Calcário no solo: Quais são os diferentes tipos, quando fazer a calagem e qual a quantidade ideal para aplicação na sua lavoura.

Muitas operações agrícolas são realizadas na fazenda antes do plantio da cultura.

A aplicação de calcário no solo é uma delas e faz grande diferença na produtividade final.

Mas você sabe por que realizar a calagem e como aumentar a sua eficiência? Qual tipo de calcário é mais recomendado e qual a quantidade certa?

Confira essas e outras respostas a seguir!

Por que corrigir o solo?

Um solo fértil é aquele que tem nutrientes para suprir as necessidades das plantas.

Mas, nem todos os solos possuem fertilidade. Segundo a FAO, 33% dos solos do mundo estão degradados e os principais problemas são erosão; salinização; compactação; acidificação e contaminação. E isso tudo reduz a fertilidade dos solos.

A fertilidade está relacionada com a produtividade das plantas e o sistema radicular é importante para a absorção dos nutrientes pelas raízes.

Assim, um sistema radicular bem distribuído e a posição dos nutrientes na camada superficial do solo são importantes para a nutrição da planta.

No entanto, em solos brasileiros, um problema recorrente é a acidificação do solo.

Solos ácidos têm presença de íons de hidrogênio (íons H+) e alumínio (Al3+), o que está diretamente ligado a pH do solo.

O pH pode ser dividido em ácido, básico e neutro, sendo o neutro próximo de 7. 

Assim, valores de pH menores que 5,5 (pH ácido), resultam em baixa disponibilidade dos nutrientes para as plantas.  Então, dependendo do pH do solo, há alteração na disponibilidade de nutrientes.

calcário no solo

(Fonte: Malavolta, 1979, em Agronomia com Gismonti)

O pH ideal para as plantas varia de 5,5 a 7, onde são disponibilizados os nutrientes essenciais para elas. Isso depende muito da cultura, como você pode observar na tabela abaixo:

(Disponível em: Associação Interprofissional de horticultura do oeste)

Por isso, a importância da correção do solo

Assim, com a calagem, você pode reduzir a acidez do solo e também fornecer nutrientes como cálcio e magnésio para as plantas.

Calagem e seus benefícios 

A calagem é uma etapa do preparo do solo para o cultivo agrícola em que materiais de caráter básico são adicionados ao solo para neutralizar a sua acidez. Ou seja, quando se aplica calcário no solo.

A calagem atua no pH do solo, principalmente nas camadas superficiais.

Alguns benefícios com a calagem são:

  • Redução da acidez do solo;
  • Fornecimento de cálcio e magnésio para o solo;
  • Estimula o crescimento radicular pelo cálcio;
  • Aumenta a disponibilidade de fósforo;
  • Redução da disponibilidade de alumínio e manganês;
  • Aumenta a mineralização da matéria orgânica;
  • Nas propriedades físicas do solo, aumenta a agregação, podendo reduzir a compactação.

Além desses benefícios, é importante frisar que o custo com calagem representa cerca de 5% do custo com a produção total

Esse custo é muito baixo comparado aos efeitos positivos que a calagem pode trazer para sua propriedade.

Antes de entender como o calcário agrícola reage no solo, você precisa saber se deve aplicar e quanto de calcário usar em sua propriedade.

calcário no solo

(Fonte: Ultradicas)

Calcário no solo: Como precisar a quantidade ideal?

Antes de começar a realizar qualquer operação de nutrição, calagem ou gessagem, você precisa realizar a análise de solo.

Com a análise química do solo, é determinada a acidez e a disponibilidade de nutrientes para as plantas.

A análise do solo deve ser realizada antes da implantação da lavoura, podendo ser realizado no período de entressafra.

O calcário deve ser aplicado cerca de 3 meses antes do plantio da cultura. Assim, há tempo de reagir com o solo e reduzir a acidez.

Lembrando que o calcário no solo precisa de umidade para reagir. Assim, dependendo da região, essa aplicação deve ser feita ainda antes dos 3 meses.

Por isso, é importante realizar um bom planejamento agrícola, efetuando a análise de solo meses antes da implantação da cultura.

E você precisa realizar uma boa interpretação de análise de solo para determinar se precisa realizar a calagem e qual a quantidade utilizar.

Há dois métodos de cálculo de calagem que são mais utilizados no Brasil: Método da saturação por bases e Método baseado nos teores de Al e (Ca + Mg) trocáveis. Vou falar sobre eles a seguir:

Método da saturação por bases 

A fórmula utilizada por este método é:

NC = [CTC x (V2 – V1) x (100/PRNT)] / 100

NC = Necessidade de calcário, em t/ha;

CTC = CTCpH7 (capacidade de troca de cátions) em cmolc/dm3;

V2 = Porcentagem de saturação por bases desejada – isso depende da cultura da cultura, mas em geral utiliza-se:

  • 50% para cereais e tubérculos;
  • 60% para leguminosas e cana-de-açúcar – e é utilizado no cerrado;
  • 70% para hortaliças, café e frutas.

V1 = Porcentagem de saturação por bases atual do solo (encontrada na análise do solo) ou com:

V1 = [Soma de bases (K + Ca + Mg + Na) x 100 ]/CTC

PRNT = Poder Relativo de Neutralização Total (encontrado na embalagem do calcário).

Este é o conteúdo de neutralizantes contidos em corretivo de acidez, expresso em equivalente de Carbonato de Cálcio puro (%ECaCO3), que reagirá com o solo no prazo de 3 meses.

O PRNT é calculado por: PRNT = (PN x RE) / 100

PN = Poder de neutralização;

RE = Reatividade das partículas.

Assim, quanto maior o poder de neutralização do calcário, maior será a quantidade de ácidos que ele vai neutralizar – e menor será a quantidade de produto necessário.

Por isso, é importante entender esse índice para a calagem.

Método baseado nos teores de Al e (Ca + Mg) trocáveis

Esse método é menos utilizado, sendo indicado para solos com baixa CTC (menor que 5 cmolc/dm3), com fórmula:

NC  = Y [Al3+ – (mt – t/100)] + [X – (Ca2+ + Mg2+)]

NC = Necessidade de calcário, em t/ha;

Y = Valor tabelado em função do poder tampão do solo:

  • Arenoso: Y = 0 a 1
  • Médio: Y = 1 a 2
  • Argiloso: Y = 2 a 3
  • Muito argiloso: Y = 3 a 4

mt = Saturação por Al3+ (100xAl/SB+Al);

t = CTCefetiva (SB + Al);

X = Teor mínimo de Ca + Mg : tabelado, sendo que para forrageiras tropicais é de 1 a 2;

Ca2+ + Mg2+ = teores trocáveis de Ca e Mg, em cmolc/dm3.

Para te auxiliar na correta determinação de calagem, procure um(a) engenheiro(a) agrônomo(a)!

Calcário no solo: Tipos de calcário e aplicação

Os tipos de calcário variam de acordo com a porcentagem de magnésio e cálcio que eles apresentam:

  • Calcítico: maior teor de cálcio (45 a 55%) e menor de magnésio;
  • Magnesiano: teor intermediário de magnésio (5 a 12%);
  • Dolomítico: maior teor de magnésio (maior que 12%) e baixo teor de cálcio.

Calcário dolomítico é utilizado para aumentar Mg no solo

(Fonte: Adaptado de Ministério de Minas e Energia em Agronomia com Gismonti)

Existe um calcário chamado filler que tem granulometria fina, sendo indicado para o sistema de plantio direto, já que não há revolvimento do solo.

Para definir qual é o melhor calcário para se utilizar, verifique em sua análise de solo as quantidades de cálcio e magnésio. 

Assim você poderá escolher se irá aplicar um calcário com maior ou menor concentração desses nutrientes.

A aplicação do calcário no solo pode ocorrer:

  • Aplicação incorporada: aplicação seguida de operações de aração e gradagem;  Em sistemas convencionais de cultivo, o calcário deve ser incorporado a 20 centímetros de profundidade ou mais.
  • Aplicação superficial: aplica sobre a superfície do solo sem revolvimento.

No sistema de cultivo convencional ocorre a aplicação incorporada do calcário no solo. Já no sistema de plantio direto ocorre a aplicação superficial.

Agora que você sabe um pouco mais sobre a calagem, veja como o calcário reage no solo.

Como o calcário reage no solo

Quando aplicamos calcário no solo, ocorrem várias reações para a redução da acidez no solo. Veja resumidamente o que ocorre, de acordo com Vitti e Priori:

1- Calcário em contato com a água (umidade do solo) forma íons no solo de cálcio e magnésio (dependendo do tipo de calcário) e ânions HCO3 OH

calcário no solo

2- Os ânions serão utilizados para reduzir a acidez do solo, neutralizando a acidez (H+) e neutralizando o alumínio (AL+3)

calcário no solo

Assim, ocorre o aumento do pH, neutralização do alumínio e disponibilização de íons de cálcio e magnésio.

Como mencionei é importante o solo apresentar umidade e a prática de calagem ser realizada meses antes do plantio, pois o processo de aumento de pH e neutralização do alumínio podem demorar algum tempo.

Depois de realizar a calagem, você deve realizar a adubação para a cultura. 

De nada adianta realizar a adubação em solo com acidez, pois os nutrientes não serão disponibilizados para as plantas. Por isso, é importante realizar a calagem do solo antes da adubação.

Problemas do excesso de calcário no solo

Quando estamos doentes, tomamos uma dose adequada de remédio para nosso tratamento, certo? Se tomarmos uma dose maior, isso pode trazer malefícios.

Com o calcário, também é assim. Não é porque ele tem muitos benefícios que você pode utilizar qualquer dose e até aumentar a dose que é recomendada. 

Esse excesso de calcário no solo pode ser chamado de super calagem.

Por isso, utilizar o calcário na quantidade recomendada através da análise de solo é essencial.

Como mencionei anteriormente, o pH ideal é entre 5,5 a 7 (dependendo da cultura). E se o pH se elevar acima desse limite, vários nutrientes começam a ficar indisponíveis para as plantas.

Além disso, quando aplicamos calcário, adicionamos ao solo cálcio e magnésio. Esses dois nutrientes, quando em excesso, podem trazer problema para as plantas, além de interferir na absorção de potássio.

Dessa forma, as aplicações de calagem e gessagem, além da adubação devem ser feitas seguindo a análise de solo, com a dose recomendada para a cultura.

Fatores que tornam a calagem mais eficiente

Ao longo do texto falamos de vários fatores que tornam a calagem mais eficiente, separei alguns para te auxiliar nesta prática agrícola:

  • Amostragem e análise de solo;
  • Interpretação da análise de solo;
  • Determinação da necessidade de calagem;
  • Época de aplicação do calcário e planejamento agrícola;
  • Escolha do tipo e da aplicação do calcário;
  • PRNT;
  • Aplicação correta e na dose recomendada.

Conclusão

Neste texto, comentamos sobre a importância de corrigir a acidez do solo e os benefícios da calagem.

Além disso, abordamos como você sabe se precisa realizar calagem e como calcular a quantidade de calcário.

Também mostramos que excesso de calagem pode trazer malefícios.

E por fim, comentamos sobre os fatores que tornam a calagem mais eficiente.

Com essas informações, realize uma boa calagem na sua fazenda e aumente as chances de lucro com a sua lavoura.

Você faz aplicação de calcário no solo da sua fazenda? Já conhecia os fatores que podem aumentar a eficiência da calagem? Adoraria ver seu comentário abaixo!