser tomados:

  • teor ou grau de umidade em que as sementes são colhidas;
  • velocidade e o tipo de máquina utilizada.

Colhedoras de sistema de trilha axial ou longitudinal podem causar menos dano mecânico às sementes.

Em sistemas tangenciais de trilha, podem ser utilizados sistemas de polias. Isso reduz ainda mais a velocidade do cilindro batedor, a níveis de rotação abaixo de 300-400 rpm.

Colheita entre 12% e 14% de graus de umidade causam menores danos mecânicos.

Beneficiamento e armazenamento de sementes de soja

Há casos de maiores volumes de sementes, onde sementes maiores provocam a retenção de sementes menores e com boa qualidade. Os descartes podem ser superiores a 5%.

Nesses casos, alterne as posições entre o separador em espiral e o padronizador (peneiras de classificação).

Etapas do beneficiamento de sementes de soja

Etapas do beneficiamento de sementes de soja
(Fonte:  Krzyzanoeskiet al., 2015.)

O armazenamento seguro das sementes deve ser realizado em temperaturas inferiores a 25 °C . A umidade relativa do ar deve ser inferior a 70%.

A limpeza das sementes e a remoção de matérias estranhas e impurezas são de extrema importância para a conservação ao longo do armazenamento. 

O controle de temperatura e umidade também é indispensável.

Em armazenamento de longo prazo, recomenda-se temperaturas entre 10°C e 15°C, e umidade relativa do ar entre 50% e 60%.

7 principais cuidados no armazenamento das sementes de soja

Após a compra, as sementes provavelmente ficarão armazenadas em sua fazenda até o momento ideal para a semeadura.

Este armazenamento deve ser realizado de maneira adequada para preservar a qualidade inicial das sementes, evitando sua deterioração.

Você sabe quais cuidados deve ter durante esse período?

  1. opte por um galpão bem ventilado e com piso;
  2. realize a dedetização do ambiente, deixando-o livre de fungos e roedores;
  3. não deixe suas sementes em contato direto com o chão. Você pode colocar os sacos em estrados de madeira;
  4. evite o contato direto de suas sementes com as paredes do galpão;
  5. evite armazenar neste mesmo galpão outros materiais como adubos, calcários e defensivos agrícolas;
  6. evite deixar suas sementes no sol. Lembre-se: sementes são seres vivos;
  7. a temperatura dentro da unidade de armazenamento não deve ultrapassar 25ºC e a umidade do ar deve ficar na faixa de 70%.

Em regiões muito quentes, o indicado é que as sementes sejam armazenadas em unidades construídas para essa finalidade, com controle de umidade e temperatura.

Outra opção é a utilização de galpões com material isolante de calor para evitar elevação acentuada de temperatura.

O maior problema durante o armazenamento é a combinação inadequada de alta temperatura + alta umidade.

Essa situação diminui a qualidade da semente e, consequentemente, a porcentagem de germinação e o vigor.

Quanto melhores as condições de armazenamento, maior a longevidade das sementes.

Durante o período de armazenamento, a inspeção periódica é fundamental para evitar a proliferação de insetos e pragas.

Doenças associadas às sementes de soja

Diversos patógenos podem ser transmitidos por sementes.

O controle de qualidade, o tratamento de sementes industrial e a aquisição de sementes certificadas são fundamentais. 

Esses cuidados evitam o estabelecimento de patógenos na cultura, e até mesmo para áreas consideradas livres.

Além disso, fungos de armazenamento podem se desenvolver nas sementes.

Isso ocorre especialmente quando elas não possuem controle de qualidade, como no caso das sementes salvas.

Fungos como Cladosporium sp., Aspergillus sp., Fusarium sp. e Penicillium sp., podem reduzir o vigor do lote de sementes. 

Posteriormente, impactam no estabelecimento das plântulas no campo.

Vale lembrar que sementes vigorosas e de boa qualidade podem tolerar condições adversas durante o processo germinativo e de estabelecimento de plântulas.

Dentre os principais patógenos transmitidos por sementes, destacam-se:

  • Podridão seca/seca da haste (Phomopsis spp. anamorfo Diaporthe spp.);
  • Antracnose (Colletotrichum truncatum);
  • Fusariose (Fusarium pallidoroseum (syn. F. semitectum));
  • Mancha púrpura (Cercospora kikuchii);
  • Mofo branco (Sclerotinia sclerotiorum (confundido com matérias estranhas e impurezas)).
Sementes de soja infectadas pelos fungos Phomopsis sp. (A); Colletotrichum truncatum (B); Fusarium pallidoroseum (sin. F. semitectum) (C) e Cercospora kikuchii (D)

Sementes de soja infectadas pelos fungos Phomopsis sp. (A); Colletotrichum truncatum (B); Fusarium pallidoroseum (sin. F. semitectum) (C) e Cercospora kikuchii (D)
(Fonte: Ademir Assis Henning e José de Barros França-Neto, 2018)

Sementes de soja: como escolher o melhor material genético para a lavoura?

Chegando próximo à safra de soja, a maior preocupação é qual variedade utilizar.

Alguns produtores estão de olho no que o vizinho vai semear; outros ligados nas novas tecnologias e há quem espere o que a cooperativa vai indicar.

Para todos eles e, tenho certeza que para você também, o que mais importa é a produtividade da variedade e adaptação da mesma para a região de cultivo.

Contudo, além de observar a produtividade, é fundamental observar características como:

  • grupo de maturação;
  • ciclo;
  • tipo de crescimento;
  • exigência em fertilidade;
  • resistências/ reação a doenças;
  • época de semeadura;
  • zoneamento agrícola.

A chave para o sucesso da semeadura é planejamento. Planejar e analisar qual a melhor cultivar para sua fazenda, é essencial.

É possível avaliar na propriedade o vigor do lote de sementes?

A resposta é sim, pelo teste de canteiro ou emergência em canteiro.

Para que os resultados expressem o potencial verdadeiro do lote de sementes, ele deve ser conduzido seguindo rigorosamente a metodologia padrão.

Além disso, os testes devem ser realizados em temperaturas na faixa de 20°C a 30°C

Temperaturas inferiores a 15°C e superiores a 30°C  poderão comprometer os resultados reais do vigor dos lotes.

A metodologia na íntegra pode ser consultada no Comunicado Técnico 136, elaborado pela Embrapa.

Veja algumas informações que podem te ajudar a realizar o teste de emergência em canteiros:

  • não utilize canteiros de hortas domésticas (podem conter patógenos, causando interferência no teste);
  • utilize solo coletado em lavoura, em camada superficial de 0-20 cm de profundidade;
  • não reaproveite o mesmo solo para outros testes. O solo deve ser trocado.
  • a profundidade de semeadura deve ser a mesma para todas as sementes: 3 centímetros;
  • utilize quatro repetições de 100 sementes para cada lote/amostra testada;
  • cada repetição com 100 sementes deverá ser semeada em um único sulco contínuo, respeitando o espaçamento entre si (para facilitar, você pode usar uma régua guia ou uma trena, para que a semeadura seja em espaçamentos iguais);
  • atente-se para a irrigação, que não deve ser realizada imediatamente a semeadura, evitando assim danos por embebição das sementes;
  • a irrigação deve ser realizada na manhã seguinte (cerca de 10 mm), e nos dias seguintes;
  • as contagens da emergência das plântulas pode ser realizada entre o 5º e 6º dia, correspondendo ao índice de vigor, e do 8º ao 9º dia, calculando a média entre as quatro repetições de sementes. Assim, obtém-se a porcentagem média de emergência de plântulas a campo.

Interpretação dos resultados

  • média igual ou superior a 90%: vigor muito alto;
  • média entre 85% e 89%: vigor alto;
  • média entre 75% a 84%: vigor médio;
  • média igual ou inferior a 74%: vigor baixo.

Em lotes de sementes com vigor baixo, recomenda-se a substituição das sementes. A cada 100 sementes deste lote, aproximadamente 24 serão inviáveis.

Ensaio de cultivares: produtividade dos materiais genéticos disponíveis em diferentes regiões sojícolas

Anualmente, ensaios para avaliação da produtividade dos materiais genéticos disponíveis no mercado são publicados. 

Eles podem ser consultados em sites como Embrapa Soja, Fundação Pró-sementes, Fundação MT e Fundação MS.

A partir desses materiais, é possível consultar quais cultivares são mais produtivas nas diferentes regiões sojícolas do país. 

Ano agrícola e oscilações de precipitações e temperaturas também são considerados. 

As cultivares utilizadas devem ser recomendadas para a sua região, de acordo com o zoneamento agrícola.

Tecnologias utilizadas para aumento da produção

Anualmente, há lançamentos no mercado com o objetivo de melhorar os processos produtivos e incrementar a produção das culturas.

Novas tecnologias, aperfeiçoamento do manejo, materiais genéticos disponíveis, insumos e defensivos são alguns exemplos.

Dentre as tecnologias utilizadas, a agricultura de precisão vem se destacando. 

Ela utiliza dados das áreas de produção ao longo dos anos, imagens e softwares geoestatísticos, em uma série de aplicações:

  • análise de solo localizada, com aplicação de fertilizantes em taxa variada, garantindo economia e aproveitamento do potencial produtivo dos diferentes talhões;
  • densidade de semeadura e população de plantas, de acordo com as características e potencial produtivo da área;
  • mapeamento de pragas e doenças, com aplicação localizada de defensivos, conferindo economia e menor impacto ambiental;
  • uso de drones para aquisição de imagens, monitoramento do seu estado nutricional e sanitário, além de utilização na aplicação localizada de defensivos.

Outra tecnologia que vem ganhando notoriedade é o BiomaPhos

Ele é um inoculante desenvolvido com tecnologia nacional para a absorção de fósforo pelas culturas, elemento essencial para o desenvolvimento das plantas. 

Na última safra, lavouras tratadas com o inoculante produziram 4 sacas por hectare a mais do que as não tratadas. 

A estimativa é de que na próxima safra, mais de três milhões de hectares sejam tratados com o produto, com incrementos de produtividade de até 30%.

planilha de produtividade da soja

Conclusão

Neste artigo, você viu a importância da utilização de sementes de alta qualidade.

Viu que estresses estão associados aos danos nas sementes, e que se forem visualizados na lavoura, podem ser mitigados.

A importância do manejo e tratamento de sementes no desempenho da sua lavoura é um ponto importante.

Você conferiu ainda os principais cuidados que devem ser realizados com sua semente de soja e as novas tecnologias disponíveis

Assim, você pode ter uma produtividade melhor em sua lavoura!

>> Leia mais: 

Soja RR: Tire suas dúvidas e consiga melhores resultados

Soja precoce: Entenda mais sobre e escolha sua cultivar

Como você escolhe sua semente de soja? Realiza algum cuidado? Quer saber mais sobre o assunto? Deixe seu comentário!