CTC do Solo: Confira o que você precisa entender e fazer para melhorar a fertilidade do solo.

Em geral, seja por uma razão ou outra, nós não entendemos profundamente nosso solo e suas relações com as culturas.

Desse modo, sempre contamos com os outros para nos dar uma “solução”, acreditando que isso que resultará em melhores colheitas.

A CTC do solo é um dos conceitos mais importantes para que comecemos a compreender nosso solo e sistema de produção.

A capacidade de troca catiônica (CTC) influência na estabilidade do solo, disponibilidade de nutrientes, o pH do solo e a reação do solo com fertilizantes e outros.

Entenda mais sobre a CTC do solo neste artigo, além de conhecer práticas efetivas para melhorar o solo e, consequentemente, a produtividade da sua área!

O que é CTC do solo e pode nos ajudar

A Capacidade de Troca Catiônica (CTC) é uma medida da capacidade de troca de cátions que um solo possui.

E como o solo mantém esses cátions no solo?

Pois bem, as partículas de solo, especialmente a argila ou matéria orgânica, possuem em sua superfície diversas cargas negativas.

Como os opostos se atraem, as cargas positivas (como cátions) se ligam à essas partículas.

Exemplos de cátions são: Ca²+, Mg²+ e K+. Repare que aqui temos justamente alguns nutrientes para plantas.

Portanto, a CTC refere-se à quantidade de cargas negativas que o solo possui.

Os nutrientes ligados (adsorvidos) pelas partículas de solo podem ficar disponíveis para as plantas e também não são facilmente carregados pelas águas das chuvas.

Além disso, esses cátions que são mantidos na argila ou partículas orgânicas podem ser substituídos por outros cátions e, portanto, são chamados de trocáveis.

Por exemplo, o potássio pode ser substituído por cátions como cálcio ou hidrogênio.

Você pode ver abaixo como ocorre as trocas de cátions para que a planta absorva os nutrientes do solo.

ctc-solo-nutrientes

(Fonte: McMilan  adaptado e traduzido por Aegro)

Repare que na etapa 3 os cátions podem ser liberados na solução do solo, onde as plantas podem absorver mais facilmente os nutrientes.

Outra possibilidade é que a raiz troque um H+ por algum cátion, sendo uma troca ativa, ou seja, a planta gastou energia para absorver esse nutriente.

No entanto isso não ocorre sempre, o mais comum é  a liberação para solução do solo e ali ocorrerá a absorção de nutrientes pela planta.

Essas trocas não ocorrem somente pela absorção nutrientes, sendo muito fatores envolvidos para que elas ocorram.

Desse modo, manejando o solo e CTC você pode melhorar sua fertilidade.

Mas antes de conhecer esses fatores precisamos entender mais sobre os diferentes tipos de CTC do solo.

Os tipos de CTC do solo

1. CTC Permanente

Esta CTC é chamada permanente, porque não varia com o pH, é resultado da substituição de elementos na estrutura das partículas de solo (substituição isomórfica).

Essa CTC ocorre nos solos menos desenvolvidos, predominante nas regiões temperadas, o que não é o nosso caso.

2. CTC Variável

Este tipo de CTC é chamado de CTC variável, porque o número e cargas elétricas pode aumentar ou diminuir em função do pH do solo.

Esse é o principal tipo de CTC que temos em nossos solos tropicais.

ctc do solo

(Fonte: Grain SA traduzido por Aegro)

Além desses dois tipos principais, a CTC do solo também pode classificada em CTC a pH 7 e CTC efetiva, ambas disponíveis em análises do solo:

>> Tudo que você precisa saber para acertar na escolha do laboratório de análise de solo

>> O guia da interpretação de análise de solo

CTC a pH 7

É a quantidade de cátions ligados ao solo (adsorvidos) quando o pH é igual a 7.

CTC efetiva

A CTC efetiva é obtida da soma dos cátions que efetivamente podem ser trocados.

Os cátions que são somados são: Ca2+, Mg2+,
K+ e Al3+. Não inclui, portanto, o H+ que compartilha elétrons com as cargas do solo.

Agora, podemos verificar os fatores que interferem na CTC e começar a entender como podemos modificá-lo para melhorar nosso solo:

Fatores que afetam a Capacidade de Troca Catiônica

Muitas condições do solo têm influência sobre a CTC, dentre as quais:

  • pH do solo;
  • Natureza dos cátions trocáveis;
  • Concentração dos cátions na solução do solo;
  • Natureza da fase sólida do solo.

O efeito do pH se verifica, principalmente, sobre as cargas dependentes de pH, que são as principais nos solos brasileiros, como já discutimos.

Desse modo, temos:

ctc do solo

A natureza dos cátions afeta a preferência de troca no solo dependendo da sua densidade de carga (relação entre a carga do íon e seu raio).

Os cátions com maior densidade de carga são mais retidos no solo. Por isso, os cátions polivalentes são geralmente mais fortemente retidos no solo.

Assim, temos uma seqüência de preferencialidade de troca de cátions considerando apenas os nutrientes de plantas:

K+ < Mg²+ < Ca²+

A concentração dos cátions na solução do solo também afeta a preferencialidade de troca.

Assim, à medida que se dilui a solução, com menos cátions por volume de água no solo, há aumento na preferencialidade de troca pelos cátions de menor densidade de carga, como o Na+.

A natureza do solo também influi, sendo que já vimos que solos tropicais como os nossos possuem basicamente CTC variável.

Por consequência, a matéria orgânica apresenta a maior participação no valor da CTC.

composição-solo

(Fonte: David Prado Alencar em Ciências naturais)

Como manejar a CTC do solo e aumentar sua fertilidade?

A CTC determina como o seu solo deve ser gerenciado.

Lembrando que, em geral, quanto maior a CTC do solo, melhor será sua fertilidade.

Isso porque é maior a quantidade de cátions, como cálcio, magnésio, potássio, nutrientes essenciais para as plantas.

Abaixo podemos ver a classificação da CTC do solo e as principais relações dos solos com CTC baixa e alta:

CTC-ph-7.classificacao

(Fonte: Na sala com Gismonti)

ctc-relações

(Fonte: Gisele Santos em Constituição do solo)

Um dos benefícios da calagem dos solos ácidos, como os brasileiros, é o aumento da CTC do solo.

banner da planilha de calagem com uma tela de computador e texto explicativo

>> Gessagem: Tudo o que você precisa saber sobre está prática agrícola

>> Como fazer calagem e gessagem nas culturas de soja, milho e pastagem

Eis o motivo: à medida que o pH aumenta, o H+ ligado à partícula do solo é neutralizado pela calagem, e o local que ocupava é liberado, resultando em uma carga negativa.

Nessa carga então, podem se ligar os nutrientes cálcio, magnésio, etc.

Por isso também, os solos com maior CTC têm menor lixiviação de nutrientes e quando a planta absorve a água, com ela vem junto o nutriente.

lixiviação-ctc

À esquerda solo com baixa CTC; à direita solo com alto valor de CTC
(Fonte: Fresh Grow)

Além disso, o método de adubação também pode ser influenciado pela CTC, assim como pode melhorá-la.

>> O que você precisa saber sobre as diferenças entre calagem e gessagem

Um solo com baixa CTC normalmente tem uma baixa matéria orgânica e conteúdo de argila, retém menos água.

Assim, é necessário mais calcário e fertilizantes, sendo mais sujeito a lixiviação.

Geralmente, os solos com baixa CTC apresentam menores rendimentos, mas um bom manejo ainda pode resultar em uma colheita bem sucedida.

>> Veja (de uma vez por todas) como fazer fosfatagem na sua fazenda

Influência da matéria orgânica na CTC do solo

A matéria orgânica do solo é constituída por compostos de carbono originados a partir da decomposição de resíduos vegetais e animais.

Além de ser fonte de nutrientes, a matéria orgânica do solo (M.O.S.) apresenta cargas de superfície que contribuem para o aumento da capacidade de troca de cátions (CTC) do solo.

ctc-alta-baixa

(Fonte: Pedologia Fácil)

Devido a sua alta reatividade, a M.O.S. regula a disponibilidade de vários nutrientes.

Essa regulagem é principalmente dos micronutrientes e elementos potencialmente tóxicos como Al3+ e Mn2+, e metais pesados.

Nos ambientes tropicais, a matéria orgânica do solo tem importância elevada, já que a argila dos nossos solos só possuem CTC variável.

A M.O.S. é amplamente reconhecida por seus efeitos benéficos aos solos devido a melhor agregação e retenção de água, maior CTC e disponibilidade de nutrientes.

Um manejo de solo com adubação verde, culturas de coberturas, plantio direto ou até cultivo mínimo colaboram com algum aumento ou manutenção da M.O.S. do solo.

>> Vantagens e desvantagens de fazer adubação verde em sua propriedade

Apesar das análises de solo trazerem os valores de CTC, você pode calculá-las facilmente:

Como calcular a CTC do seu solo?

Como citei anteriormente, a CTC do solo possui diferentes tipos, dessa forma, preste bastante atenção na composição do seu solo porque cada tipo de CTC possui um cálculo distinto.

1. CTC efetiva

Ou efetiva que corresponde a soma de bases (SB) incluindo o cálcio, magnésio, potássio e sódio; mais o alumínio, ou seja CTC efetiva = SB + Al

Essa CTC efetiva é utilizada no cálculo da retenção de cátions (RC) como um dos critérios para saber se o solo é ácrico (baixa CTC efetiva) ou não ácrico (média ou alta CTC efetiva).

2. CTC a pH 7

Corresponde a soma de bases (SB) + Al + H no pH 7

A CTC a pH 7 é utilizada para
calcular a dose de calcário.

Conclusão

O conhecimento do seu solo passa pelo entendimento da CTC, demonstrando como você pode manejar melhor o seu solo.

Se atente para os valores de CTC e procure aumentar esses valores pela correta calagem e manejo conservacionista do solo.

Com todas essas informações faça seu planejamento agrícola e tenha produtividades ainda mais altas!

Gostou do texto? Tem mais dicas sobre a CTC do solo? Como você faz o planejamento agrícola do seu solo hoje? Adoraria ver seu comentário abaixo!