Plantadeira de milho: Principais modelos, velocidade de plantio, manutenção e 7 passos para acertar na compra deste maquinário.

A produção de milho na safrinha 2018/19 deve crescer cerca de 20% frente à safra passada.

Com aumento em área plantada e incremento na produtividade, o Brasil deverá produzir 65,3 milhões de toneladas nesta segunda safra.

Neste cenário, a escolha da plantadeira de milho é essencial para a correta semeadura agrícola da cultura.

Possuir a máquina correta disponível na janela de plantio pode ser a diferença entre o sucesso ou fracasso da atividade.

Veja neste artigo quais são as melhores plantadeiras de milho do mercado, além de dicas de manutenção e as formas corretas de utilização!


Antes de tudo: Plantadeira ou semeadora?

É importante conhecermos o termo mais correto conceitualmente. Em 2011, houve um fórum para padronização destes termos.

Esse fórum ficou conhecido pelo seu tema de “Terminologia de Máquinas Agrícolas” e foi inserido na programação do CONBEA (Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola).

A semeadora é a máquina que realiza a semeadura das culturas, ou seja, introduz sementes de plantas no solo.

A plantadora é a máquina que realizará o plantio das culturas e colocar no solo as partes vegetativas de plantas, como bulbos, colmos e tubérculos.

Assim, no caso do milho, o mais correto seria “semeadora”. No entanto é normal a gente ter alguns termos coloquiais em uma conversa.

Por isso, neste nosso bate-papo vamos continuar com o termo “plantadeira”, mas lembre-se que o mais correto conceitualmente é “semeadora”.

Os principais e melhores tipos de plantadeira de milho

John Deere DB74

A John Deere DB74 é uma plantadeira que gosto bastante para áreas extensas. Ela possui rendimentos operacionais fantásticos.

Possui boa qualidade de distribuição e plantio em velocidades altas de 10 km/h ou 12 km/h, dependendo das condições do terreno e solo.

plantadeira de milho
(Fonte: John Deere)

O plantio sem adubação na linha com disco duplo desencontrado na semente permite velocidades mais altas de deslocamento da máquina.

Tudo isso, associado ao sistema de distribuição pneumático a vácuo, denominado “VacuMeter”, possibilita plantio de até 18 ha/h.

O sistema não possui caixa de adubo, por isso faz-se necessária a adubação antecipada e em cobertura com o auxílio de ferramentas de agricultura de precisão.

Apesar do seu grande tamanho, a plantadeira JD DB74 possui chassi articulado em 3 seções de até 15° de flexibilidade. Tem ainda carrinhos do tipo pantográficos, que auxiliam no plantio nas profundidades desejadas.

Possui 4 configurações, dependendo do espaçamento desejado:

  • 45 linhas de 50 cm
  • 48 linhas de 45 cm
  • 30 linhas de 76 cm
  • 24 linhas de 90 cm

Plantadeira Baldan SP GIGA Air

As plantadeiras da Baldan, versão SP GIGA Air, possuem 22, 30, 34 e 42 linhas de semeadura disponíveis.

Essa versão especificamente possui sistema de turbina de fluxo contínuo, com regulagem independente do sistema a vácuo. Assim, ocorre deposição de sementes com precisão no campo.

Além disso, possui dosador pneumático para utilização em diversas culturas, especialmente soja e milho.

Possui caixa de engrenagens com 62 combinações de velocidades para distribuição de sementes. Outro destaque é seu sistema eletrônico para controle individual ou sincronizado dos módulos de plantio.

Com disco de corte de 20’’ desencontrados e regulagem da profundidade de semeadura independente, essa linha de plantadeiras é uma ótima opção para realização correta da operação no campo.

plantadeira de milho
Fonte: (Baldan)

Há 4 opções de modelo:

  • 22 linhas, largura total de 10.600 mm, depósito de sementes de 3.340 litros e trator de 180* CV
  • 30 linhas, largura total de 14.100 mm, depósito de sementes de 4.500 litros e trator de 240* CV
  • 34 linhas, largura total de 16.000 mm, depósito de sementes de 5.180 litros e trator de 280* CV
  • 42 linhas, largura total de 19.600 mm, depósito de sementes de 6.340 litros e trator de 340* CV

*Calculada para Sistema de Plantio Direto

Jumil JM 8090 e JM 8080 PD – TERRA

A linha de plantadeiras de sementes graúdas da Jumil JM 8090 e 8080 PD, destacam-se no cenário de plantio de milho.

Elas não necessitam de desmonte, carregamento ou transporte em carretas nos diferentes lotes da fazenda. Além disso, auxiliam os operadores na execução das tarefas em campo, pois todas as operações são feitas de dentro da cabine do trator agrícola.

As plantadeiras da linha JM 8090 são da linha pneumática com tecnologia “Exacta Air” e as plantadeiras da linha JM 8080 são mecânicas da linha “Magnum”.

plantadeira de milho
(Fonte: Jumil)

Por ser transportável, essas plantadeiras possibilitam maior eficiência na semeadura, além de facilitar o transporte até os talhões, melhorando a sua eficiência operacional, eliminando algumas horas improdutivas.

Com o chassi articulado em 3 seções e carrinhos do tipo “pantográfico”, as ondulações do terreno são facilmente superadas e a profundidade de semeadura torna-se constante.

Existem 3 opções de chassi:

  • Até 29 linhas de 45 cm, largura de trabalho de 13.800 mm, depósito de sementes de 3.000 litros/2.400 kg, capacidade efetiva de campo de 99 ha/h* e trator de 240 CV
  • Até 33 linhas de 45 cm, largura de trabalho de 15.100 mm, depósito de sementes de 3.300 litros/2.600 kg, capacidade efetiva de campo de 113 ha/h* e trator de 270 CV
  • Até 39 linhas de 45 cm, largura de trabalho de 17.800 mm, depósito de sementes de 3.700 litros/2.950 kg, capacidade efetiva de campo de 133 ha/h* e trator de 315 CV

*Calculada com velocidade média de 8 km/h, podendo variar de acordo com as condições de campo.

PST4 e PST4 Suprema Tatu

A PST4 é uma plantadeira de milho muito boa para plantio direto.

Possui plataforma larga, articulável, antiderrapante e com extensor que facilita o abastecimento pela lateral da máquina.

Possui também escada articulável e duas catracas com acionamento manual para arremates por meio de alavanca posicionada na lateral da caixa de adubo.

Para distribuição do adubo, a PST4 possui mecanismo de rosca sem-fim com revestimento antiaderente, possibilitando melhor uniformidade na distribuição.

plantadeira de milho
(Fonte: MR)

O número de linhas de plantio pode variar de 7 a 12, dependendo do espaçamento entre linhas desejado. A largura útil é de 2.900 mm a 4.950 mm, respectivamente.

As plantadeiras possuem ainda 43 relações possíveis de ajuste na caixa de adubo e 43 na caixa de sementes. Isso auxilia o ajuste desejado no plantio, seja para a dose de semente ou fertilizantes.

Plantadeira de milho 3 linhas Tatu T²SI

Por último, apresento uma plantadeira adubadeira de menor porte.

A T²SI da Tatu Marchesan é uma boa escolha para produtores com áreas não tão grandes e sistema de plantio convencional.

plantadeira de milho
(Fonte: Agripeças)

A T²SI efetua o plantio convencional de milho, soja, arroz, feijão, sorgo, amendoim e outras culturas com bom acompanhamento do perfil do solo.

A distribuição do adubo é feita via rosca sem-fim, com revestimento interno de PVC, para maior durabilidade do sistema.

Possui depósito de adubo de 50 kg em cada caixa e 34 litros para cada caixa de sementes. Necessita de um trator com cerca de 60 CV para correto funcionamento.

7 dicas para escolher sua plantadeira de milho

Como escolher a plantadeira de milho ideal é uma dúvida recorrente de muitos agricultores com quem converso.

Devo optar por uma máquina maior, com mais linhas, ou uma máquina menor?

A resposta não é tão simples quanto parece! Mas deixo algumas dicas para te ajudar na hora de escolher o maquinário ideal para sua propriedade.

1 – Sempre calcule os dias agronomicamente úteis na sua janela de plantio e da sua área a ser semeada.

2 – Opte por uma plantadeira adequada ao seu bolso! Lembre-se que, às vezes, as máquinas podem quebrar durante a operação, então esteja atento às manutenções preventivas.

3 – Nova ou usada? Com bons programas de financiamento no mercado, uma boa opção é comprar uma máquina nova. Mas isso não é uma regra absoluta! Se atente aos índices de sua máquina para tomar essa decisão.

plantadeira de milho
Com o Aegro, você obtém os índices de rendimento das máquinas agrícolas de modo automatizado e pode tomar decisões de compra mais assertivas

4 – Observe os termos e condições de pagamento, estado de conservação e capacidade do revendedor fornecer suporte.

5 – Mantenha um estoque de peças vitais da plantadeira de milho na fazenda, afinal, a maioria das revendedoras só atende em horário comercial, de 2ª a 6ª.

6 – Opte por máquinas fáceis de serem utilizadas e reguladas. Uma plantadeira menor e bem regulada pode render mais operacionalmente que outra de maior tamanho mal regulada.

7 – Verifique a disponibilidade da máquina que irá colher a cultura, neste caso o milho. Se eu não possuo uma colhedora de 50 cm de espaçamento entre linhas e ninguém na região pode terceirizar esse espaçamento de colheita, então a aquisição de uma plantadeira de milho nesse espaçamento é inviável.

Crescimento do setor e linhas de financiamento

A venda de máquinas agrícolas deve crescer cerca de 15% entre 2018 e 2019, segundo a Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Com os produtores capitalizados e diversos programas de financiamento para renovação ou ampliação das frotas agrícolas, este é um bom momento para aquisição dos equipamentos agrícolas.

Os programas Moderfrota, Pronaf e FCO são as três principais linhas de crédito para aquisição das máquinas agrícolas.

Os produtores conseguem prazos de financiamento de até 10 anos, dependendo das condições do produto a ser adquirido. Há linhas voltadas à aquisição de máquinas e implementos agrícolas novos e usados.

Vida útil da plantadeira de milho

A vida útil do maquinário agrícola é outro importante assunto que os produtores devem se atentar.

E os cuidados com os equipamentos farão toda a diferença neste sentido.

As manutenções preventivas, instruções de uso e lubrificações são diferentes e devem ser realizadas segundo o manual de cada fabricante.

Com janelas de plantio cada vez menores, a disponibilidade da plantadeira para realização da atividade é vital para semeadura no tempo ideal e ganhos em produtividade.

Durante a entressafra, uma manutenção geral deve ser realizada nas plantadeiras, checando principalmente:

  • Transmissão
  • Engrenagens
  • Carrinhos de semente
  • Tanques de adubo (se houver)
  • Discos de corte
  • Rodas limitadoras de profundidade
  • Compactadores de sulco
  • Tubos condutores de sementes
  • Tubos condutores de adubos

Além disso, atente-se também aos mecanismos de roscas sem fim, peças internas, sistemas de distribuição de semente e adubo, discos dosadores e, quando houver, aos componentes gerais de todo o sistema.

Velocidade de plantio

A velocidade de plantio pode variar de acordo com o sistema de distribuição da plantadeira.

Para plantadeiras de disco, maioria no mercado brasileiro, a velocidade de trabalho pode variar entre 4 km/h e 6 Km/h.

Para plantadeiras a vácuo, é possível realizar boas operações com velocidades maiores, chegando a 10 km/h ou 12 km/h. Isso vai depender das condições de topografia do terreno, umidade e textura do solo.

Algumas pesquisas mostram perdas em eficiência da semeadura de acordo com as velocidades utilizadas nos equipamentos. Veja:

plantadeira de milho
(Fonte: Embrapa – adaptado de Pioneer Sementes)

Grafite nas sementes: Uso ou não?

O grafite vem sendo utilizado para melhorar a plantabilidade das sementes.

Segundo a Embrapa, “O tratamento das sementes de milho com inseticidas para combater as pragas de solo altera a rugosidade da superfície das sementes, o que acaba prejudicando os mecanismos distribuidores, sejam de discos ou ‘dedos prensores’”.

Nos sistemas de distribuição por meio de discos, o grafite tem auxiliado bastante no momento do plantio dessas sementes no campo e manutenção do estande planejado.

No sistema de “dedos prensores”, o excesso de grafite tem acarretado maior desgaste das peças.

A quantidade de grafite a ser colocada varia conforme o tamanho e formato das sementes.

Para sementes chatas podem ser utilizadas de 2g a 4g de grafite por quilo de semente.

Já para sementes redondas, na média, podem ser utilizadas de 5g a 6g de grafite por quilo de semente.

O ideal é que se espere a secagem do tratamento de sementes com os inseticidas para a colocação do grafite e em seguida se inicie o plantio.

Conclusão

Neste artigo, apresentei alguns dos principais modelos de plantadeira de milho, que podem ser usadas no plantio direto e/ou convencional.

Também discutimos velocidade de plantio, uso ou não do grafite e as opções de crédito para máquinas e implementos agrícolas.

Você conferiu ainda algumas dicas sobre como escolher a melhor plantadeira para sua propriedade.

Com áreas cada dia mais extensas e janelas de plantio mais curtas, a escolha do maquinário é essencial aos produtores que querem ser competitivos no mercado.

>> Leia mais: 

Depreciação de máquinas: Todos os cálculos de forma prática
Como regular plantadeira de trigo e ser mais eficiente

Você já trabalhou com alguma plantadeira de milho entre as que apresentei? Acha que outras plantadeiras merecem destaque na lista? Deixe seu comentário!